Comitiva de parlamentares pede audiência com ministro Ernesto Araújo em apoio ao cristão perseguido Faraz Pervaiz

Brasília – Nessa sexta-feira (05/03), a ONG Ecoando a Voz dos Mártires, representada por sua diretora-presidente Andréa Fernandes, esteve em diligência com o Deputado Federal Eli Borges (TO/Solidariedade) no Protocolo Geral do Ministério das Relações Exteriores para ingressar com ofício assinado por oito deputados solicitando audiência com o Ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo a fim de tratar sobre a situação do refugiado cristão Faraz Pervaiz e de seu família, os quais estão sob ameaça de morte na Tailândia, país para o qual fugiram após sucessivas ameaças no Paquistão.

Resultado de imagem para imagem faraz pervaiz      

                          Faraz Pervaiz

Em 23 de janeiro, a jornalista Andréa Fernandes tomou conhecimento das violações de direitos humanos sofridas pelo cristão paquistanês Faraz Pervaiz, que se viu obrigado a abandonar o Paquistão juntamente com parte dos seus familiares, onde está sendo processado pelo Estado por suposta violação à lei da blasfêmia ao compartilhar vídeos nas suas redes direcionados ao público cristão fazendo críticas ao Islã. Poderosos grupos muçulmanos – inclusive, o partido político Tahreek-e-Labbaik – não somente pressionaram o governo para persegui-lo na esfera judicial, mas, também, fizeram manifestações públicas diante de multidões pedindo a morte do cristão, e ainda ofereceram vultosas recompensas financeiras para aquele que viesse a assassiná-lo em jihad. Além disso, um clérigo local simpatizante do Talibã, ofereceu cerca de 124 mil dólares pela “cabeça” de Pervaiz.

No entanto, as ameaças de morte se agravaram quando o endereço de Faraz foi divulgado on line por um refugiado muçulmano em julho/2019. Inobstante tal fato,  o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) vem dando prioridade para o reassentamento de famílias muçulmanas na Tailândia e ignora os apelos contínuos de socorro de Pervaiz, que aguarda em vão reassentamento há mais de cinco anos. Quando foi atacado e ferido por muçulmanos, em 23 de dezembro de 2019, o ACNUR sugeriu que os pais do refugiado cristão deveriam se mudar para uma nova residência por segurança sem prestar nenhum tipo de auxílio. Pelo contrário, a entidade ainda promoveu grave violação de direitos humanos ao obrigar Pervaiz a remover 474 vídeos que postou em suas redes por serem críticos ao Islã, considerados  assim “ofensivos” para alguns muçulmanos que seguem a sharia (lei islâmica), e consideram obrigatório seu cumprimento pelos “infiéis”. Vale lembrar que a sharia não tem base legal na Tailândia, país de maioria budista.

Apesar de pedir socorro a vários ministérios cristãos, até o momento, o refugiado não conseguiu sensibilizar nenhum deles para promover divulgação e apoio à sua luta pela vida, que depende de sua saída da Tailândia, país que reconhece não mais ter condições de garantir segurança a Pervaiz e sua família. O refugiado cristão informou num dos muitos contatos com a ONG Ecoando a Voz dos Mártires, que nem mesmo a renomada instituição Portas Abertas se solidarizou com seu sofrimento ao não atender seus reiterados pedidos de socorro por e-mail, inclusive, com cópia para o representante da instituição no Brasil. Foram mostrados prints comprovando a denúncia, pelo que, a presidente da ONG EVM tentou contato com Portas Abertas e ao não conseguir atendimento, solicitou ao deputado estadual Douglas Garcia para pedir uma reunião com a entidade no Brasil (sediada em São Paulo). Vergonhosamente, Portas Abertas ignorou as solicitações, descaso este que obrigou a ONG EVM a articular apoio no parlamento federal, a fim de interceder pela causa junto ao Itamaraty.

Em fevereiro, Andréa Fernandes e o representante da ONG EVM/Brasília, o internacionalista e jornalista Gil Carlos Montarroyos, deram início ao trabalho de articulação política envolvendo alguns deputados procurados pela presidente da entidade.

O deputado Otoni de Paula (PSC/RJ), gravou vídeo em apoio e afirmou que faria discurso em favor de Pervaiz na tribuna do plenário, informando também que solicitaria audiência com o ministro das Relações Exteriores. Já a deputada Bia Kicis (PSL/DF), conseguiu o encaminhamento da pauta ao Departamento de Direitos Humanos e Cidadania do Itamaraty, onde Andréa Fernandes foi recebida pelo diretor, momento em que providenciou a entrega de requerimento solicitando audiência com o ministro Ernesto Araújo, remetendo toda documentação necessária para deliberação do ministro sobre a questão.

O deputado Eli Borges (Solidariedade/TO), ao tomar conhecimento do caso, resolveu ligar pessoalmente para deputados a fim de convencê-los a formar uma comitiva para tratar do assunto com o ministro juntamente com a presidente da ONG EVM, ação esta formalizada através de um ofício direcionado ao ministro Ernesto. Outrossim, o próprio deputado entrou em contato com seus pares para colher as assinaturas posteriormente consignadas no ofício e se dirigiu ao Ministério das Relações Exteriores com seu chefe de gabinete, um assessor da Frente Parlamentar Evangélica e Andréa Fernandes.

                        Deputado Eli Borges com Andréa Fernandes, presidente da ONG EVM

Importante destacar o empenho da Frente Parlamentar Evangélica, que definitivamente assume o protagonismo na agenda de combate à perseguição contra cristãos e apoio à igreja perseguida, uma vez que seu presidente, Silas Câmara (Republicanos /AM), imediatamente se prontificou a defender a pauta junto ao ministro das Relações Exteriores.

Além dos deputados federais acima mencionados, assinaram o ofício os seguintes parlamentares da câmara dos deputados: –Pastor Eurico (Patriota/PE), Sóstenes Cavalcante (DEM/RJ), Dr. Jaziel (PL/CE) e João Campos (Republicanos/GO).

Ao receber o documento no Protocolo Geral, o funcionário informou que o ofício estaria em 10 minutos nas mãos de Ernesto Araújo, dada a fala do deputado Eli Borges no tocante à preocupação com a necessária urgência para deliberação do tema, vez que o estoque de comida da família já está chegando no final, além das graves ameaças de morte. Ademais, o deputado se comprometeu a diligenciar na manhã de sexta-feira (06/03) no Itamaraty para se certificar que o ministro recebeu o ofício e saber se já foi marcada data para audiência. O caso merece realmente tamanho empenho!

Andréa Fernandes – advogada, internacionalista, jornalista e presidente da ONG Ecoando a Voz dos Mártires(EVM).

Imagem: Deputado Eli Borges, Josué Alves (assessor da bancada evangélica) e Andréa Fernandes no Protocolo Geral do Itamaraty.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s