Arquivo da tag: #criança

Suécia: Polícia se recusa a publicar descrição de três homens que estupraram uma menina de dez anos

É provável que isso ocorra porque 92% dos estupros na Suécia são cometidos por imigrantes , e o governo e a mídia suecos pretendem ocultar essas informações e manter as pessoas ignorantes e complacentes com relação ao que está acontecendo com seu país por causa do influxo de migrantes muçulmanos.

Mas agora essa determinação de impedir as pessoas de desenvolver pensamentos negativos sobre os imigrantes muçulmanos na Suécia está interferindo ativamente na segurança pública.

“Criança sueca violada por ‘três homens’ a caminho de casa: a polícia se recusa a dar descrição dos perpetradores”, Voz da Europa , 6 de maio de 2018:

Uma menina de 10 anos foi atacada por três homens depois que ela deixou a escola e estava voltando para casa. A criança foi estuprada em um cemitério em Östervåla, nos relatórios da Aftonbladet na Suécia .

Era quinta-feira, por volta das 15:00h, o terrível incidente ocorreu. Segundo a polícia, três perpetradores estavam envolvidos. Pelo menos um deles estuprou a garota.

“Nenhuma pessoa foi presa, mas recebemos uma boa descrição dos criminosos. Nós não queremos publicá-lo na mídia ”, diz o investigador da polícia Daniel Nilsson à SVT .

Com informações de Jihad Watch e imagem de Red Ice

Anúncios

Filho de jihadista do Estado islâmico com 8 anos pergunta ao pai: “como você mata um não-muçulmano?”

– Como você mata um australiano? Filho de oito anos, de terrorista do Estado Islâmico usa um colete suicida e usa pistola, metralhadora e faca com ameaças para matar “, por Bryant Hevesi, Daily Mail Austrália , 30 de abril de 2017:

O filho de um terrorista do Estado islâmico foi filmado por seu pai fazendo ameaças para matar australianos.

O filho de Khaled Sharrouf Humzeh, oito anos, foi filmado usando um colete suicida e às vezes com uma pistola Glock, metralhadora automática e uma faca na mão em vídeo aterrorizante.

O menino de oito anos de idade é o caçula de cinco filhos de Sharrouf, e ele deixou a Austrália com sua falecida mãe, Tara Nettleton, em 2013, para ficar com o seu pai no exterior.

As autoridades antiterroristas disseram estar cientes do vídeo …

https://www.jihadwatch.org/2017/04/eight-year-old-son-of-islamic-state-jihadi-asks-father-how-do-you-kill-a-non-muslim

 

Filha de brasileira está entre os mortos no ataque em Nice

Entre os 84 mortos do atentado em Nice está uma menina de 6 anos, filha de uma brasileira, e possivelmente sua mãe. Elizabeth Cristina de Assis Ribeiro estava com o marido e as três filhas quando o caminhão avançou sobre a multidão. O pai ainda conseguiu salvar as duas filhas mais novas, mas Kayla e Elizabeth foram atropeladas, segundo o jornal “Extra”. A menina morreu e a família, no Rio de Janeiro, ainda não tem notícias da mãe, que foi levada para o hospital.

— Sabíamos que eles estavam passando férias em Nice, num hotel próximo ao local onde aconteceu a tragédia — afirmou Diego Marinho dos Santos de Souza, sobrinho de Elizabeth.

Entre os mortos, estão estrangeiros como americanos, suíços e alemães. Embora o Ministério de Relações Exteriores afirme não ter informações sobre vítimas brasileiras, há relatos de três feridos. Um deles foi Anderson Happel.

— Empurrei minha irmã e, quando fui tentar correr, o para-choque bateu na minha perna esquerda, e caí do outro lado. Todo mundo corria em pânico, chorando. Tinha muita criança morta — relatou.

Outra brasileira escapou por pouco do atentado. Juliana Solberg está na França para um curso de francês e acabou se refugiando em uma casa. Como no atentado de Paris, em novembro, muitos franceses abriram suas casas para quem fugia do caos.

