Arquivo da tag: #

A Anistia Internacional condena o “encobrimento saudita” no caso de Khashoggi e pede uma necrópsia

A Anistia Internacional disse no sábado que  a explicação da Arábia Saudita sobre a morte do jornalista Jamal Khashoggi  no consulado saudita em Istambul apareceu para esconder “um assassinato hediondo.”

“As conclusões do inquérito das autoridades sauditas, que afirmam que Khashoggi morreu como resultado de uma briga dentro do consulado não são confiáveis ​​e marca um abismo no registro de direitos humanos da Arábia Saudita”,  disse em um comunicado Samah Hadid, diretor do grupo direitos humanos no Oriente Médio.

Ele pediu às autoridades sauditas que revelem a localização do corpo de Khashoggi para que especialistas forenses independentes possam realizar uma autópsia. Ele também disse que as Nações Unidas deveriam investigar sua morte.

“Um inquérito independente é a única garantia contra o que cada vez mais parece como um encobrimento da Arábia em torno das circunstâncias do assassinato de Khashoggi ou qualquer tentativa por outros governos para varrer o problema para debaixo do tapete para preservar negócios lucrativos de armas e outros laços comerciais com Riyadh “, disse Hadid.

A afirmação da Arábia Saudita que Khashoggi teria morrido em uma luta, em vez de ser morto deliberadamente, foi o primeiro reconhecimento de sua morte por Riyadh após duas semanas de negações sobre o envolvimento saudita em seu desaparecimento.

“Esse assassinato atroz dentro das fundações do Consulado equivale à uma execução extrajudicial”, disse a Anistia Internacional.

Com imagem The Millennium Report e informações Israel Noticias

EVM discute com deputado Ezequiel Teixeira votos do Brasil contrários a Israel na ONU e genocídio de cristãos no Oriente Médio

Brasília – Na terça-feira(29/11), Andréa Fernandes, presidente da ONG Ecoando a Voz dos Mártires, participou de reunião com o deputado federal Ezequiel Teixeira, o jornalista Jarbas Aragão e os líderes evangélicos Paulo de Tarso Fernandes e Hudson Medeiros Teixeira.

O deputado Ezequiel Teixeira manifestou interesse de prestar apoio ao Movimento Pró- Israel e teceu esclarecimentos sobre plano de ação em 2017 para fortalecer o apoio à iniciativa de mudança da posição diplomática do Brasil frente às resoluções da ONU propostas por países árabes com o fim notório de deslegitimar o Estado de Israel e promover a islamização de lugares sagrados para os judeus. Nesse sentido, ouviu o Ap. Paulo de Tarso, que representou o Conselho Apostólico do Brasil na reunião com o Ministro das Relações Exteriores José Serra, onde se deliberou sobre o tema de reavaliação do voto brasileiro nas 20 resoluções da ONU aprovadas neste ano contrárias a Israel, além das resoluções da UNESCO que negam a ligação histórica dos judeus com o Monte do Templo e o Muro das Lamentações.

A questão da perseguição religiosa contra cristãos no mundo muçulmano também integrou a pauta de discussão, pois antes da chegada do deputado à reunião agendada em seu gabinete, Andréa Fernandes prestou esclarecimentos sobre o tema aos pastores Paulo de Tarso e Hudson, que se sensibilizaram com os dados prestados e se prontificaram a apoiar as ações da ONG Ecoando a Voz dos Mártires para dar visibilidade ao tema. Foram discutidas, também, propostas de ação para promover a necessária mobilização popular a fim de respaldar o movimento que pretende mudar o posicionamento diplomático do Brasil em relação a Israel, oportunidade em que, Andréa Fernandes informou estar articulando com movimentos internacionais para prestarem apoio.

Ao final da reunião, Ezequiel Teixeira afirmou que ingressará com o requerimento de audiência pública para debater a questão do genocídio de cristãos na Comissão de Direitos Humanos. Na oportunidade, a presidente da ONG manifestou sua preocupação quanto à necessária discussão acerca do reconhecimento do genocídio dos armênios, pois é um dever moral que vem sendo ignorado pela diplomacia brasileira, e por isso, vem sendo alvo de atenção de Andréa Fernandes em todas as reuniões que tem participado com parlamentares e lideranças religiosas.

O encontro foi bastante promissor, uma vez que agregou a luta da ONG EVM em incluir na agenda de política externa brasileira a preocupação com a violação dos direitos humanos no mundo muçulmano e o combate ao antissemitismo.

