Arquivo da tag: #Alepo

Menina síria de 4 anos morre após confundir bomba com brinquedo

Uma menina de quatro anos de idade morreu em Aleppo, na Síria, após confundir uma bomba de fragmentação com um brinquedo.

Eman vivia em área controlada pelos rebeldes em Aleppo. A família disse à rede britânica ITV que a menina viu o objeto e pensou que fosse uma bola de prata.

A menina chegou a ser socorrida com vida e levada para um hospital de Aleppo, mas não resistiu aos ferimentos provocados pela explosão e morreu na terça-feira (4).

https://br.noticias.yahoo.com/menina-s%C3%ADria-de-4-anos-morre-ap%C3%B3s-confundir-bomba-120005581.html

Barris de explosivos atingiram maior hospital de Alepo, na Síria

Pelo menos dois barris de explosivos atingiram este sábado o maior hospital da cidade controlada pelos rebeldes sírios de Alepo, informaram as organizações médicas que operam no local.

“Dois barris de bombas atingiram no hospital M10 e houve relatos da explosão de uma bomba também”, afirmou Adham Sahloul, da Sociedade Médica Americana e Síria, citado pela Agência France Presse (AFP).

Tanto o hospital M10 como o segundo maior hospital da área, o M2, foram alvo de pesados bombardeamentos na quarta-feira, num ato que o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon considerou serem “crimes de guerra”.

Desde o início da ofensiva em Alepo-leste a 22 de setembro, 216 pessoas foram mortas nos ataques, indicou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH) na sexta-feira.

Esta violência, a pior desde o início do conflito em março de 2011, reduziu a escombros edifícios e criou uma catástrofe humanitária, com hospitais inundados de feridos nos bairros rebeldes.

http://observador.pt/2016/10/01/barris-de-explosivos-atingiram-maior-hospital-de-alepo-na-siria/

Regime sírio é acusado de ataque que causa queimaduras químicas em Alepo

Ativistas acusam tropas do governo de usar bombas de gás cloro em população civil; imagens mostram crianças sendo atendidas em hospital.

Ativistas na Síria acusam o governo do presidente Bashar al-Assad de ter usado bombas de gás cloro em um ataque à cidade de Alepo, no início da semana. Assista ao vídeo.

Imagens divulgadas em mídias sociais mostram crianças e adultos sendo atendidos em um hospital, sendo lavados com água e amparados com máscaras de oxigênio.

O gás cloro, que tem uso proibido por legislação internacional, causa queimaduras na pele e afeta também os pulmões.

Gás cloro, que tem uso proibido por legislação internacional, causa queimaduras na pele e afeta também os pulmões (Foto: BBC)Gás cloro, que tem uso proibido por legislação internacional, causa queimaduras na pele e afeta também os pulmões (Foto: Reprodução)

O regime sírio já foi previamente acusado de ataques químicos, mas sempre negou seu uso. Em 2013, comprometeu-se a destruir seus estoques de armas químicas.

Segundo os ativistas, pelo menos 80 pessoas ficaram feridas no ataque.

Alepo, que já foi um polo comercial sírio, é hoje uma das cidades onde a guerra civil síria mostra sua faceta mais grave. Há, segundo a ONU, cerca de 300 mil pessoas retidas na cidade por conta dos conflitos.

Imagens divulgadas em mídias sociais mostram crianças e adultos sendo atendidos em um hospital (Foto: Reprodução)Imagens divulgadas em mídias sociais mostram crianças e adultos sendo atendidos em um hospital (Foto: Reprodução)

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/09/regime-sirio-e-acusado-de-ataque-que-causa-queimaduras-quimicas-em-alepo.html

#DIP2016 – Cristãos lutam para sobreviver em Alepo

“Não há motivos para ficar aqui, a não ser pelo resgate de vidas”.

A guerra civil da Síria mudou radicalmente a vida de dezenas de milhares de cristãos que viviam em Alepo. A maioria fugiu, mas alguns permaneceram. Um dos analistas da Portas Abertas encontrou-se com alguns deles e teve a oportunidade de ouvir sobre os detalhes.

