Arquivo da tag: #casas

Casas de cristãos são queimadas

Como último esforço, antes de entregar as vilas ocupadas, Estado Islâmico (EI) incendiou completamente as casas de cristãos.

Agora que a fumaça começou a baixar na planície de Nínive, o Estado Islâmico programou um golpe final contra os cristãos iraquianos. Antes de entregar as últimas vilas ocupadas e bater em retirada, o grupo incendiou milhares de casas de cristãos. A maioria das casas se tornou inabitável e, de repente, para muitos se tornou impossível voltar para casa.

“Todo o resto se foi”, declara um cristão, que observa o carro coberto de poeira. As únicas coisas que ele conseguiu salvar de sua casa são uma pilha de livros de estudo, um par de sapatos e algumas fotos de família.

Este cristão acaba de voltar para sua casa em Bartella, uma das aldeias cristãs recentemente liberadas no Iraque. No verão de 2014 os militantes do Estado Islâmico forçou sua família a fugir, deixando todos os seus pertences para trás. Nos últimos dois anos outras famílias migraram, mas sua família continuava sonhando em voltar para sua amada aldeia. Só para ver este sonho brutalmente quebrado depois de encontrar sua casa completamente destruída. “Não temos mais nada. Por que devemos ficar neste país por mais tempo? Perdemos toda esperança. “

Em outubro de 2016, quando o ataque ao EI começou e várias aldeias cristãs na Planície de Nínive foram liberadas, houve uma explosão inicial de alívio e celebração entre os cristãos deslocados em Erbil. De repente, seus sonhos de voltar para casa, de ter um futuro como cristãos em sua pátria, pareciam ganhar vida e estavam próximo de ser realizados.

Nas últimas semanas, líderes religiosos e equipes voluntárias da igreja têm mapeado o grau de devastação nas aldeias cristãs. Os resultados têm sido cada vez mais decepcionantes. Em grandes assentamentos cristãos como Bartella, Qaraqosh e Karamles cerca de oitenta por cento das casas estão completamente destruídas por bombas aliadas e morteiros, ou queimadas pelo EI.

O irmão Thabet, líder religiosos da aldeia de Karamles, confirma este relatório. Ele diz que é claro que o EI ateou fogo às casas cristãs apenas dias e, em alguns casos, horas antes de serem expulsos de Karamles pelas forças aliadas.

Mas, ainda assim, Thabet está ansioso para reconstruir sua aldeia, e com uma equipe de voluntários ele já está limpando toda a sujeira e recuperando objetos de sua igreja. Mas ele admite que retornar aqui exigirá muito trabalho. “Temos de nos preparar para um longo período de reconstrução. No entanto, acredito firmemente que este é um terreno cristão, e vou trabalhar duro para ajudar os cristãos a retornar a este lugar, se Deus quiser, para viver aqui em paz “.

Ore pela reconstrução do Iraque. Que os cristãos tenham força e graça para voltar e reconstruir suas cidades.

https://www.portasabertas.org.br/noticias/2016/12/casas-de-cristaos-sao-queimadas

Arábia Saudita: Cristãos são acusados por “posse de Bíblias e oração”

Faz pouco tempo que a polícia religiosa recebeu autorização do governo para deter cristãos; as leis no reino saudita são contraditórias

Recentemente, 27 cristãos de origem libanesa, entre eles mulheres e crianças, foram presos por participar de um evento religioso realizado na Arábia Saudita. A polícia religiosa invadiu suas casas, perto de Meca, e os levou para a prisão, acusando-os de “realizar orações cristãs” e por “posse de Bíblias”. Os cristãos perderam seus vistos e foram deportados para o Líbano em seguida.