Suposto ataque com gás de cloro deixa mortos em Aleppo

Ativistas e moradores da cidade síria relatam que há mortos e feridos após bomba de barril ser arremessada sobre bairro controlado por rebeldes. Rússia anuncia trégua de três horas para entrada de ajuda humanitária.

Ao menos três pessoas morreram e muitas ficaram com dificuldades para respirar quando um gás, que se acredita ser gás de cloro, foi lançado junto com bombas de barril sobre um bairro da cidade síria de Aleppo nesta quarta-feira (10/08), relataram diversas pessoas a agências de notícias.

À agência AP, o socorrista Khlaed Harah afirmou que um helicóptero do governo jogou quatro bombas de barril durante a noite no bairro de Zabadieh e que uma delas liberou gás de cloro. Uma mãe e seus dois filhos teriam morrido. A veracidade do relato não pôde ser verificada.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos, grupo ativista sediado em Londres e que acompanha a guerra civil na Síria, também reportou que bombas de barril arremessadas pelo governo atingiram o bairro de Zabadieh. A organização disse ter recebido relatos de duas mortes e de várias pessoas com dificuldade para respirar, sem mencionar gás de cloro.

À agência Reuters, Hamza Khatib, gerente do hospital Al Qud, em Aleppo, disse que houve quatro mortes por envenenamento com gás e 55 feridos. Sete pessoas ainda estavam em tratamento. Khatib disse ter guardado pedaços das roupas dos pacientes e fragmentos das bombas de barril como evidências para análise.

A Defesa Civil Síria, serviço de regate que age no território controlado pelos rebeldes, disse à Reuters ter registrado três mortes e 22 feridos depois de um barril suspeito de conter gás de cloro cair sobre o bairro de Zabadieh. O grupo disse não poder confirmar se realmente se tratava do gás.

Cessar-fogo diário

Aleppo, no norte da Síria, era a cidade mais populosa do país antes da guerra e agora está dividida entre áreas controladas pelo regime e pela oposição. Uma batalha intensa pelo controle de Aleppo eclodiu na sexta-feira passada, quando rebeldes lançaram uma grande operação e conseguiram romper o cerco imposto há um pelo governo mês ao seu território. Acredita-se que 250 mil pessoas vivam na área, no leste da cidade.

A Rússia anunciou que haverá um cessar-fogo diário de três horas em Aleppo a partir desta quinta-feira, para permitir que comboios de ajuda humanitária ingressem na cidade. Um representante do Ministério russa da Defesa afirmou que a trégua será realizada entre as 10h e as 13h.

Desde o início da ofensiva insurgente, há relatos não confirmados de ativistas e moradores sobre ataques com gás de cloro à área controlada pela oposição. Governo e rebeldes negam ter usado armas químicas ao longo da guerra civil. O Ocidente culpa o regime por ataques do tipo, que por sua vez, ao lado da Rússia, acusa os opositores.

Investigadores da ONU concluíram que gás sarin foi usado num subúrbio de Damasco em 2013. Os EUA acusaram o governo sírio pelo ataque, que pode ter matado 1.429 pessoas. Damasco negou a responsabilidade, culpando os rebeldes.

LPF/rtr/ap

http://www.dw.com/pt/suposto-ataque-com-g%C3%A1s-de-cloro-deixa-mortos-em-aleppo/a-19465236

Terroristas do ISIS queimam viva menina cristã, que antes de morrer diz à mãe: “perdoa-lhes”

Terroristas muçulmanos do ISIS entraram na casa de uma mulher cristã e exigiram que eles pagassem o tributo a eles, fugisse ou morreria. A mãe pediu-lhes para fixarem algum tempo para sair porque sua filha estava no chuveiro, mas eles não mostraram misericórdia. Eles atearam fogo em toda a casa e a filha foi queimada até morrer, e antes que ela desse seu último suspiro, gritou: “Perdoa-lhes.” Como lemos em um relatório:

Lembrou uma mulher cristã de Mosul que abriu a porta para encontrar os combatentes  estrangeiros do ISIS, exigindo que ela saísse ou pagasse o imposto jizya.

Ela perguntou por alguns segundos, sua filha estar no chuveiro, mas os combatentes se recusaram a dar-lhe tempo.Eles lançaram uma tocha na casa, queimando e, matando sua filha.

Continuar lendo Terroristas do ISIS queimam viva menina cristã, que antes de morrer diz à mãe: “perdoa-lhes”