Arquivo da tag: #atentado terrorista

Cristãos são alvo de ataque no Paquistão

Mais de 60 pessoas foram mortas e 150 feridas em parque paquistanês neste domingo de Páscoa

Um ataque de um homem-bomba suicida neste domingo matou ao menos 65 pessoas, a maioria mulheres e crianças, do lado de fora de um parque público na cidade de Lahore, no Paquistão, capital de Punjab.

A explosão aconteceu na área de estacionamento, a poucos metros de onde ficam balanços para crianças. Cerca de 150 pessoas foram feridas pela explosão. Várias crianças fugiram do local, outras foram atendidas em hospitais da região, mas estão separadas de seus pais.

Os cristãos do país foram, mais uma vez, alvo do ataque que foi assumido pela facção Talibã Jamaat-ul-Ahrar. “O alvo foram os cristãos”, disse um porta-voz da facção, Ehsanullah Ehsan. “Nós quisemos mandar essa mensagem para o primeiro-ministro Nawaz Sharif, de que nós entramos em Lahore. Ele pode fazer o que quiser, mas não será capaz de nos parar. Nossos homens-bomba vão continuar com esses ataques”.

Em meados de 2015, dois ataques suicidas foram realizados contra os cristãos, o que deixou 17 mortos e 70 feridos.

No final de 2014, uma escola foi atacada, deixando 144 mortos. Em setembro de 2013, uma facção talibã reivindicou um atentado similar à saída de uma igreja, depois de uma reunião de domingo, em Peshawar, nordeste do país. Com 82 mortos, aquele foi o maior ataque a cristãos já registrado na história do Paquistão.

O Paquistão é o 6º país na Classificação da Perseguição Religiosa e há mais de três anos ocupa um dos 10 primeiros lugares da lista.

Pedidos de oração

  • Ore pelos cristãos feridos no ataque no parque do Paquistão e peça a Deus consolo para as famílias do que morreram.
  • Clame ao Senhor pelas crianças presentes no local durante o ataque.
  • Ore pelos perseguidores do Talibã. Que eles conheçam a Jesus através do testemunho de cristãos paquistaneses, que se convertam e se arrependam dos seus maus caminhos.

https://www.portasabertas.org.br/noticias/2016/03/cristaos-sa-alvo-de-ataque-no-paquistao-pascoa

Grupo extremista tenta explodir avião

O Al-Shabaab é como uma página do livro escrito pelo Estado Islâmico, cada vez mais aperfeiçoando suas técnicas de ataque, representando grande perigo aos cristãos

21-somalia-0270100247

De acordo com uma reportagem da CNN, o grupo extremista Al-Shabaab reivindicou a responsabilidade pelo atentado contra um avião comercial na Somália, alegando que estavam eliminando “espiões”. O incidente matou um passageiro e deixou outros dois com ferimentos leves. O avião, operado pela Daallo Airlines, estava voando para Djibuti, com cerca de 74 passageiros e foi forçado a realizar um pouso de emergência no aeroporto internacional de Mogadiscio.

“Este ocorrido mostra que o Al-Shabaab é como se fosse uma página do livro escrito pelo Estado Islâmico. Em novembro de 2015, um avião russo caiu no Egito, também devido a um ataque terrorista. O grupo está diversificando suas táticas. Podemos também concluir que, na Somália e em outros países vizinhos, a segurança dos aeroportos não está dentro dos padrões internacionais. O que mais devemos esperar desses grupos extremistas, sabendo que a capacidade técnica deles, de improvisar meios para explodir aviões por meio de controles remotos do próprio aeroporto está sendo bem-sucedida? Este é também um aviso para os cristãos de que o Al-Shabaab está ficando cada vez mais perigoso”, alerta um dos analistas de perseguição.

