Arquivo da tag: #Filipinas

Filipinas: Catedral cancela celebrações da Páscoa depois que muçulmanos saqueiam e quebram imangens

“Catedral saqueada por extremistas ligados ao Estado Islâmico cancela celebrações da Páscoa”, por Alex WilliamsPremier , 24 de março de 2018:

As celebrações da Páscoa estão sendo canceladas em uma catedral nas Filipinas este ano, meses após o templo ter sido severamente danificado por extremistas ligados ao Estado Islâmico.

Fiéis que planejaram participar de cultos na Catedral de Santa Maria, na cidade de Marawi, estão sendo direcionados para igrejas menores na região.

O bispo de Marawi Edwin dela Peña foi citado pelo jornal Philippine Daily Inquirer dizendo: “Pela primeira vez em muitos anos, não realizaremos nenhum serviço na própria catedral.

“Mas em outras paróquias, teremos nossos cultos da Semana Santa.”

Extremistas atacaram St Mary’s durante os primeiros estágios do conflito sangrento de cinco meses em Marawi, entre grupos afiliados ao EI e ao governo filipino.

Os militantes acabaram sendo derrotados, mas não antes de a catedral ser atingida por balas por militantes que também se filmaram esmagando estátuas dentro do local de culto.

Com informações de Jihad Watch e imagem de Public Radio International

Filipinas: Muçulmanos fuzilam pastor após tentativa frustrada de convencer cristãos a abandonarem suas propriedades

Não havia muçulmano em Sultan Kudarat (Filipinas), apenas cristãos. No entanto, assim que os muçulmanos começaram a se mover para a cidade, eles imediatamente construíram uma grande mesquita junto à igreja local e exigiram que os cristãos deixassem suas terras e partissem. Quando os cristãos disseram que não, os muçulmanos tomaram uma metralhadora, encontraram o pastor local dessa igreja, e brutalmente assassinaram o religioso.

Perfecto Padilla, 52 anos, um dedicado pastor da igreja estava descansando em uma rede do lado de fora de sua casa em Sultan Kudarat, Filipinas, quando homens armados em motocicletas o fuzilaram em 11 de setembro, segundo relatório da instituição “Voz dos Mártires” (VOM).

Naomi viu o que aconteceu, e ela imediatamente correu para seu pai, chorando e gritando por socorro.

Um pastor chamado William, que estava visitando um membro da igreja nas proximidades, ouviu o grito e foi imediatamente prestar assistência. Ele trouxe Perfecto para o hospital mais próximo, mas o pastor da igreja já estava morto.

“Nosso pai era um bom pai. Ele nunca fez nada de errado. Por que isso aconteceu com ele? “, Perguntou ela. Pessoas que conheciam Perfecto disseram que ele era um fiel seguidor de Jesus e um pastor dedicado à igreja.

O representante da VOM observou que a aldeia onde a família vive já foi um lugar tranquilo. Isso foi durante o tempo em que não havia muçulmanos residentes que nas proximidades.

Mas agora, os muçulmanos chegaram à aldeia e até construiu uma mesquita muito perto da igreja. O representante da VOM disse que os novos colonos muçulmanos têm vindo a tentar forçar os cristãos na aldeia para vender suas propriedades.

Após a incursão muçulmana, aldeias cristãs vizinhas foram atacadas por homens armados, o que levou alguns moradores cristãos a fugirem.

O representante da VOM disse que assassinato de Perfecto poderia ser parte do esquema dos muçulmanos para afastar os cristãos da área para que eles pudessem se apropriar de mais terras. (fonte)

Sim, aos olhos dos muçulmanos, ele fez algo de errado. Seu crime foi ser um cristão.

Isso está acontecendo em todo o mundo a cada dia, e se o Ocidente não parar a invasão muçulmana maciça de suas nações, então os cristãos aqui também vão sofrer como ele.

Maiores informações: http://shoebat.com/2016/09/30/muslims-move-into-christian-neighborhood-and-demand-christians-leave-christians-say-no-muslims-take-a-machine-gun-and-brutally-murder-the-local-pastor-in-front-of-his-home/

Atentado a bomba deixa 14 mortos e 67 feridos em mercado nas Filipinas

Presidente estava em sua cidade natal; autoridades desconfiam de jihadistas.

DAVAO, Filipinas — Um atentado a bomba atingiu na noite desta sexta-feira um mercado da cidade de Davao, perto da casa do presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte. O governo confirmou que há 14 mortos e 67 feridos. As autoridades acreditam que o ataque tenha sido cometido por terroristas islâmicos.

Nas redes sociais, circulam imagens fortes dos efeitos da explosão. As imagens do local atingido — que estava lotado, como de costume nas noites de sexta-feira — mostravam destruição e corpos espalhados nos arredores, em frente ao hotel de luxo Marco Polo. Uma universidade próxima fechou as portas por segurança.

