Arquivo da tag: #adolescente

Itália: 2 imigrantes ilegais presos por envolvimento em estupro coletivo e morte de adolescente

Na noite de quarta-feira, duas prisões foram feitas em conexão com o estupro e possível assassinato da garota italiana de 16 anos, Desiree Mariottini.

A adolescente foi encontrada morta em um prédio abandonado em um subúrbio de Roma. Acredita-se que ela tenha sido drogada e estuprada enquanto estava inconsciente, dizem os investigadores.

Dois imigrantes ilegais foram presos : Mamadou Gara, 26, e Brian Minteh, 43. Eles são suspeitos de violência sexual, traficar drogas e homicídio.

Um terceiro suspeito também foi encontrado, mas a polícia está investigando seu papel no drama letal. Fontes italianas disseram que a polícia está tentando rastrear outros dois suspeitos também.

Dois imigrantes ilegais foram presos ontem à noite pelo estupro e morte de Desirée, e outros dois são procurados“, disse o ministro do Interior e vice-premier Matteo Salvini através do Twitter.

“Obrigado à polícia. Farei tudo para que os vermes culpados desse horror paguem por sua vileza”, acrescentou.

Ontem nós já informamos o que uma testemunha disse quando chegou ao local:

“Eles a drogaram e estupraram… A garota estava gritando… Eu olhei para a jovem gritando e havia outra garota na cama: eles colocaram um cobertor na cabeça, mas a cabeça dela podia ser vista. Eu não sei se ela estava respirando, mas ela já parecia morta, porque a outra garota estava gritando e dizendo que ela estava morta.

Imagem e informação Voice of Europe

Imigrantes iraquiano e turco são suspeitos de estupro e assassinato de adolescente alemã

Ontem, o The Voice of Europe informamou sobre a adolescente de 14 anos Susanna Maria Feldmann, que estava desaparecida há mais de duas semanas. A adolescente alemã foi encontrada morta, segundo a mídia local . Um cidadão turco já foi preso em conexão com o caso, mas o imigrante iraquiano Ali Bashar ainda é procurado, segundo reportagens do Bild .

Segundo o jornal Haaretz, a adolescente alemã era judia.

O corpo da adoelscente foi encontrado na quarta-feira por volta das duas da tarde no distrito de Wiesbaden, “Unterm Kalkofen”, entre o distrito de Erbenheim, em Wiesbaden, e o Wiesbadener Südfriedhof. De acordo com o jornal Bild, a garota foi abusada e estrangulada em uma noite de horror.

A polícia alemã está agora à procura de um iraquiano de 20 anos que vivia como requerente de asilo num abrigo de refugiados de Wiesbaden. A polícia quer falar com ele com urgência, pois ele é suspeito de assassinato. Eles colocaram uma descrição do suspeito.

A dica para a busca em Erbenheim veio de um garoto de 13 anos. Ele disse que o “iraquiano disse que matou a menina“. O imigrante do Iraque deveria ter sido amigo de Susanna, de 14 anos. Diz-se que ele deixou o abrigo para refugiados junto com sua família há alguns dias, de acordo com as informações de um jornal local .

De acordo com o ” Frankfurter Allgemeine Zeitung “, ele pode estar de volta ao Iraque com sua família. Na noite de quarta-feira houve uma detenção e um cidadão turco de 35 anos foi preso em conexão com o caso, informou o Bild .

Na terça-feira, 22 de maio, Susanna estava com as amigas no centro de Wiesbaden. Ela deveria voltar para casa à noite – mas nunca chegou lá. No dia seguinte, ela foi dada como desaparecida.

Segundo os investigadores, Ali Bashar chegou à Alemanha em outubro de 2015, durante a crise dos imigrantes. Primeiro, ele e sua família foram alojados na primeira recepção de Hessen em Gießen, em março de 2016, quando chegaram a Wiesbaden.

O suspeito é conhecido pela polícia por vários crimes violentos . Ele também é suspeito de estuprar uma menina de 11 anos, relata o Bild .

Esta não é a primeira garota assassinada por imigrantes. A estudante de 19 anos, Maria Ladenburger, foi encontrada violada e afogada em 16 de outubro de 2016. O perpetrador afegão, identificado como Hussein Khavari, entrou na Alemanha em novembro de 2015.

