Líderes islâmicos mundiais procuram superar as diferenças

Conferência em Istambul com o presidente turco hospeda mais de 30 líderes, incluindo o rei saudita e presidente iraniano.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan está hospedando mais de 30 chefes de Estado e de Governo dos países islâmicos em Istambul para uma conferência destinada a superar as diferenças no mundo muçulmano.

A conferência de dois dias da Organização da Cooperação Islâmica (OIC) iniciou  às 06:30, na quinta-feira com um discurso de Erdogan.

A cúpula terminará na sexta-feira com uma conferência de imprensa realizada por Erdogan.

Entre os convidados proeminentes da reunião estão incluídos o rei saudita Salman bin Abdulaziz Al Saud e o presidente iraniano Hassan Rohani, cujos países encontram-se em lados opostos nos conflitos na Síria e Iêmen.

Turquia disse que quer usar a reunião para diminuir as diferenças entre cerca de 1,7 bilhão de muçulmanos do mundo.

No entanto, há o risco do encontro ser ofuscado por disputas sobre questões que vão desde a Síria ao Iêmen.

Ausências notáveis

Há um bloqueio de segurança em torno do local da cúpula em Istambul, a antiga capital do Império Otomano de onde os sultões otomanos durante séculos governaram muçulmanos dos Balcãs a Arábia.

Enquanto a cúpula marca um dos encontros mais importantes de chefes de Estado durante anos em Istambul, alguns líderes proeminentes, como o rei Abdullah da Jordânia e o presidente egípcio Abdel Fattah el-Sisi foram notados por sua ausência.

O risco do encontro ser ofuscado por disputas sobre questões que vão da Síria para o Iêmen [Reuters]

Relações da Turquia com o Egito ainda não foram recuperadas desde 2013 com a derrubada do presidente Mohamed Morsi, um aliado próximo da Turquia, enquanto os laços com a Jordânia estão sendo testados por diferenças sobre a Síria.

Mevlut Cavusoglu, ministro das Relações Exteriores turco, disse que a cúpula estava sendo realizada num momento em que “o mundo islâmico está passando por muitas disputas dentro de si”.

“Conflito Fratricida causa grande dor. O sectarismo divide a ummah”, disse chanceleres da OCI na terça-feira, usando o mundo árabe para a comunidade muçulmana.

“Esperamos que esta conferência pavimente o caminho para a cura de algumas feridas.”

Mas as próprias políticas da Turquia no Oriente Médio vêm enfrentando um escrutínio crítico, com vários Estados muçulmanos que apresentam objecções ao apoio de seu governo a rebeldes na Síria.

Melhores relações

A preparação para a cúpula viu uma visita de Salman a Ancara que marcou a melhoria visível nas relações entre a Turquia e Arábia Saudita desde que ele chegou ao trono em 2015.

Erdogan foi ao aeroporto Esenboga em Ancara para receber pessoalmente  Salman pessoalmente na pista e, em seguida, deu-lhe a mais alta honraria da Turquia para um líder estrangeiro.

Turquia quer usar a reunião de Istambul para diminuir as diferenças entre cerca de 1,7 bilhão de muçulmanos do mundo [EPA]

Salman desembarcou em Istambul na quarta-feira para encontrar carros à espera na pista para transportá-lo e sua delegação para o hotel pelo Bósforo.

Arábia Saudita e Turquia acreditam que a derrubada do presidente Bashar al-Assad é a chave para resolver o conflito sírio e grupos rebeldes que lutam contra o governo.

No entanto, a Turquia deve agir com cuidado em sua aliança com a Arábia Saudita, que também é esmagadoramente muçulmana sunita, por isso é vista como uma união sectária que visa principalmente Irã xiita.

Fonte:  AFP

http://www.aljazeera.com/news/2016/04/islamic-world-leaders-seek-bridge-differences-160414082230514.html

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s