Arquivo da tag: #ofício

Comitiva de parlamentares pede audiência com ministro Ernesto Araújo em apoio ao cristão perseguido Faraz Pervaiz

Brasília – Nessa sexta-feira (05/03), a ONG Ecoando a Voz dos Mártires, representada por sua diretora-presidente Andréa Fernandes, esteve em diligência com o Deputado Federal Eli Borges (TO/Solidariedade) no Protocolo Geral do Ministério das Relações Exteriores para ingressar com ofício assinado por oito deputados solicitando audiência com o Ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo a fim de tratar sobre a situação do refugiado cristão Faraz Pervaiz e de seu família, os quais estão sob ameaça de morte na Tailândia, país para o qual fugiram após sucessivas ameaças no Paquistão.

Resultado de imagem para imagem faraz pervaiz      

                          Faraz Pervaiz

Em 23 de janeiro, a jornalista Andréa Fernandes tomou conhecimento das violações de direitos humanos sofridas pelo cristão paquistanês Faraz Pervaiz, que se viu obrigado a abandonar o Paquistão juntamente com parte dos seus familiares, onde está sendo processado pelo Estado por suposta violação à lei da blasfêmia ao compartilhar vídeos nas suas redes direcionados ao público cristão fazendo críticas ao Islã. Poderosos grupos muçulmanos – inclusive, o partido político Tahreek-e-Labbaik – não somente pressionaram o governo para persegui-lo na esfera judicial, mas, também, fizeram manifestações públicas diante de multidões pedindo a morte do cristão, e ainda ofereceram vultosas recompensas financeiras para aquele que viesse a assassiná-lo em jihad. Além disso, um clérigo local simpatizante do Talibã, ofereceu cerca de 124 mil dólares pela “cabeça” de Pervaiz.

No entanto, as ameaças de morte se agravaram quando o endereço de Faraz foi divulgado on line por um refugiado muçulmano em julho/2019. Inobstante tal fato,  o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) vem dando prioridade para o reassentamento de famílias muçulmanas na Tailândia e ignora os apelos contínuos de socorro de Pervaiz, que aguarda em vão reassentamento há mais de cinco anos. Quando foi atacado e ferido por muçulmanos, em 23 de dezembro de 2019, o ACNUR sugeriu que os pais do refugiado cristão deveriam se mudar para uma nova residência por segurança sem prestar nenhum tipo de auxílio. Pelo contrário, a entidade ainda promoveu grave violação de direitos humanos ao obrigar Pervaiz a remover 474 vídeos que postou em suas redes por serem críticos ao Islã, considerados  assim “ofensivos” para alguns muçulmanos que seguem a sharia (lei islâmica), e consideram obrigatório seu cumprimento pelos “infiéis”. Vale lembrar que a sharia não tem base legal na Tailândia, país de maioria budista.

Apesar de pedir socorro a vários ministérios cristãos, até o momento, o refugiado não conseguiu sensibilizar nenhum deles para promover divulgação e apoio à sua luta pela vida, que depende de sua saída da Tailândia, país que reconhece não mais ter condições de garantir segurança a Pervaiz e sua família. O refugiado cristão informou num dos muitos contatos com a ONG Ecoando a Voz dos Mártires, que nem mesmo a renomada instituição Portas Abertas se solidarizou com seu sofrimento ao não atender seus reiterados pedidos de socorro por e-mail, inclusive, com cópia para o representante da instituição no Brasil. Foram mostrados prints comprovando a denúncia, pelo que, a presidente da ONG EVM tentou contato com Portas Abertas e ao não conseguir atendimento, solicitou ao deputado estadual Douglas Garcia para pedir uma reunião com a entidade no Brasil (sediada em São Paulo). Vergonhosamente, Portas Abertas ignorou as solicitações, descaso este que obrigou a ONG EVM a articular apoio no parlamento federal, a fim de interceder pela causa junto ao Itamaraty.

Em fevereiro, Andréa Fernandes e o representante da ONG EVM/Brasília, o internacionalista e jornalista Gil Carlos Montarroyos, deram início ao trabalho de articulação política envolvendo alguns deputados procurados pela presidente da entidade.

