Arquivo da tag: #Bagdá

Atentado em Bagdá deixa ao menos 143 mortos e quase 200 feridos

Ação foi reivindicada pelo Estado Islâmico, sob crescente pressão das forças do governo

BAGDÁ, Iraque — Um ataque terrorista de grandes proporções deixou mais de 140 mortos e quase 200 feridos em Bagdá. A ação aconteceu num movimentado centro comercial da capital iraquiana no fim da noite de sábado, e foi reivindicado pelo Estado Islâmico (EI), sob crescente pressão das forças do governo, que recentemente retomaram seu bastião em Faluja, cidade a apenas uma hora de carro a Oeste de Badgá que estava nas mãos do grupo extermista desde o início de 2014.

Um caminhão frigorífico explodiu em Karrada, no centro de Bagdá. A região estava repleta de famílias, já que os iraquianos comem fora tarde durante o mês de sagrado muçulmano do Ramadã, que termina na próxima semana e preconiza jejum durante o dia. A polícia disse que o número de vítimas poderá aumentar, já que mais corpos podem estar sob os escombros de prédios destruídos. Na última contabilidade divulgada pelas autoridades, elas chegavam a 143 mortos e 195 feridos. Além disso, entre os mortos estão ao menos 15 crianças, dez mulheres e seis policiais, e pelo menos outras 12 pessoas ainda estão desaparecidas.

O atentado deste sábado é o maior no país desde que as forças iraquianas, com apoio dos EUA, desalojaram os militantes do EI de Faluja, que servia como plataforma para o lançamento de ataques do tipo, no fim do mês passado. Durante a manhã, o local do ataque foi visitado pelo primeiro-ministro, Haider al-Abadi, que foi recebido com irritação pela população. Vídeos que circulam na internet mostram o que seria o comboio do premier, que declarou luto de três dias pelas vítimas, sendo apedrejado e expulso da área.

Em comunicado, a Casa Branca afirmoun que o ataque só vai reforçar o compromisso dos EUA de combater o Estado Islâmico. “Continuamos unidos com o povo e o governo iraquiano no nosso esforço conjunto de destruir o EI”, diz o texto divulgado pela Presidência americana.

Em outro atentado, uma bomba também explodiu por volta da meia-noite de sábado para domingo em um mercado em al-Shaab, um distrito xiita popular do Norte da capital da capital iraquina, deixando pelo menos dois mortos.

O Estado Islâmico ainda controla grande parte do Norte e Oeste do território iraquiano, incluindo Mossul, a segunda maior cidade do país. Entretanto, o grupo vem sofrendo pressão das forças do governo, apoiadas pelos EUA. No fim do mês passado, o governo iraquiano anunciou a libertação de Faluja. Os extremistas também perderam recentemente o controle de Tikrit e Ramadi.

Segundo Jasim al-Bahadli, ex-oficial das forças iraquinas e atiualmente analista de segurança em Bagdá, os extremistas estão “tentando compensar a humilhante derrota que sofreram em Fajuja”.

— Foi um erro o governo pensar que a fonte dos ataques estava restrita a apenas uma área — afirmou em referência a Faluja. — Existem células terroristas adormecidas que agem independentemente umas das outras.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/atentado-em-bagda-deixa-ao-menos-143-mortos-quase-200-feridos-19635508#ixzz4DOyIF0Pd
© 1996 – 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Homens armados matam dez e tomam reféns em shopping de Bagdá

Ataque ocorreu em bairro de maioria xiita.

BAGDÁ — Autoridades iraquianas afirmaram nesta segunda-feira que homens armados mataram ao menos dez pessoas e fizeram reféns em um shopping de Bagdá, em um bairro de maioria xiita no leste da capital.

Os agressores continuam dentro do shopping, localizado no bairro de al-Jadida, de acordo com um coronel da polícia, que indicou que eles poderiam portar cintos de explosivos.

Estado Islâmico reivindica atentado em mercado de Bagdad

O grupo extremista Estado Islâmico reivindicou o atentado que deixou mais de 50 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas na explosão de um caminhão-bomba em um mercado no leste de Bagdá, no Iraque, na manhã desta quinta-feira (13).

O número de mortos difere no noticiário das agências internacionais. A rede Al-Jazeera fala em pelo menos 55 mortos e mais de 200 feridos. O número de mortos é preliminar e, devido à gravidade de parte dos feridos, o número pode aumentar. Estimativas iniciais apontavam mais de 30 mortos.

