Arquivo da categoria: Ásia

Malásia: Cristãos são acusados de “enfraquecer a fé islâmica”

Um jornal local publicou um artigo afirmando que “os cristãos se infiltraram na manifestação, usando essa plataforma para desafiar e enfraquecer a fé islâmica”.

O “Bersih 5” foi um protesto democrático que ocorreu no final do ano, na Malásia, a fim de tentar “limpar” o governo da corrupção e conscientizar os cidadãos sobre os problemas atuais enfrentados pelo país. Os manifestantes reivindicaram pacificamente uma reforma no governo e exigiram também a expulsão do primeiro-ministro Najib Razak.

No dia seguinte, porém, um jornal local publicou um artigo afirmando que “os cristãos se infiltraram na manifestação, usando essa plataforma para desafiar e enfraquecer a fé islâmica”. A acusação ocorreu depois que voluntários de uma igreja distribuíram água e comida entre as pessoas. Um grupo de cristãos também usou as mídias sociais para encorajar outros cristãos a participar de Bersih 5 e eles também pediram a todos para orar pela nação.

A desconfiança da comunidade muçulmana acabou distorcendo as ações da igreja. Ore para que os cristãos malaios continuem demonstrando amor e bondade, e que os corações de muitos muçulmanos sejam tocados pelo amor de Cristo, a fim de compreenderem o motivo da fé daqueles que seguem Jesus.

Leia também
Islamização progressiva na Malásia
Igreja na Malásia não está segura

https://www.portasabertas.org.br/noticias/2017/01/cristaos-sao-acusados-de-enfraquecer-a-fe-islamica

Muçulmanos afegãos decapitam mulher por visitar cidade sozinha

Uma mulher de 30 anos foi decapitada na província do Afeganistão, Sar-e-Pul, por homens armados que a puniam por viajar para a cidade sozinha, sem o marido, em violação da lei islâmica.

Membros do Taliban foram acusados de decapitar uma mulher no Afeganistão que viajou para a cidade sem o marido, em violação da lei islâmica.

Como observou Jihad Watch: A lei islâmica afirma: “Uma mulher não pode deixar a cidade sem que seu marido ou um membro de sua família a acompanhe, a menos que a viagem seja obrigatória, como o hajj. É ilegal para ela viajar de outra forma, e ilegal para seu marido permitir que ela viaje. ”
O governador da província disse através de seu porta-voz Zabiullah Amani que a decapitação ocorreu, e foi na pequena aldeia de Latti.

Da Nação no Paquistão:

“Amani disse que a mulher foi decapitada porque visitou a cidade sozinha sem o marido. Amani disse que o marido da vítima está no Irã e eles não tinham filhos. ”
No entanto, o Taliban negou envolvimento.

http://pamelageller.com/2016/12/afghanistan-muslims-behead-woman-visiting-city-alone.html/

Toque de recolher até o dia 25 de dezembro

Esta declaração de fé faz parte das orações dos cristãos indianos, porém os líderes hindus afirmam o contrário e conspiram obrigar, por meio da lei, todos os convertidos ao cristianismo a reconverterem-se ao hinduísmo. “Conspiração planejada”, diz um jornalista respeitado.

Ignorando expressões particulares de exasperação de seu próprio líder político, os principais líderes do movimento fundamentalista hindu da Índia montaram uma campanha vigorosa para trazer cristãos convertidos de volta ao hinduísmo.

“Este é o nosso próprio país, o nosso rashtra hindu”, ou nação, disse Mohan Bhagwat, chefe do Rashtriya Swayasevak Sangh, uma organização nacional, que tem sido a fonte ideológica de vários grupos da Índia, dedicada a uma expressão nacionalista do hinduísmo. Bhagwat fez a declaração dia 20 de dezembro em Kolkata, a terceira maior cidade da Índia, durante a celebração do jubileu de ouro do Conselho Mundial Hindu, que afirma ter “reconvertido” várias centenas de milhares de cristãos e muçulmanos ao hinduísmo.

“Aqueles que haviam se desviado foram atraídos. Eles tinham sido roubados de nós”. O discurso exasperado de Bhagwat foi citado diversas vezes pela mídia de notícias indianas. “O ladrão está sendo capturado e nossa propriedade será recuperada” disse ele.

Sete dos 29 estados da Índia possuem leis que proíbem conversões religiosas forçadas. Aparentemente a intenção é fazer uso das leis para proteger os indivíduos de proselitismo indesejável, mas em vez disso, elas são “frequentemente utilizadas como pretexto para perturbar e interromper os serviços da igreja, bem como para assediar, espancar e acusar os cristãos e líderes cristãos” relatou à Portas Abertas, um dos líderes de uma instituição que apoia cristãos, que está sendo fortemente pressionada por ajudá-los.

