Malásia: “Sharia ordena chicotear lésbicas para infundir medo de Allah”

Na segunda-feira, duas mulheres consideradas culpadas por tentar fazer sexo foram chicoteadas seis vezes em público devido decisão do Tribunal de Syariah de Terengganu, enquanto cerca de 100 pessoas assistiram à punição.

A punição recebeu condenação mundial, com o ministro federal encarregado dos assuntos religiosos Datuk Mujahid Yusof Rawa dizendo que a presença pública durante a sentença deveria ser revista.

Grupos de defesa dos direitos das mulheres chamado “Justiça para as Irmãs no Islã” também alegou que a condenação era ilegal, já que a punição só pode ser feita contra prisioneiros, mas a dupla não foi presa.

O partifo Kedah PAS apoiou o governo de Terengganu contra as críticas por impor chicotadas publicamente nas duas mulheres muçulmanas na segunda-feira, dizendo que as punições da Sharia devem “infundir medo em relação a Alá”.

Seu comissário Ahmad Fakhruddin Fakhrurazi disse que a chibata é uma “arma” para conter problemas sociais, citando a alegada disseminação da comunidade de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT) na Malásia como exemplo.

“É inegável, as leis conseguiram abrir os olhos de muitas pessoas, embora tenham recebido muitas reações. Mas o fato é que a filosofia das punições da Sharia é instilar o medo em relação a Allah ”, disse ele em um comunicado.

Ele alegou que o público deve estar ciente de que “atos LGBT” supostamente trazem problemas de saúde e doenças, e são grandes pecados aos olhos de Deus.

Com imagem e infirmações Yahoo News

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s