Arquivo da tag: #Asia Bibi

Jihadista declara que está no Canadá para matar Asia Bibi e “enviá-la para o inferno”

Um jihadista “filmou uma mensagem que está circulando na Internet nesta semana dizendo estar no Canadá para matar a paquistanesa cristã Asia Bibi, que foi recentemente libertada da prisão no Paquistão depois de passar quase uma década no corredor da morte por causa de falsas alegações de blasfêmia”. O homem declarou: ” Esta mensagem é para todos os inimigos do Islã e para o governo judeu que a ajudou a sair do Paquistão “.

Muitos ocidentais continuam a negar a jihad global, sua natureza expansionista e a supremacia que a sustenta. Para os supremacistas islâmicos, é uma afronta ao seu deus e um insulto profundo para eles pessoalmente que Asia Bibi ainda esteja viva. O jihadista declara no vídeo “ diz ao blasfemo que a honra dos muçulmanos ainda está viva”. 

Wilson Chowdhry, presidente da Associação Cristã Paquistanesa Britânica (BPCA), que defendeu a libertação de Bibi, destacou o perigo da jihad e da doutrina global…

O Paquistão tem estado relativamente silencioso desde a libertação de Asia Bibi, mas as agências internacionais de segurança não devem ficar complacentes. Sua libertação é um verdadeiro ponto de discórdia com os milhões de muçulmanos radicalizados em todo o mundo que estão esperando por uma oportunidade para assassinar Asia Bibi, ou um ataque terrorista em massa em vingança pelo que eles vêem como uma blasfêmia percebida.

Já era ruim o suficiente que Bibi enfrentasse ameaças de morte no Paquistão. É inconcebível que ela ainda enfrenta ameaças no Canadá, um país que não reconheceu a ameaça da jihad sob o governo de Justin Trudeau e atribui à imigração de porta aberta.

“Vídeo: Intenção islamista em matar a Asia Bibi afirma que jihadista está no Canadá para ‘mandá-la para o inferno'”, por Edwin MoraBreitbart , 14 de maio de 2019:

Um islamita filmou uma mensagem na semana passada dizendo que está no Canadá para matar o paquistanês Christian Asia Bibi, que foi libertado da prisão no Paquistão depois de passar quase uma década no corredor da morte por causa de falsas alegações de blasfêmia.

“Esta mensagem é para todos os inimigos do Islã e para o governo judeu que a ajudou a sair do Paquistão”, declarou o homem não identificado, de acordo com uma tradução fornecida pela Associação Cristã Paquistanesa Britânica (BPCA).

“Para dar uma morte terrível a Asia Bibi e mandá-la para o inferno, também cheguei ao Canadá ontem à noite”, disse ele, acrescentando: “Estou pronto para morrer pelo respeito do profeta Maomé e vou mostrar isso”.

O homem também canta um canto islâmico honrando Maomé e prometendo matar Bibi.

Ele canta: “O entusiasmo de morrer pelo profeta Maomé permanecerá vivo para sempre”.

O Paquistão manteve Bibi por meses depois que a mais alta corte do país a liberou no final de outubro de 2018. As autoridades a mantiveram em um local secreto até a semana passada, quando ela foi autorizada a deixar o Paquistão e se reunir com sua família no Canadá.

Irritada com sua absolvição, membros do partido político anti-blasfêmia Tehreek-e-Labbaik Pakistan (TLP) e outros islamistas ameaçaram matar Bibi, sua família e os juízes e advogados que a ajudaram.

Citando o vídeo na terça-feira, Wilson Chowdhry, o presidente da BPCA que defendeu a libertação de Bibi, disse que sua organização compartilhou suas preocupações sobre a segurança da mãe cristã com as autoridades americanas, britânicas, canadenses e paquistanesas.

