Arquivo da tag: #Brasília

Deputado João Campos convida presidente da ONG EVM para prestar consultoria sobre temas de direitos humanos

Brasília- A presidente da ONG Ecoando a Voz dos Mártires, Dra. Andréa Fernandes, esteve na quarta-feira (10/05), em reunião com o Deputado Federal João Campos (PRB), que ao tomar conhecimento das pautas defendidas pela instituição, convidou sua representante para prestar consultoria sobre as temáticas perseguição religiosa e violações dos direitos humanos no mundo muçulmano e temas correlatos.

Andréa Fernandes teve acesso ao deputado por intermédio do assessor da Bancada Evangélica Josué Alves. A advogada prestou informações sobre o Projeto de Lei de Migração e entregou ao deputado parecer elaborado por ela e a jurista Cristina Bassôa, o qual foi utilizado pelo parlamentar para articulação específica.

O deputado se disponibilizou a ser um porta-voz no Parlamento para denunciar as violações de direitos humanos e perseguição religiosa que minorias religiosas, étnicas e de gênero sofrem no mundo muçulmano. João Campos gravou vídeo onde publicizou seu apoio aos pleitos da ONG EVM e se disponibilizou a levar a temática da perseguição aos cristãos em países muçulmanos para apreciação do presidente Michel Temer a fim de que o Brasil se posicione na ONU denunciando as atrocidades sofridas pela minoria religiosa mais perseguida no mundo.

Anúncios

Presidente da ONG EVM prestigia Sessão Solene em Homenagem à Criação do Estado de Israel na Câmara dos Deputados

Brasília – A presidente da ONG Ecoando a Voz dos Mártires, Dra. Andréa Fernandes Vieira, participou nessa quarta-feira (10/05), da Sessão Solene em Homenagem à criação do Estado de Israel, tendo como proponentes os deputados Alan Rick, Jony Marcos e Marcelo Aguiar.

 O evento ocorreu na Câmara dos deputados e teve a presença do Embaixador de Israel, Yossi Shelly, além de autoridades diversas e lideranças religiosas de todo o Brasil. Na oportunidade, Andréa Fernandes manifestou pessoalmente sua alegria por participar de uma solenidade tão importante que marca uma data mais do que especial para toda civilização judaico-cristã. Israel merece todo respeito e apreciação por ser um “farol” em meio às “trevas” da perseguição religiosa contra minorias e violações dos direitos humanos no mundo muçulmano.

Após o evento, foram perpetradas diversas articulações acerca das pautas defendidas pela ONG EVM com o auxílio do assessor da bancada evangélica Josué Alves, Maria Pierre e Dra. Patricia Naves.

Senador Magno Malta recebe Presidente da ONG EVM para deliberar pauta em defesa dos cristãos perseguidos no mundo muçulmano

Brasília- A presidente da ONG Ecoando a Voz dos Mártires, Dra. Andréa Fernandes, esteve nessa terça-feira (09/05), em reunião com o Senador Magno Malta (ES), articulando pautas importantes sobre as temáticas perseguição religiosa e violações dos direitos humanos no mundo muçulmano, bem como outros temas importantes.

Andréa Fernandes teve acesso ao senador por intermédio da assessora do deputado federal Gilberto Nascimento, Dra. Teresinha Neves, que juntamente com a assessora do parlamentar, Dra. Damares Alves, participou da reunião. No encontro o parlamentar manifestou imediato interesse pelas pautas apresentadas pela ONG EVM e solicitou o comparecimento de Andréa ao Senado na terça-feira para acompanhar alguns procedimentos que serão perpetrados pela Dra. Damares para implementar os planos apresentados pelo parlamentar.

ONG EVM se reúne com Assessor da Bancada Evangélica para articular pautas de direitos humanos

Brasília- A presidente da ONG Ecoando a Voz dos Mártires, Dra. Andréa Fernandes, esteve nessa segunda-feira (08/05), em reunião com o assessor da Bancada Evangélica, Josué Alves, articulando pautas importantes sobre as temáticas perseguição religiosa e violações dos direitos humanos no mundo muçulmano, bem como outros temas importantes.

Josué Alves se mostrou muito prestativo ao tomar conhecimento do campo de atuação da ONG EVM e recebeu o parecer preliminar sobre o projeto de Lei de Migração elaborado por Andréa Fernandes e a jurista Cristina Bassôa de Moraes, através do qual são refutados os principais argumentos engendrados a favor da lei, abordando, ainda, as soluções viáveis para que a mesma seja rechaçada.

Andréa Fernandes e Cristina Bassôa têm se mobilizado no Parlamento no sentido de explicitar parecer técnico apontando as aberrações presentes no bojo do projeto de Lei de Migração, considerada inconstitucional pela jurista Cristina, especialista em Direito Público.

