Arquivo da tag: #aviões

Na mira de aviões russos: ’70 bombas caíram na minha casa, mas eu não vou embora’

Apoiadas por ataques aéreos russos, as forças do presidente sírio, Bashar al-Assad, estão prestes a cercar o leste de Aleppo, segunda maior cidade da Síria. Atualmente, essa parte da cidade é controlada por rebeldes.

Os moradores da cidade, já bastante devastada pelos conflitos, aguardam com apreensão esses novos desdobramentos.

Embora a guerra civil síria hoje envolva diversos países, o conflito começou com protestos antigoverno, há mais de quatro anos.

Desde então, ao menos 250 mil sírios morreram no confronto armado e mais de 11 milhões tiveram que deixar suas casas.

Além de enfrentar as forças leais a Assad e oposicionistas, os moradores de Aleppo também vivem sob a ameaça de militantes radicais do grupo autodenominado Estado Islâmico.

A BBC obteve este material exclusivo, que revela como os moradores locais estão encarando a ideia de viver sob cerco.

http://www.bbc.com/portuguese/videos_e_fotos/2016/02/160217_aleppo_cerco_video_fn

Bulgária diz ter proibido a passagem de aviões russos para a Síria

País alega que Rússia não transportava ajuda humanitária.
Estados Unidos pediram para Grécia tomar a mesma decisão.

A Bulgária, um país membro da Otan, anunciou nesta terça-feira (8) ter proibido a passagem por seu espaço aéreo de vários aviões russos que, na semana passada, se dirigiam para a Síria, segundo a agência France Presse.

“Os aviões transportavam, em teoria, ajuda humanitária, mas tínhamos informação digna de confiança segundo a qual o carregamento declarado não era o que transportavam na realidade”, afirmou uma porta-voz do ministério das Relações Exteriores, Betina Zhoteva.

Zhoteva disse que a decisão foi tomada na semana passada, mas não deu detalhes sobre quantos aviões estavam envolvidos. Também destacou que a decisão foi tomada independente do fato de a Bulgária pertencer à Otan.

O vice-chanceler russo, Mikhail Bogdano, pediu para Bulgaria explicar o motivo das proibições. A Rússia, que tem uma base naval no porto sírio de Tartous, enviou voos regulares para Latakia, que também tem usado para levar cidadãos russos de volta ao país, segundo a Reuters.

Grécia
Os Estados Unidos pediram à Grécia para negar à Rússia a utilização de seu espaço aéreo para voos de abastecimento para a Síria, segundo uma autoridade grega. Washington já  expressou a Moscou profunda preocupação com os relatos de um fortalecimento militar russo na Síria, o que poderia resultar em uma nova escalada da guerra e risco de confronto com a aliança liderada pelos Estados Unidos, que está bombardeando o Estado Islâmico na Síria. a Grécia disse que avaliava o pedido.

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2015/09/bulgaria-diz-ter-proibido-passagem-de-avioes-russos-para-siria.html

Drones e caças americanos chegam a base turca para reforçar campanha contra EI

Ministro das Relações Exteriores da Turquia disse que combates devem começar em breve.

ANCARA — Drones americanos e aviões começaram a chegar a uma base aérea na Turquia perto da fronteira com a Síria, no prenúncio de um confronto intenso contra jihadistas do Estado Islâmico, informou o ministro das Relações Exteriores nesta quarta-feira. Em um encontro na Malásia com o secretário de Estado americano, John Kerry, MevlutCavusoglu disse que até agora nenhuma aeronave não tripulada tinha sido operada, mas que elas podem começar em breve.

— Atualmente, ao lado dos Estados Unidos, treinamos e equipamos a oposição moderada e também vamos começar nosso combate contra o Daesh em breve e de forma eficaz — afirmou o ministro, utilizando o acrônimo em árabe do EI.

VEJA TAMBÉM

Segundo Cavusoglu, a ofensiva será apoiada por Damasco e em coordenação com o governo sírio. As primeiras missões de drones armados fora da Turquia começaram na semana passada e, segundo autoridades americanas, os militares estavam planejando incluir a operação de voos tripulados a partir do país.

Depois de meses de relutância, a Turquia autorizou no mês passado o início de bombardeios contra o Estado Islâmico na Síria e permitiu que aviões americanos utilizassem a base de Incirlik para operações contra os jihadistas. A posição mudou depois de vários ataques no território turco, alguns deles atribuídos ao grupo extremista, que possui o controle de vastas áreas do Iraque e da Síria.

Desde então, a Turquia também realizou ataques aéreos também contra o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) na região Norte do Iraque, encerrando um processo de paz entre o governo e os curdos em vigor desde 2012.

Nos últimos dias, membros do Exército Livre da Síria, que passaram por um programa de treinamento americanos para combater os jihadistas do EI, foram capturados pela Frente Nusram o ramo sírio da al-Qaeda. Em seguida, o ministro do Exterior sírio, Walid al-Moallem, afirmou que a luta contra os jihaditas deve ser coordenada com o país.

— Apoiamos qualquer esforço para combater o Daesh enquanto ele estiver em coordenação com o governo sírio. Caso contrário, é uma violação da soberania da Síria — disse al-Moallem em Teerã, onde está desde terça-feira.

http://oglobo.globo.com/mundo/drones-cacas-americanos-chegam-base-turca-para-reforcar-campanha-contra-ei-17089553

Estado Islâmico divulga vídeo de explosão de aviões de guerra em base na Líbia

O braço do grupo militante Estado Islâmico na Líbia divulgou um vídeo nesta quinta-feira com a intenção de mostrar a explosão de dois aviões de guerra em uma base aérea enquanto seus combatentes exibiam armamentos pesados em demonstração de força.