Na Somália, o 7º país da Classificação da Perseguição Religiosa de 2016, que é governado pela lei islâmica sharia, os cristãos são monitorados pelo governo e o Al-Shabaab espiona até mesmo as empresas de telefonia, que são obrigadas a pagar um imposto para o grupo extremista, caso não queiram seus dados rastreados. Não é um ambiente acolhedor para cristãos, mas ainda assim, a igreja somali persevera. Entre os momentos mais difíceis de perseguição e execuções, os cristãos têm-se mantido firmes, se apegando à sua fé secreta. Ore por eles.

Leia também
Líderes políticos se unem para derrotar o Al-Shabbab
Grupos radicais se unem e a violência contra cristãos aumenta
A insegurança e perseguição fazem parte do dia a dia

https://www.portasabertas.org.br/noticias/2016/03/grupo-extremiista-tenta-explodir-aviao

Estado Islâmico reivindica ataques que mataram cerca de 30 em Bruxelas

Duzentas ficam feridas nos atentados contra aeroporto e estação de metrô. Uma terceira bomba é desativada.

BRUXELAS — O Estado Islâmico (EI) assumiu a autoria do maior atentado já ocorrido na Bélgica, que matou nesta terça-feira ao menos 30 pessoas e feriu outras 230. Duas explosões atingiram o aeroporto internacional da capital belga, na região metropolitana, por voltas das 4h da manhã desta terça-feira (8h no horário local), e uma terceira bomba foi desativada. Cerca de uma hora depois, uma terceira explosão ocorreu na estação de metrô de Maalbeek, no centro da cidade, perto de prédios da União Europeia (UE). Após os atentados, vários países europeus reforçaram a segurança em seus aeroportos e estações de transporte. A Bélgica fechou sua fronteira com a França, e duas centrais nucleares belgas foram esvaziadas. .

Coração da União Europeia, Bruxelas teve seu sistema de transporte público suspenso. As autoridades fecharam o metrô, o aeroporto, o serviço de bondes, ônibus, assim como as principais estações ferroviárias da capital. O nível de alerta de ameaça de terrorismo foi elevado para quatro, o máximo, por ordem do Ministério do Interior. “Fiquem onde estão”, advertiu o Centro de Crise belga. Pelo Twitter, a família real belga desmentiu relatos de que o palácio havia sido esvaziado.

Uma foto divulgada pela polícia mostra dois supostos homens-bomba responsáveis pelos ataques ao aeroporto de Zaventem, confirmou o procurador federal belga. Do lado esquerdo da fotografia, os homens, vestidos de preto, também estavam armados com kalashnikovs. Também considerado suspeito, o homem de branco está sendo procurado pela polícia, que emitiu uma ordem de busca. Eles foram capturados pelas câmeras de segurança do aeroporto levando carrinhos de bagagem.

Líderes de todo mundo condenaram os atentados e expressaram condolências ao povo belga. O procurador federal do país disse que pelo menos uma das explosões no aeroporto de Zaventem foi causada por um homem-bomba — ainda não está claro se foram dois ou um suicida. Há também informações de que uma bomba teria sido colocada dentro de uma mala, e um colete com explosivos sem detonar foi encontrado no terminal.

O EI reivindicou os ataques em um comunicado divulgado pela sua agência de notícias Amaq. As explosões acontecem quatro dias depois da captura em Bruxelas de Salah Abdeslam, o principal suspeito dos ataques em Paris em novembro do ano passado.

Mais cedo, as informações sobre vítimas divergiam, com algumas fontes e jornais internacionais apontando entre 28 e 34 mortos. O porta-voz dos bombeiros Pierre Meys chegou a citar 14 pessoas mortas e 96 feridas nas explosões no aeroporto. No ataque à estação de metrô, o prefeito de Bruxelas, Yvan Mayeur, apontou 20 mortos e106 feridos incialmente, incluindo dez em condições críticas. O ex-jogador de basquete belga-brasileiro Sebastien Bellin está entre os feridos no aeroporto.