O deputado Otoni de Paula (PSC/RJ), gravou vídeo em apoio e afirmou que faria discurso em favor de Pervaiz na tribuna do plenário, informando também que solicitaria audiência com o ministro das Relações Exteriores. Já a deputada Bia Kicis (PSL/DF), conseguiu o encaminhamento da pauta ao Departamento de Direitos Humanos e Cidadania do Itamaraty, onde Andréa Fernandes foi recebida pelo diretor, momento em que providenciou a entrega de requerimento solicitando audiência com o ministro Ernesto Araújo, remetendo toda documentação necessária para deliberação do ministro sobre a questão.

O deputado Eli Borges (Solidariedade/TO), ao tomar conhecimento do caso, resolveu ligar pessoalmente para deputados a fim de convencê-los a formar uma comitiva para tratar do assunto com o ministro juntamente com a presidente da ONG EVM, ação esta formalizada através de um ofício direcionado ao ministro Ernesto. Outrossim, o próprio deputado entrou em contato com seus pares para colher as assinaturas posteriormente consignadas no ofício e se dirigiu ao Ministério das Relações Exteriores com seu chefe de gabinete, um assessor da Frente Parlamentar Evangélica e Andréa Fernandes.

                        Deputado Eli Borges com Andréa Fernandes, presidente da ONG EVM

Importante destacar o empenho da Frente Parlamentar Evangélica, que definitivamente assume o protagonismo na agenda de combate à perseguição contra cristãos e apoio à igreja perseguida, uma vez que seu presidente, Silas Câmara (Republicanos /AM), imediatamente se prontificou a defender a pauta junto ao ministro das Relações Exteriores.

Além dos deputados federais acima mencionados, assinaram o ofício os seguintes parlamentares da câmara dos deputados: –Pastor Eurico (Patriota/PE), Sóstenes Cavalcante (DEM/RJ), Dr. Jaziel (PL/CE) e João Campos (Republicanos/GO).

Ao receber o documento no Protocolo Geral, o funcionário informou que o ofício estaria em 10 minutos nas mãos de Ernesto Araújo, dada a fala do deputado Eli Borges no tocante à preocupação com a necessária urgência para deliberação do tema, vez que o estoque de comida da família já está chegando no final, além das graves ameaças de morte. Ademais, o deputado se comprometeu a diligenciar na manhã de sexta-feira (06/03) no Itamaraty para se certificar que o ministro recebeu o ofício e saber se já foi marcada data para audiência. O caso merece realmente tamanho empenho!

Andréa Fernandes – advogada, internacionalista, jornalista e presidente da ONG Ecoando a Voz dos Mártires(EVM).

Imagem: Deputado Eli Borges, Josué Alves (assessor da bancada evangélica) e Andréa Fernandes no Protocolo Geral do Itamaraty.

Vereadora Debora Cabral (Descalvado/SP) se solidariza com Roraima e pede fechamento da fronteira

Por Andréa Fernandes

SÃO PAULO – A vereadora do município de Descalvado (SP) e candidata a deputada federal Debora Cabral (2278/PR), realizou nessa semana um discurso na tribuna da câmara dos vereadores se solidarizando com os roraimenses e solicitando encaminhamento de ofício ao presidente Michel Temer solicitando o fechamento da fronteira e autorizando o ingresso de venezuelanos mediante visto.

Afirmando “eu sou brasileira e eu sofro com o povo de Roraima, Debora denunciou uma “invasão de venezuelanos”, vez que muitos estão ingressando no país de forma ilegal e as autoridades na fronteira perderam o controle, além do que, há rota de entrada ilegal em nosso território, sedo certo que a ausência de busca de antecedentes criminais possibilitou a entrada de criminosos, resultando num aumento absurdo da violência .em Roraima.

No ofício a vereadora afirma que as cidades roraimenses não possuem estrutura e condição humanitária para receber mais refugiados “tendo em vista a calamidade que se tornaram os serviços públicos e a segurança pública”. Além disso, requereu a efetivação de “políticas imigratórias que visem a regularização dos venezuelanos no Brasil através de um visto”.

O governo federal tem seguido as imposições da ONU em relação ao trato com os refugiados e imigrantes e se nega a requerer a instauração de campos de refugiados na Venezuela com proteção internacional, se negando, ainda, a articular junto às Nações Unidas intervenção no país dominado por uma ditadura comunista sanguinária. Conforme já noticiado pela prefeita da capital Boa Vista numa entrevista recente à BBC, se medidas urgentes não forem adotadas, até o fim do ano perderá o controle da cidade que mais recebe refugiados.