— As pessoas que vinham à escola para pedir ajuda estavam ensopadas de sangue — relatou o estudante John Rhyl Sialmo III.

Segundo as investigações preliminares, foram encontrados destroços de um artefato explosivo caseiro, informou o secretário de comunicação presidencial, Martin Andanar. Não foram identificados suspeitos.

— Há muitos elementos que estão furiosos com o nosso presidente e o nosso governo. Não descartamos a possibilidade de que narcotraficantes e islamitas] possam ser responsáveis disto, mas é muito cedo para especular.

O porta-voz Ernesto Abella pediu que a população “se abstenha de imprudentes especulações e evite aglomeração”.

Equipes de emergencia vão a mercado atingido por explosão em Davao, nas Filipinas – Twitter / Reprodução
Mais tarde, o governo disse que as autoridades “trabalham com a presunção de autoria” do grupo Abu Sayyaf, que jura lealdade ao Estado Islâmico.

O presidente filipino estava na cidade natal, mas não perto da região afetada. Segundo seu filho, Paolo Duterte (vice-prefeito da cidade), ele buscou refúgio em uma estação de polícia. No mesmo dia, num comício, o presidente brincara com rumores de planos para assassiná-lo.

Davao é a maior cidade do Sul das Filipinas, com uma população de quase dois milhões de habitantes, a uma distância de cerca de 1.500 quilômetros da capital, Manila. Duterte construiu lá sua carreira política, tendo sido prefeito da metrópole por 22 anos. Apesar de seus altos índices de segurança, Davao fica em Mindanao, ilha que sofre há décadas com episódios de violência do Abu Sayyaf.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/atentado-bomba-deixa-14-mortos-67-feridos-em-mercado-nas-filipinas-20039882#ixzz4J8fjGcrQ
© 1996 – 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Filipinas: Cristãos são considerados infiéis e recebem ameaças de morte

“Matenham os infiéis onde quer que eles estejam; não usem de misericórdia, atinja-os com seus punhais e coloquem fogo em suas casas”

7 Philippines_2012_0310007868

O sétimo país mais populoso da Ásia e o 12º do mundo não faz parte da Classificação da Perseguição Religiosa, mas já enfrenta momentos conflituosos em relação ao cristianismo no país. Já faz um tempo que a Portas Abertas trabalha com o Conselho Filipino de Igrejas Evangélicas, conhecido como PCEC (Philippine Council of Evangelical Churches) para promover a paz e a reconciliação no Sul do país, organizando e participando de diálogos entre os cristãos e os líderes das facções políticas muçulmanas. Gina*, uma colaborada da Portas Abertas, diz que pretende manter a mobilização entre as igrejas. “Estamos trabalhando para educar os cristãos em relação ao islã e, ao mesmo tempo, fazendo parcerias para que os muçulmanos expliquem aos seus seguidores sobre a consciência cristã. Quem sabe assim quebramos esse preconceito entre uns e outros aqui em Mindanao”, explicou ela.

Mas enquanto a população luta pela paz entre cristãos e muçulmanos, o Estado Islâmico (EI) investe em espalhar o terror aos filipinos. Agora eles decidiram convocar militantes para lá, com o anúncio: “Se você não pode ir para a Síria, venha para as Filipinas”. Nas últimas semanas, eles divulgaram um vídeo de conteúdo extremamente violento, de 20 minutos, que termina com a decapitação de três homens europeus desconhecidos. As imagens mostram o campo de treinamento do EI na ilha de Basilan, que fica na “Região Autônoma do Mindanao Muçulmano”. Durante as gravações, há várias instruções aos militantes. Um porta-voz, que falou em filipino e árabe, pediu aos jihadistas para não pensarem duas vezes, que devem agir com violência e borbardear várias cidades. “Matenham os infiéis onde quer que eles estejam. Não usem de misericórdia, atinja-os com seus punhais e coloquem fogo em suas casas. Sejam cautelosos e fortes para não cair nas táticas fraudulentas do novo presidente, Rodrigo Duterte. Que ele seja amaldiçoado por deus”, declarou o jihadista.

Outro porta-voz disse que os infiéis são “seguidores de satanás” e também os “adoradores da cruz”, que travaram uma luta contra o “deus” deles. Inimigos e apóstatas também foram palavras usadas. “Vamos seguir em frente nessa luta, vamos lançar medo e aterrorizar seus corações. Essa jihad é tão brilhante quanto o sol que brilha no céu. Essa é uma guerra entre muçulmanos e infiéis”, disseram eles. O governo filipino minimizou a questão dizendo: “As pessoas não devem se preocupar com isso. As autoridades estão trabalhando e esses homens serão identificados e caçados”, disse o representante militar do país. Para a colaboradora da Portas Abertas, as ameaças podem afetar muitos os cristãos filipinos: “Precisamos estar cientes das atividades do Estado Islâmico e, ao mesmo tempo, devemos ficar vigilantes e continuar nossos trabalhos de paz e reconciliação. É um momento também de oração e clamor”.

