Pelo menos 30 países devolveram refugiados de forma ilegal

Organização acusa governos de falta de vontade em proteger direitos humanos dos imigrantes.

MADRI — Ao menos 30 países obrigaram, de forma ilegal, refugiados a voltarem a lugares onde corriam risco de vida, informou um relatório da Anistia Internacional que analisa a situação dos direitos humanos em 160 nações. Segundo a ONG, cinco desses países pertencem à União Europeia: Espanha, Holanda, Hungria, Grécia e Bulgária. Mas o documento também se refere à Rússia, Arábia, Saudita, Austrália, Tuquia, Sérvia, Macedônia, entre outros, e diz que, em muitos casos, os imigrantes foram expulsos sem se dar conta que tinham o direito a proteção internacional.

— Documentamos expulsões coletivas desde Grécia, tanto por terra como por mar, em relação a Turquia, onde o sistema de proteção é muito insatisfatório. De lá, também houve casos (de pessoas enviadas de volta) à Síria ou Iraque — explicou a coordenadora da organização para a campanha de migração, María Serrano, ao jornal espanhol “El Mundo”. — Isto produz uma situação de limbo. Na Sérvia e Macedônia, as ajudas aos solicitantes de asilo são deficientes, não dispõem dos sistemas de proteção adequados.

A organização ainda acusa os governos de falta de vontade em oferecer estruturas dignas para proteger os direitos humanos dos refugiados. Mesmo reconhecendo avanços em algumas regiões, a Anistia calcula que foram registradas torturas ou maus-tratos contra os imigrantes em 122 países. Em ao menos 19 desses, foram realizados crimes de guerra ou outra violações contra eles. Além disso, a liberdade de expressão ou de imprensa foi arbitrariamente ameaçada em 113 nações.

Diante da pior crise migratória enfrentada pela Europa desde a Segunda Guerra Mundial, a Anistia também criticou nesta quarta-feira a vergonhosa resposta dos países do continente à chegada maciça de refugiados e pediu uma mudança radicação dos compromissos por parte da comunidade internacional.

“Esta Europa, que é o bloco mais rico do mundo, não é capaz de velar pelos direitos básicos de algumas das pessoas mais perseguidas do mundo, é vergonhoso”, disse o secretário-geral da organização, Salil Shetty.

Apenas em 2016, mais de 110 mil refugiados atravessaram o Mar Mediterrâneo, em seu caminho de chegada à Grécia e à Itália, declarou a ONU na terça-feira. Só a Grécia recebeu mais de 102 mil pessoas desde o começo do ano, sendo que em 2015, esse número foi alcançado no mês de julho. Já a Itália recebeu 7,5 mil refugiados desde janeiro.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/pelo-menos-30-paises-devolveram-refugiados-de-forma-ilegal-em-2015-diz-anistia-18737089#ixzz4194o85p6
© 1996 – 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s