Site Muçulmano Canadense Publica Artigo Defendendo ‘Benefícios Médicos’ da Circuncisão Feminina

Um site muçulmano baseado na cidade canadense de Calgary publicou um artigo defendendo a prática da mutilação genital feminina (MGF) alegando que há benefícios médicos se parte dos genitais de uma mulher for removido, e dizendo que isso é justificado pelo Islã.

artigo, escrito pela autora e jornalista Asiff Hussein, pró-MGF, afirma que “Misoginistas e feministas” estão “denegrindo” a prática que ele alega ter benefícios médicos para as mulheres.

O colaborador do site defende a remoção do prepúcio, uma camada de pele nos órgãos genitais da mulher, alegando que a operação não é MGF, mas sim “circuncisão feminina”, já que não remove o clitóris.

Sua definição contraria a Organização Mundial da Saúde (OMS) que define MGF como “todos os procedimentos que envolvem a remoção parcial ou total da genitália feminina externa ou outra lesão dos órgãos genitais femininos por razões não médicas”, e acrescentam que não existe benefícios conhecidos para a saúde.

Hussein reconhece a definição da OMS, mas culpa a falta de pesquisas pró-MGF sobre “sentimentos islamofóbicos expressos por uma mídia amplamente controlada pelos judeus”.

Muitos também rejeitaram a MGF como uma prática cultural local sem ligações com a religião do próprio Islã. Hussein discordou dizendo que há uma referência à MGF nas palavras do profeta Maomé, também conhecido como Hadith.

Comentários sobre o artigo mostram uma ressonante rejeição dos argumentos de Hussein com alguns dizendo que a prática é “bárbara” e outros acusam os praticantes de abuso infantil. Um usuário foi questionado se o artigo era ou não uma sátira.

Os procedimentos de MGF em menores de 18 anos ou sem motivos médicos são atualmente ilegais no Canadá, de acordo com o Código Penal Canadense. Apesar disso, alguns alegam que as meninas canadenses foram levadas para o exterior para que o procedimento fosse realizado e os praticantes de MGF entraram no Canadá para realizar a operação dentro do país também.

“…there has not been a single conviction for FGM in Scotland…” http://www.breitbart.com/london/2017/07/17/migrants-travel-to-soft-touch-scotland-for-fgm-midwife-sees-150-cases-a-year/ 

Migrants Travel to ‘Soft Touch’ Scotland for FGM, Midwife Sees 150 Cases a Year

A Scottish midwife has revealed how she deals with cases of female genital mutilation (FGM) on an almost daily basis, seeing around 150 affected women and girls every year.

breitbart.com

No Reino Unido, o número de casos de MGF é estimado em 5.000 só no ano passado e até agora ninguém foi processado em conexão com a prática. No início deste ano, o Serviço Nacional de Saúde (NHS) estimou que havia novos casos de MGF sendo relatados ou tratados no Reino Unido a  cada hora .

A França adotou uma abordagem muito diferente em relação ao Reino Unido e ao Canadá e, desde que a proibição da MGF em 1983, processou centenas de praticantes.

Em abril, os Estados Unidos registraram as primeiras acusações de MGF quando três indivíduos foram acusados em Michigan. Uma investigação federal sobre uma conspiração mais ampla ocorreu em julho, incluindo  investigações em Los Angeles, Nova York e Chicago.

Com informações de Breibart

Anúncios

Uma consideração sobre “Site Muçulmano Canadense Publica Artigo Defendendo ‘Benefícios Médicos’ da Circuncisão Feminina”

  1. Então senhor Hussein, abandone seus sentimentos antissemitas, explique aí claramente, quais os benefícios da MGF, as mulheres que fazem esse procedimento sentem o que de tão extraordinário para que a prática seja continuada? Esperando suas respostas.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s