A Arábia Saudita é o maior país árabe da Ásia e da Península Arábica, ocupando a 14ª posição na atual Classificação da Perseguição Religiosa. Faz pouco tempo que a polícia religiosa recebeu autorização do governo para deter cristãos. “Orar e possuir Bíblias é uma acusação absurda para turistas, já que eles têm o direito de viajar com suas Bíblias para uso pessoal. Os policiais fizeram isso com os viajantes por que as autoridades negam a existência de cristãos sauditas no país”, comenta um dos colaboradores da Portas Abertas.

As leis no Reino Saudita são contraditórias. Por um lado, o governo reconhece o direito dos não-muçulmanos de adorar em particular, mas por outro lado, a polícia religiosa, muitas vezes, não respeita esse direito. Como a lei não está formalmente codificada, a situação jurídica da prática religiosa privada permanece confusa, o que torna a situação dos cristãos muito delicada, como ilutrou esse incidente. Ore por essa nação.

https://www.portasabertas.org.br/noticias/2016/10/cristaos-sao-acusados-por-posse-de-biblias-e-oracao

Iniciativas estimulam alemães a abrigar refugiados em suas casas

Com o crescente número de imigrantes que chegam à Alemanha fugindo da violência de seus países e a superlotação de abrigos, cidadãos e governo buscam soluções de moradia.

Diante do crescente número de refugiados chegando diariamente à Alemanha e a superlotação de abrigos temporários do país, iniciativas da sociedade civil e do governo têm buscado novas formas de abrigar esses imigrantes, inclusive oferecendo moradia temporária na casa de alemães.

É o caso do Flüchtlinge Willkommen (“Bem-vindos, Refugiados”, em alemão), que funciona como o popular site Airbnb – mas que, em vez de turistas, é voltado para quem se sentiu obrigado a deixar seu país.

Desde novembro, o Flüchtlinge Willkommen já intermediou o aluguel de 80 quatros na Alemanha e recebeu mais de 1,5 mil ofertas de pessoas que desejam abrigar refugiados.

O portal surgiu quando três jovens de Berlim decidiram oferecer um quarto vago no seu apartamento.

“Ia fazer intercâmbio no Egito e precisava alugar meu quarto durante esse período. Já acompanhava a situação dos refugiados havia algum tempo e tive a ideia de proporcionar uma nova casa a alguém, já que faltam abrigos para quem pede asilo atualmente”, disse Mareike Geiling, uma das fundadoras do site, ao jornal Spiegel Online.

Seus colegas de apartamento, Jonas Kakosche e Golde Ebding, aprovaram a proposta, e os três recolheram doações com amigos e familiares para bancar o aluguel do quarto.

Em duas semanas, já tinham o suficiente para seis meses de aluguel. Bastou, então, encontrar o novo morador.

“Um amigo nos apresentou ao Bakary, um ourives que fugiu do Mali e vivia nas ruas de Berlim. No mesmo dia, ele se mudou para o nosso apartamento”, contou Geiling.

A experiência deu certo, e eles desenvolveram um site para que amigos pudessem fazer o mesmo.

O Flüchtlinge Willkommen acabou se tornando a primeira plataforma online de aluguel de quartos do tipo.

A iniciativa já tem adeptos também na Áustria, onde o projeto foi lançado em janeiro passado. Pelo site austríaco, já foram intermediados mais de 40 quartos.

Financiamento coletivo
O processo para quem deseja disponibilizar um quarto é simples. Primeiro, é preciso preencher um formulário no site sobre o apartamento e seus moradores.

A partir de então, parceiros locais procuram refugiados que mais se adaptam ao perfil do grupo e intermediam o contato. Se ambos concordarem, o quarto é alugado.

O aluguel pode ser pago de diferentes formas. Muitas vezes, é usado o auxílio mensal para moradia oferecido pelos governos de Estados alemães para refugiados em situação legal.

O valor do benefício varia conforme o tamanho e a região do apartamento.

Os criadores do Flüchtlinge Willkommen também sugerem o sistema de financiamento coletivo, em que cidadãos podem fazer microdoações para pagar a estadia.

