Arquivo da tag: #pastor

Nigéria: muçulmanos decapitam pastor cristão depois que ele se recusa a negar a Cristo e se converter ao Islã

Se os papéis fossem invertidos aqui e os cristãos tivessem assassinado um imã muçulmano por se recusar a se converter ao Cristianismo, embora esse assassinato nunca aconteça e nunca aconteceria, haveria manchetes internacionais gritantes. Mas ninguém tomará conhecimento disso.

Pastor nigeriano que louvou a Deus em vídeo de resgate decapitado depois de se recusar a negar a Cristo”, por Samuel Smith, Christian Post , 21 de janeiro de 2020:

Um pastor que foi manchete no início deste mês por louvar a Deus em um vídeo de resgate foi executado por militantes do Boko Haram na Nigéria.

Ativistas internacionais de direitos humanos condenaram o assassinato do Rev. Lawan Andimi, presidente da Associação Cristã da Nigéria na área do governo local de Michika, no estado de Adamawa.

Andimi foi declarado desaparecido em 3 de janeiro, após uma invasão do grupo extremista islâmico em Michika. O vídeo postado on-line parece mostrar Andimi sendo forçado a entrar em um veículo por seus captores.

Dias depois, Andimi foi visto em um vídeo divulgado por seus captores, pedindo aos colegas líderes cristãos e funcionários do governo estadual para garantir sua libertação.

Apesar da situação, Andimi disse no vídeo que não estava desanimado porque “todas as condições que se encontram estão nas mãos de Deus”.

Pela graça de Deus, estarei junto com minha esposa, meus filhos e todos os meus colegas”, disse ele. “Se a oportunidade não for concedida, talvez seja a vontade de Deus.

Na segunda-feira, fontes locais divulgaram aos parceiros do ministério nos Estados Unidos que Andimi foi assassinado.

Uma fonte disse à organização não governamental norte-americana Save the Persecuted Christian que a família de Andimi foi notificada sobre a morte do pastor pelo escritório da CAN no estado de Adamawa na segunda-feira.

“Eles o mataram na floresta de Sambisa”, disse uma fonte à Save the Persecuted Christian, de acordo com o diretor executivo da organização sem fins lucrativos Dede Laugesen. “Eles o assassinaram porque ele se recusou a renunciar à sua fé. E porque eles não podiam arrecadar dinheiro para o seu resgate. ”

A fonte local, cujo nome não pôde ser revelado por razões de segurança, disse à Save the Persecuted Christian que os captores de Andimi exigiram 2 milhões de euros em troca de sua libertação. No entanto, a comunidade eclesiástica carente só conseguiu levantar 2 milhões de nairas (4.969,88 euros).

O jornalista investigativo nigeriano Ahmed Salkida informou em um tweet que Andimi foi decapitado na tarde de segunda-feira. Salkida escreveu que obteve um vídeo da execução e informou as autoridades.

O porta-voz da CAN, Bayo Oladeji, disse ao Centro Internacional de Relatórios Investigativos que a organização guarda-chuva interdenominacional planeja divulgar uma declaração oficial sobre a execução de Andimi.

“É patético e doloroso saber que um cavalheiro desses pode ser morto como um carneiro”, disse Oladeji.

Andimi não foi o único líder cristão que foi morto no estado de Adamawa nesta semana.

O pastor Denis Bagauri, da Igreja Luterana da Nigéria, um conhecido defensor político dos cristãos, teria sido morto por pistoleiros desconhecidos em sua casa em Nassarawo Jereng, na área do governo local de Mayobelwa no estado de Adamawa, na noite de domingo, segundo o The Daily Post….

A Nigéria é classificada como o 12º pior país do mundo quando se trata de perseguição cristã, de acordo com a lista de observação mundial do Open Doors USA em 2020.

