Trump quanto ao ataque na Síria: “Muito em breve ou não tão cedo!”

O presidente dos EUA, Donald Trump, foi evasivo nessa quinta-feira sobre quando os Estados Unidos poderiam atacar a Síria em retaliação por um ataque com armas químicas, dizendo que poderia ser “muito em breve ou não tão cedo”.

Um dia depois de ter avisado que “mísseis virão”, Trump disse de manhã cedo: “Nunca disse quando um ataque à Síria aconteceria. Pode ser em breve ou não tão cedo! ”

Ele acrescentou: “De qualquer forma, os Estados Unidos, sob minha administração, fizeram um ótimo trabalho ao livrar a região do ISIS Onde está o nosso “Obrigado América?”

No início da semana , autoridades dos EUA disseram que os EUA, França e Grã-Bretanha estavam em extensas consultas sobre o lançamento de um ataque militar no final desta semana.

Enquanto isso, o presidente sírio, Bashar Assad, advertiu na quinta-feira que as ameaças de ação militar ocidental em resposta ao suposto ataque químico só levariam a mais caos na região.

Com cada vitória no terreno, alguns países ocidentais levantam suas vozes e intensificam suas atividades em um esforço para mudar a trajetória dos eventos”, disse Assad.

Essas vozes e quaisquer ações possíveis só contribuirão para desestabilizar ainda mais a região“, disse ele em comentários postados nas contas de mídia social da presidência síria.

Assad falou durante uma reunião com Ali Akbar Velayati, assessor de política externa do líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, e outros funcionários.

Assad e Velayati criticaram as ameaças ocidentais de realizar ataques contra a Síria em resposta ao suposto uso de armas tóxicas no fim de semana, disse a presidência.

A ameaça de alguns países ocidentais de atacar a Síria é baseada em mentiras que esses países fabricaram junto com organizações terroristas“, disse o gabinete de Assad.

Tropas sírias se prepararam para ataques ocidentais em todo o país, escondendo bens e abandonando prédios importantes.

Trump e outros líderes ocidentais prometeram uma resposta rápida e contundente ao suposto ataque a gás no sábado, que, segundo equipes de resgate, matou mais de 40 pessoas.