Arquivo da tag: #Idlib

Rebeldes capturam última cidade síria em província próxima à Turquia

O exército da Síria se retirou de Ariha depois que uma coalizão de grupos insurgentes tomou a última cidade na província de Idlib que ainda era controlada pelo governo, no noroeste do país e próxima à fronteira turca.

 Foto: Khalil Ashawi / Reuters
Rebeldes do Movimento Islâmico Ahrar al-Sham preparam armamento em Jabal al-Arbaeen, de onde se tem uma visão da cidade de Ariha, na província de Idlib, na Síria, nesta semana. 26/05/2015

Foto: Khalil Ashawi / Reuters

A coalizão chamada Jaish al Fateh, ou Exército da Conquista, disse ter capturado a cidade. A Frente Nusra, braço da Al Qaeda na Síria, é um dos principais grupos da ofensiva conjunta.

Os insurgentes afirmaram ter tomado vários pontos de controle que defendiam a cidade, enquanto o Exército sírio declarou ter travado intensos combates contra a Frente Nusra que se infiltraram em Ariha.

“Há pesados confrontos entre o Exército e os terroristas do Jabahat al Nusra que se infiltraram na cidade”, de acordo com comunicado do Exército na televisão estatal.

Mais tarde, o Exército admitiu que suas forças haviam se retirado, na mais recente derrota das forças nacionais sírias, e um grande golpe contra a moral dos soldados leais a Assad, que prometeu derrotar os militantes sunitas financiados por Arábia Saudita, Catar e Turquia que pretendem derrubar seu governo.

“Unidades de nossas forças armadas recuaram de suas posições em Ariha e se retiraram para posições defensivas nos arredores da cidade, após as batalhas que travaram contra um grande número de terroristas da Frente Nusra”, disse uma fonte do Exército.

http://noticias.terra.com.br/mundo/oriente-medio/rebeldes-capturam-ultima-cidade-siria-em-provincia-proxima-a-turquia,ee2a052bef98aa2f846224ef650ac559cr8iRCRD.html

Insurgentes tomam base do Exército na província síria de Idlib

Insurgentes tomaram uma base do Exército sírio na província de Idlib, informou um grupo de monitoramento do conflito nesta terça-feira, expandindo seu domínio no noroeste do país.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos disse que soldados sírios se retiraram da base militar de Mastouma depois de combates intensos com insurgentes liderados por militantes islâmicos e rumaram para a cidade de Ariha, no norte, um dos últimos redutos do governo na província.

A televisão estatal síria afirmou que unidades do Exército na base se mobilizaram para reforçar linhas de defesa em Ariha.

Houssam Abu Bakr, líder do grupo Ahrar al-Sham, que é membro da aliança rebelde que ocupou a base, disse que os combatentes continuarão a abrir caminho rumo a Ariha e a outras áreas.

“A base está liberada e agora a luta acontece a oeste de Mastouma. O que sobrou do Exército bateu em retirada”, disse ele à Reuters pela Internet.

http://noticias.terra.com.br/mundo/oriente-medio/insurgentes-tomam-base-do-exercito-na-provincia-siria-de-idlib,b87caf20f4382a5de79b698041f8aeb6dh12RCRD.html

Braço sírio da al-Qaeda sequestra 300 curdos em Idlib, dizem autoridades

Frente al-Nusra leva grupos que viajavam de ônibus por cidade tomada por jihadistas perto de Homs e Aleppo

BEIRUTE – A Frente al-Nusra, braço sírio da al-Qaeda, sequestrou até 300 curdos que viajavam de ônibus na província de Idlib para as regiões de Aleppo e de Damasco, autoridades locais informaram nesta segunda-feira.

Apesar de não haver maiores detalhes sobre as circunstâncias, a rede al-Mayadeen informou que crianças também estariam entre as vítimas levadas a até 30 km de Aleppo. Ativistas curdos ouvidos relataram que, na cidade de Dana, grupos fugiam da região para chegar a outras cidades ainda não tomadas por jihadistas. O Observatório Sírio dos Direitos Humanos também confirmou o sequestro.

No Noroeste do país, Idlib se concentra principalmente em uma cidade homônima de menos de 200 mil habitantes que foi tomada do governo de Bashar al-assad por uma coalizão liderada pela al-Nusra.

A al-Nusra tem como principal objetivo derrubar o govern ode Assad, mas ao mesmo tempo domina territórios e combate outros rebeldes. Em algumas circunstâncias, o grupo já se degladiou com o Estado Islâmico, enquanto cooperou em outras atividades.

Foto: Homem corre com criança ferida durante confrontos em Idlib – AMMAR ABDALLAH / REUTERS
http://oglobo.globo.com/mundo/braco-sirio-da-al-qaeda-sequestra-300-curdos-em-idlib-dizem-autoridades-15791091

Síria diz que 15 mil antiguidades estão em perigo em Idlib

As 15 mil antiguidades foram feitas durante a rica história milenar da Síria.
País tem seis locais classificados pela Unesco como patrimônios mundiais.