Chowdhry declarou:

O Paquistão tem estado relativamente silencioso desde a libertação de Asia Bibi, mas as agências internacionais de segurança não devem ficar complacentes. Sua libertação é um verdadeiro pomo de discórdia com os milhões de muçulmanos radicalizados em todo o mundo que estão esperando por uma oportunidade para assassinar Asia Bibi, ou um ataque terrorista em massa em vingança pelo que eles vêem como uma blasfêmia percebida …

Imagem WTX News e informações Jihad Watch

Asia Bibi foi libertada da prisão mas ainda está no Paquistão

Depois de nove anos de prisão, a mulher católica acusada injustamente de ter insultado o profeta Maomé, foi libertada. O governo tinha estipulado um acordo com os radicais islâmicos para reabrir o caso. Agora espera-se os desdobramentos do caso

Cidade do Vaticano

Asia Bibi, a mulher católica de 47 anos, mãe de 5 filhos, foi condenada à morte em 2010 por uma falsa acusação de blasfêmia e no dia 31 de outubro passado, foi absolvida pelo Supremo Tribunal do Paquistão depois de 9 anos de prisão. Agora foi libertada e transferida, por motivos de segurança, para uma localidade secreta. As informações são de seu advogado Saif ul-Mulook.

Ouça e compartilhe

 Ameaças de morte

“Ela foi libertada – disse o advogado – e soube que a levaram para um avião, mas ninguém sabe a destinação”. A ordem de libertação chegou na quarta-feira (07/11) ao Cárcere de Multan, no Punjab, onde Bibi estava presa. Seu advogado, que recebeu numerosas ameaças, fez as declarações fora do Paquistão, pois afirmou que estava em perigo.

Pedido de asilo

O marido de Asia Bibi, Ashiq Masih, pediu asilo para sua família nos Estados Unidos, na Grã-Bretanha, Canadá ou Itália, afirma que seria muito perigoso permanecer no Paquistão.

O Ministro do exterior de Islamabad, Muhammad Faisal, afirmou à Agência France Press, que a mulher ainda está no Paquistão. “Ela continua no Paquistão”, afirmou o porta-voz Muhammad Faisal, contrariando as informações da imprensa local de que ela havia deixado o país.

Asia Bibi, camponesa, tinha sido presa em junho de 2009 depois de uma discussão com mulheres muçulmanas, na qual ela foi acusada de blasfêmia. Da discussão nasceu a falsa acusação de blasfêmia a Maomé.

Com imagem e informações Vatican News e G1

Caso de blasfêmia no Paquistão: Asia Bibi liberta da prisão

Uma mulher cristã paquistanesa absolvida da acusação de blasfêmia depois de passar oito anos no corredor da morte foi libertada da prisão, disse seu advogado.

Alguns relatos dizem que Asia Bibi embarcou em um avião, mas seu destino não era conhecido.

A decisão da Suprema Corte provocou protestos de islamitas e o governo disse que isso a impediria de deixar o Paquistão.

Seu marido disse que estavam em perigo e pediu asilo.

Asia Bibi, mãe de cinco filhos, foi libertada da prisão na cidade de Multan, disse seu advogado, Saif Mulook.

Também conhecida como Asia Noreen, ela foi condenada em 2010 por insultar o profeta Maom durante discussão com os vizinhos.

Vários países ofereceram-lhe asilo.

Paquistaneses protestando contra a absolvição de Asia BibiImagem de direitos autoraisEPA
Legenda da imagemA absolvição de Asia Bibi provocou protestos de islâmicos

O governo paquistanês disse que vai iniciar um processo legal para impedir que ela vá para o exterior depois de concordar com a medida para acabar com os protestos violentos.

Muitos dos manifestantes eram radicais que apoiam fortes leis de blasfêmia e pediram que Asia Bibi fosse enforcada.

Um líder islâmico disse que todos os três juízes da Suprema Corte também “mereciam ser mortos”.

Um porta-voz da linha-dura Tehreek-e-Labaik (TLP) disse que a libertação de Asia Bibi está em desacordo com o governo.

“Os governantes mostraram sua desonestidade”, disse à Reuters o porta-voz do TLP, Ejaz Ashrafi.

O acordo também dispõe que autoridades não impediriam uma petição para a Suprema Corte avaliar a absolvição de Asia Bibi à luz da lei islâmica Sharia.

De que Asia Bibi foi acusada?

O julgamento decorre de uma discussão que Asia Bibi teve com um grupo de mulheres em junho de 2009.

Eles estavam colhendo frutas quando uma discussão começou por causa de uma caneca de água. As mulheres disseram que, por ter usado um copo, não podiam mais tocar no poço, pois sua fé o tornara impuro.