— Uma senhora abriu as portas e nos deixou dormir lá. Nunca senti tanto medo.

ABRIGO EM HOTÉIS

Outros tiveram mais sorte. De férias na cidade, Débora e Miikka Rosendahl assistiram à chegada do caminhão pouco depois da queima de fogos no Passeio dos Ingleses, mas saíram ilesos.

— Quando vimos que o caminhão estava correndo, batendo em placas e vindo na direção das pessoas, nós corremos. Corremos muito, até chegar ao nosso hotel — contou a jornalista, que mora na Finlândia. — Vamos embora hoje (ontem), não quero mais ficar aqui — encerrou Débora.

Radicada há 20 anos em Nice, a psicóloga Suerda Albuquerque de Sena contou que, após a queima de fogos, ouviu muito gritos e o som dos carros de bombeiros. Ela chegou a pensar que fosse o barulho da festa, mas logo começou a receber mensagens de amigos que se refugiaram em hotéis. Segundo ela, a polícia pede para as pessoas evitarem os lugares públicos.

De férias com a família, Gabriela Rabaldo jantava a cerca de 500 metros do local do ataque e viu quando a grande multidão começou a correr pelas ruas. Passado o susto, conta:

— Muitas pessoas estão circulando pelas ruas e indo para o trabalho. Tentam voltar à rotina.

Morando há uma ano na cidade, a tradutora Carolyn Oliveira, de 31 anos, contou que estava no Brasil e chegou à França a tempo de participar das comemorações do dia da Bastilha.

— Eu e meu marido começamos a correr e nos refugiamos em um bar. Foi assustador. Os seguranças da casa desligaram as luzes e pediram para que nos afastássemos das janelas — contou.

O marido de Carolyn é professor em uma universidade e não recebeu aviso para ficar em casa. Segundo ela, as pessoas estão voltando ao trabalho.

Há vários estrangeiros entre as vítimas. Uma professor e duas alunas alemãs estão entre as vítimas. Elas são da escola Paula Fürst, de Berlim, e estavam em Nice comemorando o fim dos exames. Um ucraniano e um suíço estão mortos, enquanto um casal idoso italiano está desaparecido. Angelo D’Agostino, de 71 anos, e Gianna Muset, de 68, estariam nas celebrações quando o caminhão avançou contra a multidão.

O atentado também acabou com a vida dos americanos Sean Copeland, de 52 anos, e de seu filho, Brodie, de 11. Os dois viviam em Austin, no Texas, e passavam férias na Riviera Francesa. “Perder uma pessoa querida é muito duro em qualquer circunstância. Mas perdê-la numa tragédia como essa é insuportável”, disse Haley Copeland, sobrinha de Sean, no Facebook.

A russa Viktoria Savchenko, de 20 anos, é outra vítima. A jovem estudava na Academia Russa de Finanças, em Moscou, e passava férias em Nice com a amiga Polina Serebryannikova. As duas caminhavam pela costa quando viram o caminhão vindo na direção delas.

— O caminhão se movia numa direção estranha. Minha amiga foi golpeada e morreu. Eu fui levada para um hospital porque quebrei os dedos de um dos pés. A outra perna está inchada.

Com agências internacionais

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/filha-de-brasileira-esta-entre-os-mortos-no-ataque-em-nice-19731293#ixzz4EaSoYq9Q
© 1996 – 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Criança de Gaza queimada em incêndio é tratada em hospital israelense e Hamas denuncia crise de energia elétrica

Ramat Gan (TPS) – Uma criança palestina com queimaduras graves está sendo tratada em um hospital israelense depois de um incêndio devastador em uma casa em Gaza que tirou a vida de seus três irmãos pequenos no sábado (7/5). A tragédia abalou a Faixa de Gaza e estimulou acusações entre as duas facções palestinas dominantes, Hamas e Fatah da Autoridade Palestina (AP).

