COREIA DO NORTE CONDENA PASTOR POR CRIMES CONTRA O ESTADO

O pastor canadense Lim Hyeon-soo, da Igreja presbiteriana coreana da Luz em Mississauga, Toronto, viajava frequentemente para a Coreia do Norte em missão humanitária, mas foi condenado em dezembro pela Corte Suprema da Coreia do Norte à prisão perpétua com trabalhos forçados por “crime contra o Estado”.

Em entrevista à CNN, o pastor disse que passa oito horas por dia, seis dias por semana trabalhando em um campo de trabalho cavando buracos em uma horta, sem contato com o mundo exterior. Lim foi acusado de prejudicar a dignidade da liderança suprema tentando usar a religião para destruir o regime norte-coreano, disseminando a propaganda negativa sobre o Norte para os coreanos no exterior e ajudando os EUA e as autoridades sul-coreanas a seduzir e raptar cidadãos norte-coreanos, e também ajudando nas deserções de norte-coreanos.

 “Espero que eu possa ir para casa algum dia. Ninguém sabe se eu vou voltar, mas essa é a minha esperança. Eu sinto falta da minha família. Estou ansioso para vê-los novamente, e a minha congregação”, disse Lim à CNN.

Abaixo a entrevista de Lim concedida à CNN:

O Canadá condenou no mês passado a pena “excessivamente severa” pronunciada contra seu cidadão, mas até agora não há mais informações sobre a situação do pastor e se ele será libertado.

Lim nasceu na Coreia do Sul e cresceu em Seul. Mudou-se para o Canadá em janeiro de 1986, como parte de um grupo missionário e se tornou cidadão canadense. Parentes e colegas de Lim disseram que ele viajou para a Coreia do Norte no dia 31 de janeiro de 2014, como parte de uma missão humanitária regular para o país onde ele apoia um lar de idosos, uma creche e um orfanato.

“Todos os dias rezo pelo país e pelo povo, rezo para que o Norte e o Sul se reunifiquem, para que uma situação como a minha não aconteça mais”. “(…) O pior crime que cometi foi o de difamar precipitadamente e insultar a mais alta dignidade e do sistema da república”, disse ele na suposta confissão. Mediante as palavras de Lim, evidenciamos o caráter autoritário e repressivo da Coreia do Norte. Pregar o cristianismo no país é uma ameaça ao regime político e acarreta perseguição, tortura e morte dos cristãos. Inclusive, outros estrangeiros detidos na Coreia do Norte e, em seguida, liberados disseram que foram coagidos a fazer declarações semelhantes e confessaram “culpa” durante a detenção. A Coreia do Norte tem regras muito estritas contra qualquer missionário ou atividades religiosas, pois são uma ameaça à supremacia do regime norte-coreano no poder.

Foto: http://www.thestar.com/news/gta/2016/01/11/toronto-pastor-jailed-in-north-korea-toiling-in-labour-camp.html

Fonte: http://www.theguardian.com/world/2015/dec/16/hyeon-soo-lim-canadian-pastor-given-life-sentence-in-north-korea

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s