Os promotores alegaram que, na linha que se seguiu, as mulheres disseram que Asia Bibi deveria se converter ao islamismo e que ela fez comentários ofensivos sobre o profeta Maomé em resposta.

Mais tarde ela foi espancada em sua casa, durante a qual seus acusadores dizem que ela confessou a blasfêmia. Ela foi presa depois de uma investigação policial.

A Suprema Corte disse que o caso foi baseado em evidências não confiáveis ​​e sua confissão foi entregue na frente de uma multidão “ameaçando matá-la”.

Por que esse caso é tão divisivo?

O Islã é a religião nacional do Paquistão e sustenta seu sistema legal. O apoio público às rigorosas leis de blasfêmia é forte.

Os políticos de linha dura muitas vezes apoiaram severas punições, em parte como forma de fortalecer sua base de apoio.

Mas os críticos dizem que as leis foram usadas com frequência para se vingar de disputas pessoais, e que as convicções são baseadas em evidências frágeis.

A grande maioria dos condenados são muçulmanos ou membros da comunidade Ahmadi, mas desde a década de 90 dezenas de cristãos foram condenados. Eles representam apenas 1,6% da população.

A comunidade cristã tem sido alvo de numerosos ataques nos últimos anos, deixando muitos sentimentos vulneráveis ​​a um clima de intolerância.

Desde 1990, pelo menos 65 pessoas foram mortas no Paquistão devido a alegações de blasfêmia.

Com imagem The Guardian e informações BBC

Família de Asia Bibi: “Não temos mais nada para comer”

Eles estão implorando para ser autorizados a deixar o Paquistão

Com Asia Bibi e sua família temendo por suas vidas, seu marido pediu à comunidade internacional que os ajudasse a deixar o país.

Falando à instituição de caridade católica Ajuda à Igreja que Sofre, Ashiq Masih descreveu como a família ainda vive escondida após pedir que sua esposa não seja morta depois que ela foi absolvida de blasfêmia na última quarta-feira (31 de outubro).

Ele disse: “Ajude-nos a sair do Paquistão. Estamos extremamente preocupados porque nossas vidas estão em perigo. Não temos mais nada para comer, porque não podemos sair de casa para comprar comida. ”

Protestos violentos organizados pelo movimento político islâmico Tehreek-e-Labbaik, após a absolvição de Asia Bibi, forçaram a família a permanecer escondida.

A fim de acabar com os protestos, o governo do Paquistão concordou com um acordo que permitiu que Tehreek-e-Labbaik iniciasse um processo para que Asia Bibi fosse inserida na “lista de controle de saída” para impedi-la de sair do país.

O governo também se comprometeu a não se opor a qualquer revisão de seu veredicto de apelação.

Asia Bibi ainda está na prisão, apesar dos juízes da Suprema Corte terem ordenado sua libertação quando sua sentença foi revogada.

O Sr. Masih pediu que a mídia e a comunidade internacional continuem a se concentrar no caso de sua esposa: “Como é necessária essa atenção que mantém a Ásia viva até hoje”.

Referindo-se aos eventos da ACN em que a família falou sobre sua situação, incluindo a iluminação do Coliseu em fevereiro, o Sr. Masih disse: “Agradeço à Aid to the Church in Need, em particular por nos dar a oportunidade de falar ao mundo”.

Saif ul-Malook, advogado de defesa da Ásia Bibi, deixou o Paquistão devido a preocupações de segurança e agora está na Holanda. Ele pretende organizar uma coletiva de imprensa no final desta semana.

Após um apelo aos governos do Reino Unido, dos EUA e do Canadá no último final de semana pedindo que ofereçam asilo para a família, o Sr. Masih também apelou ao governo italiano para oferecer-lhes refúgio.

Ele disse: “Eu apelo ao governo italiano para ajudar minha família e eu a sair do Paquistão”.

A família também pediu asilo na Espanha e na França. Eles esperam que todos os filhos de Asia Bibi recebam asilo.

Com informações Catholic Herald

O destino de Asia Bibi é selado após julgamento final, mas a decisão está sendo mantida em sigilo

Nas últimas notícias da Suprema Corte de Islamabad: O veredicto final foi mantida em sigilo até novo aviso. 

A bancada especial da Suprema Corte do Paquistão decidiu sobre o recurso de sentença de morte de Asia Bibi, mas ainda não divulgou seu veredicto.

