Será que uma igreja precisa avocar que “Deus é Jesus, Maomé ou Oxalá” para receber líderes religiosos a fim de discutir intolerância?

Em tempos sombrios de perseguição religiosa onde mais de 100 mil cristãos são mortos anualmente de forma covarde por causa da sua fé, a igreja Batista Betânia realizou no dia 25 de setembro  um “seminário” sobre intolerância religiosa, excluindo outros segmentos religiosos da sua proposta de “diálogo inter-religioso”.

Foram convidados o padre Rodrigo Vieira da Silva, o babalorixá Ivanir dos Santos, que insiste em criticar e estereotipar os evangélicos e Samir Isbelle, representante da Sociedade Beneficente Muçulmana do RJ. Não houve justificativa alguma para o fato de não ter sido convidado um rabino, a fim de representar os judeus, que aliás, sofrem constantes perseguições de antissemitas de matizes religiosas diversas, o que, por si só, corrobora a ideia que a agenda do Sr. Neil – líder religioso em cujo templo o evento foi realizado –  não é tão voltada para o diálogo inter-religioso, e espero que a recusa não tenha sido ditada por uma agenda política consonante com o governo petista, inequivocamente anti-Israel.

Aliás, é relevante destacar que antes do evento, um amigo judeu solicitou educadamente esclarecimentos sobre a ausência do convite, mas, por “coincidência”, não houve desejo de manter um “diálogo” sobre essa questão.

Os muçulmanos, candomblecistas e católicos foram retratados como as religiões mais perseguidas e foram exibidos vídeos para mostrar casos de intolerância. No entanto, apesar de os muçulmanos serem considerados pela organização do debate como um dos segmentos religiosos mais perseguidos, a “prova” da ilação foi apenas uma reportagem com a denúncia de uma muçulmana que foi injuriada por usar burca. Faltaram números comprobatórios da alegada perseguição, mas isso foi “detalhe desnecessário”… Por certo, a multidão presente devia conhecer centenas de casos de islamofobia!

Como o tema do seminário era “intolerância”, o Sr. Neil também não perdeu a oportunidade de agradar a todos, e para tanto, recorreu a uma música do cantor Gilberto Gil, intitulada “guerra santa”, pois teria que demarcar bem a quem tanto ódio seria dirigido. Eis a letra da música entoada DENTRO de um templo que diz ser evangélico:

Ele diz que tem, que tem como abrir o portão do céu

ele promete a salvação

ele chuta a imagem da santa, fica louco-pinel

mas não rasga dinheiro, não

Ele diz que faz, que faz tudo isso em nome de Deus

como um Papa na inquisição

nem se lembra do horror da noite de São Bartolomeu

não, não lembra de nada não

Não lembra de nada, é louco

mas não rasga dinheiro

promete a mansão no paraíso

contanto, que você pague primeiro

que você primeiro pague dinheiro

dê sua doação, e entre no céu

levado pelo bom ladrão

Ele pensa que faz do amor sua profissão de fé

só que faz da fé profissão

aliás em matéria de vender paz, amor e axé

ele não está sozinho não

Eu até compreendo os salvadores profissionais

sua feira de ilusões

só que o bom barraqueiro que quer vender seu peixe em paz

deixa o outro vender limões

Um vende limões, o outro

vende o peixe que quer

o nome de Deus pode ser Oxalá

Jeová, Tupã, Jesus, Maomé

Maomé, Jesus, Tupã, Jeová

Oxalá e tantos mais

sons diferentes, sim, para sonhos iguais.

Alguém imaginou ouvir no interior de um “templo cristão” que o nome de Deus pode ser Oxalá ou Maomé? Mas, em nome da “tolerância”, vale tudo, até apostatar da fé!

O Sr. Samir, conhecido muçulmano que tem se esforçado em diversos segmentos para apresentar aspectos pacíficos da religião islâmica, teve a honra de ser o primeiro a “abrir” o evento e no embalo do Gilberto Gil, aproveitou para explicar que “jihad” não é guerra santa, tendo a ousadia de afirmar que as guerras permitidas pelo islã eram apenas de “auto-defesa”.

Aliás, o muçulmano  apresentou como exemplo de “islamofobia” o fato de o currículo escolar brasileiro conter a “visão judaico-cristã” do corão, não especificando que o livro sagrados dos muçulmanos não é uma cópia da Torah ou da Bíblia, e sim, “a revelação” da palavra de Deus para os muçulmanos. Ele só esqueceu de explicar que, apesar de sua lamentação ter eco entre os desentendidos, no mundo muçulmano, TODOS os países de maioria islâmica não apresentam a NOSSA visão judaico-cristã sobre a Bíblia… pelo contrário, TODO muçulmano que lê os escritos sagrados da religião enxerga os cristãos como INIFÉIS! As madrassas (escolas muçulmanas) não retratam o Cristo conforme a Bíblia ensina, e sim, como Maomé estabeleceu, mas vem um muçulmano tentar obrigar um país de maioria cristã a seguir o “manual islâmico de retratação do seu profeta”, caso contrário ter-se-á islamofobia!