Outras iniciativas

Alemanha é um dos principais destinos de refugiados na Europa (Foto: AFP Photo/Christof Stache)Alemanha é um dos principais destinos de refugiados na Europa (Foto: AFP Photo/Christof Stache)

Além do Flüchtlinge Willkommen, há outras iniciativas que intermedeiam não somente o aluguel de quartos para refugiados, mas também de apartamentos.

Em Berlim, o Trabalho de Assistência e Juventude Luterana (EJF, na sigla em alemão) foi a organização escolhida pelo Departamento Estadual para Saúde e Assuntos Sociais (LaGeSo) para administrar esse sistema de aluguéis.

O processo é um pouco mais burocrático do que o do Flüchtlinge Willkommen. Os interessados precisam, primeiro, entrar em contato por telefone com a central do EJF.

Depois, os funcionários da organização analisam as informações, enviadas por escrito, sobre o espaço oferecido.

Caso o local seja considerado apropriado, três famílias ou refugiados, juntamente com um intérprete, fazem uma visita para conhecer o imóvel. O proprietário escolhe entre eles quem ficará no apartamento.

Se o proprietário desejar cobrar pelo aluguel, a LaGeSo fica responsável pelo pagamento e das despesas adicionais.

Desde janeiro até julho, o EJF já intermediou o aluguel de 81 apartamentos e quartos na capital alemã.

A porta-voz do EJF, Julie von Stülpnagel, ressaltou à BBC Brasil, porém, que essas moradias são destinadas somente a requerentes de asilo que possuem permissão para ficar no país, mas ainda não foram reconhecidos oficialmente como refugiados.

Só vontade não basta
Com o aumento do interesse de alemães em receberem refugiados em casa, a organização alemã de direitos humanos Pro Asyl (Pró-Asilo) fez um alerta: apenas a solidariedade não é suficiente para o sucesso dessa experiência.

A organização destacou que refugiados têm vontades próprias, nem todos são abertos e simpáticos e que é preciso ter isso em mente na hora de decidir dividir uma casa.

A ONG recomendou ainda que os interessados levem também em consideração que muitos refugiados vêm de contextos culturais diferentes e que alguns sofreram traumas em seu país ou durante a viagem.

Por isso, muitos precisam morar em locais que ofereçam na vizinhança determinados serviços voltados para eles, como apoio psicológico ou de assessoria para pedidos de asilo.

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2015/09/iniciativas-estimulam-alemaes-a-abrigar-refugiados-em-suas-casas.html

Bombardeio de coalizão árabe pró-governo atinge Ministério da Defesa do Iêmen

CAIRO – Um bombardeio da coalizão árabe que tenta derrubar os rebeldes xiitas houthis e devolver o presidente Abed Rabbo Mansour Hadi ao Iêmen atingiu o Ministério da Defesa, segundo testemunhas citadas pela AFP. Novos ataques aéreos na capital, Sanaa, também quase acertaram um sítio histórico de 3 mil anos, protegido pela Unesco.

De acordo com testemunhas, não houve mortos ou feridos no ataque aéreo. Não foi explicado se o ataque tinha intenção de atingir o prédio, que estaria vazio. Uma rede de televisão que transmitia pronunciamentos do ex-ditador Ali Abdullah Saleh também foi alvejada. Outro local que quase acabou atingido por caças sauditas foi o sítio de Bab al-Yemen, entrada da cidade antiga de Sanaa.

Os iranianos apelaram contra o os bombardeios liderados por Riad, onde Hadi está refugiado. O presidente Hassan Rouhani e o líder supremo do país, o aiatolá Ali Khamenei, consideram os ataques um genocídio, e pedem um cessar-fogo. Xiita, o país é acusado de dar apoio aos rebeldes, mas nega.

Dezenas de pessoas morreram após bombardeios errarem o alvo no Iêmen nas últimas semanas, de acordo com a Human Rights Watch. Os alvos principais são campos e bases houthis.

