Assad usou armas químicas em três ataques durante o ano

As forças do presidente sírio Bashar Assad usaram armas químicas proibidas nos ataques contra Douma, perto de Damasco em 22 de janeiro e 1 de fevereiro, bem como na província de Idlib, no norte, em 4 de fevereiro, disse o relatório citado por Reuters

Um número indeterminado de civis foi ferido em todos os três ataques, incluindo mulheres e crianças.

Para se recuperar a leste de Ghouta em abril, as forças do governo lançaram numerosos ataques indiscriminados em áreas civis densamente povoadas, que incluíam o uso de armas químicas“, menciona o relatório.

A Comissão conclui que, nestas duas ocasiões, as forças governamentais e as milícias filiadas cometeram crimes de guerra pelo uso de armas proibidas e lançamento de ataques indiscriminados em áreas civis povoadas leste Ghouta.”

A comissão acrescentou que “as munições documentadas foram instaladas em torno de foguetes de artilharia iranianos produzidos industrialmente e que são conhecidos por terem sido fornecidos às forças comandadas pelo governo “.

Em Idlib, “helicópteros do governo despejaram pelo menos dois barris com carga de cloro na área de Taleel em Saraqeb”.

O relatório foi baseado em centenas de entrevistas no terreno. Isso faz com que o número de ataques químicos confirmados como cometidos pelas tropas de Assad desde 2013 seja de 33. Outros seis ataques não foram definitivamente ligados ao regime.

Na terça-feira, o secretário da Defesa dos EUA, Jim Mattis, disse que Assad foi advertido  contra o uso de armas químicas em um ataque inicial à província de Idlib.

O regime foi alvo duas vezes de ataques aéreos e mísseis americanos após suspeitas de ataques químicos.

Autoridades americanas disseram nos últimos dias que medidas adicionais serão tomadas se Assad usar as armas proibidas em Idlib, atualmente em poder dos rebeldes.

“Em Idlib, estamos observando de perto o que o regime de Assad faz, auxiliado e apoiado pelos iranianos e russos”, disse Mattis a repórteres do Pentágono.

Fazendo referência a um ataque com mísseis do EE. UU Em uma base aérea síria em abril de 2017, depois que os aviões de Assad lançaram um suposto ataque químico em Idlib, Mattis notou que o líder sírio havia sofrido perdas maciças em sua força aérea.

“A primeira vez, perdeu 17% de suas aeronaves,” disse Mattis, referindo-se às aeronaves incomuns de fabricação russa.

“Ele foi avisado e, em seguida, vamos ver se está tudo bem”, acrescentou.

Um segundo ataque, em abril deste ano, teve os militares britânicos e franceses ajudando a missão liderada pelos EUA.

A província de Idlib e as áreas rurais adjacentes formam a maior parte do território ainda ocupado pelos rebeldes sírios sitiados, desgastados por uma sucessão de vitórias do governo nos últimos meses.

Assad agora está de olho em Idlib, e suas forças intensificaram o bombardeio da província densamente povoada desde o começo do mês.

A província de Idlib e as áreas rurais adjacentes formam a maior parte do território ainda ocupado pelos rebeldes sírios sitiados, desgastados por uma sucessão de vitórias do governo nos últimos meses.

Assad agora está de olho em Idlib, e suas forças intensificaram o bombardeio da província densamente povoada desde o começo do mês.

Com imagem e informações Israel Noticias

Uma consideração sobre “Assad usou armas químicas em três ataques durante o ano”

  1. Eu acompanho várias mídias internacionais e o conflito sírio a alguns anos, e o que percebi é que passamos da era da pós-verdade. Hoje, a informação vem misturada com a carga ideológica e com os projetos de poder atrelado as mídias que veiculam tal informação. Nesse sentido, o verdadeiro fato se perde. Quanto aos ataques, a mídia russa vem denunciando a muito tempo que os ataques químicos não foram realizados pelo Assad. Enquanto que os ocidentais, turcos e a al jazeera discordam. (aí descobrir quem está certo é o problema). De qualquer forma, sabe-se que já houveram ataques químicos realizados por grupos rebeldes e como vc também deve saber, os rebeldes no bolsão Idlib/latakia/hama/aleppo são todos sunitas terroristas como o HTS, JTS, e minoritariamente há presença da al qaeda e do daesh. Dessa vez os russos já estão avisando com antecendência que o HTS está preparando com os ocidentais um ataque químico. Mas enfim, não acha estranho que toda vez que o Assad tem uma importante vitória militar brota um ataque químico que justifica um ataque simbólico ocidental?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s