Cerca de 15 mil antiguidades guardadas em caixas-fortes na cidade síria de Idlib correm risco de serem vendidas no mercado negro, disse o diretor de antiguidades e museus, Maamoun Abdulkarim, à agência Reuters nesta sexta-feira (3).

A Frente Nusra, ligada à rede Al-Qaeda, e outros grupos insurgentes tomaram a capital provinciana no sábado durante o conflito de quatro anos contra o presidente Bashar al-Assad.

“O que aconteceu em Idlib é um desastre. A pior catástrofe até agora contra a cultura da Síria”, disse Abdulkarim.

As 15 mil antiguidades foram feitas durante a rica história milenar da Síria. Peças de cerâmica e estátuas são mantidas pela cidade, incluindo o museu principal, disse Abdulkarim.

A Síria tem seis locais classificados pela Unesco como patrimônios mundiais, incluindo Palmira e o castelo Crac dos Cavaleiros, da época das cruzadas, usados com fins militares, afirmaram as Nações Unidas.

Damasco estima que mais de 1.500 itens podem ter sido roubados de museus em Raqqa, cidade controlada pelo Estado Islâmico, e Deir Atiyah, no norte da capital.

Quando o governo controlava Idlib, as 15 mil antiguidades foram guardadas em uma área segura para preservação e proteção das peças, disse Abdulkarim.

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2015/04/siria-diz-que-15-mil-antiguidades-estao-em-perigo-em-idlib.html

Frente al-Nusra promete implantação da sharia em cidade invadida na Síria

BEIRUTE (Reuters) – Combatentes do Estado Islâmico tomaram um campo de refugiados palestino nos arredores da capital síria, Damasco, nesta quarta-feira, aproximando-se do reduto do presidente sírio, Bashar al-Assad.

Um outro grupo, ligado à Al Qaeda, declarou que a sharia, a lei islâmica, irá governar uma cidade ocupada pelos rebeldes no norte da Síria.

Embora sem relação, os acontecimentos mostraram a predominância dos jihadistas em uma guerra que entra em seu quinto ano e o risco que representam para Assad, mesmo que ele pareça no controle de Damasco e de outras áreas populosas do oeste sírio.

O campo de refugiados palestino Yarmouk, que fica a alguns quilômetros do coração da capital e abriga milhares de pessoas, está em mãos de insurgentes e vem sendo assediado por forças do governo desde os primeiros dias do conflito iniciado em 2011.

Refletindo a maneira como o Estado Islâmico cresceu em todas as outras partes da Síria, seus combatentes assumiram o controle de áreas do campo de outros insurgentes, ajudados por rebeldes da adversária Frente Al-Nusra, ligada à Al Qaeda, que trocaram de lado, disse um ativista político na região.

“Eles abriram caminho pela área de Hajar Aswad, e os combatentes da Nusra se juntaram a eles, juraram lealdade ao Daesh”, relatou, mencionando o nome árabe do Estado Islâmico usado por seus oponentes.

Anwar Abdel Hadi, o representante da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) em Damasco, declarou: “O (Estado Islâmico) entrou em Yarmouk hoje. Há embates entre os militantes no momento”.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos, sediado em Londres, afirmou que o Estado Islâmico controlou algumas das principais ruas do campo devastado. Autoridades do governo não foram encontradas para comentar.

Yarmouk era o lar de meio milhão de refugiados palestinos antes da irrupção da guerra civil na Síria em 2011. Sua população atual é de cerca de 18 mil pessoas, de acordo com uma estimativa da Organização das Nações Unidas (ONU).

Hassan Hassan, analista e autor de um livro sobre o Estado Islâmico, disse que o grupo desejava há tempos se estabelecer perto da capital, mas que é improvável que consiga atacá-la.

“O regime montou pontos de verificação e uma infraestrutura fortes para evitar que quaisquer forças entrem em Damasco. Mas eles estão chegando mais perto”, afirmou o analista.

O Estado Islâmico vem tentando se expandir em regiões do oeste da Síria distantes de seus bastiões, do outro lado do país, onde enfrentou uma campanha de ataques aéreos dos Estados Unidos e de nações árabes aliadas.

As iniciativas recentes do Estado Islâmico se concentraram em áreas sob domínio governamental que não são alvo da ofensiva aérea. Tais ataques parecem estar ganhando fôlego.

Seus combatentes mataram 45 pessoas, incluindo famílias inteiras, e chegaram a atear fogo em algumas delas, um massacre ocorrido de segunda para terça-feira no vilarejo de Mabouja, que fica a 60 quilômetros da cidade de Hama e está sob controle do governo, relatou o Observatório.

O líder da Frente Al-Nusra, Abu Mohamad al-Golani, indicou nesta quarta-feira que Idlib, cidade tomada por grupos que incluem o radical Ahrar al-Sham, será administrada de acordo com a lei islâmica.