*Nome alterado por motivos de segurança.

https://www.portasabertas.org.br/noticias/2016/07/cristaos-sao-considerados-infieis-e-recebem-ameacas-de-morte

Grupo extremista travou sua primeira batalha nas Filipinas

Liderados por Abu Sayyaf, os combatentes atacaram o exército das Filipinas, no sul da ilha de Basilan, matando 18 soldados e ferindo mais de 50

06_Filipinas_0310104453.jpg

De acordo com informações do think tank RSIS (sigla em inglês), o Estado Islâmico (EI) travou sua primeira batalha no sudeste asiático. “Os combatentes atacaram o exército das Filipinas, no sul da ilha de Basilan, matando 18 soldados e ferindo mais de 50, liderados por Abu Sayyaf (nome que vem do idioma árabe e quer dizer ‘Portador da Espada’), um grupo separatista fundamentalista que atua no país”, comenta um dos analistas de perseguição. Um think tank é uma instituição que produz conhecimento sobre assuntos estratégicos, com objetivo de transformar a sociedade, a política e até mesmo setores econômicos e científicos.

O Departamento de Estado dos EUA já classificou o Abu Sayyaf oficialmente como uma organização terrorista. A CIA empregou forças paramilitares de sua divisão de elite para localizar e matar ou mesmo capturar os principais líderes do grupo e para isso, diversos soldados americanos estão trabalhando na região, treinando as tropas filipinas para combater os militantes. “Esse ataque do Estado Islâmico pode comprometer o processo de reforço que estava dando autonomia para as autoridades de Mindanau”, observa o analista.

Levando em conta que no dia 9 de maio, o país terá suas eleições presidenciais, o ataque é ainda mais preocupante. “No início do ano, o EI realizou um ataque suicida contra a cafeteria Starbucks, em Jacarta. No dia 25 de abril, um refém canadense que estava detido pelo Abu Sayyaf foi decapitado. Eles estão intensificando seus atos violentos”, diz o analista. Muitas alertas já foram feitos de que a situação irá piorar, não por causa das eleições ou da situação política do país, mas por que as minorias muçulmanas estão conquistando autonomia a cada dia e os grupos rebeldes estão unindo seus propósitos e suas ações com o foco sempre voltado para os cristãos. Interceda pela igreja nas Filipinas.

Fonte: Portas Abertas

Filipinas:União de facções islâmicas pode aumentar a perseguição religiosa

Um juramento de fidelidade feito pelos grupos radicais pode favorecer ainda mais a violência contra os cristãos

15-filipinas-0310105127

De acordo com informações do Inquirer Philippine, o Estado Islâmico (EI), reconheceu oficialmente o “bai’ah”, uma terminologia islâmica que serve como juramento de lealdade a um líder. Literalmente, a palavra quer dizer “transação comercial” ou “venda”, daí o sentido do juramento, que é “vender-se” a um mestre espiritual. O bai’ah foi iniciado pelo profeta islâmico Maomé para todos aqueles que quisessem fazer parte do islã, então as pessoas passavam a obedecer às ordens daquele mestre. Agora, o pacto passou a ser aceito a partir do sul das Filipinas, onde as pessoas juram lealdade aos líderes do EI.

“Os filipinos islâmicos juraram fidelidade ao líder do grupo militante islâmico Abu Sayyaf, um dos diversos grupos separatistas da região. A tradução desse nome quer dizer ‘portador da espada’. Todos eles estão armados e isto aponta para a insegurança dos cristãos, em especial aqui da ilha de Mindanao. Fora isso, houve uma reviravolta entre eles, e a facção islâmica conhecida como BIFF (Bangsamoro Islamic Freedom Fighters – Lutadores da Liberdade Islâmica em Bangsamoro) também jurou fidelidade ao EI. Ninguém sabe se a união deles tem a ver com acordos financeiros ou foi por pura ideologia, a questão é que juntos eles ganham mais força e ajudam a aumentar a perseguição religiosa”, comenta um dos analistas de perseguição.

Segundo o analista, o BIFF não aceitou o último acordo de paz feito pelo governo e, nos últimos meses, atacou e matou muitos cristãos. “Fortalecidos através do acordo de fidelidade com o EI, eles podem cometer ainda mais atrocidades”. As Filipinas são divididas em 17 regiões administrativas e 79 províncias, com aproximadamente 100 milhões de habitantes, sendo assim, um dos 7 países mais populosos da Ásia e também um dos 15 mais populosos do mundo, com cerca de 90% de cristãos. Embora eles estejam experimentando a perseguição religiosa em seu país, continuam ousados e firmes em sua fé. Ore por essa nação.