“Eles relataram sobre as bombas que explodem constantemente, há cortes de água e ficam sem eletricidade durante vários dias. Muitos já perderam suas famílias e amigos durante os conflitos. A morte está sempre muito próxima deles. As únicas estatísticas confiáveis são as anteriores à guerra, quando havia cerca de 250 mil cristãos na cidade. Hoje em dia, estima-se que haja entre 30 e 40 mil apenas”, conta o analista.

A Portas Abertas trabalha com várias igrejas de diferentes denominações em Alepo, apoiando centenas de famílias, através da entrega de alimentos, medicamentos e materiais de primeiros socorros. “Nós estamos aqui para dar reforço aos que restaram, porque a igreja não deve desaparecer desse país. Não há motivos para ficar aqui, a não ser pelo resgate de vidas. Que Deus nos ajude, porque nós não vamos desistir”, conclui o analista.

https://www.portasabertas.org.br/noticias/2015/12/DIP-2016-cristaos-lutam-para-sobreviver-em-Alepo

França e Rússia fazem ataques na Síria, mas Estado Islâmico avança

Apesar dos ataques da Rússia e da França, o Estado Islâmico continua a avançar na Síria nesta sexta-feira (9), segundo relatos das agências de notícias. O Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH) observou que o grupo terrorista se aproximou da cidade de Aleppo, que é uma importante cidade no norte do país.

“O EI nunca esteve tão perto da cidade de Aleppo, em seu maior avanço em direção” à antiga capital econômica da Síria, declarou à AFP Rami Abdel Rahman, diretor da ONG, que dispõe de uma rede de fontes neste país em guerra.

A Rússia anunciou nesta sexta-feira que nas últimas 24 horas bombardeou 60 “alvos terroristas”, o que representa um grande aumento de seus ataques desde o início de sua intervenção em 30 de setembro, de acordo com a France Presse.

“Os aviões russos realizaram 67 decolagens a partir da base aérea de Jeimim (…) e bombardearam 60 alvos terroristas” nas províncias de Raqa, Latakia, Hama, Idleb e Aleppo, declarou o subchefe do Estado Maior russo, o general Igor Makuchev, segundo a AFP, citando as agências.

Já um segundo ataque aéreo francês contra o Estado Islâmico atingiu Raqa, no norte do país. Os aviões franceses já tinham atacado outras posições do grupo terrorista em 27 de setembro.

Os dois aviões Rafale, que partiram dos Emirados Árabes Unidos com outros caças franceses de escolta, voltaram a atacar um centro de treinamento do EI em Raqa, reduto da organização jihadista e capital do califado proclamado nos territórios sob seu controle no Iraque e na Síria.

O ministro francês da Defesa, Jean-Yves Le Drian, afirmou que nos arredores da cidade “há centros de treinamento de combatentes estrangeiros cuja missão não é ir combater em nome do Daesh no Levante, mas vir à França, à Europa, para cometer atentados”. O Daesh quer dizer Estado Islâmico em árabe.

Escudo humano
A Rússia “considera que é preciso proteger Bashar. Nós consideramos que Bashar não forma parte da solução” ao conflito sírio, insistiu Le Drian.

O ministro da Defesa francês afirmou que o Estado Islâmico utiliza a população civil como escudo humano, tanto no Iraque quanto na Síria, o que complica a escolha dos alvos. “O Daesh se organizou de tal forma que as crianças, as mulheres e os civis estão na linha de frente”, disse.

“Os responsáveis se escondem em escolas, mesquitas, hospitais, o que complica a ação da coalizão (internacional liderada pelos Estados Unidos), porque não queremos causar vítimas colaterais”, acrescentou.

A França forma parte da coalizão liderada há mais de um ano pelos Estados Unidos, que desde então bombardeia pelo ar alvos do EI naSíria e no Iraque.

No dia 30 de setembro, a Rússia, aliada de Assad, iniciou sua própria campanha aérea na Síria, dizendo querer combater o terrorismo.