Os meios de comunicação foram impedidos de acessar o tribunal, quando a deliberou sobre a última apelação sobre o caso mais conhecido de blasfêmia na história recente.

Asia Bibi estava trabalhando em um campo com outras mulheres e compartilhava água com elas. Irritados com o fato de um cristão “impuro” ter contaminado sua água potável, elas levaram a queixa a um imã que reconhecidamente não estava presente para acusá-la de blasfêmia.

Bibi sofreu violência, isolamento de sua família e problemas de saúde precária ao longo dos anos e está presa por mais tempo para a blasfêmia do que qualquer outra pessoa na história recente do Paquistão.

Mehwish Bhatti, oficial-chefe da BPCA, estava no tribunal do lado de fora das portas do tribunal durante o processo.

“Eles chegaram a uma decisão, mas foi reservada. O presidente do tribunal proibiu a interferência da mídia, mas todos os jornalistas estão falando sobre isso.

” Mais cedo eles levaram o meu celular por quase duas horas depois que eu tentei tirar uma foto . A entrada de pessoas de altas níveis era do outro lado, para que ninguém pudesse vê-las “.

O marido da Ásia, Ashiq Masih, continua a afirmar que ela continua forte. Em resposta à investigação de Wilson Chowdhry em um recente evento de direitos humanos, ele disse:

“Ela é psicologicamente, fisicamente e espiritualmente forte”, disse Ashiq. “Tendo uma fé muito forte, ela está pronta e disposta a morrer por Cristo. Ela nunca se converterá ao islamismo “. (Clique aqui)

Há pedidos de oração por cristãos de todo o mundo no fim de semana que alegam inocência, enquanto indignação tem sido registrada na mídia social por muçulmanos que acham que ela não deveria ser perdoada e não foi punido o suficiente.Para ler mais sobre isso   (clique aqui)

Há uma alta taxa de acusação contra aqueles que praticam a fé cristã no Paquistão, já que 15% das acusações de blasfêmia são contra os cristãos minoritários, que são apenas uma escassa 1,6% da população do Paquistão.

O presidente da BPCA, Wilson Chowdhry, doou £ 1.500 para Ashiq no domingo, enquanto o encontrava em Chester, para ajudar a pagar o custo de seu advogado. Continuamos nosso apelo para a família e você pode doar clicando (aqui)

Wilson Chowdhry disse:
“Estou confiante de que este é um bom resultado de ter falado com funcionários da Embaixada do Paquistão no Reino Unido, MPEs e vários deputados e Lordes que têm trabalhado diligentemente pela liberdade para Asia Bibi e outros no campo humanitário todos compartilham essa confiança “.

“Reservar a decisão parece uma medida destinada a permitir que a Ásia escape da ação de retaliação de extremistas enfurecidos no país, muitos dos quais protestaram regularmente em resposta a cada um de seus recursos anteriores e a ameaçaram com um processo extrajudicial se exonerados.”

“A Asia tem sido uma mulher corajosa e resoluta durante todo o seu encarceramento e nunca perdeu uma pitada de sua fé.

” Sua libertação quando declarada deve ser recebida com uma resposta imediata através de ofertas de asilo de todos os países do Ocidente. Ela não merece menos pelo sua grande coragem.

“Tendo falado com Ashiq Masih apenas ontem, enquanto em um evento em Chester organizado pela instituição de caridade católica Aid to the Church in Need.

“Sua maior preocupação é que qualquer asilo no Reino Unido não inclua suas filhas casadas, o que significa que a Asia sempre será separada de alguns daqueles que ela ama. Nós pedimos à Grã-Bretanha e a outras nações ocidentais que ofereçam ofertas de asilo mais completas “.

Por favor, assine nossa petição e ajude a Asia e toda a sua família a procurar asilo no oeste . (Clique aqui)

Com imagem e informações British Pakistani Christians

Novo juiz anuncia que vai manter pena de morte de Asia Bibi

O juiz que estava no caso precisou ser substituído e seu retorno é imprevisto; sabe-se que todos os que estão trabalhando nesse julgamento passam por pressão externa.

