Arquivo da tag: #morte

Final do Ramadã na Indonésia: muçulmanos gritando “Allahu akbar” esfaqueia policial até a morte

“Os alegados militantes do ISIS matam policial na Indonésia” , AFP , 25 de junho de 2017 (graças a Lookmann):

Jakarta (AFP) – Dois supostos militantes do grupo Estado islâmico apunhalaram um policial até a morte no oeste da Indonésia, disseram autoridades no domingo, no último ataque dirigido a funcionários do país muçulmano mais populoso do mundo.

Os dois atacantes gritaram “Allahu Akbar”, ou Deus é maior, quando eles entraram em um posto de segurança na sede da polícia do Norte de Sumatra, na cidade de Medan, onde apunhalaram um policial, disseram autoridades.

Vários policiais lutaram contra os militantes, matando um e ferindo gravemente o outro.

“Suspeitamos que os criminosos tenham links com ISIS e Bahrun Naim, porque encontramos uma bandeira do ISIS, livros e CDs ligados a ISIS na casa de um atacante”, disse o porta-voz da polícia nacional, Setyo Wasisto, à AFP.

Bahrun Naim, um indonésio que está lutando com ISIS na Síria, foi acusado de dirigir uma série de tramas terroristas na maior parte do tempo em sua terra natal nos últimos anos.

Centenas de radicais da Indonésia reuniram-se no exterior para lutar com o ISIS, e o país viu um aumento nas parcelas e ataques ligados aos jihadistas no ano passado.

O ataque aconteceu algumas horas antes das orações do Eid, inclusive na sede da polícia de North Sumatra, como parte das celebrações de Eid al-Fitr que marcam o fim do santo mês de jejum do Ramadã ….

https://www.jihadwatch.org/2017/06/ramadan-finale-in-indonesia-muslims-screaming-allahu-akbar-stab-police-officer-to-death

Anúncios

O califa do Estado Islâmico al-Baghdadi está morto (novamente)

“O líder do ISIS Abu Bakr al-Baghdadi morreu em Raqqa Air Strike”, de Constance Renton,Morocco World News , 11 de junho de 2017:

Rabat – Novas fontes importantes relataram que o terrorista mais procurado do mundo, Abu Bakr al-Baghdadi, foi morto em um ataque aéreo da coalizão em Raqqa no sábado.

Os relatórios estão sendo encarados com certo grau de ceticismo, no entanto, esta não é a primeira vez que o líder do terror foi denunciado morto.

A televisão síria publicou o relatório inicial. Ainda não foi confirmado por enquanto, já que o ISIS ainda não divulgou uma declaração. Tampouco houve resposta da força de coalizão liderada pelos EUA.

Raqqa 24, uma organização de ativistas Syrina, confirmou que ataques aéreos em Raqqa mataram pelo menos sete civis, mas não fizeram menção a Al-Baghdadi.

Nascido em Samarra, no Iraque, em 1971, Al-Baghdadi se juntou à insurgência em 2003, que surgiu após a invasão liderada pelos EUA no Iraque. Ele passou a se tornar o terrorista mais caçado do mundo, com uma recompensa de US $ 25 milhões de dólares.

De acordo com a inteligência da coalizão, ele estava escondido em Mosul, mas escapou quando a Coalizão lançou sua principal ofensiva na cidade. Pensa-se que ele fugiu para Raqqa …

https://www.jihadwatch.org/2017/06/islamic-state-caliph-al-baghdadi-is-dead-again

Copenhague: Imam acusado de pedir assassinato de judeus

“Copenhague imam acusado de chamar para a morte de judeus”, BBC News , 11 de maio de 2017:

Um vídeo de um imã que parece pedir o assassinato de judeus em um sermão durante as orações de sexta-feira em uma mesquita de Copenhague causou indignação na Dinamarca.

Mundhir Abdallah foi denunciado à polícia depois de ser filmado citando em árabe um hadith – um ensinamento do Profeta Muhammad – considerado antissemita.

