Rússia acusa Turquia de municiar jihadistas na Síria

Ancara afirma que denúncias são ‘parte de campanha de propaganda’

GENEBRA — Em uma carta enviada ao secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, o embaixador russo na ONU, Vitaly Churkin, acusou cinco companhias turcas de entregarem componentes de artefatos explosivos ao Estado Islâmico. De acordo com o documento, os artefatos “vêm sendo usados amplamente em atos terroristas”.

Segundo Churkin, análises de componentes químicos capturados de membros do grupo em Tikrit, no Norte do Iraque, e em Kobani, na Síria, “mostram que eles foram fabricados na Turquia ou levados ao país sem que pudessem ser reexportados”.

“Detonadores fabricados em outros países foram revendidos ilegalmente na Turquia a combatentes do Estado Islâmico”, afirma o embaixador. “Esses fatos provam que as autoridades turcas estão deliberadamente envolvidas nas atividades do grupo, já que providenciam acesso a componentes para bombas de fabricação caseira que são usadas em atos terroristas”.

A Turquia foi acusada diversas vezes de ajudar e encorajar grupos militantes que atuam na Síria e até mesmo treinar e armar extremistas, facilitando sua passagem pela fronteira com a Síria. O governo turco também é acusado de comprar petróleo contrabandeado pelo EI.

O Ministério das Relações Exteriores da Turquia classificou a carta como “o mais recente exemplo da campanha de propaganda da Rússia contra a Turquia, e como tal, não deve ser levado a sério”.

A Rússia, principal aliado do presidente sírio, Bashar al-Assad, e a Turquia, um dos principais aliados da oposição síria, têm vivido momentos de tensão durante os cinco anos de conflito no país. O clima ficou mais pesado após a derrubada de um avião russo próximo à fronteira síria em novembro do ano passado.

Moscou retaliou deslocando misseis de longo alcance para sua base na Síria e impondo sanções econômicas à Turquia. O presidente russo, Vladimir Putin, acusou Ancara de “permitir que terroristas ganhem dinheiro vendendo petróleo roubado da Síria” e o alto escalão do Exército russo acusou o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan e sua família de se beneficiarem pessoalmente do comércio de petróleo com o Estado Islâmico.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/russia-acusa-turquia-de-municiar-jihadistas-na-siria-19379480#ixzz49lk2zSwJ
© 1996 – 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s