Desde 2009, quando a cristã paquistanesa Asia Bibi foi presa, houve muita polêmica em relação ao seu processo. Conhecida pela mídia internacional e apoiada pela igreja em todo o mundo, ela passou por momentos difíceis e de muita dor. Agora, um de seus recursos mais esperados perante o Supremo Tribunal do Paquistão, contra sua condenação por blasfêmia, foi adiado. Um dos juízes que cuidava do caso precisou ser substituído e seu retorno é imprevisto.

O novo juiz que entrou em cena já anunciou publicamente que pretende manter a pena de morte de Asia Bibi. Sabe-se que todos os que estão trabalhando nesse julgamento passam por pressão externa. “Juízes, advogados e promotores públicos têm sido ameaçados de morte constantemente pelos extremistas islâmicos”, comentou um dos colaboradores da Portas Abertas que atua no país.

Um grupo de 150 muçulmanos radicais estão exigindo o enforcamento da cristã e também ameaçando embaixadores estrangeiros que defendem Asia Bibi. Vale lembrar que o próprio governador de Punjab, Salmaan Taseer, foi condenado à morte simplesmente por defendê-la. Por trás de casos que envolvem cristãos, existe uma forte tendência de perseguição religiosa. Mesmo que os cristãos sejam inocentes, as autoridades paquistanesas são pressionadas pelos extremistas a condená-los.

https://www.portasabertas.org.br/noticias/2016/10/novo-juiz-anuncia-que-vai-manter-pena-de-morte-de-asia-bibi

O Ocidente Precisa Dizer “Je Suis Asia Bibi”

por Giulio Meotti

  • “Eu não me converterei. Acredito na minha religião e em Jesus Cristo. Além disso, por que eu deveria me converter e não vocês”? — Asia Bibi.
  • A indolência e cobiça condenaram Asia Bibi à morte. Ninguém na Europa foi às ruas para pedir a libertação dessa corajosa mulher ou protestar contra as leis anticristãs do Paquistão.
  • Até o Papa Francisco ficou em silêncio. O símbolo de sua omissão está nos 12 segundos em que o Papa ficou frente a frente com o marido e a filha de Bibi na Praça São Pedro. O Papa mal tocou nos dois. Seu antecessor, o Papa Bento XVI, pediu publicamente, várias vezes, a soltura dela.
  • As tradicionais igrejas protestantes dos Estados Unidos, ocupadas demais com a demonização de Israel, também não se manifestaram. Enquanto isso o cristianismo está sendo erradicado em seu próprio berço.

A condenação à morte de Asia Bibi é como a nuvem de material radioativo de Chernobyl: ela contamina tudo a sua volta. Após a prisão de Asia, seu marido Masih juntamente com seus filhos passaram a viver na clandestinidade. Eles mudaram de residência 15 vezes em cinco anos. Eles sequer podiam estar presentes na audiência judicial de Asia. Era por demais perigoso. Seu marido foi obrigado a se demitir do emprego.

O “crime” de Asia foi ter usado o mesmo copo de água que seus colegas de trabalho muçulmanos. Ela foi condenada à morte porque é cristã e estava com sede. “Você poluiu a nossa água”, disseram a ela as mulheres muçulmanas. “Converta-se ao Islã para redimir-se da sua religião imunda”.

Asia respirou fundo e respondeu: “eu não me converterei. Acredito na minha religião e em Jesus Cristo Além disso, por que eu deveria me converter e não vocês”?

Em 8 de novembro de 2010, após breves minutos de deliberações, Asia Noreen Bibi, segundo o Artigo 295 do Código Legal paquistanês, foi condenada à morte na forca. A multidão festejou o veredito. Ela estava sozinha e desabou em prantos. Próximo a ela estavam 2 policiais, visivelmente satisfeitos. Nos dias seguintes, 50.000 pessoas em Karachi e 40.000 em Lahore tomaram as ruas para brandir a imagem de Asia Bibi com uma corda no pescoço. Eles disseram que não irão se acalmar até que ela seja enforcada ou fuzilada.

Asia Bibi e duas de suas cinco filhas, fotografadas antes de seu encarceramento no corredor da morte em 2010 por “blasfêmia”.