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2015/10/franca-e-russia-fazem-ataques-na-siria-mas-estado-islamico-avanca.html

General iraniano morto em Alepo pelo Estado Islâmico

Anúncio foi feito oficialmente pelos Guardas da Revolução. Era “um dos conselheiros militares mais influentes na guerra da Síria”.

Um alto comandante dos Guardas da Revolução iranianos foi morto na Síria na quinta-feira, “numa missão de aconselhamento na região de Alepo”, segundo um comunicado desta organização de elite da República Islâmica, divulgado esta sexta-feira.

“O general Hossein Hamadani foi morto pelos terroristas do Daash” – o acrónimo em árabe da organização jihadista Estado Islâmico –, diz o comunicado iraniano, que não precisa melhor as circunstâncias da sua morte, diz a AFP. Diz apenas que “o general Hamadani teve um papel importante no reforço da frente de resistência islâmica na guerra contra os terroristas”.

O Irão tem sido o maior aliado regional do Presidente sírio, Bashar al-Assad, durante os mais de quatro anos da guerra civil que destruíram o país, fornecendo-lhe apoio económico e militar. No entanto, Teerão sempre negou ter militares na Síria – o que reconhece é ter oferecido “conselheiros” às forças de Assad no seu combate contra “grupos terroristas”.

Na televisão estatal, o general Ramezan Sharif, porta-voz dos Guardas da Revolução, disse que o general Hamadani foi, durante os últimos quatro anos, um dos conselheiros militares mais influentes na guerra da Síria, na qual desempenhou “um papel determinante”, relata a AFP.

Hamadani era um veterano da guerra Irão-Iraque, que durou entre 1980 e 1988, e tinha-se tornado em 2005 vice-comandante da Al-Qods, a força de elite que faz operações no estrangeiro.

http://www.publico.pt/mundo/noticia/general-iraniano-morto-em-alepo-pelo-estado-islamico-1710627

Pelo menos 41 morrem em ataque do Estado Islâmico na Síria

Pelo menos 41 pessoas morreram desde domingo (9) durante um ataque do grupo extremista  Estado Islâmico contra o Aeroporto Militar de Kueires, na província de Alepo, na Síria, controlado pelo regime sírio, informou hoje (10) o Observatório Sírio para os Direitos Humanos.

Segundo a organização, pelo menos 15 soldados do governo, incluindo 12 oficiais, e 26 jihadistas perderam a vida durante a ofensiva iniciada no domingo para conseguir o domínio da base aérea, que está cercada pelos radicais.

A zona é palco de uma troca de fogo de artilharia, enquanto a aviação do regime bombardeia os arredores de Kueires, situado no Leste de Alepo. Os radicais explodiram três carros-bomba nas imediações da base.

O grupo Estado Islâmico instituiu um califado no final de junho de 2014 na Síria e Iraque, onde conquistou uma grande área do território. Na província de Alepo, os radicais controlam áreas do nordeste, e as suas principais bases são as localidades de Al Bab e Manbech.

http://www.ebc.com.br/noticias/internacional/2015/08/pelo-menos-41-morrem-em-ataque-do-estado-islamico-na-siria

Síria: Os horrores da guerra

Um vídeo divulgado na internet, cuja origem não está confirmada, mostra a destruição, em Alepo, por razões estratégicas, de um túnel construído pelas forças de Bashar al- Assad.

Outro vídeo também divulgado em redes sociais, revela os efeitos de um ataque aéreo sírio que atingiu uma escola, situada numa zona controlada pelos rebeldes em Alepo, a segunda maior cidade do país.

Situada perto da fronteira com a Turquia esta cidade é uma das principais frentes da guerra Síria, uma vez que o exército ajudado por milícias tenta cortar as vias de abastecimento dos rebeldes.

O Comando Central dos Estados Unidos divulgou igualmente vídeos que ilustram ataques levados a cabo pelas forças da coligação entre 30 de março e 8 de abril contra alvos do Estado Islâmico localizados na Síria e no Iraque.

Segundo as Nações Unidas cerca de 220 mil pessoas já morreram no conflito sírio.

http://pt.euronews.com/2015/04/14/siria-os-horrores-da-guerra/