Com imagem e informações de Jihad Watch

Filho de pastor nigeriano relata que pai foi queimado vivo pelo Boko Haram

Um líder da igreja nigeriana que fugiu da perseguição islâmica na Nigéria compartilhou os detalhes horríveis de como seu pai foi morto por não abandonar a fé cristã e como os terroristas alinhados do Estado Islâmico incendiaram o prédio da igreja onde congregava.

David-Olonade Segun, que agora reside na Holanda, disse ao Holland Sentinel  que um novo capítulo de sua vida começou há alguns anos, depois que sua família foi alvo de extremistas afiliados ao Boko Haram (também conhecido como Estado Islâmico da África Ocidental desde 2015).

Segun e sua esposa, que eram originalmente da área de maioria cristã do sudoeste da Nigéria, dirigiam um ministério chamado Assembléia da Vida Vitoriosa, dirigindo também serviços vinculados à escola, orfanato e socorro às viúvas.

Embora o ministério tenha começado originalmente no sudoeste da Nigéria, Segun e sua família tomaram a decisão de transferir o ministério para a parte norte da Nigéria, que tem sido atormentado pela violência nos últimos anos, mesmo sabendo dos riscos que corriam.

De acordo com o Holland Sentinel, o ministério fornecia casa para 150 crianças órfãs e ofereceu cuidados aos pobres e viúvas em partes do norte da Nigéria. Além disso, o ministério forneceu água limpa para as aldeias locais.

As ações dos cristãos causaram ira no grupo terrorista Boko Haram, que vem aterrorizando o estado de Borno, no nordeste da Nigéria, com seu jihadismo salafista desde 2011 matando milhares de pessoas. O grupo também escravizou inúmeras mulheres e meninas da escola.

O pastor recordou o ataque que mudou sua vida para sempre. No entanto, ele não estava lá quando aconteceu.

Segun disse ao jornal que no dia seguinte em que ele, sua esposa e seus quatro filhos saíram de casa para ir a um congresso em que Segun seria orador, os militantes do Boko Haram chegaram em sua casa. Embora a mãe de Segun tenha conseguido escapar, seu pai não teve tanta sorte.

Militantes supostamente questionaram o pai de Segun sobre onde ele estava. O pai disse a eles que seu filho havia ido à igreja. Depois que os militantes não puderam encontrar Segun na igreja, eles atearam fogo e mataram o pastor assistente da igreja.

Segun afirmou que os militantes voltaram para seu pai e colocaram uma Bíblia e um Alcorão na frente dele e lhe disseram para escolher um dos dois livros sagrados. Segun disse que depois que seu pai escolheu a Bíblia, os militantes lançaram gasolina em seu corpo e o queimaram até a morte.

Se eles tivessem destruído tudo o que eu possuía, isso não significaria nada para mim“, afirmou Segun. “Mas meu pai, ele amava a Jesus, ele me ensinou a ser forte”.

Meu amigo me encorajou: ‘Seu pai ficou com Cristo no final‘”.

Segun disse que perdeu tudo o que trabalhou por mais de 18 anos para conseguir.

Após o ataque, ele finalmente decidiu ir para os EUA, considerando que apenas algumas semanas antes eles tinham recebido vistos para visitar os EUA para um período planejado de férias, tendo conseguido sua permanência no país.

Você sabe, às vezes, você pensa em algumas coisas boas. Eu penso: ‘Deus, e se [Boko Haram] viesse ontem (antes que a família partisse para a conferência)?’ Este é o caminho de Deus para nos salvar. Eu também penso nisso … Eu oro pelos cristãos no norte da Nigéria, porque eles são mortos todos os dias. “

A Nigéria classifica-se  como o 14º pior país do mundo no que diz respeito à perseguição cristã, de acordo com a World Watch List de 2018 da Open Doors USA.

 Em seu relatório de 2018  divulgado no mês passado, a Comissão sobre Liberdade Religiosa Internacional dos EUA pediu novamente ao Departamento de Estado dos EUA que listasse a Nigéria como um “país de preocupação particular” por violações sistemáticas, constantes e notórias da liberdade religiosa.

