Arquivo da tag: #ônibus

Dos adolescentes israeíes heridos en ataque de árabes con piedras

De acuerdo con los médicos del Magen David Adom, los dos, de edades comprendidas entre 16 y 18 años, resultaron heridos levemente cuando las rocas lanzadas rompieron los cristales de las ventanas, haciendo que fragmentos de vidrio golpearan sus cabezas.

La línea Nº 3 de Egged que viajaba en la zona de Wadi Joz cerca del Rockefeller Junction hacia el lugar sagrado del Muro Occidental de la ciudad vieja cuando fue atacado. Según los informes, el autobús estaba lleno de pasajeros. Algunos sufrieron de shock.

Previamente el domingo, una mujer israelí resultó levemente herida cuando su vehículo fue apedreado cerca de Beit Anun.

El domingo por la mañana, una mujer israelí y su hijo lactante fueron atacados por un hombre árabe en el barrio de Jerusalém de French Hill.

El presunto agresor huyó de la escena, pero fue detenido por las fuerzas de seguridad israelíes poco después en un retén.

No se informó de inmediato las condiciones de las víctimas.

El agresor fue detenido y trasladado para una investigación. La policía no ha comentado sobre los presuntos motivos del ataque.

Autorizado con la siguiente mención: http://www.estadodeisrael.com/2016/06/dos-adolescentes-israeies-heridos-en.html
© estadodeisrael.com

Terroristas atingem dois ônibus israelenses no final das comemorações do Dia de Jerusalém

Judeia e Samaria (TPS) – Um ônibus que transportava crianças de uma escola judaica foi atingido por projéteis de ferro enquanto passava pela cidade palestina de Huwara na noite de domingo, 5/6. O para-brisa foi danificado, mas ninguém ficou ferido.

Ao mesmo tempo, um ônibus público israelense foi atingido por pedras ao norte de Jerusalém, perto da comunidade judaica de Adam, ferindo levemente cinco passageiros, incluindo o motorista do ônibus.

“Momentos atrás tiros foram disparados contra um ônibus civil ao sul de Nablus. Nenhum ferimento foi relatado. Forças policiais estão procurando o agressor”, afirmou o porta-voz da unidade do IDF (Forças de Defesa de Israel) pouco depois do incidente na noite de domingo.

De acordo com os paramédicos do Magen David Adom (serviço nacional de emergência médica e desastres de Israel), no local foram tratados cinco indivíduos com ferimentos leves, incluindo o motorista do ônibus.

O IDF descobriu depois que, na verdade, o ônibus foi atingido não por tiros, mas por bolas de ferro. “A análise pericial revela que o ônibus foi atingido por bolas de ferro que, aparentemente, não foram disparadas por uma arma de fogo”, disse um porta-voz do IDF na segunda-feira (6/5) de manhã.

Esta é a segunda vez em duas semanas que um ônibus escolar israelense transportando alunos foi atacado por terroristas palestinos. Quase duas semanas atrás, um ônibus escolar israelense lotado, com cerca de 50 meninos do primeiro ano do ensino médio, foi atingido por balas ao sul de Jerusalém. Nenhum estudante foi ferido em qualquer dos incidentes.

Os ataques aconteceram ao final do Dia de Jerusalém, no qual israelenses celebram a reunificação de Jerusalém – em particular a libertação da Cidade Velha das forças jordanianas – na Guerra dos Seis Dias em 1967.

Fonte: TPS / Texto: Michael Zeff / Tradução: Alessandra Franco / Foto: Yakov Aflalo

Agência Tazpit

Polícia de Israel prende mais um membro de célula do Hamas que explodiu ônibus em Jerusalém

Jerusalém (TPS) – O sexto membro de célula do Hamas responsável por explodir um ônibus israelense no mês passado, ferindo 20 pessoas, foi preso conforme detalhes revelados no domingo, 29/5, de manhã, pela Agência de Segurança de Israel (Shin Bet). A célula também havia planejado adicionalmente uma série de disparos e carros-bomba suicidas dentro e em volta de Jerusalém, de acordo com o Shin Bet.

Os agentes do Hamas detidos, todos da região de Belém, são: Muhammad Sami al-Hameed Al-Ezza, 26, Muhammad Issa Mahmoud Al-Barbari, 26, Muhammad Majdi Mustafa al-Ezza, 21, Ahmed Muhammad Mahmoud Mashaikh, 19, Ali Ahmed Muhammad Arouj, 30, e Said Osama Issa Harmas, 30.

Al-Hameed Al-Ezza e Al-Barbari também estavam supostamente envolvidos em um ataque a tiros em 2015, que não teve vítimas. Três deles cumpriram pena de prisão anteriormente por envolvimento em atividades terroristas.

Abdel Hamid Abu Srour, 19 anos, um dos responsáveis pelo atentado em 18 de abril, o que detonou um dispositivo explosivo no ônibus público número 12 em Jerusalém, ferindo 20 pessoas, morreu no hospital dois dias depois, devido aos seus ferimentos. Após o ataque, o grupo terrorista Hamas o saudou como um “mártir”.

O Shin Bet revelou agora que o bombardeio foi concebido como um ataque suicida– o Hamas supostamente ajudou a escrever o testamento de Abu Srour antes do bombardeio e tirou sua foto, presumivelmente para preparar um pôster em memória do “mártir”.