Os ataques poderiam ter produzido ainda mais vítimas: autoridades belgas encontraram uma terceira bomba que não explodiu no aeroporto de Bruxelas. O artefato foi mais tarde detonado em uma explosão controlada.

— Foram colocadas três bombas no edifício e uma delas não explodiu — disse Lodewijk De Witte, o governador da província do Brabante Flamenco, no aeroporto.

O ministro do Interior da Bélgica, Jan Jambon, anunciou três dias de luto nacional, com sensação de insegurança e pânico se espalhando pelo país. No centro de Bruxelas, a polícia realizou uma explosão controlada na Universidade Vrije.

TIROS E GRITOS EM ÁRABE

De acordo com testemunhas, tiros e gritos na língua árabe foram ouvidos antes das explosões no terminal de embarque do aeroporto — a American Airlines negou que o ataque tenha ocorrido perto de seus balcões, conforme relatos inicais. O aeroporto, que ficará fechado até na quarta-feira, foi esvaziado e todos os voos foram cancelados. Além do cinco de explosivos, uma Kalashnikov também teria sido encontrada no terminal.

Fotos nas mídias sociais mostraram fumaça saindo do terminal do aeroporto através de janelas quebradas e passageiros correndo, alguns ainda segurando suas malas.

“Primeiro aconteceu uma pequena explosão e depois uma mais forte na altura do check-in”, relatou o jornal sueco “Svenska Dagbladet”. “Todo o edifício tremeu, havia fumaça por todos os lados e pessoas jogadas no chão do terminal. Pedaços do teto caíram”.

Vidraças do aeroporto Zaventem em Bruxelas foram destruídas em uma das explosões da série de atentados sofridos na capital belga, que atingiu tambem estações do metro, matando ao menos 26 pessoas. o EI reinvindicou a responsabilidade

Temíamos um ataque terrorista e aconteceu — afirmou Michel em uma entrevista coletiva na qual ele pediu às pessoas “paz e solidariedade”.

O presidente francês, François Hollande, por sua vez, disse que toda a Europa foi atingida e pediu união na luta contra o terrorismo.

— Terroristas atacaram Bruxelas, mas toda a Europa foi atingida — disse.

A TV estatal belga postou um apelo às pessoas que vivem perto do aeroporto de Zaventem para levarem cobertores, água, alimentos e suprimentos médicos a um ginásio local que está sendo usado como um abrigo improvisado. As autoridades também estão pedindo ao público doações de sangue.

PÂNICO NO METRÔ

Do lado de fora da estação de Maalbeek, dezenas de pessoas recebiam atendimento médico. Várias foram vistas no chão perto da entrada do metrô com os rostos ensanguentados. Equipes de emergência foram enviadas ao local, que fica a poucos metros sede da Comissão Europeia. Funcionários da UE foram orientados a não comparecerem ao trabalho ou a permanecerem nos escritórios. A bandeira do bloco europeu foi colocada a meio mastro.

Em uma mensagem no Twitter, a empresa que administra o transporte público na cidade de Bruxelas anunciou o fechamento das quatro linhas de metrô.

Ainda não foi divulgada a nacionalidade das vítimas. Por enquanto, o chanceler esloveno Karl Erjavec disse que um diplomata esloveno foi ferido. Uma mulher indiana que trabalha para Jet Airways também está entre os feridos, de acordo com o Ministério das Relações Exteriores da Índia. Entre os feridos há ainda um cidadão britânico e um funcionário da Starbucks no aeroporto.

Pessoas na Bélgica estão tuitando #ikwillhelpen, “Eu quero ajudar”, oferecendo quartos e abrigo para as pessoas que estão presas em Bruxelas por causa dos ataques.

SEGURANÇA REFORÇADA

A França enviou 1.600 policiais extras para as suas fronteiras, anunciou o ministro do Interior Bernard Cazeneuve. Aeroportos, estações de trem e metrôs também tiveram a segurança reforçada. O Eurostar, que liga Paris e Londres a Bruxelas por trem, suspendeu as viagens para a capital belga.

