Arquivo da tag: #discurso de ódio

Copenhague: Imam acusado de pedir assassinato de judeus

“Copenhague imam acusado de chamar para a morte de judeus”, BBC News , 11 de maio de 2017:

Um vídeo de um imã que parece pedir o assassinato de judeus em um sermão durante as orações de sexta-feira em uma mesquita de Copenhague causou indignação na Dinamarca.

Mundhir Abdallah foi denunciado à polícia depois de ser filmado citando em árabe um hadith – um ensinamento do Profeta Muhammad – considerado antissemita.

O hadith diz que o Dia do Juízo “não virá a menos que os muçulmanos lutem contra os judeus e os matem”.

Um líder da comunidade judaica disse que suas palavras eram uma ameaça “mal disfarçada”.

Vídeos do sermão foram postados no YouTube e Facebook pela Mesquita Al-Faruq no domingo, embora Abdallah teria dito, em 31 de março.

Uma parte do discurso de 30 minutos foi posteriormente traduzido pelo Instituto de Pesquisa de Mídia do Oriente Médio (Memri), com sede em Washington.

No vídeo, Abdallah é visto de pé na frente de uma bandeira negra com o Shahadah escrito sobre ele, semelhante àqueles usados ​​por grupos jihadistas como a Al-Qaeda.

Ele declara que em breve haverá um “califado” – um estado governado de acordo com a lei islâmica, ou Sharia – que vai ter jihad para unir a comunidade muçulmana e libertar a mesquita de Al-Aqsa em Jerusalém “da sujeira dos sionistas”.

Então, ele diz “as palavras do Profeta Muhammad serão cumpridas” e cita o hadith.

O líder da comunidade judaica Dan Rosenberg disse ao jornal Politiken: “Estamos preocupados que pessoas fracas e impressionáveis ​​possam perceber esse tipo de pregação como um claro apelo à violência e ao terror contra os judeus”.

O ministro da Imigração e Integração, Inger Stojberg, também expressou indignação.

“Isso é completamente absurdo, antidemocrático e terrível”, escreveu o político de centro-direita Venstre no Facebook ….

https://www.jihadwatch.org/2017/05/copenhagen-imam-accused-of-calling-for-murder-of-jews

Anúncios

Clérigo muçulmano é condenado por discursos que incitam massacre de judeus

Jerusalém (TPS) – Um clérigo muçulmano foi condenado por incitação, por ter proferido discursos no Monte do Templo nos quais ele disse que os judeus deveriam ser “massacrados” e que eles eram semelhantes aos “macacos e porcos”.

A sentença foi proferida pelo juiz Samuel Herbst no Tribunal de Magistrados de Jerusalém, condenando o xeique Omar Abu Sara por incitação à violência e por divulgação de incitação ao racismo.

Segundo a acusação, o xeique Abu Sara falou na capela Qibli da Mesquita Al-Aqsa em novembro de 2014 sobre “as características dos judeus de acordo com o Alcorão”. O discurso foi aplaudido pelo público, filmado, e carregado no dia seguinte para o YouTube.

No discurso, Abu Sara comparou judeus com “macacos e porcos” e os acusou de assassinar o profeta islâmico Maomé, juntamente com outros profetas. Ele também disse que os judeus têm de ser massacrados.

“Eu digo aos judeus explicitamente: É hora de massacrar vocês, lutar com vocês e matar vocês”, ele pregou. “Aguardamos o dia e momento quando chegar a hora de acabar com vocês, e vamos enfrentá-los, se Deus quiser (…) Deus, por favor acelera aquele dia, agiliza o dia da morte deles, acelera o dia em que purificamos Al-Aqsa da sua sujeira, acelera o dia em que um estado califado islâmico seja estabelecido”.

Em seu veredicto, o juiz Herbst disse que “quando eu olho para o réu vejo um ser humano, e é profundamente lamentável que quando ele olha para mim, ele veja um macaco ou um porco, destinado a ser impiedosamente exterminado”.

“Judeus e árabes vivem lado a lado em Israel, e isso não vai mudar”, Herbst continuou. “O réu e seus semelhantes inflamam tensão constante, que começa com discursos e termina com o atual registro de crianças e jovens segurando facas e direcionando-as para os corpos, a carne e gargantas de membros de outra nação”. “É hora de parar esta incitação, na Internet, em reuniões, e em locais de culto”, concluiu.

A queixa foi apresentada pela Honenu, uma organização de ajuda legal, em nome de Yehuda Glick, um conhecido defensor dos direitos dos judeus no Monte doTemplo, pouco depois de Glick sobreviver a um atentado contra sua vida por um terrorista palestino.

Em resposta à condenação, Honenu saudou a decisão, mas acrescentou que “infelizmente, quando se trata de incitação contra os judeus, cabe aos cidadãos e organizações ajudar o sistema legal a fazer o seu trabalho. Esperamos que estas mudanças políticas e que a polícia e o procurador da República façam o seu trabalho fielmente”.

“Espero que ele receba o castigo que ele merece”, comentou Yehuda Glick. “Eu também espero que isso desencoraje outros e que o Monte do Templo possa voltar a ser um centro de paz e não de incitação”.

Fonte: TPS / Texto: MichaelBachner / Tradução: Alessandra Franco 

Fonte: Agência Tazpit