O vídeo mostrou os combatentes do grupo manobrando um tanque, disparando uma salva de morteiro e destruindo os aviões estacionados em frente a um hangar na base tomada pelos militantes perto da cidade de Sirte, centro do país.

A autenticidade do vídeo não pôde ser verificada.

Militantes tomaram o aeroporto militar e civil de Sirte há duas semanas, expandindo sua área de controle e explorando um vazio na segurança do país produtor de petróleo, onde dois governos paralelos disputam o poder.

Os militantes haviam, no começo desta semana, tomado uma usina de energia em Sirte, completando uma tomada gradual da cidade iniciada em fevereiro após terem repelido uma força enviada da cidade de Misrata leal ao governo rival de Trípoli.

No vídeo, um combatente sudanês tirava sarro das tropas de Misrata, que bateram em retirada de Sirte, e prometeu tomar a outra cidade.

Desde o começo do ano, militantes na Líbia leais ao Estado Islâmico têm reivindicado responsabilidade pela morte de dezenas de cristãos egípcios e etíopes e pelo ataque ao hotel de luxo Corinthia, em Trípoli, contra embaixadas e campos de petróleo.

(Por Ahmed Elumami, Ayman al-Warfalli, Ali Abdelati e Ahmed Tolba)

http://noticias.terra.com.br/mundo/oriente-medio/estado-islamico-divulga-video-de-explosao-de-avioes-de-guerra-em-base-na-libia,ebaf7d5a4debd202b198c229ee66d2b40tkcRCRD.html

Iémen: Ajuda humanitária chega finalmente a Sanaa.

O Comité Internacional da Cruz Vermelha e a UNICEF anunciaram que finalmente dois aviões com mais de 30 toneladas de equipamento médico aterrizaram nesta sexta-feira na capital iemenita, após vários dias de adiamentos sucessivos.A ajuda humanitária só começou a chegar na quarta-feira ao Iêmen, quando dois navios – um da Cruz Vermelha e outro dos Médicos Sem Fronteiras – atracaram em Áden, carregados com equipamento e material médico prontos para serem utilizados em serviços de “cirurgias de guerra” nos hospitais da cidade.

“Esperamos um segundo avião da Cruz Vermelha amanhã e temos uma equipe de cirurgia que chegou a Áden. Agora temos de distribuir esta assistência pela comunidade. Contactamos todas as partes envolvidas no conflito e temos garantia de segurança para distribuir esta assistência por todo o país”, disse Cedric Schweizer, responsável da delegação do Comitê da Cruz Vermelha Internacional em Sanaa.

A situação humanitária no país é “extremamente complicada” nomeadamente devido à escassez de água, alimentos e combustíveis.

Aviões da coligação liderada pela Arábia Saudita bombardearam, ao início da manhã de sexta-feira, alvos militares em Sanaa.

Os ataques visaram depósitos de armamento controlados por militares fiéis ao antigo presidente Ali Abdallah Saleh que se aliou aos milicianos xiitas Huthis.

http://pt.euronews.com/2015/04/10/iemen-ajuda-humanitaria-chega-finalmente-a-sanaa/

Arábia Saudita envia 100 aviões de combate e 150 mil soldados para campanha anti-Houthi

Arábia Saudita enviou na quinta-feira 100 aviões de combate, 150 mil soldados e outras unidades da marinha depois que lançou a sua operação contra os rebeldes Houthi no Iêmen, Al Arabiya News Channel relatou.

A implantação aérea saudita permitiu à Força Aérea Real Saudita estar no controle do espaço no Iêmen início da quinta-feira.

Os relatórios também verificaram que a alta liderança Houthi incluindo Abdulkhaliq al-Houthi, Yousuf al-Madani, Yousuf al-Fishi foram mortos e o chefe do Comitê Revolucionário para os Houthis, Mohammed Ali al-Hothi, foi ferido.

Aliados sauditas, especialmente, os seus homólogos do Golfo, com exceção de Omã, também mostraram o seu poder militar para conter os rebeldes Houthi apoiados pelo Irã de alcançarem Aden para desalojar o presidente iemenita Abedrabbo Mansour Hadi, que permaneceu no sul da cidade.

O Golfo decidiu “repelir a agress]ao Houthi” no vizinho Iêmen, na sequência de um pedido do presidente Mansour Hadi Abedrabbo do país.

Em sua declaração conjunta a Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Bahrein, Qatar e Kuwait disseram que “decidiram repelir milícias Houthi, al-Qaeda e ISIS [Estado Islâmico do Iraque e da Síria] no país.”

Os países do Golfo alertou que o golpe Houthi no Iêmen representava uma “grande ameaça” para a estabilidade da região.

Os Emirados Árabes Unidos contribuíram com 30 caças, Bahrein 15, Kuwait 15, Catar 10 e Jordânia 6 na operação anti-Houthi.

Na quinta-feira, o Egito, Paquistão, Jordânia e Sudão também expressaram a sua disponibilidade para participar dos combates em solo no Iêmen.

O grupo de oposição síria apoiado pela Coalizão Nacional do ocidente disse que apoiou a operação saudita e manifestou o seu apoio ao Hadi como líder “legítimo” do Iêmen.

A campanha não está sem o apoio dos EUA. A Casa Branca na quarta-feira, disse que Washington está a coordenar estreitamente com a Arábia Saudita e seus aliados regionais na campanha, incluindo o fornecimento de inteligência e apoio logístico.

http://english.alarabiya.net/en/News/middle-east/2015/03/26/Saudi-deploys-100-fighter-jets-150-000-soldiers-for-anti-Houthi-campaign.html