Os aeroportos Roissy-Charles-de-Gaulle, na região de Paris, o de Frankfurt, na Alemanha, e o de Gatwick, em Londres, reforçaram as medidas de segurança. Os voos de Londres a Bruxelas foram suspensos após o fechamento do aeroporto da capital belga.

As unidades de luta antiterrorista da Holanda também anunciaram o reforço das medidas de segurança nos aeroportos de todo o país.

Defensores do Estado Islâmico (EI) celebraram os atentados nas redes sociais:

“O Estado vai forçá-lo a reavaliar os seus caminhos mil vezes antes de ser encorajado a matar os muçulmanos novamente, e sabe que os muçulmanos têm agora um estado para defendê-los”, disse um simpatizando do grupo no Twitter.

A família real belga divulgou uma mensagem de solidariedade para as famílias das vítimas dos ataques.

“O rei e a rainha estão transtornados com os atentados no aeroporto e no metrô de Bruxelas. São atos odiosos e covardes. Os pensamentos emocionados do Rei e da Rainha vão em primeiro lugar para as vítimas e às suas famílias e ao socorristas que fazem de tudo para levar assistência às vítimas.”

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/estado-islamico-reivindica-ataques-que-mataram-cerca-de-30-em-bruxelas-18929990#ixzz43eiiGhl2
© 1996 – 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

 

Ataque do EI mata 13 policiais egípcios no Sinai

CAIRO – Um ataque contra um posto policial na península egípcia do Sinai provocou a morte de 13 agentes neste sábado, informou o Ministério do Interior em um comunicado, no qual declarou que os agressores utilizaram um morteiro.

“Um morteiro foi disparado contra o posto de controle de Safa (…) matando a 13 policiais”, afirmou o Ministério do Interior.

Segundo responsáveis dos serviços de segurança, cinco atacantes morreram durante o combate com as forças egípcias após o ataque.

O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) reivindicou o ataque, perto de El Arish, no norte do Sinai, mas deu outra versão. Segundo o comunicado divulgado pelas redes sociais, o agressor suicida chamado “Abu Al Qaaqaa el Egipcio” explodiu seu carro no posto de controle, que depois foi atacado por jihadistas.

Trata-se do pior ataque dos últimos meses na península, onde o braço egípcio do EI luta uma sangrenta batalha contra as forças de segurança.

Segundo as autoridades, centenas de policiais e soldados foram mortos em atentados radicais desde 2013, sobretudo nessa província, embora também tenha havido alguns ataques no Cairo e no Delta do Nilo.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/ataque-do-ei-mata-13-policiais-egipcios-no-sinai-18920107#ixzz43YpUzg3b
© 1996 – 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Explosão de ônibus deixa 15 mortos em Peshawar, no Paquistão

Lashkar-e-Islam, grupo aliado do Talibã paquistanês, assumiu a responsabilidade do ataque.

PESHAWAR – Ao menos 15 pessoas morreram nesta quarta-feira na explosão de uma bomba em um ônibus que transportava empregados governamentais em Peshawar, grande cidade do noroeste do Paquistão, indicaram as autoridades.

A deflagração, provocada segundo responsáveis por um artefato explosivo improvisado de 4 kg, ocorreu no bairro comercial de Saddar, quando o veículo estava recolhendo os empregados para levá-los aos seus escritórios.

— Ao menos 15 pessoas morreram e 35 sofreram ferimentos na explosão de um ônibus de empregados governamentais. É prematuro comentar sobre a natureza da explosão, mas parece que explosivos foram colocados no veículo, que levava de 40 a 50 pessoas — indicou a autoridade policial Mohammad Kashif.

O Lashkar-e-Islam, um grupo aliado do Talibã paquistanês, assumiu a responsabilidade do ataque, dizendo que era uma vingança pela decisão de um tribunal militar que condenou na terça-feira 13 militantes à morte.

