Arquivo da tag: #fuzilamento

Ataque a ônibus de cristãos coptas no Egito deixa 26 mortos

Um ataque de homens armados a um ônibus com cristãos coptas no Egito, nesta sexta-feira, deixou pelo menos 26 mortos e 25 feridos, informou o Ministério do Interior. O grupo viajava em dois ônibus e uma caminhonete em direção ao mosteiro de São Samuel, na província de Minya, 220 km ao sul do Cairo.

Sete dos feridos estão em estado grave, segundo uma fonte de segurança, e o número de vítimas fatais pode aumentar. Eles foram levados a três hospitais nos povoados de Magaga, Al Adua e Bani Mazar.

A região onde o tiroteio aconteceu abriga das maiores concentrações da minoria cristã no país, que representa 10 por cento da população de 92 milhões, além de ter cerca de 1 milhão de fiéis no resto do mundo. Os cristãos coptas foram alvo de uma série de ataques letais em meses recentes por todo o Egito e os moradores de Mynia se preocupam com o aumento da violência por parte de grupos extremistas, que queimam igrejas e locais sagrados e atacam os seguidores da religião.

As perseguições contra o grupo cresceram em 2013, quando os militares tomaram o poder do país e derrubaram o presidente Mohamed Morsi, da Irmandade Muçulmana. Determinados grupos da maioria muçulmana, como os terroristas do Estado Islâmico (EI), culpam os coptas de apoiar o golpe militar e intensificaram ataques contra eles. Aproximadamente 70 pessoas foram mortas em ataques com bombas em igrejas coptas nas cidades de Cairo, Alexandria e Tanta desde dezembro.

Todos os atentados recentes contra cristãos no Egito foram reivindicados pelo EI, mas ainda não houve declaração de responsabilidade pelo ataque desta sexta-feira.

(Com Reuters e EFE)

http://veja.abril.com.br/mundo/ataque-a-onibus-de-cristaos-coptas-no-egito-deixa-26-mortos/

Terroristas fuzilam terminal de ônibus em Israel; Veja o vídeo do ataque

Dois homens, inicialmente identificados como palestinos, cometeram um atentado neste domingo (18) na principal estação de ônibus da cidade de Beersheba, no sul de Israel. Um dos criminosos morreu baleado, segundo informações da polícia e dos médicos no local.

Em comunicado, a polícia local informou que “um terrorista” morreu ao ser baleado. Um porta-voz das autoridades informou que um segundo homem participou do ataque e acabou ferido pelas forças de segurança israelenses.

Com aumento da violência em Israel, Conselho de Segurança da ONU faz reunião de emergência

Medo e insegurança: brasileiros em Israel contam o que mudou em suas vidas com onda de atentados

Palestinos incendeiam templo judaico na Cisjordânia, diz Exército

Além do agressor, mais uma pessoa morreu pelos disparos, segundo o comunicado do hospital Soraka. Autoridades médicas disseram que seis pessoas foram levadas para o hospital, duas delas em estado grave.

O hospital informou que recebeu dez pessoas para serem atendidas e que uma delas já chegou morta ao local.

Segundo a polícia, um dos agressores tinha um rifle e o outro uma pistola.

 Tensão na região

Desde o início de outubro, uma série diária de agressões, tiroteios e esfaqueamentos provocou a morte de dezenas de palestinos e sete israelenses.

Somente ontem (17), três palestinos foram mortos por israelenses, baleados por terem tentado esfaquear os judeus, de acordo com o governo local. Apoiados pelo grupo islâmico Hamas, os atos já são considerados a Terceira Intifada (rebelião).

As duas anteriores ocorreram entre 1987-1993 e 2000-2005, respectivamente. Neste domingo, a organização condenou à morte dois palestinos por “colaboração” com Israel.

Diante da escalada de agressões, Israel anunciou recentemente que colocaria sua Exército nas ruas de Jerusalém e bloqueou o acesso a vários bairros e vilarejos palestinos.

http://noticias.r7.com/internacional/terroristas-fuzilam-terminal-de-onibus-em-israel-veja-o-video-do-ataque-18102015

Soldados sírios são alvos de execução em vídeo divulgado pelo EI

O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) publicou neste sábado (4) um vídeo na internet em que mostra jovens, aparentemente menores de idade, executando soldados sírios no teatro romano de Palmira, no centro da Síria. De acordo com a agência EFE, foram 25 vítimas.