Importante ressaltar que, o sr. Samir repetiu parte do primeiro discurso no templo, quando defendeu cabalmente o islã, verberando que a culpa das mazelas no Oriente Médio está nas costas das grandes potências, que teriam, inclusive, apoiado o golpe militar no Egito para retirar do poder um representante da Irmandade Muçulmana. Porém, o Sr. Samir “esqueceu” de informar à platéia que o próprio povo não suportava mais a tentativa do tal presidente fundamentalista de impor a SHARIA (lei islâmica), pelo que, não somente apoiou o “golpe”, como também, ELEGEU DEMOCRATICAMENTE O MILITAR AL-SISSI, que está tentando livrar o país das ações de vários grupos terroristas, inclusive, da própria Irmandade, que é considerada facção terrorista pela Arábia Saudita e outros países.

E quanto ao Sr. Ivanir, devo reconhecer que é astuto e eloquente, apesar de não ter a representatividade que alega ter, pois, como bem lembrado pelo Pastor Silas Malafaia, nunca conseguiu se eleger, sendo certo que, não convenceu seus irmãos de fé, que possui as virtudes necessárias para ser  um bom político! Entrementes, os “irmãos do Sr. Neil” se entusiasmaram tanto com sua fala, que ovacionaram diversas vezes as colocações do candomblecista. Ele foi o ÚNICO dos palestrantes que conseguiu efusivas palmas espontâneas do público, mesmo DESMENTINDO DESCARADAMENTE diversas doutrinas básicas da fé cristã sem ser contestado! E quando o Sr. Neil tentou “brincar” convidando-o para uma vigília, o “pacifista” lembrou de um ato de intolerância contra uma seguidora da sua religião na Bahia. Ficou claro que muitos foram convencidos pelo Sr. Ivanir de que são realmente “irmãos” dos seguidores das religiões de matriz africana e dos muçulmanos, embora o padre tenha tentado explicar o motivo do evangélico não poder ser considerado um “irmão” do católico, ao se pronunciar sobre o  impedimento de “padrinhos evangélicos” para o batismo de crianças católicas.

Pena que o Sr. Samir, que também salientou os aspectos positivos da irmandade que deve existir em todas as religiões, não convidou o Sr. Neil e os presentes para fazer um evento sobre intolerância numa mesquita. Seria um ótimo passo a proposta de levar os INFIÉIS para ouvir líderes islâmicos defendendo as ações da Arábia Saudita de proibir a construção de igrejas em seu território e de nominar judeus e cristãos de “macacos e porcos”! Seria o máximo, se ele aceitasse a proposta de fazer uma preleção explicando o “corão de Medina”, onde a jihad foi uma das marcas sangrentas da expansão de sua fé em terras cristãs no século VIII.

Entrementes, o apoio  que o Sr. Ivanir ofertou à “causa muçulmana” foi tão incondicional, que não esqueceu de frisar que as criancinhas muçulmanas têm o direito de “não comer carne de porco no feijão”… Acreditem! É islamofóbico uma escola pública dar carne de porco para essas crianças, mas não é “judeufóbico” não ter uma “cartilha” elaborada pela Defensoria Pública para resguardar os direitos de tratamento adequado para com os religiosos judeus presos, embora os muçulmanos tenham tamanho privilégio… Para a Defensoria, preso muçulmano tem o direito de não comer carne de porco e fazer as suas rezas nos horários determinados por líderes religiosos, além de tantos outros pormenorizadamente explicados  pelo ente do Judiciário. Será que os candomblecistas têm o mesmo direito de seguir seus ritos alimentares nas prisões? Se têm, não vi em nenhuma cartilha…

Enfim, começou a “caça às bruxas”…  quem não se adequar à “cartilha da tolerância” ditada pelas minorias vai queimar na fogueira da “inquisição moral” e o Sr. Ivanir já deixou claro que na mira dos “fascistas” estão primeiro os seguidores da sua religião, vindo depois os muçulmanos e, pasmem, os católicos! Por que o candomblecista não citou os judeus? Deve ser por acreditar que não são alvos da fúria dos intolerantes.

Deu, agora, para entender quem é o vilão da “estória”?