Na oportunidade, Andréa Fernandes recebeu o apoio voluntário de Bruno Dias, que dada  a capacitação em área de pesquisa acadêmica que abrange as atividades da ONG, passará a integrar o grupo de  colunistas que escrevem para o Blog Ecoando a Voz dos Mártires.

Líder do PROS na Câmara se reúne com a ONG EVM e se prontifica a levar questão do Genocídio de Cristãos a debate em Plenário

Brasília – A presidente da ONG Ecoando a Voz dos Mártires, Dra. Andréa Fernandes Vieira, esteve nessa sexta-feira (05/05), em reunião com o líder do PROS na Câmara, Deputado Federal Ronaldo Fonseca (DF), oportunidade em que, se pronunciou sobre as graves ameaças que a sanção da Lei de Migração ocasionará ao país, e para tanto, expôs a problemática da crise imigratória na Europa e consequente ameaça terrorista islâmica.

O encontro foi intermediado pelo pastor Divani Rocha, da Bahia,  após saber da presença da ativista em Brasília, ligando imediatamente para o deputado, o qual marcou a reunião para conhecer os projetos da ONG EVM. Ronaldo Fonseca ficou impressionado com o panorama internacional no tocante ao refúgio e imigração, se sensibilizando no sentido de tomar iniciativa junto a Câmara para tentar impedir a sanção da lei pelo presidente Michel Temer.

Além dessa questão, Andréa Fernandes discorreu sobre a necessidade do Legislativo se posicionar frente a perseguição às minorias religiosas, étnicas e de gênero no mundo muçulmano e o genocídio de cristãos, pelo que o deputado se comprometeu a requerer debate dos temas em Plenário.

Ronaldo solicitou à presidente da ONG um parecer escrito acerca do projeto da Lei de Migração para fundamentar posicionamento a ser implementado.

Andréa Fernandes (Presidente da ONG EVM)

Senador Magno Malta oficiará o Ministério das Relações Exteriores para responder postulações da ONG EVM

Brasília – Na terça-feira (29.11), foi protocolado no gabinete do Senador Magno Malta o requerimento solicitado pela assessora Damaris Alves para fundamentar o ofício que será encaminhado ao Ministério das Relações Exteriores requisitando posicionamento acerca dos pleitos da ONG Ecoando a Voz dos Mártires junto à entidade.

Em reunião no dia anterior intermediada pela Dra. Teresinha Neves, assessora do deputado federal Gilberto Nascimento, Damaris tomou conhecimento da atuação da ONG EVM na defesa dos direitos humanos no mundo muçulmano e Coreia do Norte. Ao saber da participação da instituição nas reuniões com o Ministério das Relações Exteriores acerca da agenda de política externa brasileira na área de direitos humanos, Damaris manifestou interesse de enviar ao senador as deliberações do órgão, uma vez que, não houve atendimento das postulações efetivadas pelas internacionalistas Andréa Fernandes e Marcelle Torres.

Damaris frisou a importância que tem para o senador Magno Malta questões de direitos humanos e a perseguição religiosa contra cristãos no mundo muçulmano, oportunidade em que, convidou a presidente da instituição para exercer consultoria voluntária nessas áreas, solicitando, ainda, os esclarecimentos necessários para alicerçar o ofício a ser encaminhado ao MRE.

Na terça-feira, a integrante da diretoria da ONG, Diane Torres, foi recebida por Damaris no gabinete de Magno Malta para protocolar o documento enquanto a presidente da ONG estava em reunião com o deputado federal Ezequiel Teixeira.

EVM articula apoio no Senado Federal

Brasília – Nesta segunda-feira (28/11), a equipe da ONG Ecoando a Voz dos Mártires esteve em reunião com a assessora do senador Magno Malta, Dra. Damares Alves,  no gabinete do parlamentar no Senado Federal.

Através da articulação da Dra. Teresinha Neves, assessora do Deputado Federal Gilberto Nascimento, foi possível contatar Dra. Damares, que tem se destacado em nível nacional na pauta de direitos humanos. Vale salientar, que a assessora do senador ficou impressionada com os relatos acerca das diversas pautas versando sobre direitos humanos no mundo muçulmano, e se prontificou a apoiar as iniciativas da ONG EVM. Ademais, convidou a Diretora-Presidente, Dra. Andréa Fernandes, a  prestar assessoria voluntária referente aos temas apontados, o que foi de pronto recebido com exultação.

Nova reunião foi marcada a pedido da Dra. Damares para a entrega de relatório constando os requerimentos da ONG EVM junto ao Ministério das Relações Exteriores, uma vez que, estribará o ofício do senador requisitando informações sobre as providências tomadas pela entidade brasileira em atendimento aos pleitos suscitados.

Na terça-feira, a presidente da ONG e a Diretora–Financeira Diane Torres estarão dando continuidade a novas articulações com outros parlamentares e lideranças.