Islamistas paquistaneses se concentraram recentemente para exigir sua imediata execução, pois ela já está no xilindró há 2.500 dias. A ansiedade no tocante à execução de Bibi — a primeira cristã sentenciada à forca no Paquistão,incriminada por meio de acusações espúrias de “blasfêmia” — vem crescendo após a execução de Mumtaz Qadri, o assassino do governador de Punjab Salman Taseer, corajoso reformador muçulmano que pagou com a vida por expressar apoio a Asia Bibi. Advogados que defendem pessoas acusadas de blasfêmianão raramente também são executados.

O falecido Ministro para Assuntos das Minorias Shahbaz Bhatti também defendeu Asia Bibi, assegurando que ela fosse transferida para outra cela onde há uma câmera de segurança com o objetivo de evitar que ela sofra algum tipo de violência. Foi uma decisão fatal para Bhatti. Um terrorista fechou o carro de Bhatti quando ele saia da casa de sua mãe, assassinando-o em plena luz do dia. Todos sabiam que a pena de morte seria executada mais cedo ou mais tarde.A Fontana di Trevi de Roma acaba de ser iluminada de vermelho em homenagem aos mártires cristãos como o Sr. Bhatti.

Desde a execução de Qadri em 29 de fevereiro de 2016, os protestos de rua não param. Umfuncionário do primeiro escalão do governo de Punjab revelou que a segurança de Bibi foi reforçada depois que apareceram relatos da inteligência de que grupos islamistas estavam conspirando para assassiná-la dentro da prisão para vingar o enforcamento de Qadri.

É devido a essas ameaças que organizações de direitos humanos têm exigido que a apelação de Asia Bibi, que vem sendo adiada, seja conduzida dentro de uma cela da prisão, sob forte esquema de segurança. Qualquer tipo de transferência deve ser mantida em sigilo porque os islamistas estão de prontidão para se valerem de qualquer oportunidade para matá-la.

Para entender melhor o iminente martírio de Asia, é preciso ler o livro que ela escreveu juntamente com a jornalista francesa Anne Isabelle Tollet, intitulado “Blasfêmia“.

A própria Asia Bibi precisa preparar sua comida para evitar ser envenenada. Até os guardas ameaçam-na de morte. Ela nunca sai da sua cela e ninguém tem permissão de adentrá-la ou limpá-la. Ela mesma tem que limpar a cela e a prisão não fornece nenhum produto de limpeza. Na minúscula cela de três metros, ao lado da cama se encontra o que os guardas, para zombar dela, chamam de “banheiro”. Um cano de água saindo da parede e um buraco no chão. Esta tem sido sua vida nos últimos cinco anos, como em uma gruta em um cemitério.

Enquanto isso, os islamistas acabaram de aumentar a recompensa pela cabeça dela para 50 milhões de Rúpias Paquistanesas (US$678.000). O advogado dela explicou que muitos cristãos acusados de blasfêmia são mortos em suas celas, antes mesmo de se apresentarem perante o tribunal.

Asia Bibi nunca matou ninguém. Mas no assim chamado sistema judicial de seu país, ela fez algo muito mais grave, o crime dos crimes, a mais absoluta afronta: ela — hipoteticamente — ofendeu o Profeta Maomé. Criminosos, assassinos e estupradores recebem tratamento melhor do que o dispensado a ela.

A indolência e cobiça condenaram Asia Bibi à morte. Ninguém na Europa foi às ruas para pedir a libertação dessa corajosa mulher ou protestar contra as leis anticristãs do Paquistão. Até o Papa Francisco ficou em silêncio. O símbolo de sua omissão está nos 12 segundos em que o Papa ficou frente a frente com o marido e a filha de Bibi na Praça São Pedro. O Papa mal tocou nos dois, ao passo que o Papa Bento XVI, pediu várias vezes a soltura dela.

O Presidente dos Estados Unidos Barack Obama, sempre cheio de retórica e sentimentos ecumênicos, jamais pronunciou uma palavra no tocante à perseguição de cristãos ou pediu aos seus aliados paquistaneses a libertação de Asia Bibi. Citando o jornal francês Le Figaro: os europeus, sempre “ávidos” a mobilizações, petições, demonstrações de todo tipo, “neste caso, nada”!