E a noite de alegria pelo congraçamento das religiões terminou sem uma citação ao martírio dos cristãos, pois, quem ousaria pronunciar que 80% da perseguição aos meus irmãos se dá em países de maioria muçulmana? Seria islamofóbico demais e sensibilizaria o simpático representante da religião da paz, que em momento algum criticou as ações dos GOVERNOS muçulmanos que perseguem e demonizam os seguidores não somente do cristianismo mas de todas as demais vertentes religiosas e ideologias não islâmicas. Quem cala…

Todavia, na visão do Sr. Neil, os fundamentalistas são os evangélicos brasileiros, cuja “guerra santa” não verteu sangue de um muçulmano sequer!

Lamentável constatar as raízes do sectarismo produzindo concepções danosas para a igreja que deveria buscar união para socorrer seus irmãos, por serem as verdadeiras vítimas do ódio e da intolerância no mundo. Onde os “discursos  ocos de falsa paz” abundam, superabunda a falta de amor!

por Andréa Fernandes

Anúncios

32 comentários em “Será que uma igreja precisa avocar que “Deus é Jesus, Maomé ou Oxalá” para receber líderes religiosos a fim de discutir intolerância?”

  1. Seu site é pobre, seu conteúdo é pobre e você deve ser mais vazia ainda!
    Deus tenha misericórdia de você e da sua atitude de envergonhar o nome d’Ele assim.
    Aliás, procure um psiquiatra pois visivelmente você é desequilibrada.
    Paz.

    Curtir

    1. Moça, você é cristã? Não parece, porque se fosse, não agrediria de forma tão tosca o seu semelhante, que aliás, é uma estudiosa do tema “diretos humanos”. Na sua visão deformada pela mídia, os mais de cem mil cristãos mortos pelos fundamentalistas islâmicos não importam. Por certo, você nunca defendeu os verdadeiros “perseguidos”. Sua débil defesa ao “pastor islâmico” é tacanha!

      Ofender uma articulista de um blog acessado em mais de cem países por milhares de pessoas não vai levar sua pessoa a lugar algum… você continuará sendo apenas mais uma anônima agressiva que serve apenas de “massa de manobra” e que desconhece até mesmo a bíblia que diz seguir.

      Quando tiver fundamento racional ou bíblico para discutir o tema, fique à vontade… “crise nervosa” não é base para justificar um erro.

      E obrigada pela crítica ao site! O seu “potencial intelectual” demonstrou o quanto é “preparada” para análise de posicionamentos contrários! E viva a “tolerância” que o seu amigo pastor tanto prega!

      Curtido por 1 pessoa

    2. Ao meu ver, pobre foi sua colocação. Desnecessária e claramente imprópria. Mas isso não é nenhuma surpresa. Pessoas que não possuem intelecto para refutar de maneira adequada e com utilização de fatos sempre se expõem de maneira ignorante, grosseira e estúpida. Fique na paz

      Curtido por 1 pessoa

    3. Essa letra condiz com a verdade cristã?

      …….o nome de Deus pode ser Oxalá

      Jeová, Tupã, Jesus, Maomé

      Maomé, Jesus, Tupã, Jeová

      Oxalá e tantos mais

      sons diferentes, sim, para sonhos iguais.

      Curtido por 1 pessoa

  2. Hipocrisia pura! Querem defender a tolerância? Por que ao invés de se calarem e acenarem a cabeça em conformidade com o discurso de paz e amor ao próximo, Não confronta esse discurso tão lindo com as atitudes islâmicas? Se eles querem viver essa utopia tudo bem mas não sou obrigada a me calar e embarcar nessa onda! Tenho meu direito constituído por lei de expressar minha opinião baseada em acervos bibliográficos e não só na falácia da mídia.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Se para você “democracia” é utilizar um espaço privado para vomitar palavras ofensivas e de ódio ao seu semelhante, lamento, mas não vejo da mesma forma!

      Você não suporta a “crítica”, que é instrumento próprio de uma democracia saudável, e ao invés de utilizar argumentos sólidos, prefere “desumanizar” seu adversário como fez em postagem anterior. Você considera correto um comentário em que ofende um oponente, chamando-o de louco? Foi isso que você aprendeu nas Escrituras?

      Pois bem, a partir de agora, tomarei cuidado para que elementos como você não”desçam o nível” no meu blog, principalmente em respeito aos meus milhares de leitores em todos os continentes. Aqui, prezo pelo respeito, e como você não conseguiu decodificar o texto, não percebeu que em momento algum utilizei palavras ofensivas contra os seus “ídolos”!

      Possivelmente, por lhe faltar “argumento”, continuará com as ofensas, porém, me recuso a perder meu precioso tempo com indivíduos intransigentes!

      Faz o seguinte, vai choramingar suas mágoas por não conseguir contestar racionalmente minhas críticas com o seu amigo pastor… ele saberá lhe consolar!

      E, se quiser continuar sua mórbida diversão, disponha, mas suas postagens irão para o lixo sem qualquer leitura, ok?

      Passar bem, sra. tolerância!