O hadith diz que o Dia do Juízo “não virá a menos que os muçulmanos lutem contra os judeus e os matem”.

Um líder da comunidade judaica disse que suas palavras eram uma ameaça “mal disfarçada”.

Vídeos do sermão foram postados no YouTube e Facebook pela Mesquita Al-Faruq no domingo, embora Abdallah teria dito, em 31 de março.

Uma parte do discurso de 30 minutos foi posteriormente traduzido pelo Instituto de Pesquisa de Mídia do Oriente Médio (Memri), com sede em Washington.

No vídeo, Abdallah é visto de pé na frente de uma bandeira negra com o Shahadah escrito sobre ele, semelhante àqueles usados ​​por grupos jihadistas como a Al-Qaeda.

Ele declara que em breve haverá um “califado” – um estado governado de acordo com a lei islâmica, ou Sharia – que vai ter jihad para unir a comunidade muçulmana e libertar a mesquita de Al-Aqsa em Jerusalém “da sujeira dos sionistas”.

Então, ele diz “as palavras do Profeta Muhammad serão cumpridas” e cita o hadith.

O líder da comunidade judaica Dan Rosenberg disse ao jornal Politiken: “Estamos preocupados que pessoas fracas e impressionáveis ​​possam perceber esse tipo de pregação como um claro apelo à violência e ao terror contra os judeus”.

O ministro da Imigração e Integração, Inger Stojberg, também expressou indignação.

“Isso é completamente absurdo, antidemocrático e terrível”, escreveu o político de centro-direita Venstre no Facebook ….

https://www.jihadwatch.org/2017/05/copenhagen-imam-accused-of-calling-for-murder-of-jews

Egito: Jihadistas do Estado Islâmico assassinam cristão em barbearia

“O assassinato no fim de semana na cidade costeira de Al-Arish aconteceu um dia depois que a filial local do ISIS avisou que aumentaria os ataques contra os cristãos”.

Esse homem estava apenas fazendo seus negócios. Depois vieram os muçulmanos do Estado Islâmico. “E preparai contra eles o que quer que possais de poder e de corcéis de guerra, com os quais possais aterrorizar o inimigo de Deus e do teu inimigo, e outros além dos que não conheces, a quem Deus conhece” (Alcorão 8 : 60)

“Militantes da ISIS matam cristão no norte do Sinai”, Associated Press , 7 de maio de 2017:

Autoridades de segurança disseram que um cristão foi morto a tiros por militantes suspeitos enquanto estava dentro de uma barbearia no turbulento Sinai, no norte do Egito.

O assassinato no sábado, na cidade costeira de Al-Arish, ocorreu um dia depois que a afiliada local do ISIS alertou que aumentaria os ataques contra os cristãos.

Ayoub é pelo menos o sétimo cristão no norte do Sinai a ser morto por suspeitos militantes ISIS nos últimos meses. Os assassinatos forçaram centenas de cristãos a fugir da região. Pelo menos 75 outros foram mortos em ataques do ISIS contra igrejas desde dezembro ….

https://www.jihadwatch.org/2017/05/egypt-islamic-state-jihadis-murder-christian-in-barber-shop

Estado Islâmico afoga homem em aquário

Um homem em Mosul deu uma entrevista a uma rádio dizendo que o planejou fazer uma vez que Mosul fosse liberada do Estado Islâmico – a saber, fazer um brinde (com bebida alcoólica) e comprar “shampoo para se limpar” da sujeira de ISIS.

Os jihadistas do ISIS rastrearam o homem e decidiram matá-lo “medida por medida” – ao afogá-lo em um aquário cheio de água misturada com shampoo.

O vídeo pode ser assistido no link abaixo de Clarion Porject.