 

Em fevereiro, o Boko Haram sequestrou mais de 100 estudantes de uma escola secundária na cidade de Dapchi. Embora a maioria das alunas que ainda estavam vivas fossem libertadas, o grupo terrorista supostamente manteve uma colegial porque ela se recusou a renunciar sua fé em Cristo.

No início deste mês, a mãe de Leah Sharibu declarou  quão orgulhosa se mantpem por saber que sua filha não renunciou sua fé em Cristo.

E por causa disso, eu sei que Deus nunca a abandonará,” teria dito a mãe da menina sequestrada . “Quando ela foi para a escola, eu dei a ela uma cópia da Bíblia para que ela pudesse ter suas devoções mesmo quando eu não estava lá. Como mãe, eu sei que ela é uma filha obediente, respeitosa e alguém que coloca os outros antes dela mesma.

Com informações de Christian Post e imagem Reuters

Segunda audiência de Yousef Nadarkhani e outros três cristãos

Eles foram acusados de agir contra a segurança nacional e agora estão sendo julgados pela justiça iraniana, mas o único crime deles é seguir a Cristo.

Aconteceu ontem a segunda audiência de quatro cristãos iranianos: Yousef Nadarkhani, Yasser Mossayebzadeh, Saheb Fadaie e Mohammad Reza Omidi. Nada de concreto foi decidido até agora. Segundo as autoridades, eles foram acusados de “agir contra a segurança nacional” e estão presos desde o dia 13 de maio. A primeira audiência aconteceu no dia 15 de outubro.

Não houve nenhum veredito após a audiência. Sabe-se que a sentença máxima é de 6 anos de prisão. Nadarkhani já esteve preso anteriormente por quase três anos pelo crime de apostasia e já enfrentou a sentença de morte, antes de sua liberação em 2012.

Em outubro, Mossayebzadeh, Fadaie e Omidi foram sentenciados também a 80 chicotadas cada um. Haverá, porém, um recurso contra esta audiência no dia 9 de fevereiro de 2017. Omidi já foi condenado 2 vezes, se houver uma terceira condenação ele poderá ser executado.

https://www.portasabertas.org.br/noticias/2016/12/segunda-audiencia-de-yousef-nadarkhani-e-outros-tres-cristaos

Filipinas: Muçulmanos fuzilam pastor após tentativa frustrada de convencer cristãos a abandonarem suas propriedades

Não havia muçulmano em Sultan Kudarat (Filipinas), apenas cristãos. No entanto, assim que os muçulmanos começaram a se mover para a cidade, eles imediatamente construíram uma grande mesquita junto à igreja local e exigiram que os cristãos deixassem suas terras e partissem. Quando os cristãos disseram que não, os muçulmanos tomaram uma metralhadora, encontraram o pastor local dessa igreja, e brutalmente assassinaram o religioso.

Perfecto Padilla, 52 anos, um dedicado pastor da igreja estava descansando em uma rede do lado de fora de sua casa em Sultan Kudarat, Filipinas, quando homens armados em motocicletas o fuzilaram em 11 de setembro, segundo relatório da instituição “Voz dos Mártires” (VOM).

Naomi viu o que aconteceu, e ela imediatamente correu para seu pai, chorando e gritando por socorro.

Um pastor chamado William, que estava visitando um membro da igreja nas proximidades, ouviu o grito e foi imediatamente prestar assistência. Ele trouxe Perfecto para o hospital mais próximo, mas o pastor da igreja já estava morto.

“Nosso pai era um bom pai. Ele nunca fez nada de errado. Por que isso aconteceu com ele? “, Perguntou ela. Pessoas que conheciam Perfecto disseram que ele era um fiel seguidor de Jesus e um pastor dedicado à igreja.