      Curtido por 2 pessoas

  3. Quando uma igreja ou líder confunde ou de forma proposital insinua tolerância com ecumenismo ou mistura é porque vulnerabilizou sua fé e tornou seus princípios negociáveis.
    Nossa única regra de fé são as escrituras sagradas, respeito não significa concordância. A democracia pressupõe convivência dos contrários, mas não se pode ir além para se ter comunhão com as trevas.
    O Islamismo e demais grupos odeiam a igreja evangélica Brasileira, odeiam nossa liberdade de adorar e servir ao único Deus revelado em sua palavra. Querem nos calar, querem que negociemos princípios e valores bíblicos, querem nos intimidar.
    O mundo islâmico persegue implacávelmente o cristianismo, matam, degolam, na Arábia Saudita, portar uma bíblia é crime passível de morte. Aqui ficam com conversa mole sobre tolerância e encontram pastores que em alguns casos nem creem na mensagem da Cruz. Tolerância sim, sempre, embora eles não tolerem a igreja evangélica, mas ecumenismo nunca, não se negocia a revelação de Deus através de Jesus Cristo, único é suficiente salvador.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Me recuso a aceitar “isto” como igreja batista,infelismente o liberalismo não tolera a ortodoxia cristã. Dentro de um templo cristão,várias corrente heréticas,serem ovacionadas pela plateia?me recuso a crer que os que alí se reúnem são cristãos,e muito menos fazer parte da igreja de Jesus!! Deus nos livre dessa teologia diabólica!!!

    Curtir

    1. Prissa, obrigada pela correção quanto ao nome do padre, a qual será feita imediatamente no texto. Mas, os demais nomes estão corretíssimos, e são bastante conhecidos do público, e principalmente, o templo onde ocorreu o absurdo.

      Aliás, sou muito grata pela sua crítica porque lembrei que houve mais um erro terrível da minha parte. Como pude ter esquecido de informar aos leitores que o “pastor ecumênico” afirmou que a perseguição dos cristãos vem dos próprios irmãos? Será que para ele, os cristãos mortos no mundo muçulmano e em regimes comunistas também são assassinados pelos próprios irmãos? Seriam boas ponderações, não?

      Pois bem, como você colocou em dúvida as demais informações, fique à vontade para refutá-las. Se algum FATO que escrevi for MENTIROSO, a convido a trazer a verdade, pois, não faltam vídeos e áudios para comprovar cada palavra proferida no tal “seminário”.

      E se a dúvida for em relação aos meus conhecimentos acerca do mundo muçulmano, será um prazer citar todas as FONTES nas quais me aportei para engendrar minhas críticas, pois, como sou da área de Relações Internacionais, tenho me especializado no tema Oriente Médio, justamente na área de direitos humanos.

      Se você tiver dúvida sobre o GENOCÍDIO dos irmãos cristãos e minorias, inclusive, MUÇULMANAS posso, também, enviar-lhe informações necessárias. E só lamento que a sua preocupação visa tão-somente proteger um pastor que prefere fazer “eventos” contra a ISLAMOFOBIA e em nada se importa com a CRISTOFOBIA, QUE ASSASSINA COVARDEMENTE MILHARES DE CRISTÃOS NO MUNDO MUÇULMANO TODOS OS ANOS!

      Aliás, existe alguma dúvida quanto a isso? Você sabe o que ocorre com seus irmãos enquanto esse pastor se omite em denunciar a dor do povo mais perseguido da terra?

      Enfim, em todo meu texto, o único erro que conseguiu localizar foi o referente ao nome do padre, que aliás, não foi o motivo maior da minha crítica.

      E confesso que o mais lamentável é o “seu lamento”, que mostra o quanto parte da igreja tem sido egoísta, abandonando os seus aos massacres, estupros e perseguições generalizadas para ouvir “homens” que não conhece o “amor” à luz das Escrituras.

      E “patético” é defender ações reprováveis sem apresentar um FUNDAMENTO sequer… se o meu erro em relação ao nome do padre é o único fundamento encontrado para tentar anular totalmente meu artigo, aconselho que estude um pouco lógica! Conhece essa área do conhecimento?

      No mais, o lamentável foi perceber que a dor dos seus irmãos não é a sua preocupação maior, como não é a do pastor que segue… isso sim, é lamentável…

      Curtir

  5. Difícil é entender como uma igreja permite isto acontecer no seu próprio altar,isso é que é vender ilusões!Lastimável e lamentável.Só não podem esquecer que o soberano tudo vê.Partidarismo!