Um comunicado divulgado nas redes sociais afirmou que os “soldados do Estado Islâmico detonaram um caminhão-bomba no meio de um grupo de milicianos xiitas em um de seus redutos no leste de Bagdá”, de acordo com a Agência Efe.

Vizinhos ajudaram a transportar de carro as vítimas até os hospitais vizinhos, segundo a Associated Press.

Uma fonte da polícia iraquiana disse que a maioria das vítimas é formada por camponeses que tinham ido ao mercado vender suas mercadorias. O mercado, que fica na região de Yamila, é o principal ponto de venda de produtos agrícolas da capital iraquiana.

A região de Yamila está localizada no populoso distrito de Cidade de Sadr, que tem mais de dois milhões de pessoas, e de maioria xiita.

O Iraque enfrenta desde junho de 2014 uma guerra contra o Estado Islâmico (EI), que conquistou amplas zonas de seu território e proclamou um califado no país e na vizinha Síria.

Homens retiram corpo de uma vítima morta no ataque com um caminhão-bomba no mercado de Jameela, no bairro de Cidade Sadr em Bagdá, no Iraque. Mais de 50 morreram e mais de 100 ficaram feridas na explosão cuja autoria foi reivindicada pelo Estado Islâmico (Foto: Karim Kadim/AP)Homens retiram corpo de uma vítima morta no ataque com um caminhão-bomba no mercado de Jameela, no bairro de Cidade Sadr em Bagdá, no Iraque (Foto: Karim Kadim/AP)
Caminhão explodiu e deixou região de mercado em Bagdá como uma zona guerra (Foto: Karim Kadim / AP Photo)Caminhão explodiu e deixou região de mercado em Bagdá como uma zona guerra (Foto: Karim Kadim / AP Photo)
Mulher reage em desespero após a explosão que deixou mais de 50 mortos no mercado de Jameela, no bairro de Cidade Sadr em Bagdá, no Iraque. A autoria do ataque foi reivindicada pelo Estado Islâmico (Foto: Wissm Al- Okili/Reuters)Mulher reage em desespero após a explosão que deixou mais de 50 mortos no mercado de Jameela, no bairro de Cidade Sadr em Bagdá (Foto: Wissm Al- Okili/Reuters)
Cavalo ficou ferido na explosão de um caminhão-bomba em um ataque terrorista do grupo Estado Islâmico a um mercado no leste de Bagdá, capital do Iraque (Foto: Ahmad al-Rubayeh/AFP)Cavalo ficou ferido na explosão de um caminhão-bomba em um ataque terrorista do grupo Estado Islâmico a um mercado no leste de Bagdá (Foto: Ahmad al-Rubayeh/AFP)

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2015/08/estado-islamico-reivindica-atentado-em-mercado-de-bagdad.html

Ataque do Estado Islâmico no Iraque deixa mais de 100 mortos

Ao menos 115 morreram em explosão, segundo agência de notícias AP.
Ataque atingiu mercado em Khan Beni Saad, no nordeste de Bagdá.

O grupo extremista Estado Islâmico reivindicou o ataque que deixou ao menos 115 mortos em um mercado popular da região de Khan Beni Saad, no nordeste de Bagdá, capital do Iraque, na sexta-feira (17). Um caminhão-bomba explodiu no local, que reunia civis para celebrar o fim do mês sagrado do Ramadã. As informações são da agência de notícias AP.

 Conforme levantamento divulgado neste sábado (18) por uma fonte de segurança local à Agência EFE, há também 130 pessoas feridas e 20 desaparecidos, cujos corpos podem ter desintegrado por causa da força da explosão no mercado, que estava lotado no momento do ataque, explicou a fonte.

O Estado Islâmico reivindicou a autoria do atentado na noite de sexta-feira (17), pelo Twitter. Os jihadistas afirmam que o atentado foi realizado por um suicida iraniano, que detonou um veículo carregado com três toneladas de explosivos.

Além das vítimas, 50 lojas foram completamente destruídas e 70 veículos ficaram carbonizados pela explosão, que abriu uma grande cratera no solo.

O grupo extremista disse que o ataque matou 180 milicianos xiitas que estavam perto da mesquita de Al Rasul al Aadam, próxima ao mercado popular, e causou também uma grande destruição na região.

Uma fonte de segurança em Bagdá assegurou à EFE que a maior parte das vítimas é civil. Eles faziam compras no mercado alvo do atentado, movimentado por causa do final do mês sagrado do Ramadã.

