Arquivo da tag: #chicotadas

Pelo menos 20 iranianos foram chicoteados por quebra de jejum no Ramadã

“Pelo menos 20 iranianos foram açoitados por quebrar o Ramadã”, de Fatih Karimov, Trend News Agency , 11 de junho de 2017 (graças à Religião da Paz ):

Pelo menos 20 cidadãos iranianos foram chicoteadas na província de Qazvin, no noroeste do país, devido à quebra do jejum do Ramadã.

Procurador da província de Qazvin, Esmail Sadeghi Niaraki disse que as pessoas mencionadas foram condenadas a multa e chicoteadas devido a comer em público durante as horas de jejum no mês do Ramadã, informou a agência de notícias Irmã, Mehr, em 11 de junho.

Ele ainda disse que até agora 90 pessoas foram presas em Qazvin devido à quebra do jejum do Ramadã, acrescentando que um tribunal especial está revendo os casos ….

Diz-se que, de acordo com a lei no Irã, as pessoas que quebram seus jejuns em público são passíveis de entre 10 a 60 dias de prisão ou 74 chicotadas.

https://www.jihadwatch.org/2017/06/at-least-20-iranians-lashed-for-breaking-ramadan-fast

Seis mulheres e cinco homens são condenados a 300 chicotadas e um ano de prisão na Arábia Saudita depois que os vizinhos denunciaram festa em uma casa à beira-mar

Seis mulheres e cinco homens foram presos e condenados a 300 chicotadas após a realização de uma festa com embriaguez numa praia na Arábia Saudita.

O grupo foi acusado de “obscenidade” depois que a polícia encontrou álcool e imagens indecentes durante uma incursão em uma casa na cidade de Jedda.

Alguns estavam bêbados e resistiram à prisão depois que os oficiais da equipe foram chamados para a propriedade após sequência de queixas de vizinhos.

Sob a lei saudita, as mulheres não podem se misturar com os homens, a menos que eles sejam parentes.

O grupo foi inicialmente condenado a penas de prisão que variam de oito dias a um ano e 150 chibatadas, segundo relato de Breitbart .

Mas suas penas foram aumentadas e suas sentenças de flagelação aumentadas para 300 chicotadas depois de um apelo ser indeferido.

A Arábia Saudita tem algumas das mais rigorosas leis islâmicas no mundo.

Beber é proibido e as mulheres devem cobrir-se em público e não se misturar com o sexo oposto.

Read more: http://www.dailymail.co.uk/news/article-3440153/Six-women-five-men-sentenced-300-lashes-year-prison-Saudi-Arabia-neighbours-reported-having-party-beachside-villa.html#ixzz3zlBFLJ41
Follow us: @MailOnline on Twitter | DailyMail on Facebook

Canadá defende libertação de blogueiro condenado a chicotadas

“Estamos determinados a continuar na defesa de Raif Badawi; na defesa dos direitos humanos em todo mundo. E este é um caso flagrante de que esses direitos fundamentais foram suprimidos”, enfatizou.

A declaração da ministra foi dada em referência a uma carta enviada pela Embaixada da Arábia Saudita no Canadá, no dia 10 de março, ao parlamento quebequense, condenando qualquer tipo de interferência nos assuntos internos do país árabe.

A carta pode ser considerada uma resposta do governo saudita a uma moção aprovada pelos parlamentares da província, em fevereiro deste ano, em solidariedade a Badawi, condenando sua flagelação pública e pedindo a libertação do blogueiro.

No documento, o governo saudita expressa “forte surpresa” e diz que “o Reino (da Arábia Saudita) não aceita nenhuma forma de interferência em seus assuntos internos, e rejeita a invasão do seu direito soberano ou o comprometimento da sua independência e integridade judiciária, onde não há poder sobre os juízes em suas decisões”. Afirma ainda que o “Reino (da Arábia Saudita) não aceita de forma alguma nenhum ataque em nome dos direitos humanos, especialmente quando sua constituição é baseada na lei islâmica, o que garante os direitos humanos”.

A Ministra da Imigração, da Diversidade e da Inclusão da província de Québec, no Canadá, Kathleen Weil, afirmou hoje (1º) que a província continuará a defender a libertação do blogueiro saudita Raif Badawi, preso na Arábia Saudita por insultar o Islã. Ele foi condenado à pena de mil chicotadas e dez anos de prisão, além do pagamento de multa de quase 300 mil dólares canadenses (US$ 237.830).

No dia 9 de janeiro, uma sexta-feira, o blogueiro Raif Badawi, que havia sido preso em 2012, recebeu as primeiras 50 chibatadas em público. A pena deveria continuar a ser executada a cada sexta-feira, até que o total de mil fosse atingido. Mas isso não aconteceu. Desde então e até o momento, os golpes de chibata foram suspensos. As razões não são explícitas. A princípio estão relacionadas à saúde do condenado.

A esposa do blogueiro, refugiada com os filhos no Québec, na cidade de Sherbrooke, recebe o apoio da organização não governamental de defesa de direitos humanos Anistia Internacional, para mobilizar pessoas e sensibilizar governos em várias partes do mundo pela libertação de Raif Badawi.

Segundo a ONG, mais de 175 mil canadenses já se pronunciaram por escrito e online em favor das petições por Badawi.

Ainda em janeiro, o então ministro canadense das Relações Exteriores, John Baird, havia se pronunciado sobre a condenação do blogueiro, qualificando-a como “violação da dignidade humana e da liberdade de expressão” e pedindo “clemência”.

http://www.noticiasaominuto.com.br/internacional/90255/canad%C3%A1-defende-liberta%C3%A7%C3%A3o-de-blogueiro-condenado-a-chicotadas#.VRyqT_nF9ic