    Curtido por 1 pessoa

  6. Bom dia.
    É do conhecimento de vocês que criticaram nosso encontro, que no dia seguinte, levamos uma Coreana (Corea do Norte), que escapou da prisão, para testemunhar em Betânia, e, que somos parceiros da igreja perseguida por Portas Abertas? Não?
    De que no dia seguinte a este encontro com os líderes religiosos, realizamos um evangelismo para esclarecer há cerca de quatrocentas crianças, no dia de Cosme e Damião, de quem eram e no que se tornaram? Sabiam?
    De que no ano passado levamos Helen Behane para falar do seu sofrimento por ser uma cristã, perseguida por muçulmanos no seu país (Eritreia) que por essa causa, ficou presa por quase três anos em contêiner? Sabiam? Não?
    De que trouxemos há dois meses atrás um jovem líder cristão de nome não verdadeiro, chamado por George B…. Que hoje substitui o irmão André, fundador de Portas Abertas. Cujo culto, não pode ser transmitido por causa do risco que esse irmão corre. Eles estão o tempo todo em Betânia, sabiam? Não?
    De que estamos envolvidos com libertação de meninas escravas sexuais na Índia(Dalits). Que por cegueira da religião hinduísta, são entregues pelos próprios pais para se se tornarem prostitutas? Não sabiam?
    Estamos num país laico. O que ocorre lá fora é realmente triste.
    Estamos fazendo o nosso, se eles rezam para nos converter, oramos por eles também! Entendemos que a obra é do Espírito Santo em convencê-los. Maior o que está em nós…..
    Acreditamos no amor que vem de Deus ,e,que, todo fundamentalismo é fruto de algum desequilíbrio emocional, reprimido na doutrina estética da religião vazia, de que este, é incapaz de dar resposta à altura das necessidades humanas.
    Comemos com puplicanos e pecadores sim! Não temos medo, somos livres pela Verdade.
    Ao estudar a história das origens de todas as religiões citadas, encontramos algo em comum: “cristãos e judeus” não davam bom testemunho! Pior, escravizavam em nome de Deus, matavam em nome de Deus….
    É tempo de pedir perdão e perdoa-los, pois não sabem o que fazem!
    PAZ

    Curtir

    1. Sr. Paulo,
      Vamos às considerações necessárias sobre a defesa que faz ao evento:

      1) O senhor perguntou se nós, os “críticos”, sabíamos que no dia seguinte, vocês levaram “uma coreana (Corea do Norte), que escapou da prisão, para testemunhar em Betânia, e, que são parceiros da igreja perseguida por Portas Abertas”.
      Pois bem, como o senhor deve saber, “adivinhação” é PECADO, não é verdade? E como saber que vocês levaram uma coreana se não foi anunciado em nenhuma Fan Page da Igreja batista de Betânia? Não existe uma foto sequer do “testemunho”, mas não faltam fotos com membros abraçados com o babalorixá e o muçulmano. Daí, se realmente ocorreu esse testemunho, fica a pergunta: por que não teve divulgação POSTERIOR como o evento sobre tolerância religiosa? Por que não noticiar de forma pública como fizeram com o evento criticado? Não precisava nem ter foto da coreana, por questão de segurança da mesma, porém, não haver divulgação depois do evento foi estranho e profundamente incoerente!

      2) O “evangelismo” que o senhor afirma ter sido feito com as crianças para explicar sobre “Cosme e Damião” de nada adiantou quando vocês permitiram licenciosamente que um candomblecista pregasse abertamente o culto a outros deuses em cima do altar onde, SEGUNDO A FÉ CRISTÃ, somente Deus merece honra, adoração e culto em nome de Yeshua (Jesus)! Ou seja, num dia, se dá “glória a Oxalá” e no outro dia a “Deus”… incoerente, não? Mas, na visão de vocês, “tolerar” induz a permitir a pregação do culto a outros deuses e a refutação dos preceitos bíblicos à luz do candomblé! Afirmar que respeita-se a fé alheia, mas que naquele templo a glória seria para Deus, resultaria num “odioso ato de intolerância”. Nessa lógica, o ensinamento de que “importa obedecer a Deus do que aos homens” (Atos 5:29), é descartável!

      3) Como frisado por V. Sa , NO ANO PASSADO, vocês teriam levado uma cristã perseguida e HÁ DOIS MESES o substituto do fundador da Missão Portas Abertas, e o evento foi restrito aos discípulos do Sr. Neil por causa da segurança dos irmãos. Pois bem, se vocês estão tão preocupados com a igreja perseguida, por que NUNCA SEDIARAM UM EVENTO PÚBLICO COM ESPECIALISTAS SOBRE O MUNDO MUÇULMANO PARA DIVULGAR A TODOS – E NÃO APENAS A UM GRUPO SELETO – O EXTERMÍNIO DE CRISTÃOS E MINORIAS NOS PAÍSES MUÇULMANOS? NÃO PRECISARIA EXPOR TESTEMUNHAS QUE CORREM RISCO DE VIDA, BASTAVA CONVIDAR ALGUM PESQUISADOR QUE CONHECE DO TEMA. Contudo, quando se fala em igreja perseguida nesse templo, as reuniões só podem ser fechadas, e não há o interesse de divulgar o genocídio de cristãos e nem mesmo de se articular para defendê-los ou enviar ajuda humanitária.