Mia V., de 15 anos, foi esfaqueada até a morte com uma faca de cozinha em frente a uma farmácia em Kandel, no dia 27 de dezembro de 2017, por seu ex- namorado . O migrante afegão chegou à Alemanha como menor desacompanhado na primavera de 2016.

Com imagem e informações The Voice of Europe

Adolescente israelense é morta a facadas em seu quarto por palestino

Criminoso invadiu assentamento judeu e morreu em confronto com a polícia

JERUSALÉM — Uma adolescente israelense foi morta a facadas no seu quarto em um assentamento judeu na Cisjordânia. Hallel Yaffa Ariel, de 13 anos, foi atacadaPOR um homem palestino enquanto dormia nesta quinta-feira, segundo autoridades. O responsável pelo crime foi morto a tiros pela polícia na cena do crime.

Segundo o Ministério da Saúde palestino, o homem que matou a adolescente foi identificado como Mohammed Tarayreh, de 19 anos. Originário de Bani Naim — um vilarejo próximo a Kiryat Arba, onde ocorreu o crime —, ele teria invadido o assentamento e entrado na casa da menina.

A imprensa local afirma que Hallel foi esfaqueada repetidamente na parte superior do corpo. Ela foi levada em condições críticas a um hospital de Jerusalém. No entanto, ela não resistiu aos ferimentos e morreu pouco depois.

Um oficial de segurança, com cerca de 30 anos, também teria sido atingido por facadas e tiros ao confrontar o criminoso. Ele foi hospitalizado e seu estado de saúde é crítico.

Desde outubro passado, 34 israelenses já foram mortos em uma onda de ataques com facas, armas e automóveis. Muitas destas ações violentas aconteceram nos arredores de Hebron, onde também ocorreu o episódio de quinta-feira.

No mesmo período, mais de 200 palestinos também foram mortos — dos quais, segundo Israel, a maioria era de pessoas que cometeram ataques e acabaram mortasPOR suas vítimas ou forças de segurança.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/adolescente-israelense-morta-facadas-em-seu-quarto-por-palestino-19613400#ixzz4D43HM8Rg
© 1996 – 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Desmascarando as mentiras palestinas

Nas últimas horas, a mídia global se manifestou energicamente contra Israel acusando o país de agir com “força desproporcional” contra os terroristas palestinos, incluindo acusação de que o Estado judeu deliberadamente tem assassinado crianças terroristas palestinas de 13 anos.

Esta “inocente” criança chama-se Ahmed Manasrah e foi quem esfaqueou e feriu 2 civis judeus, inclusive, um com menos de 13 anos de Idade que estava andando de bicicleta.

O presidente da Autoridade Palestina declarou ontem à noite “Israel é um Estado assassino capaz de matar crianças inocentes como matou Ahmed Manasrah. No entanto, Mahmoud Abbas ocultou o fato de Ahmed  NÃO estar morto e está sendo atendido num hospital israelense custeado por civis de Israel através do pagamento de Impostos.

Compartilhe A Verdade !!!!

Adolescente americano é condenado a 11 anos por apoiar Estado Islâmico

Jovem de 17 anos foi sentenciado à prisão por apoiar grupo terrorista.
Ele ajudava a arrecadar fundos para o grupo via Twitter e blog.

Um adolescente da Virginia, nos EUA, foi condeado a 11 anos de prisão por apoiar o grupo terrorista Estado Islâmico.

 Ali Amin, de 17 anos, foi sentenciado a 136 meses nesta sexta-feira (28), afirmou o Departamento de Justiça dos EUA.

O jovem, de Manassas, foi considerado culpado de conspirar para providenciar material de apoio ao grupo jihadista.

Amin usou seu Twitter e seu blog para dar instruções sobre como usar a moeda virtual Bitcoin para enviar fundos para os militantes do Estado Islâmico, de acordo com documentos do tribunal.

Os promotores afirmam também que ele ajudou outro morador da Virgínia, Reza Niknejad, a viajar para a Síria para se unir ao grupo.

O serviço de monitoramento do terrorismo SITE disse que Amin tinha cerca de 4 mil seguidores no Twitter e estava em comunicação com soldados e recrutadores conhecidos do EI.