Os atentados são frequentes na província de Jyber Pajtunjua, onde fica Peshawar, assim como na região do Baluquistão, na fronteira com o Afeganistão.

Em 2014, as autoridades lançaram uma ofensiva militar nas zonas tribais do Paquistão, feudo dos muçulmanos, que custou a vida de milhares de combatentes, segundo o Exército.

Muitos outros combatentes islâmicos se refugiaram no Afeganistão, o que melhorou consideravelmente a segurança no Paquistão.

Desde o lançamento da campanha, o número de vítimas de ataques extremistas caiu em 2015 para seu número mais baixo desde 2007, quando começou a insurreição talibã no Paquistão.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/explosao-de-onibus-deixa-15-mortos-em-peshawar-no-paquistao-18886021#ixzz437dUeLdN
© 1996 – 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Explosão de carro-bomba atinge capital turca, deixando 37 mortos

Militantes curdos e EI reivindicaram autoria de atentados recentes

ANCARA — Um carro-bomba explodiu e abalou a capital turca de Ancara, neste domingo à noite (hora local), matando 37 pessoas e ferindo ao menos 125, disseram autoridades de segurança e do governo local citadas pela agência Dogan. Estão ainda hospitalizadas 71 pessoas. Investigações preliminares acusaram o grupo rebelde Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) pelo ataque.

A explosão ocorreu na Praça Kilizay, ao lado de uma importante estação de transportes e de um ponto de ônibus. De acordo com os meios de comunicação locais, há vários veículos queimados.

Tiros também foram ouvidos após a explosão, enquanto ambulâncias correram para a área. Uma nuvem de fumaça podia ser vista a 2,5 quilômetros de distância, disse uma testemunha à Reuters.

Como fez em outras ocasiões, país bloqueia redes sociais contra imagens do ataque. O governo de Recep Tayyip Erdogan é acusado de intensificar a repressão à liberdade de expressão e de imprensa no país nos últimos anos.

Aliados da Turquia na guerra ao terrorismo se manifestaram, condenando o ataque.

“A França está ao lado da Turquia para continuar com ela a luta contra o terrorismo que atinge todos os lugares e deve ser combatido com a maior energia”, disse o presidente francês, François Hollande, em um comunicado.

ONDA DE ATAQUES

A explosão ocorreu menos de um mês depois de um ataque com carro-bomba no centro de Ancara, matando 28 pessoas. Militantes curdos reivindicaram a responsabilidade pelo atentado.

Na sexta-feira, os EUA haviam alertado para a possibilidade de um ataque terrorista nesta semana.

Recentes atentados no país vêm sendo reivindicados pelo Estado Islâmico e por grupos rebeldes curdos. Militantes do EI realizaram, no entanto, pelo menos quatro ataques a bomba na Turquia desde junho de 2015. Grupos jihadistas locais e radicais de esquerda também organizaram ataques no passado no país membro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/explosao-de-carro-bomba-atinge-capital-turca-deixando-37-mortos-18866157#ixzz42ssuTwtV
© 1996 – 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Turquia acusa curdos por ataque em Ancara e bombardeia PKK

Novo atentado no país deixa seis soldados mortos na região de Diyarbakir.

ANCARA — O governo turco acusou nesta quinta-feira os curdos pela explosão de um carro-bomba que deixou 28 mortos em Ancara no dia anterior. Como resposta, a Força Aérea do país lançou uma ofensiva contra acampamentos do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) no Norte do Iraque, aumentando ainda mais a tensão na região. Menos de 24 depois do atentado, um novo ataque contra um comboio militar matou seis soldados e deixou um gravemente ferido em Diyarbakir, no Sudeste do país.