      4) Agora, vamos ao “relativismo moral” que acompanha as “boas ações” da Igreja Batista Betânia! Vocês dizem ajudar a retirar algumas meninas da prostituição na Índia, não é verdade? Mas, essa “obra” dá à direção do templo o DIREITO DE PERMITIR QUE UM REPRESENTANTE MUÇULMANO DEFENDA UMA ENTIDADE TERRORISTA SANGUINÁRIA? O Sr. Samir defendeu abertamente o presidente egípcio deposto MORSI, cuja entidade da qual faz parte é a “mãe ideológica” de sanguinários grupos terroristas sunitas como o Hamas, al-Qaeda, Boko Haram e tantos outros! LEVAR A LIBERTAÇÃO PARA MENINAS DA ÍNDIA É SALVO-CONDUTO PARA DEFENDER GRUPOS TERRORISTAS QUE MATAM MILHARES DE INOCENTES? Na nossa concepção, o terrorismo e a prostituição são males terríveis que não merecem defesa alguma dentro de templos evangélicos, nem mesmo num evento onde se apregoe a tolerância! Se tiver fundamento, pode refutar essa colocação, ok? Mas, já antecipo, que precisará de profundos conhecimentos sobre o mundo muçulmano.

      5) Sinceramente, não conseguimos entender o motivo de V. Sa. frisar a laicidade do Estado. Até onde sei, estamos debatendo sobre um evento religioso que não tem relação em nada com o Estado. A crítica no artigo se refere a uma igreja! E mais… ninguém está aqui impedido a nobre ação de orar pela conversão de outras pessoas. Outrossim, ressaltar a função do Espírito Santo no processo de conversão não serviu de argumento, porque em nada se refere a qualquer crítica consignada no artigo. Se vocês apenas orassem e executassem boas obras, não estariam incomodando quem luta por direitos humanos para todos, inclusive, para cristãos e minorias perseguidas, que não têm voz nos grandes eventos de algumas igrejas!

      6) Causou assombro, ler o seguinte escrito de um senhor que diz ser estudioso da história das religiões: “Acreditamos no amor que vem de Deus ,e,que, todo fundamentalismo é fruto de algum desequilíbrio emocional”. Cumpre indagar: o senhor estudou a história do islã? Ao que parece, não…

      Cumpre trazer à lume que os “fundamentalistas islâmicos” não são desequilibrados emocionalmente! Eles apenas seguem “literalmente” o chamado “corão de Medina”, por acreditarem que a jihad e a submissão dos povos a Alá farão com que agradem a divindade! Não são loucos como quer acreditar o senso comum ou “desequilibrados emocionais”, como V. S.a. alardeia irresponsavelmente. São religiosos fervorosos que estão amparados, inclusive, em fatwas e interpretações diversas da hadith e do corão. E esclarecemos que, não foi a nossa intenção no artigo julgar a fé desses muçulmanos fundamentalistas, mas sim, combater os ditos cristãos que apóiam representantes dessa vertente! Acaso, V. Sa. esqueceu que a sua própria igreja abrigou um discurso de apoio a um grupo terrorista de ideologia fundamentalista, conforme citei acima? Logo, o amor de Deus na sua igreja é tão grande que permite no seu templo o discurso de apoio a fundamentalistas sanguinários sem nenhum tipo de refutação! A tolerância de vocês NÃO tolera que crianças muçulmanas em países de maioria cristã comam carne de porco nas escolas, mas tolera que a Irmandade Muçulmana seja defendida com ardor, ainda que a ideologia seja de perseguição aos “cristãos infiéis”. Isso é o cúmulo da “relativização da tolerância”!

      7) Devo reconhecer que foi desastrosa a seguinte afirmação: “Comemos com puplicanos e pecadores sim! Não temos medo, somos livres pela Vedade”.

      Sr. Paulo, pode comer com pecadores! Não há problema algum! Mas, pode responder à seguinte pergunta: em que parte dos Evangelhos é citado que Jesus partilhou dos idéias de publicanos e pecadores DENTRO DO TEMPLO? A Bíblia afirma que o gesto de Jesus foi nas CASAS de pecadores e NÃO NA CASA DO PAI, ONDE O NOME DELE NÃO DÁ LUGAR A NENHUM OUTRO NOME PARA SER GLORIFICADO! Sendo assim, a liberdade que vocês utilizam viola princípios bíblicos irrenunciáveis e não está fulcrada na VERDADE bíblica!