As autoridades locais formaram uma comissão para investigar o ataque e averiguar como o caminhão-bomba conseguiu chegar até o local, apesar das medidas de segurança adotadas pelo encerramento do Ramadã e da festividade religiosa do Eid al-Fitr.

Muzanna al Tamimi, governador da província de Diyala, onde aconteceu o atentado, declarou três dias de luto e suspendeu todas as celebrações do Eid al-Fitr.

As medidas de segurança na região foram reforçadas por causa da celebração religiosa, na qual as famílias vão a praças, parques e mercados para comprar doces e presentes, especialmente à noite.

Khan Beni Saad fica a 50 km ao sul da cidade de Baquba, capital da província de Diyala, e sua população é majoritariamente xiita, ramificação do islã que costuma ser alvo dos atentados cometidos por grupos sunitas radicais.

Esse foi um dos atentados mais mortíferos desde que o grupo jihadista conquistou amplas regiões do país e proclamou um califado nas zonas controladas tanto no território iraquiano como na Síria.

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2015/07/ataque-do-estado-islamico-no-iraque-deixa-mais-de-100-mortos.html

Avião iraquiano bombardeia acidentalmente Bagdá

Explosão em área residencial deixou ao menos 12 mortos, incluindo três crianças.

Avião militar iraquiano bombardeou sem querer uma zona residencial de Bagdá nesta segunda-feira, matando ao menos 12 pessoas, segundo autoridades do país. A aeronave, uma das muitas usadas pelo Iraque na luta contra o grupo extremista Estado Islâmico (EI), estava retornando a uma base militar quando o acidente aconteceu.

Três crianças e duas mulheres estão entre os 12 mortos, disseram duas autoridades em condição de anonimato. Ao menos 25 pessoas ficaram feridas, afirmaram.

O Iraque passa pela sua pior crise desde a retirada das tropas americanas do país, em 2011, com o EI controlando grandes áreas no norte e no oeste. Tropas e jatos iraquianos, apoiados sobretudo por combatentes xiitas, têm lutado contra os extremistas.

No ano passado, o Iraque recebeu caças Sukhoi Su-25, de fabricação russa – mesmo tipo do responsável pelo acidente desta segunda-feira – para combater o EI. Os Estados Unidos concordaram em vender ao Iraque 36 caças F-16, mas até agora não entregaram nenhum.

http://noticias.terra.com.br/mundo/oriente-medio/aviao-iraquiano-bombardeia-acidentalmente-bagda,061acfe7695a7dad2506567809cbef0adqp9RCRD.html

Explosões de 2 carros bomba matam 11 no Iraque no fim do Ramadã

Explosões de dois carros bomba mataram 11 pessoas na capital iraquiana neste sábado, afirmou a polícia e serviços de emergência. Os ataques ocorreram no fim da celebração do Ramadã.

Uma das bombas atingiu o distrito xiita de Amil, no sudoeste da cidade, matando oito pessoas e ferindo 27. A outra explosão ocorreu em uma garagem de ônibus, no sul deBagdá, e matou outras três.

A nordeste de Bagdá, na cidade de Balad Roz, um terceiro carro bomba matou duas pessoas, disse a polícia.

Nenhum grupo reivindicou de imediato autoria dos ataques, mas combatentes do Estado Islâmico que controlam grandes porções do oeste e norte do Iraque frequentemente detonam bombas na capital.

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2015/07/explosoes-de-2-carros-bomba-matam-11-no-iraque-no-fim-do-ramada.html

Ataques suicidas do Estado Islâmico no Iraque matam 13 pessoas

Ataques suicidas realizados pelo Estado Islâmico neste sábado mataram 13 pessoas em uma região ao norte de Bagdá, no Iraque. Quatro homens-bomba dirigiam carros carregados de explosivos, que colidiram com dois postos de segurança e um quartel militar em um intervalo de 15 minutos, na área de al-Hajaj.

Segundo a polícia, os mortos eram milicianos xiitas e soldados. Além disso, 24 pessoas ficaram feridas. A área de Al-Hajaj encontra-se na estrada entre Tikrit e Beiji, na província de Salahuddin. A cidade de Beiji também tem sido palco de violentos combates entre militantes do Estado Islâmico e tropas do governo, apoiadas por milícias xiitas.