“O que está acontecendo em todo o país é uma conspiração planejada. Eles (os nacionalistas hindus) querem criar uma atmosfera onde mais partidos apoiarão um projeto de lei nacional anti-conversão”, disse AJ Philip, um colunista que escreve para jornais diários do país.

Ore pelos cristãos na Índia!

Mais um cristão é morto na Índia

Ele era ativo nos trabalhos da igreja, distribuía Bíblias e costumava exibir filmes sobre Jesus, inspirando muitas famílias à conversão.

Jeyram Khoskla* tem 23 anos e se converteu ao cristianismo alguns anos atrás. Certo dia, às 4h30 da manhã, 7 aldeões invadiram sua casa e o levaram embora. Jeyram nunca mais voltou. Seu corpo foi encontrado a uma distância aproximada de 4 quilômetros, com vários tiros, na vila de Bhitarkota, em Orissa, na Índia.

O incidente aconteceu em novembro. A esposa, Indu Khosla, terá que seguir em frente com seus 3 filhos. Ela conta que Jeyram era ativo nos trabalhos da igreja, distribuía Bíblias e costumava exibir filmes sobre Jesus. Cerca de 50 famílias da aldeia se converteram a Cristo inspiradas pelo seu trabalho evangelístico.

Segundo fontes locais, há tempos que ele estava sendo ameaçado pela vizinhança. Daqui para frente, sem o salário do marido, Indu terá que sustentar a família. Ela tem um emprego simples em uma escola da vila. Tanto a igreja quanto colaboradores da Portas Abertas estão apoiando-a nesse momento.

https://www.portasabertas.org.br/noticias/2016/12/mais-um-cristao-e-morto-na-india

Cristãos não têm direito a sepultamento

Família teve que desenterrar a mãe de cemitério local porque a comunidade muçulmana não permite o sepultamento de cristãos.

Em um dos países da Ásia Central, uma família cristã vive momentos muito difíceis. Amina* (mãe), morreu recentemente e a família foi impedida de enterrá-la no cemitério local pela comunidade muçulmana. Eles exigiram que ela fosse levada para longe dali. Quando finalmente conseguiram ajuda das autoridades da cidade, que convenceram alguns muçulmanos mais velhos, o problema parecia estar resolvido.

Amina foi enterrada e seus familiares voltaram para casa. Na manhã seguinte, porém, os muçulmanos fizeram uma manifestação contra o sepultamento. Eles gritavam “kafirs” (pecadores) e chamavam os cristãos de traidores. O representante das autoridades voltou durante o dia e decidiu que o corpo fosse retirado daquele cemitério e enterrado em território neutro.

Infelizmente, os filhos tiveram que desenterrar o corpo da mãe e procurar um novo local. A situação desconfortável causou ainda mais dor à família, além do total constrangimento e sensação de vulnerabilidade. Usman*, um líder cristão local esteve com eles para confortá-los e encorajá-los, juntamente com um grupo de cristãos que se disponibilizou a orar com eles.

*Nomes alterados por motivos de segurança.

https://www.portasabertas.org.br/noticias/2016/12/cristaos-nao-tem-direito-a-sepultamento

Quirguistão: agredido, expulso e humilhado por sua fé

Cristão foi obrigado a abandonar sua aldeia por professar a fé cristã; antes, porém, ele foi agredido violentamente, sua casa foi apedrejada e seu gado exterminado.

Zaur* é um cristão que vive em uma das pequenas aldeias do Quirguistão. Recentemente, ele foi agredido pelos aldeões por causa de sua fé. O irmão dele apelou ao departamento de polícia local apresentando uma declaração sobre o incidente. Nenhum dos policiais presentes aceitou receber a declaração.

Quando Zaur foi levado ao hospital, muito machucado com os golpes violentos que recebeu, também encontrou obstáculos. Assim que o médico soube que ele foi agredido por ser cristão, também se recusou atendê-lo. Ele teve que ir embora sem receber os primeiros socorros.

Essa violência o forçou a se mudar dali. Seus pais e seu irmão não professam a fé cristã, mas respeitam e apoiam Zaur. A família teve que sair da aldeia com receio do que mais os aldeões poderiam fazer contra eles. No dia seguinte, os vizinhos que estavam furiosos mataram todo o seu gado e pessoas desconhecidas apedrejaram sua casa.

* Nome alterado por motivos de segurança.

https://www.portasabertas.org.br/noticias/2016/12/agredido-expulso-e-humilhado-por-sua-fe

Como vivem os cristãos no Tajiquistão

Perseguidos pelas autoridades policiais, muitos são agredidos e presos injustamente; ore pelos cristãos tajiques, para que permaneçam em Cristo apesar das dificuldades.

Não é tarefa simples seguir o cristianismo em países da Ásia Central. Entre as dificuldades está a falta de segurança, a pressão vinda da sociedade e os desafios para evangelizar são enormes, já que a base comunista do governo não permite a presença de igrejas no país.