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2015/08/adolescente-americano-e-condenado-11-anos-por-apoiar-estado-islamico.html

Adolescente britânica que se juntou ao EI zomba de massacre na Tunísia

LONDRES — Uma adolescente britânica que fugiu do Reino Unido para se juntar ao Estado Islâmico (EI) na Síria zombou das vítimas do massacre na Tunísia.

Amira Abase, que tinha 15 anos quando viajou para a Síria em fevereiro com mais duas meninas, escreveu em uma mensagem “loooool”, que significa laughing out loud (rir em voz alta), quando foi informada sobre o ataque terrorista por um repórter disfarçado.

O jornalista do “Daily Mail” se fez passar por uma adolescente buscando informações para viajar à Síria a partir de Londres para se juntar ao grupo terrorista.

Amira revelou seu papel como uma recrutadora do EI, dando conselho ao repórter de como viajar para a Síria, como esconder o plano de seus pais no Reino Unido e quais são as condições para se tornar mulher de um jihadista.

Eles conversaram através das redes sociais Twitter e Kik:

“Sis (Serviço Secreto de Inteligência) está ficando louco aqui. Eles fizeram um minuto de silêncio por causa da Tunísia. Tudo que se fala é sobre a bomba”, disse o repórter a Amira, ao que ela respondeu: “Loooool”.

Quando Amira foi informada que o atirador tunisiano havia matado 30 turistas britânicos, ela respondeu:

“Uau. Isso é um monte”, disse a adolescente, acrescentando outro loool à informação de que alguns líderes muçulmanos haviam condenando o ataque.

http://extra.globo.com/noticias/mundo/adolescente-britanica-que-se-juntou-ao-ei-zomba-de-massacre-na-tunisia-16673807.html

Vídeo mostra tortura de sírio de 14 anos pelo Estado Islâmico

RIO — Um vídeo obtido pela rede BBC mostra militantes do Estado Islâmico (EI) supostamente torturando um sírio de 14 anos. Nas imagens, gravadas por um desertor do grupo extremista, o rapaz é visto sendo espancado enquanto é pendurado pelos punhos. A ONU acusou o EI e outros grupos armados na Síria e no Iraque de torturar e matar crianças. Menores também foram recrutados, treinados e usadoS no campo de batalha.

Outro adolescente relatou à BBC ter combatido pelo grupo Frente al-Nusra, ligado à al-Qaeda, com apenas 15 anos. Quando se uniu ao Estado Islâmico, ele viu jovens de 13 anos sendo doutrinados.

O vídeo exibe Ahmed com os olhos vendados, e dois homens mascarados, vestidos de preto dos pés à cabeça, andando na frente dele. Enquanto um carrega uma faca e uma pistola, o outro segura um fuzil AK-47. Ahmed foi espancado e eletrocutado.

— Eu pensei que ia morrer e deixar meus pais, meus irmãos, meus amigos, meus parentes tudo para trás — relatou à BBC, da vizinha Turquia, após ter escapado das mãos do EI. — Eles começaram me atacando, me eletrocutando a fim de que confessasse. Eu lhes disse tudo.

Na cidade síria de Raqqa, controlada pelo EI, Ahmed vendia pão para ganhar a vida e foi capturado pelos extremistas. Após ser sentenciado à morte por conspirar contra o EI, seu executor sentiu pena do garoto, permitindo que ele escapasse.

— Eles fingem que são religiosos, mas são infiéis. Eles costumam fumar. Eles fingem cumprir as regras de muçulmanos, mas eles não são. Eles batem e matam as pessoas — disse à BBC.

Também em depoimento à rede britânica, o desertor que vazou o vídeo se mostrou cheio de remorso.

— Estou arrependido de cada momento. Quando eu entrei para o EI, não estava convencido, mas tive de fazê-lo. — disse. — Espero que as pessoas que eu machuquei me perdoem.

Vídeos de propaganda divulgados pelo EI mostram crianças e adolescentes sendo submetidos a treinamentos e aprendendo a atirar. Crianças são vistas em vídeos de decapitações e também participando de assassinatos.

http://oglobo.globo.com/mundo/video-mostra-tortura-de-sirio-de-14-anos-pelo-estado-islamico-16318901