Escolas sírias são fechadas devido ataques aéreos russos

Escolas fechadas até nova ordem em Douma depois de ataques com bombas de fragmentação por aviões de guerra russos.

No cidade síria de Douma, ninguém se atreve a remover as bombas que enchem o pátio da escola.

As bombas de fragmentação, supostamente caíram de aviões de guerra russos, atingindo o local em 13 de dezembro, anunciando um dos dias mais sangrentos que os moradores podem se lembrar.

Dos 60 civis que morreram, oito eram crianças. Outra foi a diretora, que correu para salvá-los.

“O regime está tentando drenar a vida da nossa cidade”, disse Mohamed Abdel Rahman, um professor francês que cavou corpos dos escombros de dois playgrounds diferentes naquele dia. “As escolas estão fechadas até nova ordem.”

Empoleirada na fronteira leste de Damasco, Douma não é estranha à carnificina. A área é controlada por rebeldes que se opõem ao regime sírio, e grupos de direitos humanos dizem que tem sido sistematicamente alvo de forças leais ao presidente do país, Bashar al-Assad.

No final de setembro, aviões de guerra russos se juntaram a esse esforço.Desde então, Moscou lançou ataques aéreos em todo o país em apoio ao regime, muitas vezes a um custo terrível para os civis.

Dois dias de ataques em 13 de dezembro e 14 ataques envolvendo munições de fragmentação, armas tão perigosas que foram proibidas por 118 países.

As bombas de fragmentação são contêineres que explodem no ar para distribuir bombas menores em uma grande área.

Embora a Rússia negue veementemente a sua utilização na Síria, nova análise sugere que munições de fragmentação foram utilizadas extensivamente.

“Conflict Intelligence Team”, grupo de blogueiros e ativistas que se especializam no controle das operações militares russas no exterior, disseram na quinta-feira que havia identificado três modelos de bombas de fragmentação na base aérea Hmeymim, onde o contingente aéreo da Rússia na Síria está baseado.

Um foguete russo cluster de munição acabou dentro de uma casa em DoumaUm foguete russo de fragmentação caiu dentro de uma casa em Douma   Foto: SMO

“Contrariamente às alegações do Ministério da Defesa da Rússia, vários tipos de bombas de fragmentação estão presentes na base aéres de Hmeymim”, disse o relatório. “Com base em nossas investigações, é altamente provável que os ataques aéreos russos na Síria, de fato levaram a danos de instalações civis e vítimas civis.”

Mohamed Saleh, um pai de dois filhos que às vezes ajuda as equipes de resgate em Douma, disse: “O medo é tão garnde como sempre foi. Quando eu vejo os meus filhos, peço a Deus que não acabem sob esse entulho.

“Se o mundo acha que estamos acostumados a esses ataques até agora, eles estão errados.”

Como a guerra da Síria se aproxima do quinto ano, o impacto sobre seus filhos é incalculável. Lesão é abundante, trauma é comum, e as taxas de matrícula escolar caíram para 50 % em todo o país. Na cidade destruída de Aleppo, esse número é de apenas seis por cento.

Nas escolas de Douma que continuam funcionando, as aulas mudaram quase irreconhecivelmente. Materiais de ensino são escassos e o aquecimento dos quartos é difícil devido à escassez de combustível generalizado.

O outono durou apenas 30 dias antes de bombardeios regulares tornarem o frequentar de aulas muito perigoso. Aulas começaram e terminaram cedo – geralmente executadas em seis horas – nove horas – e algumas vezes, quando os alunos pudessem se reunir, foram canceladas.

Na manhã de 13 de dezembro, os moradores acreditam que a escola foi atacada quando seus alunos faziam uma rara aparição no playground após um exame de fim de ano.

Uma demonstração em Kafr Nabl para #SaveMadayaUma demonstração em Kafr Nabl para #SaveMadaya

“Quando o bombardeio começou, a diretora correu para trazê-los para dentro, mas ela foi atingida por uma granada e morreu imediatamente”, disse Yasser Brkhc, diretor de educação de Douma. “Depois que ela foi martirizada, a situação saiu do controle. Houve um ataque a cada 12 minutos, de modo que a ambulância não podia ttrafegar para resgatar as meninas e os professores por muito tempo. ”

Os pais falam do profundo trauma psicológico que afeta crianças a partir dos três anos, com enurese e ataques de pânico.

“Save the Children” estima que pode custar tanto quanto £ 2 bilhões para substituir escolas danificadas, destruídas ou ocupadas na Síria. De acordo com dados do grupo, o impacto a longo prazo sobre a economia de 2,8 milhões de crianças sírias que nunca mais voltarão para a escola poderia equivaler a quase £ 1500000000 anualmente.

“Vivemos uma luta todos os dias, perguntando se desejamos enviar os nossos filhos para a escola com risco de morte, ou mantê-los em casa para que eles percam a sua educação”, disse Abo Majed, cujo filho frequentou de uma das escolas atacadas em 13 de dezembro.

Antes da guerra, o Sr. Abo Majed ftinha uma oficina de solda. “Os pais costumavam trabalhar duro para que, pelo menos, eles pudessem dar a seus filhos uma boa educação”, disse ele. “Agora, nós sofremos sem esperança”.

http://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/middleeast/syria/12087223/Syrias-schools-feel-blast-of-Russia-war-planes.html

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s