Na gravação, de mais de nove minutos e cuja autenticidade ainda não pôde ser comprovada, as vítimas aparecem de joelhos e em fila. Os jovens, então, as executam com tiros na cabeça pelas costas. Uma multidão de homens assiste à cena na plateia.

Em sequências anteriores do vídeo, o EI mostra imagens da tomada de Palmira no dia 20 de maio e a prisão da população do local. Também antes da execução, o vídeo dos jihadistas exibe os prisioneiros que serão mortos sendo tirados de suas celas e conduzidos em veículos 4×4 pela parte moderna da cidade até o teatro romano, situado na região arqueológica.

 A gravação se encerra com o degolamento de outro prisioneiro das forças governamentais pelas mãos de um jihadista adulto e com imagens da explosão da prisão de Palmira.

No último dia 27 de maio, o Observatório Sírio de Direitos Humanos informou sobre a morte de 20 membros das forças do regime de Bashar al Assad por membros do EI no teatro romano de Palmira. No entanto, a organização não explicou se os autores dos assassinatos também eram menores de idade.

Três dias depois, de acordo com o Observatório, o centro penitenciário de Palmira, símbolo da repressão do regime, foi destruído com explosivos pelos extremistas.

Não é a primeira vez que menores de idade são protagonistas de vídeos do EI. Em pelo menos duas ocasiões anteriores e com fins de propaganda, crianças foram usadas em gravações nas quais supostamente assassinavam dois russos e um árabe-israelense, acusados pelos radicais de serem espiões.

As ruínas de Palmira são um dois seis locais sírios incluídos na lista do Patrimônio Mundial da Unesco.

Os jihadistas divulgaram ontem fotografias da destruição de seis bustos de pedra originais da cidade, que fica na província de Aleppo no norte da Síria, apesar de o Observatório garantir que se trata de peças falsas.

Por enquanto, não foi confirmado que a região arqueológica de Palmira tenha sofrido algum prejuízo.

Antes do início do conflito na Síria, em março de 2011, as ruínas de Palmira, com seus teatros e templos, foram um dos principais centros turísticos do país árabe.

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2015/07/soldados-sirios-sao-alvos-de-execucao-em-video-divulgado-pelo-ei.html

Grupo sírio publica vídeo com morte de 18 membros do EI

Combatentes do EI, que são identificados por seus nomes e cargos no grupo, são assassinados com disparos na cabeça.

O rebelde Exército do Islã publicou nesta quarta-feira um vídeo na internet com imagens do assassinato de 18 supostos membros da organização terrorista Estado Islâmico (EI) pelas mãos de seus combatentes. A gravação, de quase 20 minutos de duração e cuja autenticidade não pôde ser verificada, lembra os vídeos do EI pela estética e o discurso usados.

Os milicianos do Exército do Islã aparecem em um local ao ar livre, vestidos com macacões laranjas – os mesmos trajes usados pelas vítimas do EI- escoltando seus prisioneiros, que estão de preto e encapuzados e têm as mãos e os pés acorrentados. No ato seguinte, os militantes do EI são obrigados a se ajoelhar e descobrir o rosto.

Um porta-voz do Exército do Islã acusa a organização de Abu Bakr al Bagdadi de ter derramado sangue de outros muçulmanos e de apoiar “o inimigo xiita e o regime” de Bashar al Assad, e faz uma chamada a outros integrantes do EI para que se arrependam. Depois, os combatentes do EI, que são identificados por seus nomes e cargos no grupo, são assassinados com disparos na cabeça.

Antes dessas cenas, o Exército do Islã mostra no vídeo supostas confissões de milicianos da organização rival nas quais reconhecem que colaboram com as autoridades sírias. O filme também mostra o resultado de atentados cometidos pelo EI neste país.

O Exército do Islã, dirigido por Zahran Alloush, nega, além disso, que o EI tenha tomado Ghouta Oriental, o principal reduto da oposição nos arredores de Damasco. Além disso, tenta resistir ao discurso ideológico do EI com declarações de clérigos que afirmam que “a verdadeira fé islâmica não tem nada a ver” com esta organização, cujos líderes, assegura o Exército do Islã, são agentes dos serviços secretos ocidentais.

Na segunda-feira completou um ano do califado proclamado pelo EI na Síria e Iraque, onde a organização tomou amplas partes do território.

http://noticias.terra.com.br/mundo/oriente-medio/grupo-rebelde-sirio-publica-video-com-assassinato-de-18-membros-do-ei,07e88150d49f5691e95823c8412cb684kpwqRCRD.html