O representante da VOM observou que a aldeia onde a família vive já foi um lugar tranquilo. Isso foi durante o tempo em que não havia muçulmanos residentes que nas proximidades.

Mas agora, os muçulmanos chegaram à aldeia e até construiu uma mesquita muito perto da igreja. O representante da VOM disse que os novos colonos muçulmanos têm vindo a tentar forçar os cristãos na aldeia para vender suas propriedades.

Após a incursão muçulmana, aldeias cristãs vizinhas foram atacadas por homens armados, o que levou alguns moradores cristãos a fugirem.

O representante da VOM disse que assassinato de Perfecto poderia ser parte do esquema dos muçulmanos para afastar os cristãos da área para que eles pudessem se apropriar de mais terras. (fonte)

Sim, aos olhos dos muçulmanos, ele fez algo de errado. Seu crime foi ser um cristão.

Isso está acontecendo em todo o mundo a cada dia, e se o Ocidente não parar a invasão muçulmana maciça de suas nações, então os cristãos aqui também vão sofrer como ele.

Maiores informações: http://shoebat.com/2016/09/30/muslims-move-into-christian-neighborhood-and-demand-christians-leave-christians-say-no-muslims-take-a-machine-gun-and-brutally-murder-the-local-pastor-in-front-of-his-home/

Irã: pastor Yousef Nadarkhani é acusado novamente

Ele foi convocado pelo Tribunal Revolucionário do Irã, que fica na cidade de Rasht, pelas acusações de atividades sionistas e por evangelizar muçulmanos

27 Iran_2012_0260008825

Depois de um longo histórico de prisões, julgamentos e acusações por parte dos tribunais iranianos, mais uma vez, o pastor Yousef Nadarkhani é acusado de agir contra a segurança nacional do país. No último dia 24, ele foi convocado pelo Tribunal Revolucionário do Irã, que fica na cidade de Rasht, pelas acusações de atividades sionistas e por evangelizar muçulmanos. Agora o pastor tem o prazo máximo até o dia 31 de julho para pagar uma fiança estipulada no valor aproximado de 33 mil dólares, caso contrário poderá ser preso.

No dia 13 de maio, Nadarkhani e sua esposa Tina Pasandide Nadarkhani foram presos juntamente com Mohammadreza Omidi, Yasser Mossayebzadeh e Saheb Fadaie. Logo após, o casal foi liberado, mas os outros três tiveram que pagar a fiança do mesmo valor, cada um, para serem libertados.

A história do pastor começou em 2006, quando foi acusado de apostasia. Ele evangelizava os muçulmanos e, desde então, passou a ser perseguido pela justiça do país. Na ocasião, os juízes pediram para que ele se “arrependesse” diante do tribunal, mas Nadarkhani respondeu: “Arrependimento significa voltar atrás, e eu voltaria para quê? Para a blasfêmia que eu vivia antes de conhecer a Cristo?” Os juízes retrucaram: “Você deve voltar para a religião dos seus antepassados, deve voltar ao islã”. Então ele decidiu: “Eu não posso fazer isso”. E desde então, a perseguição a ele continua.

Pedidos de oração
· Clame a Deus por provisão para o pastor Nadarkhani. Que a vontade do Senhor seja realizada e que a Paz que excede todo entendimento invada seu coração.
· Ore pelos mais de 90 líderes e pastores presos no Irã. Que Deus os fortaleça e lhes dê graça.
· Interceda pelo governo e pelos líderes religiosos do país. Que eles se convertam e que pratiquem a justiça de Deus para com o cristão iraniano.

Leia mais
Mais um cristão libertado no Irã
Cristãos iranianos foram libertados

https://www.portasabertas.org.br/noticias/2016/07/pastor-yousef-nadarkhani-e-acusado-novamente

Esposa de pastor é morta a facadas, após acusação de ‘blasfêmia contra Maomé’

O crime ocorreu na Nigéria. Associação Cristã do país condenou o assassinato e questionou a por que a polícia local não está fazendo mais para proteger os cristãos.

