Turquia prende representante da Repórteres Sem Fronteiras por propaganda terrorista

Três detidos participaram de campanha em favor do jornal pró-curdo mais antigo do país

ISTAMBUL — A Justiça da Turquia ordenou a prisão de um representante da ONG Repórteres Sem Fronteiras, Erol Önderoglu, por propaganda terrorista. Ele participou de uma campanha em favor do jornal pró-curdo mais antigo do país, que já enfrentou diversos episódios de repressão. Sob a mesma acusação, também foram presos a presidente da Fundação de Direitos Humanos da Turquia, Sebnem Korur Fincanci, e o jornalista Ahmet Nesin.

Os três detidos exerceram por um dia a direção do jornal “Özgür Gündem” para demonstrar apoio à publicação. Enquanto esperam por um julgamento definitivo, eles foram presos preventivamente nesta segunda-feira.

No total, 44 jornalistas e intelectuais já participaram da iniciativa — dois quais 37 estão sendo investigados pela Justiça, mas ninguém havia sido preso até então.

Nas últimas duas décadas, o “Özgür Gündem” já teve diversos profissionais presos pelas suas publicações que discutem a questão curda na Turquia. Recentemente, a repressão contra o jornal aumentou por conta da luta armada entre o PKK e as tropas turcas.

Antes de serem presos, os jornalistas afirmaram que a iniciativa da Justiça turca é uma ofensiva contra a publicação pró-curda. Com 38 anos de carreira, Nesin disse que nunca havia sido alvo de detenções pelo seu trabalho até hoje — o que, para ele, evidencia a cada vez mais difícil situação da liberdade de imprensa no país.

— Dizer que estamos chocados com o que aconteceu é pouco — disse ao “El País” o representante da RSF para a Europa Oriental, Johann Bihr. — Fica óbvio que, quando as autoridades prendem um defensor da liberdade de imprensa tão proeminente como Erol Önderoglu, o que estão fazendo é enviar uma mensagem intimidatória ao resto. Indicar que ninguém está protegido.

REPRESSÃO À IMPRENSA

Segundo Önderoglu, 28 jornalistas turcos atualmente estão presos. A maioria deles pertence a veículos esquerdistas ou pró-curdos.

Os últimos sentenciados foram o editor-chefe do jornal “Cumhuriyet”, Can Dundar, e o correspondente em Ancara, Erdem Gul. Detidos antes do julgamento, eles foram acusados de espionagem e de trabalhar com um clérigo baseado nos EUA contra a atual administração turca.

Em maio de 2015, Cumhuriyet publicou um vídeo com imagens da polícia encontrando armas em caminhões supostamente ligados à inteligência turca perto da fronteira com a Síria. Isso levantou suspeitas de que a Turquia estaria fornecendo armas aos rebeldes islâmicos no país vizinho.

Em resposta, as autoridades locais insistiram que os caminhões estavam, na verdade, levando suprimentos às minorias turcas no país.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/turquia-prende-representante-da-reporteres-sem-fronteiras-por-propaganda-terrorista-19545761#ixzz4CDnhM5e0
© 1996 – 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s