“Saudamos o povo de Idlib e sua resistência com seus filhos, os mujahideen (guerreiros)… e se Deus quiser irão desfrutar da justiça da sharia, que irá preservar sua religião e seu sangue”, declarou Golani em uma gravação de áudio publicada na Internet.

(Reportagem adicional de Tom Perry em Beirute, Suleiman al-Khalidi em Amã e Ahmed Tolba no Cairo)

http://noticias.r7.com/internacional/estado-islamico-ganha-terreno-em-damasco-al-qaeda-promete-sharia-em-cidade-do-norte-01042015

ONU: Mais de 30.000 pessoas são deslocadas com a invasão de Idlib na Síria

O Coordenador Humanitário da ONU para a Síria diz que dezenas de milhares de civis foram deslocados após os terroristas da Al-Qaeda ligados tomaram a cidade síria de Idlib noroeste de tropas do governo.

Yacoub El Hillo disse segunda-feira que, como resultado de uma escalada dos combates entre os terroristas da Al-Qaeda ligados e tropas do governo, muitos civis também perderam a vida e cerca de 30 mil pessoas fugiram de suas casas.

“Estou seriamente preocupado com a luta ocorrendo em curso em Idlib governadoria e seu possível impacto sobre centenas de milhares de civis,” El Hillo acrescentou.

Segundo as autoridades, os deslocados fugiram para a província central de Hama, com o governo sírio fornecimento de comida e abrigo para eles.

Enquanto isso, a ONU alertou que, em caso de a continuação da violência, algum deslocamento em grande escala poderia empurrar civis em províncias vizinhas e do outro lado da fronteira para a Turquia.

A ONU advertiu sobre uma situação humanitária “horrível” na Síria, a menos que 8,4 bilhões seja gasto para resolver a crise do país.

Enquanto isso, as forças sírias foram se reagrupando nos arredores de Idlib para retomar a cidade depois que caiu para os terroristas da frente Al-Nusra há poucos dias.

Idlib tem sido o epicentro da luta mortal entre tropas do governo e militantes durante meses. Ela está localizada perto da rodovia principal estrategicamente significativa que liga Damasco ao norte da cidade-chave de Aleppo.

Idlib é a segunda capital da província da Síria a cair nas mãos de militantes após a queda do norte da cidade de Raqqah em março 2013.

A frente al-Nusra é um grupo terrorista que é responsável por atos hediondos de terror contra civis inocentes na Síria.

O país árabe está em seu quinto ano de um conflito patrocinado por estrangeiros que até agora custou a vida de mais de 215.000 pessoas e rastros de destruição maciça.

http://www.presstv.ir/Detail/2015/03/31/404047/Syrias-Idlib-fall-to-militants-uproots-30000

Assad perde o controle de mais uma capital de província na Síria

Brigadas islamistas lideradas por uma afiliada da Al Qaeda conquistaram Idlib. É a segunda capital de província nas mãos dos rebeldes em quatro anos de guerra

Uma coalizão de rebeldes sírios formada por brigadas islamistas e liderada pela Frente Nusra, uma afiliada da Al Qaeda, capturou neste sábado (28) a cidade de Idlib, no norte do país. A informação é do Observatório Sírio de Direitos Humanos, grupo sediado em Londres mas que conta com extensa rede de ativistas na Síria.

Segundo o Observatório Sírio, a batalha em Idlib durou cerca de quatro dias. Após intensos combates, as forças leais ao regime de Bashar al-Assad se retiraram para bases militares no sul da cidade. Enquanto isso, o regime continua com ataques aéreos contra os rebeldes. Estima-se que 130 pessoas morreram no ofensiva.

Com a captura, Idlib passa a ser a segunda capital de província que cai nas mãos de rebeldes. Há cerca de dois anos, Assad perdeu o controle de Raqqa, que hoje é ocupada pelo Estado Islâmico. O Estado Islâmico e a Frente Nusra, no entanto, são inimigos – a afiliada da Al Qaeda não reconhece a criação do “califado” do Estado Islâmico.

Segundo o jornal Washington Post, a queda de Idlib é a segunda derrota militar das tropas leais ao governo em menos de uma semana. Há alguns dias, soldados da Frente Nusra já haviam capturado uma cidade estratégica no sul, chamada Busra Sham.

A guerra civil na Síria começou em março de 2011, quando manifestantes foram às ruas pedir a queda do ditador Bashar al-Assad. As forças de segurança de Assad reprimiram o movimento, que evoluiu em uma rebelião armada. Em 2013, a chegada de terroristas vindos do Iraque complicou ainda mais a situação, com o surgimento do Estado Islâmico.

http://epoca.globo.com/tempo/filtro/noticia/2015/03/assad-perde-o-controle-de-mais-uma-capital-de-provincia-na-siria.html