A organização e a ONU fizeram um apelo para que a coalizão garanta a segurança das pessoas que vivem em áreas densamente povoadas. Bombardear alvos nestas áreas pode ser considerado crime de guerra.

A situação humanitária piora a cada dia, e os hospitais, que carecem de medicamentos, não podem atender às centenas de feridos do conflito. Mais cedo, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha afirmou ter enfrentado muitos problemas logísticos para proporcionar ajuda.

— Temos as autorizações para enviar um avião de carga com material médico, mas cada vez menos aeronaves podem pousar no aeroporto da capital Sanaa, em mãos dos rebeldes xiitas — explicou Sitara Jabeen, um porta-voz da CICV.

Cerca de 48 toneladas de medicamentos e de kits cirúrgicos esperavam autorização para serem levados para o Iêmen por avião ou barco, segundo a CICV, que também está pronta para expedir tendas, geradores e equipamentos para reparar as redes de fornecimento de água.

http://oglobo.globo.com/mundo/bombardeio-de-coalizao-arabe-pro-governo-atinge-ministerio-da-defesa-do-iemen-15822660

Casas de civis bombardeadas por aviões sauditas em Sana, no Iêmen

Muitas casas de civis foram destruídas pelos bombardeios aéreos sauditas que têm continuidade nas regiões do norte da capital iemenita Sana’a.

Como os ataques aéreos sauditas continuaram no sábado, dezenas de residências foram destruídas, deixando dezenas de civis em necessidade de cuidados médicos em Sana.

http://www.presstv.ir/Detail/2015/04/04/404714/Saudi-airstrikes-target-homes-in-Sanaa

Boko Haram incendeia casas na Nigéria

Militantes do Boko Haram incendiaram casas em cidade do nordeste da Nigéria (Baga), obrigando os moradores a fugir, segundo testemunhas.

“Eles vieram para a cidade em torno de 12:00h, avisando que qualquer um que quisesse deixar a cidade deveria deixá-la imediatamente e logo depois eles começaram a incendiar as casas”, disse um residente de Umar Kaká.

Os incêndios forçaram um grande número de moradores a fugir para a capital do estado de Borno Maiduguri.

No sábado, os militantes disseram aos moradores da cidade que está no controle de Boko Haram para sairem antes que eles ateassem fogo em suas casas antes da chegada das tropas nigerianas que tentam retomar a cidade.

“Nem todos os moradores poderiam sair porque alguns são muito doentes ou idosos para sair e estamos com medo que eles venham queimá-los nas casas”, acrescentou Kaká.

Percebemos que os soldados estavam chegando. Eles avançaram em Bama em duas frentes e encontraram alguma resistência no Boboshe e Yale, mas conseguiram rechaçar os pistoleiros do Boko Haram”, disse Ibrahim Kyari, outro residente Bama.

Bama tem estado no controle dos militantes desde o início de setembro, quando foi apreendida juntamente com várias cidades e aldeias no nordeste de Borno, Adamawa e Yobe, na fronteira com o Chade, Camarões e Níger.

Os militantes do Boko Haram mataram grande número da população da cidade, forçando centenas de moradores a tentarem  escapar.

Durante as últimas semanas, as tropas nigerianas apoiadas por soldados do Chade, Níger e Camarões têm retomado a maioria das cidades.

Boko Haram, cujo nome significa “a educação ocidental é proibida”, controla partes do nordeste da Nigéria.

Ele assumiu a responsabilidade por uma série de ataques mortais a tiros e bombardeios em várias partes da Nigéria desde o início de suas atividades, em 2009, que deixaram mais de 13.000 mortos e 1,5 milhão de desabrigados.

Boko Haram declarou recentemente lealdade ao grupo ISIL Takfiri que está a cometer crimes hediondos contra a humanidade em áreas sob seu controle no Iraque, Síria e Líbia.

http://www.presstv.ir/Detail/2015/03/15/402005/Boko-Haram-torches-Nigerian-town