      8) Quanto a falácia ressaltada por V. Sa.: “cristãos e judeus” não davam bom testemunho! Pior, escravizavam em nome de Deus, matavam em nome de Deus….
      É pueril e absurdamente perversa essa sua afirmação! E através dela, fica clarividente que V. Sa. é um mensageiro de ódio e rancor. Quem conhece de fato história, sabe que diversos cristãos e judeus – como a sua igreja – deram péssimo testemunho para o cristianismo com ações heréticas e de apoio à violência. Mas, daí, é uma afronta não salientar que SEMPRE EXISTIU O REMANESCENTE no cristianismo e no judaísmo, tanto é, que se propiciou o advento do Cristo e a continuidade da fé cristã ! Foi o sangue de cristãos martirizados – que vocês negam publicizar em grandes eventos abertos ao público- que testemunhou a glória do Evangelho e não o “sentar à mesa com os profetas de Jezabel”! Aliás, sua colocação equivocada demonstra que é saudosista dos tempos de violência da igreja e que adotou o discurso do Obama da “eterna culpa das Cruzadas”, que aliás, é contraditado por magistrais historiadores. Mas, acaso a sua revolta o fez esquecer que os atuais cristãos não escravizam e nem matam em nome de Deus?Esqueceu que são esses cristãos os torturados, escravizados sexualmente, mutilados e mortos sem compaixão? Todavia, o único evento público que a sua igreja divulgou foi em defesa da ideologia extremista islâmica que fundamenta essas atrocidades contra nossos irmãos!
      E mais… como percebi sua extrema dificuldade em história, devo salientar que, se realmente V. Sa. deseja expurgar as ações tenebrosas da igreja, deveria saber que Lutero foi antissemita e ordenou diversas ações horrendas contra judeus, e que esse povo ainda continua sendo perseguido e pululam ameaças de destruição total do Estado de Israel, mas eles não são dignos de receber a tolerância da igreja do Sr. Neil! Por que será? O senhor não explicou o motivo da ausência dos judeus no evento… volto a repetir: espero que não seja por questão política!
      Contudo, as suas últimas palavras aparentemente esclarecem o motivo de não convidarem os judeus… “como os membros da família de Yeshua não deram bom testemunho”, à mesa da sua igreja só sentam os membros da família do profeta Mohammad, que nunca escravizaram, torturaram e decapitaram uma tribo de 900 judeus verberando “Alahu akbar”, bem como, nunca emitiram fatwas ordenando a destruição de templos cristãos! Todos os cristãos – menos os seguidores do Sr. Neil – erraram, e por isso, merecem o tratamento desumano que recebem em diversos países, e ai daquele que tenta defender esse “povo terrível”! Devo confessar, que nunca vi uma colocação tão desprovida de base racional e/ou espiritual!

      9) Importante destacar, ainda, que NENHUMA das denúncias feitas no artigo foram desmentidas, certo? Apenas houve a preocupação de se expor as “BOAS OBRAS OCULTAS DO PÚBLICO” dessa igreja tão piedosa em meio a tantos cristãos que não dão testemunho por ecoarem a voz dos mártires!

      10) Por derradeiro, aconselho que essa igreja deixe de lado a INGRATIDÃO e PERDOE TAMBÉM OS JUDEUS! ACASO ESQUECERAM QUE ISRAEL É O ÚNICO ESTADO SEGURO PARA OS CRISTÃOS? POIS É, OS JUDEUS TÃO ODIADOS E EXCLUÍDOS DOS DIÁLOGOS PROMOVIDOS PELO SR. NEIL ABRIGAM EM SEGURANÇA NOSSOS IRMÃOS NUMA REGIÃO EM QUE SOFREM CONSTANTES PERSEGUIÇÕES E MORTES, INCLUSIVE DE PALESTINOS!VOCÊS SABIAM DISSO?

      11) No mais, frisamos que o Ecoando a Voz dos Mártires AMA INDISTINTAMENTE A TODOS e também denunciamos as atrocidades realizadas por governos e facções terroristas muçulmanas contra o sofrido povo muçulmano! “Nossa mesa” não tem exclusividade… sentam-se todos para partilhar de ações humanitárias a fim de salvar vidas… PORÉM, no templo onde adoramos a Deus, o único que tem direito a “assentar conosco para compartilhar a fé bíblica é o mestre Yeshua”. Acreditamos que cada religião tem o direito de manter inviolável o seu santuário, e por isso, na igreja, a VOZ deve ser sempre a dos mensageiros da verdade bíblica!