(Nota: O Projeto Clarion publica vídeos do Estado islâmico estritamente para propósitos educacionais para que o público em geral nunca se esqueça da barbárie deste e de outros grupos terroristas islâmicos e seja motivado a se juntar a nós e participar da guerra para derrotá-los completamente).

http://www.clarionproject.org/news/warning-graphic-video-isis-drowns-man-aquarium

Estado Islâmico lança homem de telhado por crime de homossexualidade

Extremista? Não. O Alcorão contém numerosas condenações de atividade homossexual “E [Nós tinha enviado] muito quando eu disse ao seu povo: ‘Você comete imoralidade tal como ninguém que lhe Precedido de entre os mundos? Na verdade, você se aproxima de homens com o desejo, em vez de mulheres. Em vez disso, você é um povo transgressor. “… E desencadeamos sobre eles uma chuva [de pedras]. Em seguida, veja como foi o fim dos criminosos “(Alcorão 7: 80-84).

Muhammad especifica a punição para isto em um hadith: “O Mensageiro de Allah (paz e bênçãos de Deus estejam sobre ele) disse:” Quem quer que você encontrar fazendo a ação do povo de Ló, execute a quem o faz e o único a quem ele é feito. ‘ “(Sunan Abu Dawud 4462)

“ISIS iraquiano joga homem de cima do telhado de um edifício por alegado crime de ‘homossexualidade'”, por Leith Fadel, AMN, 09 de janeiro de 2017:

BEIRUTE, Líbano (5:00) – O Estado Islâmico (ISIL) no Iraque continuou com atos de terror na semana passada, jogando um homem do telhado de um edifício por alegadamente ser “homossexual”.

O site de propaganda oficial do grupo terrorista postou imagens da execução na segunda-feira, afirmando que este “crime” ocorreu na capital da província de Ninawa .

O vídeo terrível terminou com um terroristas do ISIS jogando o homem do telhado de um prédio em Mosul, matando o acusado no momento do impacto.

https://www.jihadwatch.org/2017/01/islamic-state-throws-man-off-roof-for-crime-of-homosexuality

Hamas comemora com milhares de palestinos ataque terrorista que matou 4 israelenses

Milhares de ativistas e partidários do Hamas foram às ruas do campo de refugiados de Jabalya, em Gaza, no domingo à noite, para se reunirem contra Israel e louvar o ataque terrorista que atingiu Jerusalém, matando quatro israelenses.

Mais cedo no domingo, um palestino lançou seu caminhão contra um grupo de soldados israelenses em Jerusalém, matando quatro deles em um ataque que o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu disse que provavelmente tinha sido inspirado pelo Estado Islâmico.

Cantando slogans anti-israelenses os manifestantes marcharam para o comício onde doces foram entregues em comemoração.

“A mensagem do nosso partido islâmico Hamas é uma mensagem de encorajamento e apoio para todos os jihadistas que realizam um ataque que põe um fim aos atos do inimigo sionista”, disse o líder do Hamas, Fathi Hamad, que liderou a manifestação.

O grupo islâmico palestino elogia rotineiramente aqueles que realizam ataques de rua contra israelenses.

O ataque palestino em Jerusalém foi o mais letal em meses e alvejou cadetes de oficiais quando eles desembarcaram de um ônibus que os trouxe para o passeio de Armon Hanatziv que tem uma vista panorâmica da cidade velha murada.

Os militares disseram que um oficial e três cadetes oficiais foram mortos e que outros 17 ficaram feridos.

A polícia identificou o motorista do caminhão como um palestino de Jerusalém Oriental e disse que ele foi morto a tiros. Seu tio, Abu Ali, nomeou-o como Fadi Ahmad Hamdan Qunbor, 28 anos.

Após o ataque, Netanyahu disse que as limitações de acesso foram impostas dentro e ao redor do bairro de Jerusalém Oriental e que novas ações serão tomadas por Israel.

Tarde no domingo, a polícia foi vista patrulhando a área e parando veículos para verificações. Os palestinos lançaram fogos de artifício contra as forças policiais, mas nenhum acidente foi relatado.

Ações inspiradas pelo Estado Islâmico em Israel, Cisjordânia e Jerusalém têm sido raras e apenas algumas dúzias de árabes israelenses e palestinos são conhecidos por terem declarado sua simpatia com o grupo.

