O Novo Método do Hamas de Envenenar as Mentes das Crianças Palestinas

por Khaled Abu Toameh

  • Os pregadores pertencentes ao Ministério Wakf (fundação islâmica), controlado pelo Hamas na Faixa de Gaza, entram nas escolas e garantem, por meio do rito exorcista, que as crianças estejam arrependidas e fiéis ao Islã.
  • Estas são as crianças que mais tarde serão recrutadas como “combatentes” na jihad contra Israel e os “incrédulos”.
  • A câmera de vídeo da escola da Faixa de Gaza flagra os líderes palestinos abusando e usando de lavagem cerebral em seus próprios filhos.
  • Agora o processo de paz do Oriente Médio espera seu próprio exorcismo.

O Hamas passou anos envenenando corações e mentes das crianças palestinas. O movimento islamista está experimentando uma nova tática de lavagem cerebral: exorcismo.

A prática cuja finalmente é expurgar “demônios” que possam ter se infiltrado nas almas das crianças chocou muitos palestinos.

Esse novíssimo abuso infantil cometido pelo Hamas foi exibido em um vídeo vazado e posteriormente publicado nas redes sociais palestinas. A crueldade do procedimento causou alvoroço nos palestinos.

O vídeo mostra crianças histéricas ao lado de pregadores exorcistas pertencentes ao Ministério Wakf (fundação islâmica), controlada pelo Hamas, na Faixa de Gaza. Esse rito humilhante e invasivo está sendo praticado na Escola Al-Nil School na Cidade de Gaza.

Três meninos choram ao passar pelo ritual exorcista na Escola Al-Nil na Cidade de Gaza, realizado por pregadores pertencentes ao Ministério Wakf (fundação islâmica), controlada pelo Hamas.

Os pregadores pertencem a um grupo chamado Embarcação da Salvação Missionária. Eles entram nas escolas da Faixa de Gaza e garantem, por meio do rito exorcista, que as crianças estejam arrependidas e fiéis ao Islã.

O grupo é gerido pela Administração Geral para Pregação e Orientação do Ministério Wakf.

Filmes com enredo de thrillers vêm à mente à medida que o vídeo avança, lançando uma luz sobre a natureza da doutrinação religiosa executada pelo Hamas em alunos na Faixa de Gaza.

Ouve-se no vídeo um dos pregadores do Hamas declarar: “não viemos representar uma peça de teatro, viemos expulsar o diabo de corações e mentes e inserir nos corações a satisfação de Alá”.

O vídeo destaca adolescentes aterrorizados ajoelhando no pátio da escola, enquanto outros berram aos prantos. Enquanto isso os pregadores do Hamas, clamam aos berros nos microfones o grito de guerra islâmico: “Allahu Akbar! (Deus é grande)”. (“Alá é Grande!”).

O abuso de alunos cometido pelo Hamas não é nenhuma novidade e também nenhuma surpresa para aqueles que acompanham há algum tempo o movimento islamista em Gaza. Estas são as crianças que mais tarde serão recrutadas como “combatentes” na jihad (guerra santa) contra Israel e os “incrédulos”.

Desde a violenta tomada do poder na Faixa de Gaza em 2007, o Hamas vem usando crianças como escudos humanos e “soldados” na luta contra Israel. Crianças vestidas com uniformes militares, brandindo fuzis automáticos e facas, já se tornaram parte integrante dos desfiles militares e comícios do Hamas.

Flagradas pela câmera, crianças palestinas são educadas a odiarem todos aqueles que podem ser vistos como inimigos do Islã. É desta maneira que as novas gerações de palestinos são criadas, na glorificação de homens bomba e jihadistas.

Hanan Ashrawi, membro do Comitê Executivo da OLP expressou repulsa em relação ao vídeo, observando que os sermões dos pregadores estavam repletos de intimidação e atrocidades. Esse comportamento, segundo Ashrawi, demonstra a “natureza reacionária” do regime do Hamas na Faixa de Gaza, o qual terá um impacto negativo no desenvolvimento da sociedade e dos valores palestinos. Ashrawi também repudiou a prática como flagrante violação das convenções que protegem os direitos das crianças.

Até mesmo o grupo terrorista marxista Frente Popular para a Libertação da Palestina (PFLP em inglês), se manifestou contra o vídeo. O grupo verbalizou sua indignação diante das “práticas desumanas” cometidas contra crianças, exigindo uma sindicância imediata em relação a esta forma de tortura e degradação mental. O grupo também fez um alerta contra a lavagem cerebral e doutrinação de crianças através da intolerância religiosa.

A câmera de vídeo da escola da Faixa de Gaza flagra os líderes palestinos abusando e usando de lavagem cerebral em seus próprios filhos.

A câmera também grava a marcha da sociedade palestina a favor do endossamento das táticas e da ideologia do Islã radical e de grupos como o ISIS e a Al-Qaeda. Agora o processo de paz do Oriente Médio espera seu próprio exorcismo.

Khaled Abu Toameh é um jornalista premiado radicado em Jerusalém.

http://pt.gatestoneinstitute.org/7908/palestinos-criancas-tortura

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s