Eis o ofício deferido pelo presidente da Câmara de Vereadores:

 

Deputado Roberto de Lucena oficiará o Ministério das Relações Exteriores para atender pedidos da ONG EVM

Deputado discutiu com a ONG e lideranças evangélicas questões referentes a Israel e Perseguição Religiosa no Oriente Médio

Brasília – A presidente da ONG Ecoando a Voz dos Mártires, Andréa Fernandes, se reuniu com o deputado federal Roberto de Lucena na terça-feira (28/11), para deliberar sobre o posicionamento diplomático brasileiro nas votações da ONU relacionadas a Israel e a perseguição religiosa contra cristãos no mundo muçulmano. Participaram, também, da reunião os representantes do Conselho Apostólico Brasileiro, pastores Paulo de Tarso Fernandes e Hudson, além do jornalista Jarbas Aragão.

O Conselho Apostólico Brasileiro, que representa diversas denominações, uniu-se ao deputado Lucena para solicitar ao Ministro das Relações Exteriores, José Serra, que reavalie o voto brasileiro nas 20 resoluções da ONU contrárias a Israel, aprovadas este ano, bem como nas resoluções da UNESCO que negam a ligação histórica dos judeus com o Monte do Templo e o Muro das Lamentações. Como José Serra agendou nova reunião para março de 2017, as lideranças evangélicas estão planejando ações para obterem apoio popular e a ONG EVM se uniu ao grupo por entender que as resoluções da ONU são, na verdade, uma estratégia de países árabes para deslegitimar o Estado Judeu, sendo certo que há uma evidente tentativa árabe de transformar o Monte do Templo, o Muro das Lamentações, o Túmulo de Raquel, o Túmulo dos Patriarcas e outros locais sagrados para os judeus em lugares exclusivamente muçulmanos, o que configura grave violação dos direitos humanos.

Além da questão envolvendo as temerárias resoluções da ONU contra Israel, foram discutidas as propostas da ONG EVM para dar visibilidade à perseguição religiosa sofrida por cristãos em países muçulmanos, e o deputado Lucena se prontificou a articular  uma nova sessão solene no estado de São Paulo, que dessa vez, será na Assembleia Legislativa (ALESP). Na oportunidade, Lucena entregou à Andréa Fernandes o Projeto de Lei nº 7787/2104, de sua autoria, que dispõe sobre a autorização ao presidente da República de suspender ou deixar de celebrar tratados, convenções e atos internacionais ou comerciais com países que desrespeitam os Tratados Internacionais de Direitos Humanos do qual o Brasil é signatário e/ou pratiquem ou promovam a perseguição religiosa.

Ao saber da falta de atendimento dos pleitos da ONG EVM nas reuniões com o representante do Ministério das Relações Exteriores, o deputado Lucena se manifestou no sentido de oficiar o órgão, e para tanto, Andréa Fernandes elaborou requerimento juntando documentos que demonstram os posicionamentos do MRE e da ONG nas referidas reuniões.

Senador Magno Malta oficiará o Ministério das Relações Exteriores para responder postulações da ONG EVM

Brasília – Na terça-feira (29.11), foi protocolado no gabinete do Senador Magno Malta o requerimento solicitado pela assessora Damaris Alves para fundamentar o ofício que será encaminhado ao Ministério das Relações Exteriores requisitando posicionamento acerca dos pleitos da ONG Ecoando a Voz dos Mártires junto à entidade.

Em reunião no dia anterior intermediada pela Dra. Teresinha Neves, assessora do deputado federal Gilberto Nascimento, Damaris tomou conhecimento da atuação da ONG EVM na defesa dos direitos humanos no mundo muçulmano e Coreia do Norte. Ao saber da participação da instituição nas reuniões com o Ministério das Relações Exteriores acerca da agenda de política externa brasileira na área de direitos humanos, Damaris manifestou interesse de enviar ao senador as deliberações do órgão, uma vez que, não houve atendimento das postulações efetivadas pelas internacionalistas Andréa Fernandes e Marcelle Torres.

Damaris frisou a importância que tem para o senador Magno Malta questões de direitos humanos e a perseguição religiosa contra cristãos no mundo muçulmano, oportunidade em que, convidou a presidente da instituição para exercer consultoria voluntária nessas áreas, solicitando, ainda, os esclarecimentos necessários para alicerçar o ofício a ser encaminhado ao MRE.

Na terça-feira, a integrante da diretoria da ONG, Diane Torres, foi recebida por Damaris no gabinete de Magno Malta para protocolar o documento enquanto a presidente da ONG estava em reunião com o deputado federal Ezequiel Teixeira.