Por um bom tempo até as principais agências de notícias americanas não se pronunciaram sobre o massacre de cristãos, que são martirizados a cada cinco minutos. Esse silêncio foi quebrado pelo corajoso dissidente do Islã Ayaan Hirsi Ali, que dedicou a esse martírio em massa um ensaio magistral na revista Newsweek. As tradicionais igrejas protestantes dos Estados Unidos, ocupadas demais com a demonização de Israel, também não se manifestaram. Na França, é impossível até patrocinar um evento em que a receita tenha como objetivo ajudar esses cristãos. A concessionária do metrô de Paris proibiu a afixação de cartazes em favor dos cristãos, somente após protestos resolveu suspender a proibição. Todas as ONGs seculares européias como a Oxfam também não se pronunciam, deixando a defesa dos cristãos às heróicas organizações não governamentais como o Barnabas Fund.

Os cidadãos do Ocidente foram acostumados a considerar esses cristãos de regiões remotas como se fossem agentes remanescentes do colonialismo, de modo que esses cidadãos não dão ouvidos aos seus apelos, nem mesmo as suas histórias trágicas. Enquanto isso o o cristianismo está sendo erradicado em seu próprio berço. A aversão a nossa covardia moral é compensada pela admiração a esses cristãos, como Asia Bibi, que continuam respeitando sua religião em um país que quer expulsá-los da história. A covardia ocidental, no entanto, será punida.

A guerra contra os “blasfemos”, gera, na realidade, profundas consequências para a Europa, onde dezenas de jornalistas, cartunistas e escritores são condenados à morte por uma versão diferente do mesmo “crime” cometido por Asia Bibi: “a islamofobia”. Católicos devotos como Asia Bibi são perseguidos pelos mesmos motivos e pelas mesmas pessoas que assassinaram os impenitentes secularistas da revista Charlie Hebdo. O ISIS, que recentemente explodiu aigreja católica da Santa Maria em Mossul, conhecida como a “igreja do relógio” (doada pela esposa de Napoleão III), teria imenso prazer de poder explodir a Catedral de Chartres, um dos maiores tesouros da França.

A libertação dessa paquistanesa, analfabeta, mãe de cinco filhos, não interessa apenas a uma distante comunidade cristã. Interessa a todos nós. É pedir demais por uma clareza moral e alinhamento sob o slogan, “Je Suis Asia Bibi”?

Giulio Meotti, Editor Cultural do diário Il Foglio, é jornalista e escritor italiano.

http://pt.gatestoneinstitute.org/8155/paquistao-asia-bibi

Entre a perseguição e o medo, assim vive a família de Asia Bibi no Paquistão

ROMA, 02 Dez. 15 / 01:10 pm (ACI/EWTN Noticias).- “Neste dia nos condenaram”, assegurou ao jornal italiano Avvenire, Ashiq Masih, o esposo de Asia Bibi, referindo-se à data na qual ela foi acusada falsamente de blasfêmia contra o Islã no Paquistão.

Em 2009, Asia Bibi trabalhava recolhendo frutas com outras mulheres muçulmanas. Em certa ocasião, aproximou-se de um poço local para beber um pouco d´água, suas companheiras a acusaram de ter poluído a água inteira para o resto de trabalhadores, apenas pelo fato de ser cristã. No ano seguinte, foi condenada à morte, acusada de blasfêmia.

Enquanto Asia foi presa, seu esposo e seus filhos foram obrigados a fugir de sua aldeia em Punjab (Paquistão), pois a família foi considerada blasfema e se mudaram para a cidade de Lahore.

Logo depois que o Tribunal Supremo do Paquistão aceitou recentemente a apelação contra a sentença de morte para Asia Bibi, a tensão entre os extremistas muçulmanos aumentou até o ponto de publicarem uma foto de Ashiq a fim de evitar que consiga um emprego.

Atualmente Ashiq Masih mora junto com suas três filhas em uma escola da Fundação Educação Renascentista de Lahore. Seus outros dois filhos homens estão escondidos em um lugar protegido.

Ashiq assegurou ainda que “é perigoso sair sozinho ao anoitecer, pois há poucas pessoas na rua” e evita “falar com pessoas desconhecidas” e ter amigos. Faço isso “especialmente pelas meninas, que estão comigo”.

Suas filhas, lamentou, “são jovens, sofrem com tanta solidão. Não podemos, entretanto, reclamar, pois Asia está em condições muito piores do que nós: está presa em uma cela a mais de cinco anos. Devemos ser fortes por ela”.

