Hamas critica Abbas por não ajudar os refugiados palestinos na Síria

Declarações com base em Gaza do grupo islamita vieram após o ISIS apreender maior proporção do campo de refugiados de Yarmouk.

Hamas criticou a Autoridade Palestina por não fazer o suficiente para ajudar os refugiados palestinos na Síria, como o maior campo de refugiados na periferia de Damasco que foi apreendido pelo grupo Estado Islâmico no fim de semana.

“O papel da Autoridade Palestina tem sido diminuído na gestão da crise mais recente,” disse o porta-voz do Hamas no Líbano, Ali Barakh, no diário Al-Resalah ligado ao Hamas. “Isso vai contra os esforços que foram feitos pela OLP no passado para resolver crises no campo.”

O presidente da ANP, Mahmoud Abbas, enviou várias delegações para a Síria nos últimos anos, em uma tentativa de persuadir o presidente Bashar al-Assad a manter os palestinos fora do furiosa guerra civil no país, nos últimos quatro anos. Abbas também tentou absorver refugiados palestinos da Síria, na Cisjordânia, mas a ideia nunca chegou a ser concretizada após o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu exigir a renúncia ao seu “direito de retorno” para Israel. O Estado de Israel havia concordado em permitir que os refugiados voltassem para a Cisjordânia ou Gaza com esta condição, que Abbas formalmente rejeitou.

Cerca de 2.000 pessoas foram retiradas do campo de refugiados palestino de Yarmouk, disse um funcionário palestino à AFP neste domingo.

“Cerca de 400 famílias, aproximadamente 2.000 pessoas, foram capazes de deixar o campo na sexta-feira e sábado através de duas estradas seguras para o distrito Zahira, que está sob controle do exército”, disse Anwar Abdul Hadi, um oficial da Organização de Libertação da Palestina.

Abdul Hadi disse que as tropas sírias tinham ajudado na evacuação, que veio com forças palestinas que lutaram para tentar conter os combatentes que capturaram grandes áreas do campo desde quarta-feira.

Ele disse que a maioria dos evacuados do campo foram hospedados em abrigos do governo, com pelo menos 25 feridos levados para dois hospitais em Damasco.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos, um grupo de acompanhamento com base na Grã-Bretanha, confirmou que “centenas” de pessoas tinham sido evacuadas do campo.

O grupo disse que pelo menos 26 pessoas, incluindo civis, bem como lutadores do ISIS e das facções palestinas tinham sido mortas no campo desde quarta-feira.

Desde o avanço jihadista, as forças do regime têm atacado o acampamento com escudos e bombas, de acordo com o Observatório.

Autoridades palestinas e da agência da ONU para refugiados palestinos UNRWA pediram acesso da ajuda humanitária para o acampamento.

Yarmuk, no sul de Damasco, foi o lar de 160 mil pessoas, sírios, bem como os palestinos. Mas sua população caiu para apenas 18 mil desde o levante que eclodiu em março de 2011.

O acampamento está cercado por forças do governo e estava sob um cerco apertado por mais de um ano.

Um acordo no ano passado entre os rebeldes e o governo, apoiado por facções palestinas, levou a um abrandamento do cerco, mas o acesso humanitário permaneceu limitado.

Os militantes do ISIS atacaram o acampamento na quarta-feira, e foram inicialmente em grande parte repelidos, mas foram posteriormente capazes de capturar grandes partes dele.

Autoridades palestinas acusaram a facção filiada da al-Qaeda, a Frente Al-Nusra de ajudar na entrada no acampamento.

Entre as mortes na luta, HÁ pelo menos dois militantes palestinos supostamente decapitados pelo ISIS, de acordo com o Observatório e segundo jihadistas em contas da mídia social.

Forças sírias continuam fora do arraial, e fontes disseram que as tropas haviam montado postos de controle adicionais em torno Yarmuk após a luta começar.

ISIS libera vídeo de jihadistas destruindo antiga cidade iraquiana

O grupo Estado Islâmico divulgou um vídeo em que militantes podem ser vistos usando rifles e marretas para destruir artefatos na cidade antiga de Hatra, no Iraque.

A destruição de patrimônio mundial da Unesco já havia sido confirmado pela agência cultural da ONU há um mês.

No caminho do Estado Islâmico – história apagada: um clamor internacional, seguido do novo filme de militantes do Estado Islâmico destruindo artefatos históricos de uma região que já foi considerada o berço da civilização.

O mais recente, vídeo sem data foi lançado em 3 de abril, um dia depois que o grupo tinha perdido a cidade de Tikrit para as forças do governo e aliados, o seu maior revés militar ainda no Iraque.

“O Estado Islâmico nos enviou a esses ídolos para quebrá-los, porque eles são adorados em vez de Deus”, diz um dos dois militantes falando para a câmera.

(com AFP)

http://www.i24news.tv/en/news/international/middle-east/66761-150406-hamas-slams-abbas-for-not-helping-palestinian-refugees-in-syria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s