Leia também
A perseguição aos cristãos nas Filipinas
Perseguição religiosa chega ao sul das Filipinas
Portas Abertas fortalece ex-muçulmanos no sul das Filipinas

Perseguição religiosa chega ao sul das Filipinas

Há grupos radicais ligados ao Estado Islâmico atuando em Mindanao.

7-filipinas-0310104758

De acordo com informações da Fundação Jamestown, rebeldes muçulmanos que fazem parte do ‘Bangsamoro Islamic Freedom Fighters’ (Combatentes da Liberdade Islâmica de Bangsamoro), um grupo dissidente da “Frente de Libertação Islâmica Mindanao”, sequestraram e mataram 9 agricultores cristãos em Mindanao, segunda maior ilha no arquipélago. Os crimes aconteceram no dia 24 de dezembro do ano passado. “Este é um lembrete muito claro de que a perseguição religiosa é algo muito mais ampla do que tudo o que somos capazes de mostrar através da Classificação da Perseguição Religiosa”, disse um dos analistas.

Ele também alerta que, nas Filipinas, a situação realmente vai continuar difícil durante o ano de 2016. “Não é só por causa da situação política do país ou das eleições presidenciais, mas por que as minorias muçulmanas estão conquistando sua autonomia a cada dia, principalmente no sul. Há também a presença dos grupos radicais aqui e alguns estão ligados ao Estado Islâmico, e como todos eles compartilham da mesma ideologia, tudo indica que vão aterrorizar os cristãos que vivem nessa região”, comenta.

Líderes cristãos que atuam nas pequenas aldeias já são ameaçados, e por que pregam o evangelho são mal vistos pelos muçulmanos. “Eles me disseram, um dia, que o Deus de Israel é inimigo deles. Então, cavaram um buraco e disseram que eu morreria. Todos nós oramos muito e eu disse a eles, que eu morreria se Jesus assim quisesse. Mas, eles mudaram de ideia depois, e minha vida foi poupada. Eu sei que Deus agiu a meu favor”, conta um dos líderes perseguidos. Atualmente, o cristão e sua família vivem em outro local, mas continuam evangelizando em Mindanao. “O incidente me ensinou a não temer a morte e eu vi o poder de Deus. Jesus me livrou e fez de mim um homem mais ousado para servi-lo”, conclui o líder.

 

https://www.portasabertas.org.br/noticias/2016/02/perseguicao-religiosa-chega-ao-sul-das-filipinas

Grupo cristão filipino anuncia luta armada contra EI

Manila – Um grupo insurgente cristão do sul dasFilipinas, formado por cerca de 300 homens, anunciou uma luta armada contra as formações islamitas da região que recentemente se declararam seguidores do grupo terrorista Estado Islâmico (EI), informam nesta quarta-feira os meios de comunicação locais.

O grupo, que se chama os “Defensores Vermelhos de Deus” (Red God Defenders), explicou aos meios de comunicação que seu principal objetivo é proteger suas terras, suas famílias e a cidade dos ataques dos rebeldes islamitas, e queimou uma bandeira do EI perante um grupo de jornalistas, apontou o portal de informação “Rappler”.

“Sempre estão nos atacando, inclusive quando a única coisa que fazemos é trabalhar em nossas fazendas”, disse aos meios de comunicação o porta-voz da nova formação, Brother Asiong.

“Nos vimos forçados a pegar em armas. Não queremos morrer à toa”, acrescentou Asiong.

Segundo os Defensores Vermelhos de Deus, o principal grupo contra o que luta é o dos Lutadores pela Liberdade Islâmica do Bangsamoro (BIFF, por sua sigla em inglês), que realizou vários atentados nas localidades meridionais de Maguindanao e Sultan Kudarat em dezembro, nos quais morreram 11 pessoas.

Asiong garantiu, além disso, que desde a década dos 70, umas 60 pessoas de suas comunidades faleceram em ataques dos grupos islamitas.

Segundo as autoridades, os membros desta nova formação provêm do grupo indígena “Ilaga”, uma temida comunidade de granjeiros cristãos.

Vários grupos radicais islâmicos permanecem ativos no sul das Filipinas, onde mais de quatro décadas de conflito separatista deixou entre 100 mil e 150 mil vítimas, paralisou o desenvolvimento de uma região rica em recursos naturais e empobreceu a população.

http://exame.abril.com.br/mundo/noticias/grupo-cristao-filipino-anuncia-luta-armada-contra-ei