Uma onda de ataques palestinos em ruas, incluindo a destruição de veículos, em grande parte desacelerou, mas não parou completamente desde que começou em outubro de 2015 e 37 israelenses e dois americanos visitantes foram mortos nesses assaltos.

Matéria completa em: http://www.jpost.com/Arab-Israeli-Conflict/Hamas-holds-rally-in-Gaza-to-celebrate-terrorist-ramming-that-killed-four-Israelis-477860

 

Cristão é assassinado no Egito por vender bebida alcoólica

Um homem muçulmano deu emboscada por atrás de um cristão e cortou sua garganta, matando-o em Alexandria, no Egito, na noite de 3 de janeiro.

Adel Suleiman, 48, o homem muçulmano que cometeu o assassinato, o fez porque sua vítima cristã, Joseph Lam’i, de 45 anos, era dono de uma loja que vendia bebida álcoólica, o que o assassino considerava “contrário à shar’ia (Lei)  e à religião [Islã] “, de acordo com um relatório de investigação em língua árabe.

Um vídeo de vigilância capta o momento do ataque (veja abaixo). O proprietário copta da loja pode ser visto sentado em uma cadeira fora de sua loja. Então um homem barbudo aparece casualmente andando ao fundo. Ele pára atrás do cristão sentado, puxa sua cabeça para trás, e muito vigorosamente e deliberadamente corta sua garganta. O copta instintivamente salta e se afasta de seu assassino, embora venha sucumbir rapidamente devido ferimentos sangrando até a morte.

De acordo com uma investigação preliminar do departamento de segurança nacional do Egito, “O acusado não foi motivado por motivos políticos ou criminosos, mas abraçou o pensamento takfiri [radical] há quatro anos”.

O que está claro é que o assassino é um salafista, um desses muçulmanos que seguem de perto o estilo de vida e os ensinamentos do profeta muçulmano Muhammad e seus companheiros originais. Tanto sua aparência (a tradicional barba salafista com bigode cortado) como suas ações (“defender” o Islã das influências “corruptoras” dos “infiéis”) testificam desse fato.

http://raymondibrahim.com/2017/01/04/muslim-slaughters-christian-selling-alcohol-egypt/

 

‘Sobrevivemos ao Boko Haram, mas não à fome’: o drama das crianças mortas por inanição na Nigéria

No mês passado, Kawu Ashe teve de tomar uma decisão de vida ou morte e abandonar o povoado onde vivia na Nigéria após receber uma mensagem aterrorizante do grupo extremista Boko Haram: “Voltaremos novamente para buscar seu filho”.

Há dois anos, os militantes já haviam matado seu marido. Agora, diziam que o filho do casal, de dois anos e meio, lhes pertencia.

Ashe agiu rapidamente para proteger o pequeno Abdullahi, ainda que o castigo para quem tenta escapar do grupo seja a execução.

Amparados pela noite, ela e os dois filhos, além da irmã, caminharam por matagais por nove horas até chegar a um local seguro.

Mas, ainda que tenha conseguido resguardar Abdullahi dos extremistas, ela o deixou exposto a outra ameaça: a inanição que aflige mais de 120 mil pessoas no nordeste nigeriano, uma região devastada pela insurgência do Boko Haram.

Kawu Ashe e seu filho Abdullahi no norte da Nigéria
Image captionAbdullahi corre o risco de morrer de fome, diz sua mãe

A ONU descreveu a desnutrição aguda e generalizada nesta área do país africano como a “pior crise do continente” e convocou a comunidade internacional a contribuir com mais de US$ 1 bilhão (R$ 3,4 bilhões) para salvar seus 7 milhões de habitantes.

Em julho, o organismo internacional calculou que há 250 mil crianças com menos de 5 anos nesta situação no Estado de Borno. Uma em cada cinco corre risco de morrer por isso.