Por sua parte, o advogado de Asia Bibi, Khalil Tahrir, é otimista sobre sua possível libertação e assegurou que não existem provas da acusação de blasfêmia pela qual foi condenada.

http://www.acidigital.com/noticias/entre-a-perseguicao-e-o-medo-assim-vive-a-familia-de-asia-bibi-no-paquistao-51934/

A triste rotina das mulheres cristãs que estão encarceradas no Paquistão

Das mulheres que se encontram presas, no Paquistão, por perseguição religiosa, como no caso de Asia Bibi, algumas se declaram aborrecidas com Deus, pela situação que estão passando. Elas contam que existe um programa que foi desenvolvido nas prisões que as obriga a ler o Alcorão, independente de gostarem ou não. De acordo com as autoridades, aquelas que guardarem uma parcela significativa do que está escrito no livro, terão suas penas reduzidas.

As que se negam à prática da leitura recebem um tratamento ainda pior por parte dos carcereiros, pois são consideradas rebeldes. Um conselheiro paquistanês, especialista em traumas emocionais, comenta: “Quem pode imaginar quais são os efeitos desse tipo de prisão na alma de alguém? Essas mulheres são privadas de ver seus próprios filhos. A dor emocional que elas enfrentam é muito grande”.

O especialista também comenta que é uma injustiça separar estas mulheres de suas famílias. Além disso, elas não encontram na prisão nenhum estímulo para distrair a mente, não contam com atividades educacionais ou de formação profissional. Elas ficam ali sozinhas, com seus pensamentos e suas orações. Quando adoecem não contam com muitos cuidados médicos.

Pedidos de oração

  • Ore para que essas mulheres sejam fortes e nunca desistam da sua fé.
  • Peça a Deus para que elas não se sintam zangadas, mas que encontrem esperanças através do Espírito Santo que habita em cada uma delas.
  • Ore também para que elas tenham alguma palavra de conforto quando são visitadas e que, de alguma forma, recebam a palavra de Deus em seus corações.

https://www.portasabertas.org.br/noticias/2015/10/a-triste-rotina-das-mulheres-cristas-que-estao-encarceradas-no-Paquistao

Asia Bibi poderá receber visita do seu pai na prisão

Roma, 26 Ago. 15 / 01:12 pm (ACI/EWTN Noticias).- No dia 24 de agosto, o Tribunal Superior de Lahore (Paquistão) aceitou o pedido apresentado por Soran Masih, pai de Asia Bibi, pedindo a permissão para visitar esta mãe católica injustamente condenada à morte por blasfêmia e agora está presa em um cárcere em Multan, longe de seu esposo e filhos, sofrendo ainda graves dificuldades de saúde.

Segundo informou à agência vaticana Fides, o advogado cristão Sardar Mushtaq Gill, apresentou em nome do pai de Asia o pedido ao Tribunal, o ministério do interior de Punjab e o superintendente da prisão permitiram o acesso de Soran Masih ao presídio.

A cristã Asia Bibi, mãe de cinco filhos, está no “corredor da morte” e já chegou no terceiro nível de apelação do Tribunal Supremo do Paquistão, a mais alta instância legislativa do país.

Em julho deste ano, este mesmo Tribunal declarou que o recurso de apelação da sentença de morte era admissível, por isso examinará novamente o processo e, por enquanto, suspenderam a pena de morte que pesava sobre Asia Bibi.

Até agora, Asia somente poderá receber visitas do seu esposo Ashiq, do tutor da família Joseph Nadeem e dos seus filhos, com uma permissão especial.

Assim como Soran, Rehana Bibi, irmã de Asia também quer visitá-la.

Também pode interessar:

Suspendem pena de morte para a Asia Bibi

http://www.acidigital.com/noticias/suspendem-pena-de-morte-para-a-asia-bibi-47224/

Asia Bibi está muito doente em um cárcere do Paquistão: Familiares pedem atenção urgente

http://www.acidigital.com/noticias/asia-bibi-esta-muito-doente-em-um-carcere-do-paquistao-familiares-pedem-atencao-urgente-76831/

http://www.acidigital.com/noticias/asia-bibi-podera-receber-visita-do-seu-pai-na-prisao-19524/