O ataque suicida em Ancara ocorreu em uma área considerada o coração administrativo da cidade, onde ficam localizado o Parlamento, prédios governamentais e o quartel-general das Forças Armadas turcas. Os primeiro-ministro turco, Ahmet Davutoglu, condenou o episódio e identificou o autor como membro da milícia curda síria YPG trabalhando junto com insurgentes do PKK. O premier também anunciou que a polícia realizou nove detenções como parte da investigação e anunciou que o país adotará todas as medidas na fronteira para garantir sua defesa.

— Diante das informações que obtivemos, foi claramente identificado que esse ataque foi realizado por membros de uma organização terrorista dentro da Turquia junto com um membro da YPG que atravessou da Síria — disse Davutoglu em discurso ao vivo na televisão. — O nome do autor do atentado é Salih Necar. Nasceu em 1992 na cidade de Amuda, no Norte da Síria.

Comboio militar que viajava na região de Diyarbakir é atingido em ataque – ILYAS AKENGIN / AFP

Os curdos negaram as acusações. Um dos líderes do PKK, Cemil Bayik, disse que não sabia quem era responsável, mas que o ataque poderia ser uma resposta a “massacres no Curdistão”, fazendo referência à região curda que cobre partes de Turquia, Síria, Iraque e Irã. O líder do principal partido curdo da Síria, o Partido de União Democrática (PYD), Saleh Muslim, também negou qualquer envolvimento no atentado.

Um dia depois da explosão em Ancara, ao menos seis soldados morreram em um ataque contra um comboio militar no Sudoeste do país. De acordo com os relatos, uma bomba artesanal foi detonada por controle remoto e matou os militares que viajavam em um veículo do Exército entre as cidades de Diyarbakir e Bingol.

Os ataques no território turco são os mais recente em uma série de atentados, principalmente atribuídos ao Estado Islâmico, e ocorrem num momento em que a Turquia é arrastada cada vez mais para a guerra na vizinha Síria e tenta conter parte da violência de décadas em seu Sudeste predominantemente curdo. Em outubro do ano passado, um atentado durante uma passeata pela paz em Ancara matou 103 pessoas e deixo 500 feridos. Em 16 de janeiro, 10 turistas alemães morreram em um ataque, atribuído ao EI, em um bairro turístico de Istambul.

Famílias de vítimas no ataque se confortam após notícia – Burhan Ozbilici / AP

Além disso, desde o ano passado, o país se viu afetado pela retomada do conflito curdo. As forças de segurança e os ativistas do PKK se enfrentam diariamente no sudeste do país, de maioria curda. O reinício dos confrontos e os atentados atribuídos ao PKK após mais de dois anos de trégua acabaram com os diálogos de paz iniciados em 2012 para buscar uma solução ao conflito curdo, que provocou mais de 40.000 mortes desde 1984

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/turquia-acusa-curdos-por-ataque-em-ancara-bombardeia-pkk-no-iraque-18697371#ixzz40aHeBCkU
© 1996 – 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

‘Vários mortos’ em explosão na Somália em rua de Mogadíscio

Ataque começou com tiroteio, seguido pela detonação de carro-bomba quando polícia chegou, diz testemunha.
RIO – Várias pessoas foram mortas em ataque a bomba e armas na capital somali Mogadíscio, dizem relatos.

Testemunhas disseram à “BBC” que viram uma nuvem de fumaça subindo no local e muitos feridos. A agência de notícias Reuters disse que pelo menos três pessoas morreram.

O ataque começou com um tiroteio, seguido pela detonação de um carro-bomba quando a polícia chegou, declarou um oficial da polícia à agência de notícias AFP.

Não ficou imediatamente claro quem estava por trás da explosão.

“Houve um ataque a tiros efetuado por homens em um automóvel em movimento. Em seguida, um carro repleto de explosivos foi detonado após a chegada do reforço policial”, informou à “AFP” o oficial de polícia Ahmed Abdiweli.

“A maioria das vítimas é de civis”, acrescentou.

Testemunhas disseram que os atiradores abriram fogo contra o carro de um funcionário do governo somali, o que provocou um tiroteio com a sua escolta de segurança.