      12) ENTÃO, SR. PAULO E IGREJA BATISTA BETÂNIA, PERDOEM OS CRISTÃOS E JUDEUS PARA QUE SEJAM TAMBÉM PERDOADOS… DESDE JÁ, CONSIDEREM-SE PERDOADOS POR NÓS, MAS ISSO NÃO NOS IMPEDIRÁ DE DEFENDER OS DESPREZADOS DAS NAÇÕES!

      Atenciosamente,

      Andréa Fernandes

      Curtir

  7. A verdade, como o óleo, acaba subindo à superficie , é uma pena que as vezes demora tempo demais, e quando se percebe, o crédulo ingenuo já está morrendo afogado. O politicamente correto acaba as vezes se confundindo com a mentira,ou pior com a cegueira de quem não quer enxergar. Parabéns pela sua incansável luta pela divulgação da verdade Andrea Fernandes.

    Curtido por 1 pessoa

  8. Você estuda tanto o islamismo que se tornou uma “cristã xiita”. Você ataca a todos que tên opinião contrária!
    Acho que lhe faltam algumas características contidas em Gálatas 5:22, 23. Faça uma auto análise.
    Você está nas minhas orações, minha irmã.

    Curtir

    1. Sr. Luiz, por que tanto ódio?
      Não seria aconselhável segundo a sua FÉ apresentar argumentos que refutassem minhas críticas? E mais… se você conhecesse a doutrina xiita jamais usaria o termo “cristã xiita” contra uma ativista de direitos humanos!
      E, por favor, deixe de lado suas concepções sobre a minha pessoa, e traga argumentações… aponte meus erros…

      E cuidado com seus termos! Quem disse que ataco a todos “que tên (sic) opinião contrária”? Apenas formulei críticas a um evento e ao líder religioso que o promoveu. Estou apenas utilizando meu direito constitucional de manifestação livre do pensamento!

      E já que gosta de “orar”, faça o mesmo pelos cristãos e minorias perseguidos pelo fundamentalismo islâmico… sem bem que, eles precisam não apenas de “orações de crentes irados”… precisam de socorro, mas essas “características” de compaixão e socorro aos aflitos não são tão importantes para “parte” da cristandade atual! Lamentável…

      Curtir

    2. Pelo que pude presenciar sr Luiz foram membros desta religião atacando com ofensas uma missionária que coloca sua vida a favor dos perseguidos.Essa jornada filosófica nada mais foi do que o encontro de pessoas que não tem coragem de dissipar o mal e fica adulando incrédulos pra ficar bem na foto.Creio que Jesus faria com vocês o mesmo que fez quando chegou ao templo e viu aquela desordem e saiu chicoteando os vendilhões.Estamos orando por vocês pois há uma cegueira espiritual visível a olho nu.

      Curtido por 1 pessoa

  9. Uma música como esta não confronta pessoas que apenas se dizem cristãs, ou até mesmo judeus que não usam o Nome do Verdadeiro Deus, por que também não o usam e nem divulgam, não seguem o modelo do Filho do Altíssimo Jesus Cristo (Cristo=Messias=Ungido por Deus) ao deturparem a verdade da Bíblia assim como Maomé fez para conseguir seus seguidores foi revestido de poder do deus desse mundo que impede as pessoas de conhecer a verdade. Maomé com um discurso como o de muitos pastores anti-cristos de hoje usou da Torah para ser aceito por judeus em Medina e Meca, não sendo aceito conseguiu com a jihad pela força e decapitação de homens que não aceitavam seus ensinos, ainda que pareça da paz o Islão é a ideologia da morte de todos os que se opõem a “submissão” a Maomé, um apologista da morte, da pedofilia (Maomé casou-se com uma criança de 6 anos e a desposou quando considerou que já tinha idade suficiente para lhe dar prazer aos 9 anos), não contente acabou com uma comunidade judaica decapitando todos os homens e levando suas mulheres como escravas sexuais, e está fazendo homens que se identificam com o paganismo dos adoradores de Baal que se intitulam islãmicos que fazem tudo o que os pagãos faziam no passado e fazem no mundo até hoje, uma ideologia antihumanista. O Nome do Único Deus Verdadeiro está relatado pelo único livro que foi inspirado pelo Próprio Deus, a Bíblia Sagrada, em Êxodo 6:2 “A seguir Deus disse a Moisés: “Eu sou Jeová. 3 Eu costumava aparecer a Abraão, a Isaque e a Jacó como Deus Todo-Poderoso, mas com respeito ao meu nome, Jeová, não me dei a conhecer a eles.”, Identificar a verdade e ainda assim continuar amando a mentira e dógmas humanos baseados no paganismo é uma opção, como negar o Cristianismo? O Filho unigênito do Altíssimo ensinou a adorar em base desse Nome: JEOVÁ, e quem realmente quer aprender a verdade precisa orar para o ajudador o Espírito Santo de Deus que nos ensina e nos consola por meio da palavra, que é o próprio Jesus.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s