Continuar lendo Criança de Gaza queimada em incêndio é tratada em hospital israelense e Hamas denuncia crise de energia elétrica

Ataque químico do Estado Islâmico mata menina e fere 600 no Iraque

Jihadistas já conduziram vários bombardeios com material potencialmente fatal.

BAGDÁ – O Estado Islâmico lançou dois ataques químicos na região da cidade de Kirkuk (Norte do Iraque), segundo funcionários iraquianos. Neste sábado, o país informou que uma menina morreu e mais de 600 pessoas foram expostas, ficando feridas. Outras centenas teriam fugido da região para evitar a ameaça jihadista,

De acordo com funcionários médicos e de segurança, o ataque mais recente ocorreu no vilarejo de Taza, também atingido por foguetes com agentes químicos ainda não identificados.

Sameer Wais, pai da menina Fatima, de 3 anos, perdeu a filha após ela ser exposta ao material no foguete. Segundo ele, a menina ficou doente, mas parecia ter melhoras.

— Do nada, ela começou a piorar. Seu rosto inchou e seus olhos ficaram enormes. Depois sua pele escureceu e pedaços começaram a descamar. Na manhã, ela morreu — contou Sameer, citado por agências internacionais.

Outras vítimas estão sofrendo com queimaduras, asifixia e desidratação, disse Helmi Hamdi, enfermeira de Taza.

O Estado Islâmico já realizou ataques com gás mostarda e outros agentes químicos na Síria e no Iraque. Civis, rebeldes e forças do governo de Bashar al-Assad foram atingidos. Milhares de pessoas morreram em ataques semelhantes, pelos quais Assad também já foi acusado.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/ataque-quimico-do-estado-islamico-mata-menina-fere-600-no-iraque-18862653#ixzz42smS2wGF
© 1996 – 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Babá que decapitou criança russa diz ter obedecido ordens de Alá

Investigadores acreditam que outras pessoas tenham instigado mulher a cometer crime.

MOSCOU — A mulher que decapitou uma criança sob seus cuidados e mais tarde exibiu a sua cabeça pelas ruas de Moscou pode ter sido instigada a cometer o crime por outras pessoas, dizem os investigadores. Nesta quarta-feira, quando estava caminho do tribunal, Gulchejra Bobokulova reconheceu a autoria do crime e afirmou que obedecia ordens de Alá — embora estivesse arrependida do crime que impressionou o mundo todo.

Ao prestar depoimento, ela estava de cabeça descoberta e parecia relaxada, chegando a bocejar ocasionalmente — um contraste com sua aparência de segunda-feira, quando Gulchejra vestia preto e usava um hijab.

— Sou mensageira de Alá. Olá a todos — disse a mulher sentada na jaula de metal reservada para réus nos tribunais russos.

A polícia russa teve que conter e atirar ao chão a mulher de 38 anos, divorciada e mãe de três filhos, que foi flagrada segurando a cabeça decepada da criança no alto e gritando slogans islâmicos pelas ruas de Moscou — como “Sou uma terrorista” e “Alá é grande” — na segunda-feira. Na ocasião, testemunhas disseram ter temido que ela realizasse um atentado terrorista.

Autoridades também afirmam que Gulchejra, natural do Uzbequistão, trabalhava como babá para uma família moscovita. Ela matou e decapitou uma das crianças sob seus cuidados quando os pais saíram de casa com o filho mais velho — e então incendiou o apartamento da família e fugiu.