Clandestinamente, os cristãos praticam sua fé com a ousadia que o Espírito Santo lhes dá. Perseguidos pelas autoridades policiais, muitos são agredidos e presos injustamente. Ore pelos cristãos tajiques, para que permaneçam em Cristo, mesmo em meio a tantas dificuldades.

A identidade tajique está associada a ser muçulmano. Consequentemente, mudar de religião é um ato de rebeldia e desonra aos familiares. Há pouco tempo, uma jovem foi agredida violentamente pelo próprio irmão, logo após ela aceitar Jesus como seu salvador. E essa não é uma cena isolada, há muitos outros casos semelhantes a este. “Eu sei que Jesus é o meu escudo e meu abrigo. Ele nunca vai me abandonar, mesmo se o mundo inteiro estiver contra mim”, disse uma cristã perseguida do Tajiquistão. Ore por essa nação.

https://www.portasabertas.org.br/noticias/2016/12/como-vivem-os-cristaos-no-tajiquistao

Brunei: sharia pode punir cristãos que insistem em evangelizar

As novas penalidades da lei islâmica que estão sendo inseridas aos poucos na Constituição vão acrescentar punições corporais graves, como flagelação e apedrejamento.

Depois da segunda fase da implantação da lei sharia no país, a igreja passou a seguir regras ainda mais restritas e perigosas. Igrejas sempre foram consideradas ilegais, os cristãos sempre foram atacados, mas as novas penalidades da lei islâmica que estão sendo inseridas aos poucos na Constituição vão acrescentar punições corporais graves, como flagelação e apedrejamento.

Para atrair as pessoas ao islã e evitar que pratiquem o cristianismo, os líderes muçulmanos estão investindo de várias formas. Todos os dias nos jornais locais há relatos de convertidos ao islã que receberam presentes e apoio financeiro. Em contrapartida, os cristãos são proibidos de evangelizar e são punidos severamente caso desobedeçam.

A hostilidade contra os cristãos é sentida fortemente no pequeno país que ocupa a 25ª posição na Classificação da Perseguição Religiosa. Mesmo assim, a igreja continua perseverante e cresce, na graça e no conhecimento.

https://www.portasabertas.org.br/noticias/2016/12/sharia-pode-punir-cristaos-que-insistem-em-evangelizar

Cristã indiana é atacada por extremistas islâmicos

Samari e seu filho compartilhavam o evangelho na pequena aldeia onde moravam; por se tratar de uma região onde há poucos cristãos, o ambiente era perigoso e hostil.

Recentemente, Samari Kasabi, uma cristã indiana de 55 anos foi atacada por extremistas islâmicos até a morte. Ela e seu filho Sukura compartilhavam o evangelho em sua aldeia. Por se tratar de uma região onde há poucos cristãos, o ambiente era perigoso e hostil.

Segundo fontes locais, os rebeldes estavam procurando o jovem Sukura, mas como ele não estava em casa, sua mãe foi arrastada para fora e atacada violentamente. Infelizmente ela não resistiu aos graves ferimentos.

Na aldeia, eles eram os únicos cristãos declarados. Outras três famílias que também estavam convertidas ao cristianismo decidiram voltar atrás da decisão por causa da perseguição severa que a igreja enfrenta no país.

https://www.portasabertas.org.br/noticias/2016/12/crista-indiana-e-atacada-por-extremistas-islamicos

Cristãos são detidos durante um culto a Deus

Eles só poderão ser liberados após o pagamento de uma multa no valor de 1500 manats (moeda azerbaijana), equivalente a 3 mil reais, o que representa um valor muito alto para eles.

Nos últimos dias, em uma das aldeias do Azerbaijão, mais de 30 cristãos, entre eles homens, mulheres e crianças, se reuniram na casa de um dos líderes para adorar a Deus. Quando um grupo de 15 policiais chegou e exigiu que a reunião fosse cancelada imediatamente por se tratar de um “encontro ilegal” de acordo com as leis do país.

Como a igreja não possui um registro oficial, todos os membros foram interrogados. Os policiais fizeram uma lista com todos os nomes, anotando inclusive os dados de todos os documentos, incluindo o passaporte. De todo o grupo, 26 pessoas foram levadas à delegacia e somente 22 liberadas depois de assinarem uma declaração, no final da noite.

As outras 4 ficaram detidas, entre elas o pastor Azam* e sua esposa Halifa*. Os outros dois eram membros da igreja. Ambos só poderão ser liberados após o pagamento de uma multa no valor de 1500 manats (moeda azerbaijana), equivalente a 3 mil reais, o que representa um valor muito alto para eles.

*Nomes alterados por motivos de segurança.

https://www.portasabertas.org.br/noticias/2016/12/cristaos-sao-detidos-durante-um-culto-a-deus