As forças iraquianas, apoiadas também por ataques aéreos liderados pelos EUA, têm lutado para recuperar o controle das vastas áreas perdidas para o Estado Islâmico, durante o conflito no ano passado. Fonte: Associated Press.

https://br.noticias.yahoo.com/ataques-suicidas-estado-isl%C3%A2mico-iraque-matam-13-pessoas-132100493.html

Repórter da BBC fica frente a frente com ex-militantes do ‘EI’

A repórter da BBC Orla Guerin ficou cara a cara com três ex-militantes do grupo autodenominado “Estado Islâmico” em uma prisão em Bagdá, no Iraque.

Os três são suspeitos de terem planejado atentados que resultaram na morte de estimadas 50 pessoas em dois meses.

O homem apontado como líder da célula extremista admite ter participado de oito bombardeios.

Questionado pela BBC sobre como poderia justificar tantas atrocidades cometidas pelo “EI” – chacinas, decapitações, execuções e tráfico de mulheres -, ele diz que não há justificativa.

“Isso é errado. Não posso justificar. É claramente errado. Meu comandante me disse que eu alvejaria americanos, e não iraquianos. Mas quando cheguei a Bagdá recebi ordens diferentes.”

http://www.bbc.co.uk/news/undefined

Dois foguetes são disparados contra a fortificada “Zona Verde” de Bagdá

Dois foguetes foram disparados nesta terça-feira na altamente fortificada “Zona Verde” de Bagdá, uma área que abriga o gabinete do primeiro-ministro e várias embaixadas ocidentais, e carros-bomba em outras partes da capital iraquiana mataram sete pessoas.

Não foram registradas vítimas no ataque raro contra a Zona Verde, disseram fontes médicas e a polícia.

A frequência dos ataques em Bagdá tem aumentado desde que um toque de recolher noturno foi suspenso no início do ano após uma década em vigor.

Um carro-bomba explodiu no distrito de alto padrão de Arasat, no centro de Bagdá, matando cinco pessoas, e outra explosão num mercado lotado no bairro de Ubaidi matou mais duas, segundo a polícia e fontes médicas.

Nenhum grupo assumiu imediatamente a responsabilidade por qualquer dos ataques desta terça-feira.

O toque de recolher foi suspenso em fevereiro com o objetivo de restaurar um sentido de normalidade na capital, enquanto forças de segurança combatem militantes do Estado Islâmico que invadiram grandes partes do norte e oeste do país no ano passado.

http://noticias.terra.com.br/mundo/oriente-medio/dois-foguetes-sao-disparados-contra-a-fortificada-zona-verde-de-bagda,448983237616580b972977bbab8604f452kaRCRD.html

Atentado com carro-bomba deixa ao menos 13 mortos em Bagdá

Explosão vem após série de outras que foram reivindicadas pelo Estado Islâmico

BAGDÁ — Pelo menos 13 pessoas morreram neste sábado em um ataque com carro-bomba em Bagdá, informou a polícia iraquiana.

 Um coronel disse que um veículo explodiu durante a tarde em frente a um restaurante no bairro de Karrada, enquanto uma fonte médica confirmou que 13 pessoas morreram e 39 ficaram feridas.

Trata-se de um dos atentados mais mortais desde o início do ano na capital iraquiana.

O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) reivindicou na sexta-feira vários ataques com carros-bomba lançados na capital iraquiana, que afirmou que foram cometidos para “vingar” assassinatos e sequestros na província de Anbar.

Estes ataques provocaram 11 mortos e 42 feridos, segundo uma fonte médica.

Enquanto isso, na segunda-feira morreram nove pessoas e mais de 30 ficaram feridas na explosão de dois carros-bomba em dois bairros comerciais de Bagdá.

A violência continua atingindo a capital do Iraque, embora o número de atentados caíram com relação ao mesmo período do ano passado.

Em fevereiro, as autoridades suspenderam o toque de recolher que vigorava há anos na capital iraquiana.

Desde junho do ano passado, o Iraque enfrenta a ofensiva do grupo jihadista, que ganhou o controle sobre vastos territórios.

No entanto, o exército iraquiano conseguiu enfrentar o grupo, graças à ajuda de milícias locais e aos bombardeios da coalizão liderada pelos Estados Unidos.

No entanto, o grupo continua controlando a província de Nínive, no norte, e de Anbar, no oeste.

http://oglobo.globo.com/mundo/atentado-com-carro-bomba-deixa-ao-menos-13-mortos-em-bagda-16044310