ISIS mantém últimas famílias cristãs encarceradas em casa e impede que fujam de Raqqa

O Estado Islâmico está impedindo que o restante das famílias cristãs no reduto sírio do grupo em Raqqa saia da cidade, crescendo, com isso, o medo  de que o grupo terrorista esteja planejando matar os cristãos que restam na cidade.

A RIBSS, um grupo de mídia que informa sobre a vida em Raqqa usando fontes de dentro da cidade, twittou terça-feira emitindo uma nova ordem para “proibir os cristãos de deixar  a cidade, sob qualquer condição.”

Em um tweet de acompanhamento publicado quinta-feira, o grupo afirmou ter contado até 43 famílias cristãs que ainda permanecem na cidade, com cada família composta por cerca de duas a três pessoas.

De acordo com uma tradução do Google de um artigo publicado no site da RIBSS quinta-feira, os cristãos na cidade não são apenas impedidos de sair, mas também estão sendo mantidos sob prisão domiciliar.

Quando o ISIS assumiu seus redutos no Iraque e na Síria, foi amplamente noticiado que o grupo deu aos cristãos e outras minorias religiosas a opção de se converter ao Islã, pagar um imposto religioso ou fugir da cidade.

“ISIS olha para os cristãos como infiéis leais ao Ocidente mais do que sua lealdade à sua pátria que vivem,” uma análise publicada no site RIBSS ‘. “E sobre esta base começou a impor restrições e condições adicionais sobre esta seita de contribuir para destruir a identidade e a história da longa e aprofundada raiz na sociedade síria, e forçando o restante dos filhos e idosos a deixar a cidade sem querer, não voluntariamente. ”

Como o Daily Mail também relata que está impedindo que os cristãos saiam de Raqqa, cresce o medo de que o grupo possa estar tramando matar os cristãos restantes. No entanto, essa afirmação não está confirmada.

De acordo com RIBSS, os cristãos que permanecem na cidade não fugiram porque eles não têm os meios financeiros ou fisicamente para fazê-lo.

Os cristãos que vivem no território são obrigados a pagar um imposto religioso (jizya) e estão proibidos de realizar seus rituais religiosos, a construção de igrejas ou usar cruz em público.

“Há famílias que ficaram na Raqqa. Fiquei surpreso”, Nuri Kino, fundador e presidente de uma organização que defende a proteção das minorias religiosas no Oriente Médio chamando uma demanda por ação, disse a Newsweek em um artigo publicado quarta-feira .

“Eu falei com um homem sírio que só deixou Raqqa cerca de seis semanas atrás”, continuou Kino. “Ele transformou-se em uma associação na Alemanha. Acontece que algumas famílias na verdade estão em Raqqa, pagam jizya e estão sendo protegidas por seus antigos vizinhos, vizinhos sunitas, desde que sigam as leis Shariah.

Kino acrescentou que os cristãos devem levar um documento com eles que explica que “eles são protegidos pela Shariah, pelo tribunal, que foram ao tribunal, que estão a pagar jizya e que eles também têm algum tipo de patrocinador ou protetor “.

http://www.christianpost.com/news/isis-holds-last-remaining-christian-families-under-house-arrest-so-they-cant-escape-raqqa-160599/

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s