Uma mulher cristã – esposa de um pastor nigeriano local – foi morta a facadas na semana passada, após ter sido acusada de “insultar o profeta muçulmano, Maomé”.

A agência ‘AllAfrica’ relatou que Bridget Abahime, de 74 anos de idade, foi perseguida e morta em um mercado, em Kano, após ser alvo de acusações de que ela havia insultado a fé islâmica. A polícia da Nigéria disse que dois suspeitos ligados ao assassinato foram presos e a segurança da área foi reforçada para evitar incidente que resulte “em uma grande ameaça à segurança”.

A Associação Cristã da Nigéria, que representa os seguidores de Cristo que compõem quase metade da população da Nigéria, condenou o assassinato e questionou a por que a polícia não está fazendo mais para proteger os cristãos.

“Esta barbárie tem que parar agora”, disse o porta-voz da associação, Rev. John Hayab. Ele acusou a polícia de tentar encobrir o assassinato.

Grupos muçulmanos também se manifestaram contra essa violência, com a Vigilância de Direitos Muçulmanos classificando o crime como “um absurdo, barbárie e não-islâmico”.

O presidente da Nigéria, Mohammadu Buhari – que também é muçulmano – disse que o assassinato foi “absolutamente condenável”.

“Vamos garantir a manutenção da paz, enquanto a justiça será feita”, Buhari prometeu. “Vamos aprender a respeitar a fé de cada um, para que possamos conhecer uns aos outros e viver juntos em paz”.

Cristãos na Nigéria enfrentam uma série de ameaças, de violência e ataques locais, a perseguição generalizada e assassinatos pelas mãos de grupos extremistas, como Boko Haram.

Radicais muçulmanos, os pastores [criadores de gado] Fulani também têm sido uma grande ameaça, considerando que cerca de 500 agricultores cristãos Do estado de Benue na Nigéria central, foram mortos em razão de disputas de terra em todo o mês de março.

Uma testemunha descreveu os ataques no momento: “Aldeias inteiras foram completamente queimadas por pastores Fulani. Cadáveres não identificados desses cristãos foram descobertos, as propriedades foram saqueadas por esses invasores Fulani”.

Os pastores cristãos também têm sido alvo de muita violência, considerando que o líder de uma igreja foi sequestrado e morto em abril por pregar aos muçulmanos e dizer-lhes para se arrepender de seus pecados.

“A quadrilha também confessou ter sido responsável pelo seqüestro e assassinato do pastor Chukwu Ekere, da mesma comunidade Ohigha. Eles o teriam matado pela simples razão de que um homem de Deus os perturbou com sua pregação de arrependimento e também os teria desafiado a abandonar a vida de criminalidade e aceitar a Deus”, disseram as autoridades no momento.

Grupos de vigilância de perseguição, como a Missão Portas Abertas, têm alertado que a matança de cristãos na Nigéria subiu 62% em apenas um ano, documentando que ao longo de 2015 houve 4.028 mortes [de cristãos] e 198 ataques a igrejas.

Casos semelhantes
Ao que tudo indica, as acusações de blasfêmia, seguidas de assassinatos, como o ocorrido com Bridget Abahime, não são tão incomuns em países onde o islamismo predomina.

Um comerciante cristão de 65 anos foi morto à facadas após sair de um culto no domingo (5), próximo a uma igreja em Bangladesh. Nesse caso, o ataque foi reivindicado pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI).

http://guiame.com.br/gospel/missoes-acao-social/esposa-de-pastor-e-morta-facadas-apos-acusacao-de-blasfemia-contra-maome.html

Cristão é encontrado morto e governo norte-coreano é apontado como responsável

REDAÇÃO CENTRAL, 18 Mai. 16 / 09:00 pm (ACI).- Um pastor protestante chinês pertencente a uma igreja protestante com bastante atividade junto à fronteira entre a China e a Coreia do Norte foi encontrado morto em Changbai. Segundo associações de direitos humanos, há indícios de que teria sido assassinado pelo serviço secreto norte-coreano.

