Israel: Shin Bet impede 250 “ataques terroristas significativos” desde janeiro

Em discurso aos ministros de segurança pública estrangeiros, o chefe de serviço de segurança credita sucessos à crescente dependência de soluções de alta tecnologia

O chefe do serviço de segurança Shin Bet anunciou na quarta-feira que sua organização frustrou cerca de 250 “ataques terroristas significativos” desde janeiro, creditando essa conquista em parte às ferramentas de monitoramento e vigilância de alta tecnologia.

Nadav Argaman, que lidera o Shin Bet desde 2016, observou as mudanças nas ameaças à segurança em Israel e na Cisjordânia, longe de grupos terroristas mais organizados e em direção aos chamados ataques de “lobo solitário” por indivíduos não afiliados.

Desde o início do ano, o serviço de segurança Shin Bet evitou 250 ataques terroristas significativos, incluindo atentados suicidas, sequestros e tiroteios“, disse ele.

Argaman fez seus comentários em uma conferência internacional de ministros de segurança pública em Jerusalém, organizada pelo próprio ministro da Segurança Pública de Israel, Gilad Erdan. O anúncio veio horas depois de o Shin Bet ter revelado que havia prendido um palestino suspeito de matar um soldado da IDF durante um ataque em Ramallah no mês passado.

O chefe da Shin Bet disse que parte da maneira como sua agência foi capaz de responder efetivamente aos ataques de “lobo solitário”, que confundiram os serviços de segurança nos últimos anos, foi através do uso de técnicas avançadas de tecnologia como “big data”. – grandes quantidades de informações a partir das quais os pesquisadores podem tentar fazer previsões.

O serviço de segurança Shin Bet soube adaptar-se e usar ferramentas tecnológicas, de inteligência e operacionais para encontrar esses agressores com antecedência“, disse ele.

O grande investimento em desenvolvimentos tecnológicos nos mundos de ‘big data’, aprendizado de máquina e inteligência artificial, pelo Shin Bet, criou um grande salto da extração de inteligência para a previsão de inteligência com o propósito de prevenir ataques terroristas e intenções terroristas antes de serem realizados ”, disse ele.

Argaman acrescentou que o Shin Bet também contava com métodos de inteligência “clássicos” para combater o terrorismo.