A investigação pelo Shin Bet revelou que o dispositivo explosivo improvisado foi fabricado por Al-Hameed Al-Ezza com materiais facilmente disponíveis e usando informações encontradas na Internet.

Os arquivos da investigação foram transferidos para a promotoria militar e são esperados indiciamentos nos próximos dias, juntamente com pedidos para manter os suspeitos sob custódia até o fim dos processos judiciais contra eles.

Fonte: TPS / Texto: Michael Bachner / Tradução: Alessandra Franco / Fotos: Hillel Maeir e Chur Uriel Nizri

TAZPIT BRASIL

Terroristas abrem fogo contra ônibus escolar israelense

Gush Etzion (TPS) – Terroristas palestinos dispararam contra um ônibus escolar israelense cheio de adolescentes na noite de sábado (21/5) perto da comunidade de Tekoa em Gush Etzion, ao sul de Jerusalém. O atentado causou danos ao para-brisa, mas “milagrosamente não houve feridos”, disse a Hatzalah, serviço médico voluntário de emergência local. Os atiradores aceleraram o carro e escaparam.

De acordo com uma investigação inicial, um Fiat Punto ultrapassou o ônibus – que estava transportando cerca de 50 alunos do primeiro ano da Makor Chaim, escola de ensino médio local – quando um terrorista do carro abriu fogo contra o ônibus. O para-brisa dianteiro foi danificado por uma bala, informou o IDF (Forças de Defesa de Israel).

“No carro à nossa frente a pessoa ao lado do motorista pôs a cabeça e o peito para fora e disparou com um rifle longo na direção do ônibus”, disse Uriel Fluss, supervisor dos alunos que também estava no ônibus, em uma entrevista ao serviço de imprensa Tazpit (TPS). “Nós dissemos para todos abaixarem – entendemos que era um ataque terrorista.”

Depois do um pânico inicial, Fluss disse que os estudantes “se acalmaram quando viram que todos estavam bem”.

“A maior sorte foi a bala não ter atingido o motorista, uma vez que a bala que atingiu o para-brisa estava bem em frente do peito dele”, Fluss disse à TPS. “Se o ônibus não fosse blindado o motorista não estaria com a gente.”

O IDF, imediatamente após o ataque, começou a busca pelos agressores. Um soldado foi ferido levemente no rosto depois de ser atingido por uma pedra durante uma varredura na aldeia palestina de Sa’ir, perto de Hebron.

Os terroristas ainda não foram encontrados e a busca continua. Este não foi o primeiro ataque terrorista que atingiu estudantes do colégio de ensino médio Makor Chaim. Os três adolescentes, Naftali Frenkel, Gilad Shaer e Eyal Yifrah, que foram sequestrados e assassinados por membros do Hamas no verão de 2014, um incidente que levou à criação da Operação Margem Protetora em Gaza, todos estudavam na Makor Chaim.

Após o ataque na noite de sábado, os alunos realizaram uma reunião com seus professores. “Nós todos nos reunimos com os professores e rabinos para expressar gratidão pelo milagre e para sair desta mais forte”, disse Fluss à TPS.

Fonte: TPS / Texto: Michael Bachner / Tradução: Alessandra Franco / Foto: Cortesia

Grã-Bretanha presta homenagem a vítimas 10 anos após atentados em Londres

LONDRES (Reuters) – O primeiro-ministro britânico, David Cameron, liderou nesta terça-feira as homenagens na recordação do 10º aniversário dos atentados que mataram 56 pessoas em Londres, os primeiros ataques suicidas de militantes islamistas na Europa Ocidental.

Familiares das vítimas, sobreviventes, e as mais altas autoridades do país se reuniram para lembrar os mortos nos atentados de 7 de julho de 2005, com as emoções ainda latentes depois de um massacre na Tunísia, no mês passado, que causou o maior número de mortes entre britânicos desde o atentados em Londres.

“Hoje, o país se junta para lembrar as vítimas de uma das mais letais atrocidades terroristas no território britânico”, disse Cameron em comunicado. “Dez anos depois dos ataques de 7/7, em Londres, a ameaça do terrorismo continua tão real quanto letal. O assassinato de 30 cidadãos britânicos inocentes em férias na Tunísia é um lembrete brutal desse fato. Mas nós nunca vamos ser intimidados pelo terrorismo “.

Nas primeiras horas de 7 de julho há uma década, quatro jovens muçulmanos britânicos viajaram para Londres, onde cometeram os atentados suicidas detonando bombas caseiras escondidas em mochilas dentro de três trens do metrô e um ônibus durante a hora do rush pela manhã. Eles mataram 52 pessoas e causaram ferimentos em outras 700.

Cameron e o prefeito de Londres, Boris Johnson, permaneceram em silêncio, de cabeça baixa, antes de colocarem uma coroa de flores no memorial 7/7 no Hyde Park. Eles vão se reunir mais tarde com outras autoridades, famílias das vítimas, sobreviventes e membros dos serviços de emergência vítimas dos ataques para um serviço religioso na catedral de St. Paul.

http://br.reuters.com/article/topNews/idBRKCN0PH17B20150707