Criança desnutrida na NigériaImage copyrightAFP
Image caption‘Se conseguíamos comida, os insurgentes tomavam da gente’, dizem os refugiados de um campo de Maiduguri

Abdullahi está esquelético. Pesa 7 kg, a metade do normal para uma criança da sua idade. “Não havia comida nem água potável em nosso vilarejo”, diz Ashe à BBC em uma clínica de nutrição da Unicef, agência da ONU para a infância, na capital de Borno, Maiduguri.

“Se conseguíamos algo para comer, os militantes tomavam da gente. As coisas estão um pouco melhores aqui, mas ainda preciso lutar para alimentar meus filhos.”

No mês passado, a organização Médico Sem Fronteiras denunciou que milhares de crianças já morreram de inanição em decorrência da crise.

Menino com sua mãe em uma clínica de MaiduguriImage copyrightAFP
Image captionSegundo a ONG Médicos sem Fronteiras, milhares de crianças já morreram de inanição na Nigéria nesta crise recente

‘Começa com as crianças’

Fundado em 2002, o Boko Haram se concentrou inicialmente em combater a educação de estilo ocidental.

Passou a realizar operações militares em 2009 e, mais recentemente, uniu-se ao grupo extremista autodenominado Estado Islâmico e instaurou um califado em uma região que se estende por parte do nordeste da Nigéria.

Nos sete anos que está na região, o grupo arrasou com tudo. Muitos habitantes tornaram-se suas vítimas, e milhões fugiram para escapar do mesmo destino tanto no norte da Nigéria quanto nos países vizinhos Chade, Camarões e Niger.

O exército nigeriano vem recuperando grande parte do território ocupado pelos extremistas nos últimos 22 meses. À medida que avança e obriga militantes a deixarem o território antes controlados por eles, a real dimensão da tragédia vai sendo revelada.

Os ataques frequentes do Boko Haram impediram que, pelo terceiro ano consecutivo, agricultores cultivassem suas terras. E os comboios de ajuda alimentar são com frequência alvo de emboscadas ao percorrer rotas inseguras.

Também há acusações de roubos de grande escala da ajuda humanitária que chega até a região, que estão sendo investigados pelo Senado nigeriano.

Os militares ainda fecharam os mercados por questão de segurança, e muitas pessoas não têm onde ir para comprar o básico.

Mulheres e crianças reunidos em torno de um poço de água no campo de refugiados de Maiduguri, na NigériaImage copyrightREUTERS
Image captionA ONU diz que não há recursos suficientes para a ajuda humanitária necessária

A ONU diz que milhões dependem de ajuda humanitária atualmente, mas que não há recursos suficientes para atender a todos.

“Sem mais assistência internacional, muito mais gente ainda vai morrer. E o problema começa com as crianças, porque seus pais não têm meios de cuidar delas”, afirma John Ging, diretor de operações do Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários.

“Estamos em 2016 e deveríamos ser capazes de responder melhor a uma situação assim, porque vivemos em um mundo rico. Precisamos de uma pequena fração desta riqueza para ações humanitárias. No momento, não estamos recebendo nem isso.”

Criança e sua mãe em uma clínica de nutrição na NigériaImage copyrightAFP
Image captionA ONU diz que crianças são as primeiras a sofrer porque seus pais simplesmente não têm meios de cuidar delas

‘Inchados’ pela fome

Maiduguri transformou-se no principal centro de esforços humanitários. Sua população aumentou em centenas de milhares, com civis chegando em fuga da violência e se instalando em campos de refugiados precários.

Os casos mais graves de inanição são levados para as instalações da Médicos Sem Fronteiras na cidade. Na unidade de tratamento intensivo, há uma dezena de crianças sobre as camas.

Elas precisam receber oxigênio e algumas têm sondas na cabeça, único lugar do corpo onde enfermeiras conseguiram achar uma veia.