Investigado por terrorismo em Brasília já trabalhou na Casa Civil junto com Dilma

Marcelo Bulhões dos Santos, no canto esquerdo da foto (de barba): ele trabalhou por 3 anos e 9 meses na Casa Civil(Reprodução / Facebook/VEJA)

Por Gabriel Castro, na VEJA.com:
O advogado de Brasília que entrou no radar da Justiça por suspeita de cumplicidade com terroristas é um brasileiro que se converteu ao islamismo e já trabalhou na Casa Civil da Presidência da República durante a gestão de Dilma Rousseff. Ele também foi funcionário da própria Polícia Federal, órgão que ele viria a acusar de ser conivente com interferência internacional na CPI da Espionagem. Marcelo Bulhões dos Santos pertence à corrente sunita e frequenta com regularidade a mesquita da capital federal. Os policiais federais que estiveram no prédio de Bulhões nesta sexta-feira apreenderam documentos e materiais eletrônicos, por ordem da Justiça Federal. Os indícios dão conta da ligação dele com extremistas estrangeiros. Como não há crime de terrorismo no país, a Justiça colhe elementos para julgá-lo por crimes acessórios, como estelionato e falsificação de documento.

Bulhões já era conhecido pela PF. Ele é ex-servidor de nível médio da corporação, onde trabalhou entre 2004 e 2007. Como fala árabe, espanhol, italiano e inglês foi lotado na Coordenação-Geral de Polícia Criminal Internacional, braço da Interpol na PF, antes de ser cedido à Presidência da República. Exercia atividades burocráticas na troca de informações e comunicados com outros escritórios centrais nacionais da Interpol. Anos depois, ele diria que havia interferência de serviços de inteligência dos Estados Unidos da PF.

Bulhões formou-se em 2009 em uma universidade particular de Brasília. Ele trabalhou por quase quatro anos como assessor da Casa Civil, durante a gestão da então ministra Dilma Rousseff. Foi nomeado por ela para um cargo de confiança: supervisor de legislação pessoal. Bulhões diz ter se desligado em 2010 por vontade própria, para se dedicar à atividades de consultoria jurídica. Hoje, atua no próprio escritório, que funciona no apartamento onde também mora sua mulher e o filho do casal. Há dois meses, passou a assessorar a embaixada de Omã na capital federal.

Espionagem
O alvo da PF também denunciou supostas atividades de contraterrorismo dos Estados Unidos no Brasil. Em setembro de 2013, Bulhões encaminhou à senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), então presidente da CPI da Espionagem, um documento que reunia relatórios sobre atividades de terroristas na América do Sul. Disse que agia por “senso de responsabilidade cívica”. Alguns dos documentos eram da Embaixada Americana no Brasil, vazados pelo WikiLeaks, e parte do acervo da biblioteca do Congresso dos Estados Unidos. Outros, datados de 1995 a 2011, pertenciam ao arquivo do Itamaraty e, segundo ele, “sugeriam atividades de espionagem norte-americana em desfavor do governo brasileiro”.

O relatório americano sobre atividades criminosas e terroristas na tríplice fronteira, encaminhado por Bulhões à CPI da Espionagem, cita entre outros alvos o doleiro Alberto Youssef, delator do escândalo do petrolão. Youssef é descrito como um dos “maiores operadores de lavagem de dinheiro do país, tendo trabalhado para o traficante Fernandinho Beira-Mar”.

“Há fortes indícios de que cidadãos brasileiros de origem árabe e/ou de confissão islâmica tenham sido objeto de investigação por parte de órgãos de inteligência nacionais e estrangeiros , sendo que nem sempre havia motivo plausível para tal”, justificou Bulhões. “Nesse sentido, houve, inclusive, diversas ocasiões em que o ora signatário [ele mesmo] presenciou a interferência de serviços estrangeiros na atuação de órgãos do governo federal, dentre os quais é possível destacar o Departamento de Polícia Federal, do qual o subscritor é ex-servidor.”

Em postagens no Facebook, Bulhões também justifica a ação do grupo terrorista Hamas, que costuma lançar mísseis sobre o território israelense. “Sem a ocupação dos sionistas de uma terra alheia nem sequer existiria o Hamas, muito menos os mísseis”, disse ele em julho de 2014. O advogado prosseguiu: “Os apoiadores de Israel chamam o Hamas de ‘terrorista’, mas esquecem de estudar sobre o modo que se deu a formação do pseudo-estado judeu”.? Bulhões formou-se bacharel com uma monografia intitulada “O princípio da igualdade no Direito islâmico” e estudou no prestigiado Colégio Militar do Rio de Janeiro.

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/investigado-por-terrorismo-em-brasilia-ja-trabalhou-na-casa-civil-junto-com-dilma/

Por Reinaldo Azevedo