As imagens da mulher exibindo a cabeça da criança nas proximidades de uma estação de metrô foram reproduzidas pelo mundo. No entanto, canais de TV estatais não relataram o incidente, uma decisão apoiada pelo Kremlin sob a justificativa de que as cenas são fortes demais.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/baba-que-decapitou-crianca-russa-diz-ter-obedecido-ordens-de-ala-18786096#ixzz41nTKHYoR
© 1996 – 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

 

Babá é presa em Moscou após suspeita de decapitar criança

MOSCOU — A polícia russa prendeu nesta segunda-feira uma babá suspeita de decapitar uma menina em Moscou depois que a imprensa local a fotografou com uma cabeça perto de uma movimentada estação de metrô da capital, gritando: “Sou uma terrorista”. Segundo as autoridades, ela teria realizado o crime antes de atear fogo no apartamento dos pais da vítima.

A mulher, que usava um véu islâmico no momento da detenção, foi levada a um centro psiquiátrico para que profissionais avaliassem se ela é mentalmente sã e compreende o significado de seus atos. Segundo a rede russa LifeNews, a suspeita foi identificada como Gyulchekhra Bobokulova, de 39 anos, natural do Uzbequistão.

Na estação Oktyabrskoye Pole, um policial se aproximou da mulher para checar seus documentos. Ela então removeu a cabeça da criança de uma sacola e começou a gritar “Allahu Akbar” (Deus é grande), informou a mídia local.

Mais cedo, as autoridades de Moscou lançaram uma investigação criminal depois que os restos do corpo de uma criança, de entre 3 e 4 anos, foram encontrados em um apartamento carbonizado no Noroeste da cidade. Os ferimentos da criança indicavam morte violenta.

“De acordo com informações preliminares, a babá da criança, cidadã de um país da Ásia Central nascida em 1977, esperou os pais e o irmão mais velho saírem do apartamento para depois, por razões ainda não esclarecidas, matar a criança, atear fogo no apartamento e deixar a cena do crime”, resumiu o comunicado do Comitê Investigativo de Moscou.

http://oglobo.globo.com/mundo/baba-presa-em-moscou-apos-suspeita-de-decapitar-crianca-18771766

Menino de 4 anos explode carro com prisioneiros em novo vídeo do EI

RIO — O Estado Islâmico divulgou um novo vídeo nesta quinta-feira no qual mostra um menino britânico de apenas 4 anos explodindo um carro com três prisoneiros dentro. O garoto, conhecido como jihadi júnior Isa Dare, aparece com a mão em um detonador antes de gritar ‘Deus é grande’.

Este é o segundo vídeo do grupo extremista que mostra o menino, identificado como filho da mulçumana extremista Grace ‘Khadija’ Dare, que o levou para Síria e jurou lealdade ao Estado Islâmico. O primeiro foi divulgado em janeiro deste ano.

Nas imagens, Isa está vestido com roupas militares de camuflagem e uma faixa preta na cabeça. Além dele, um homem mascarado surge por perto e faz ameaças ao primeiro-ministro britânico, David Cameron.

— Prepare seu exército e reuna suas nações pois estamos também preparando o nosso — disse o homem com um sotaque britânico e que depois coloca a mão na cabeça de Isa.

O vídeo de oito minutos mostra os três prisioneiros confessando os seus crimes para a câmera e termina com um carro explodindo.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/menino-de-4-anos-explode-carro-com-prisioneiros-em-novo-video-do-ei-18649717#ixzz3zsT4B9zC
© 1996 – 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Um refugiado estuprou uma criança de três anos – o Conselho de Migração tentou esconder o incidente

Um refugiado de um centro de asilo no município de Tingsryd na Suécia, na terça-feira, estuprou uma criança de três anos. O responsável pelo centro de asilo soube do estupro durante o dia, e em colaboração com o Conselho de Migração sueco decidiu retirar o homem do alojamento para protegê-lo.

Eles também optaram por não entrar em contato com a polícia, a fim de esconder este incidente. No entanto, foi revelado quando os amigos da mãe da menina contataram a polícia oito horas depois.

Mas no centro de asilo, a polícia não poderia prender o homem, pois ele havia sido transferido para outro lugar, e os funcionários estavam relutantes em dizer à polícia a nova localização do homem, quem ele era , ou qualquer tipo de informação.