Enfermeira em uma clínica de nutriçãoImage copyrightAFP
Image captionEm Gwangwe, no nordeste do país, o conflito já custou a vida de 20 mil pessoas desde 2009

Uma delas é Ali, um menino albino de 2 anos. Sua mãe, Zara Mustafa, conta que o marido não conseguiu trabalho depois de a família fugir de casa – e que assim não têm dinheiro para comprar comida. “Às vezes, não comemos por três dias”, revela.

Em outra cama, esta Mohammedu, de apenas 1 mês. Seu corpo está inchado por conta da desnutrição. Sua mãe, Aisha Umar, tem outros seis filhos. “É muito difícil conseguir comida aqui. Mandei meus filhos mendigarem”, diz.

Zara Mustafa e seu filho de 2 anos, Ali
Image captionA família de Ali não tem dinheiro para alimentá-lo

Ali, embora corram grave perigo, ao menos elas recebem algum tipo de assistência.

Nas áreas sob o controle do Boko Haram, a ajuda nem sequer consegue chegar. Supõe-se que as condições ali sejam ainda piores que em Maiduguri.

E, segundo observadores internacionais, com a temporada da seca prestes a começar, há ainda mais fome – e mortes – no horizonte do país.

http://www.bbc.com/portuguese/internacional-38220284

A trágica morte de palhaço que alegrava crianças em meio à guerra em Aleppo

Um voluntário sírio de 24 anos que se vestia de palhaço para distrair crianças traumatizadas em meio ao cerco à cidade de Aleppo foi morto em um ataque aéreo no começo da semana.

A morte de Anas al-Basha foi informada pela agência de notícias Associated Press (AP).

O jovem era voluntário da organização não governamental síria Space of Hope (Espaço da Esperança, em inglês) e tinha se casado há dois meses.

A mulher dele permanece na cidade sitiada.

Esquetes para as crianças

“Ele vivia para fazer as crianças rirem e se sentirem felizes no lugar mais escuro e perigoso do mundo”, escreveu no Facebook Mahmoud al-Basha, irmão de Anas.

“Ele se recusou a sair da cidade para continuar o trabalho como voluntário para ajudar os civis, dar presentes e esperança às crianças”, continuou.

Os pais do jovem deixaram Aleppo em julho, antes do começo dos combates intensos entre o governo e os rebeldes.

Anas al-Basha fantasiado de palhaço em casa, em AleppoImage copyrightAHMAD AL-KHATIB/AP
Image captionAnas al-Basha havia se casado dois meses atrás

A supervisora de Anas, Samar Hijazi, disse à AP que vai lembrar dele como um amigo que adorava trabalhar com crianças.

“Ele interpretava esquetes para as crianças e conseguia se aproximar delas”, disse.

“Estamos todos exaustos. Temos de encontrar força para dar apoio psicológico às pessoas e continuar o nosso trabalho”, completou.

Fuga em massa

A ofensiva do exército sírio em Aleppo obrigou 30 mil civis a deixarem suas casas nos últimos dias. E o número vem aumentando rapidamente, segundo alerta do enviado especial das Nações Unidas para a Síria, o sueco Staffan de Mistura.

A fuga em massa ocorre na zona leste da cidade – controlada pelos rebeldes -, mas o número total de deslocados de Aleppo passa de 40 mil, acrescentou ele.

Na última quarta-feira, o responsável pelas operações humanitárias da ONU, Stephen O’Brien, advertiu que o leste de Aleppo corre o risco de tornar-se “um gigantesco cemitério” caso os combates continuem e a entrada de ajuda humanitária permaneça bloqueada.

Mais de 300 mil pessoas morreram e milhões foram obrigadas a fugir desde o início da guerra na Síria, há quase seis anos.

Calcula-se que 250 mil pessoas ainda estão vivendo na cidade sitiada, das quais 100 mil são crianças.

Não há hospitais funcionando e os estoques de alimentos estão no fim.

Post de Mahmoud al-Basha no FacebookImage copyrightFACEBOOK/MAHMOUD AL-BASHA
Image captionO irmão de Anas escreveu uma mensagem no Facebook dizendo que Anas “viveu para fazer as crianças rirem”