Arquivo da tag: ##britânicos

Vídeo mostra execução de cinco homens pelo Estado Islâmico

Grupo radical islâmico diz que eles eram espiões britânicos e afirma que um dia vai tomar o Reino Unido.

BEIRUTE – Um vídeo divulgado neste domingo na internet mostrou o que dizem ser milicianos do grupo Estado Islâmico executando cinco homens acusados pela organização de espionar para o Reino Unido na Síria. O vídeo tem as características do braço de propaganda do Estado Islâmico e mostra os cinco homens “confessando” terem filmado e fotografado lugares em troca de pagamento em Raqqa, capital do declarado califado do Estado Islâmico. Não se pôde verificar independentemente o conteúdo do vídeo.

Os homens, que falam em árabe, são apresentados como “inimigos” e “apóstatas”. Mais adiante, estão acorrentados em fila no deserto, onde são baleados na cabeça por milicianos mascarados. Antes da execução, um homem mascarado com sotaque britânico brinca com o primeiro-ministro David Cameron, chama os homens de espiões e diz que o grupo Estado Islâmico vai invadir a Grã Bretanha um dia e impôr lá a “sharia“, o código de conduta, ou lei religiosa, do islã. O vídeo termina com um menino vestido com roupas militares afirmando, também em inglês: “Vamos matar os infiéis lá”.

Menino aparece em vídeo do Estado Islâmico com execução de cinco homens – Reprodução

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/video-mostra-execucao-de-cinco-homens-pelo-estado-islamico-18401311#ixzz3wEkShZzZ

Maioria dos britânicos quer saída da UE após ataques de Paris

Mais da metade dos entrevistados é contra permanência no bloco

LONDRES – Mais da metade dos britânicos quer a saída do país da União Europeia devido à incerteza a respeito da segurança do bloco após os atentados coordenados em Paris que deixaram 130 mortos em 13 de novembro. A informação é de uma pesquisa de opinião encomendada pelo jornal inglês “The Independent” à consultoria ORB.

A enquete, que entrevistou 2 mil pessoas, mostra que 52% dos britânicos participantes quer a saída do Reino Unido da UE, enquanto 48% são a favor da permanência. Pesquisas anteriores mostram que o apoio à continuação no bloco caiu 7 pontos percentuais desde junho.

Enquanto isso, o primeiro-ministro David Cameron tenta conquistar a aprovação de outros líderes para um referendo prometido para o fim de 2017 sobre a associação britânica.

— É o primeiro movimento que vemos no dado em seis meses e claramente é uma resposta aos eventos em Paris — afirmou Johnny Heald, gerente-diretor da ORB Internacional, à Reuters. — Muitos sentem que a Europa falhou em proteger as fronteiras, resultando na matança nas ruas de Paris. Precisamos esperar alguns meses para ver se é uma reação instintiva ou se a maré está mudando.

A separação do Reino Unido seria crucial na composição do bloco com a perda da segunda maior economia e uma das principais potências militares. Por um lado, defensores pró-União Europeia alertam que uma saída da UE prejudicaria a economia do país e desencadearia no rompimento do Reino Unido com o estímulo a outra votação de independência da Escócia.

No entanto, oponentes à permanência afirmam que há medo exacerbado e que a Grã-Bretanha e o centro financeiro de Londres poderiam prosperar com o afastamento das economias estagnadas na Europa Oriental.

A pesquisa da ORB mostra que o índice de apoio à saída do bloco foi mais alto entre pessoas com mais de 55 anos e menor entre cidadãos entre 18 e 24 anos. A Escócia e o País de Gales se mostraram as partes mais pró-UE do Reino Unido, enquanto o sudoeste da Inglaterra foi a região com maior aversão à permanência no bloco.

Pesquisas de opinião anteriores aos ataques de Paris mostraram que a vontade britânica de ficar na UE estava diminuindo na medida que aumentava a preocupação com o gerenciamento da crise dos refugiados no continente.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/maioria-dos-britanicos-quer-saida-da-ue-apos-ataques-de-paris-diz-pesquisa-18125068#ixzz3sQBCRIDp
© 1996 – 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

http://oglobo.globo.com/mundo/maioria-dos-britanicos-quer-saida-da-ue-apos-ataques-de-paris-diz-pesquisa-18125068

Britain poised to take in 15,000 Syrian refugees

The British government is poised to accept 15,000 Syrian refugees and hopes next month to get backing for air strikes against ISIS militants, the Sunday Times reported.

Prime Minister David Cameron has been under pressure internationally and domestically to address the refugee crisis.

On Thursday, he said he was “deeply moved” by images of three-year-old Syrian toddler Aylan Kurdi, found dead on a Turkish beach.

Will Britain take in ‘thousands’ of Syrians?

(Farwa Rizwan/ Al Arabiya News)

Cameron now intends to expand Britain’s vulnerable persons relocation programme, take in around 15,000 refugees and launch military action against people traffickers, the report said.

He also hopes to persuade MPs in the opposition Labour Party to back air strikes in Syria in a vote early next month, it said.

The paper previously reported that there was an option to directly accept refugees from UN camps on the Syrian border.

A Syrian refugee screams for help as he carries a baby after crossing over the broken border fence into Turkey from Syria in Akcakale, Sanliurfa province, southeastern Turkey. (Reuters)

Britain has accepted 216 Syrian refugees under a special government scheme over the past year and around 5,000 Syrians have been granted asylum since the conflict there broke out in 2011, far fewer than countries like France, Germany and Sweden.

Britain has also opted out of a quota system for relocating asylum seekers within the European Union despite growing calls in the EU for fairer distribution.

More than four million Syrians have fled the war.

Cameron gained support for military action against Syria from an unusual source on Sunday, former Archbishop of Canterbury, the leader of the world’s Anglicans, George Carey.

Syrian refugees on a dinghy approach, in rough seas, a beach on the island of Lesbos, Greece August 23, 2015. (Reuters)

Britain should help “crush” ISIS and “air strikes” may be needed, Carey said.

“I do not consider it enough to send aid to refugee camps in the Middle East. Rather, there must be renewed military and diplomatic efforts to crush the twin menaces of ISIS and al-Qaeda once and for all,” he wrote in the Sunday Telegraph.

https://english.alarabiya.net/en/News/middle-east/2015/09/06/Britain-to-take-15-000-Syrian-refugees-.html