“Os homens armados em um carro atacaram o oficial e houve troca de tiros … então houve uma enorme explosão”, disse à “AFP” Abdi Mudey, que estava perto do local..

Testemunhas descreveram ter visto parte de um supermercado e vários carros destruídos pela explosão.

Husayn Ali Wehliye, um governador regional, estava entre os feridos, mas escapou com ferimentos leves, informou a imprensa local.

O grupo militante islâmico Al-Shabab tem realizado vários ataques nas estradas da somaliaregião nas últimas semanas.

O grupo disse que estava por trás do ataque a um hotel no centro de Mogadíscio no mês passado no qual 15 pessoas morreram.

O Al-Shabab governou grande parte da Somália até 2011, quando foi expulso de Mogadishu por tropas africanas e somalis.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/varios-mortos-em-explosao-na-somalia-em-rua-de-mogadiscio-18336135#ixzz3upMX0HBj

Triplo atentado suicida mata ao menos 27 no Chade

Ataques atribuídos ao grupo extremista Boko Haram deixam dezenas de mortos e mais de 90 feridos. Região do lago Chade, que se tornou refúgio a nigerianos que fogem da violência, é cada vez mais visada pelos terroristas.

Um triplo ataque suicida matou ao menos 27 pessoas e deixou 90 feridas num mercado na ilha de Koulfoua, no lago Chade, neste sábado (05/12).

O grupo extremista islâmico Boko Haram é suspeito de ter planejado o atentado. As três explosões foram provocadas por mulheres, informou o porta-voz da polícia, Paul Manga.

O Lago Chade, que fica entre a fronteira do Chade com Camarões, Níger e Nigéria, tem sido alvo constante dos terroristas. Em novembro, o governo do país declarou situação de emergência na região.

Cinco atentados suicidas coordenados mataram cerca de 40 pessoas em outubro no vilarejo de Baga Sola, próximo ao lago Chade, que se tornou refúgio de milhares de nigerianos que fogem da violência do Boko Haram.

Nos últimos seis anos, o grupo nigeriano matou mais de 20 mil pessoas e expandiu os ataques aos países vizinhos, que formaram uma força regional para combater os extremistas. A coalizão formada por Benin, Chade, Camarões, Nigéria e Níger conseguiu libertar cerca de 900 reféns numa operação iniciada na semana passada.

O tripo atentado suicida deste sábado pode ser uma resposta à prisão de nove extremistas suspeitos de planejar ataques em hotéis em Abuja, a capital da Nigéria, informou o serviço de inteligência do país.

http://www.dw.com/pt/triplo-atentado-suicida-mata-ao-menos-27-no-chade/a-18897200

Estado Islâmico reivindica o atentado suicida em Tunis

O Estado Islâmico (EI) reivindicou a responsabilidade pelo ataque suicida de 24 de novembro de 2015 em um ônibus que transportava membros da guarda presidencial em Tunis. O ataque matou pelo menos doze pessoas e deixou muitos feridos, de acordo com várias fontes de mídia.

O EI revelou a identidade do autor: Abu Abdallah Al-Tunisi. Não está ainda claro se al-Tunisi foi capaz de entrar no ônibus.

O EI também alertou aos “tiranos” da Tunísia que não terão segurança enquanto a Sharia não for respeitada no país.

Este é o primeiro grande ataque do EI em Tunis desde que ele reivindicou o ataque mortal contra o Museu Nacional Bardo, em Março de 2015.

Em junho passado, a EI também tinha reivindicado a responsabilidade por um ataque no resort tunisina de Sousse, que fez cerca de 40 vítimas, em sua maioria ocidentais. [1]

Nota:

[1] Ver relatório MEMRI JTTM ISIS reivindica a responsabilidade por ataque a Tunísia, 27 jun 2015

http://www.memri.fr/2015/11/26/letat-islamique-revendique-lattentat-suicide-a-tunis/