De acordo com um programa da Rádio Sueca, a polícia teve que entrar em contato com um responsável no Conselho de Migração e forçar  a extração da verdade dos responsáveis ​​do alojamento.

Quando um crime tão grave, um estupro de uma criança de 3 anos de idade está sendo julgado escondido por funcionários que trabalham com os refugiados, pode se imaginar quantos crimes menos graves que nunca relataram?

http://speisa.com/modules/articles/index.php/item.2121/a-refugee-raped-a-three-year-old-child-the-migration-board-tried-to-conceal-the-incident.html#.VilrqcTPJok.facebook

Criança decapita soldado sírio em vídeo divulgado pelo Estado Islâmico

O Estado Islâmico divulgou um vídeo no qual uma criança decapita de forma fria um capitão do exército sírio, nesta quinta-feira (16). De acordo com o site Intelligence Group, especializado na cobertura do terrorismo internacional, o assassinato ocorreu na província de Homs, na região central do país. Até às 21h desta quinta-feira (16), ainda não havia sido confirmada a autenticidade do material.

Casos de crianças agindo em nome do Estado Islâmico não são novidade. Em vídeo divulgado em janeiro, um pequeno garoto aparece ao lado de um rebelde do grupo antes de atirar na cabeça de um refém.

Leia mais:
Em vídeo do Estado Islâmico, criança aparece atirando em refém

Mas as crianças não são usadas apenas como soldados pelos rebeldes. Relatos de assassinatos brutais em massa contra meninos e meninas já se tornaram comuns na região dominada pelo grupo dentro de uma ampla parte dos territórios sírio e iraquiano.

Relatório da Organização das Nações Unidas de fevereiro já afirmava que o grupo decapita e queima crianças vivas. No início da semana, o chefe do comitê de segurança da província iraquiana de Diyala, Sadiq al-Husseini, afirmou que integrantes da organização explodiram um bebê à distância durante um treinamento.

Close da faca utilizada pela criança para o assassinato: banalizando a violência extrema
Reprodução

Close da faca utilizada pela criança para o assassinato: banalizando a violência extrema

15 mil mortos 
De acordo com números divulgados pela Organização das Nações Unidas na última segunda-feira (13), cerca de 15 mil civis foram mortos e outros 30 mil ficaram feridos no Iraque desde o início da guerra contra o Estado Islâmico, em 2014.

Segundo a ONU, os números devem ser ainda maiores, uma vez que o balanço, até abril, inclui apenas os dados que a organização teve acesso. O relatório sobre a proteção dos civis no conflito armado no Iraque aponta a existência de “pelo menos 44.136 vítimas civis, entre as quais 14.947 mortos”.

Milhares de combatentes iraquianos e de jihadistas do Estado Islâmico morreram no mesmo período, mas não existem estatísticas oficiais a respeito. O Iraque contabiliza ainda mais de 3 milhões de deslocados desde o início do conflito, segundo a Organização Internacional para as Migrações.

Leia também:
Estado Islâmico decapita e queima crianças vivas, diz ONU
Estado Islâmico queima piloto jordaniano vivo e divulga imagens na internet
Estado Islâmico explode bebê em treinamento no Iraque, diz chefe de segurança

Britânica que fugiu para se aliar ao Estado Islâmico se casa na Síria
Líder do Estado Islâmico no Afeganistão e Paquistão é morto em ataque de drone

O conflito começou em 2014 com uma grande ofensiva dos jihadistas na província de Al Anbar, a oeste de Bagdá, capital do Iraque. O Estado Islâmico conquistou depois vastos territórios, sobretudo no Norte, onde assumiu o controle de Mossul, a segunda cidade do país. As forças governamentais, com a ajuda dos ataques aéreos da coligação internacional, tentam há vários meses recuperar os territórios.

http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2015-07-16/crianca-decapita-soldado-sirio-em-video-divulgado-pelo-estado-islamico.html