De acordo com a Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (ACN), o corpo de Han Chung-ryeol, de 49 anos, foi encontrado bastante mutilado, próximo à fronteira com a Coreia do Norte.

Diversas associações de defesa dos direitos humanos na Coreia do Sul assinalam que tudo indica que este cristão teria sido assassinado por agentes dos serviços secretos norte-coreanos, aparentemente em retaliação pela recente deserção de 13 trabalhadores de um restaurante norte-coreano em Ningbo, na China, e que pediram asilo a Seul.

A Fundação ACN indica que, de fato, existem diversas comunidades cristãs ativas nas zonas de fronteira com a Coreia do Norte que auxiliam pessoas que buscam fugir deste país.

Conforme recorda a Fundação, há vários casos de cristãos que sofrem com a perseguição e detenção por parte do governo norte-coreano. Um desses casos é o do pastor protestante canadense Kim Kuk-gi, de 60 anos, condenado a prisão perpétua “com trabalhos forçados” por “atos contra o Estado”.

Kim é obrigado a cavar buracos em um pomar, durante cerca de oito horas por dia, não tendo acesso aos outros detentos do campo de concentração onde foi colocado. Ele é acusado de difundir propaganda religiosa em igreja clandestina.

Além disso, nas cadeias de Pyongyang estão outros cristãos, como o sul-coreano Choe Chun-il, de 55 anos, ou o missionário Kim Jeong-wook, acusado de espionagem quando procurava dar abrigo e alimentos a norte-coreanos que tentavam fugir pela fronteira com China.

http://www.acidigital.com/noticias/cristao-e-encontrado-morto-e-governo-norte-coreano-e-apontado-como-responsavel-71335/

Pastor sino-coreano é morto por agentes da Coreia do Norte

Han Choong Yeol ajudava refugiados norte-coreanos que atravessavam a fronteira para a China

4-coreiadonorte-0380008696.jpg

Agentes secretos norte-coreanos capturaram e mataram um pastor sino-coreano (quem nasce ou vive na fronteira da China com a Coreia) que vivia em Chiangbai, uma cidade no lado chinês da fronteira. Han era ativo em ajudar refugiados norte-coreanos, dando-lhes alimentos, medicamentos, roupas e outras necessidades básicas, quando fugiam da Coreia do Norte.

No último sábado (30), o pastor Han deixou sua casa logo após o meio-dia e deveria retornar antes das 17 horas. Como não voltou, uma grande busca foi organizada por parentes e membros da igreja que ele pastoreava. Por volta das 20 horas, seu corpo sem vida foi encontrado mutilado e com vários ferimentos. Pessoas que trabalharam com Han o descrevem como “extremamente apaixonado pelos norte-coreanos”. Seu ministério foi marcado com um alto preço.

Em novembro de 2014, um diácono de sua igreja foi sequestrado e, desde então, nunca mais se ouviu falar dele. O pastor Han sabia que ele também era um alvo, mas continuou seu ministério.

Han tinha 49 anos, e deixou sua esposa e dois filhos, bem como três igrejas locais, com cerca de 600 membros, que ele ajudou a fundar e pastoreava.

Motivos de oração

 Agradeça a Deus pela vida e dedicação do pastor Han.

  • Ore por conforto para os familiares e membros da igreja de Han, que agora estão sem um marido, pai e pastor. Também ore para que eles sejam capazes de perdoar os homens que o mataram.
  • Ore pelos outros cristãos envolvidos no trabalho missionário da Coreia do Norte, que o Senhor os encoraje e os proteja.
  • Ore por perdão para os espiões que mataram o pastor Han. Ore para que eles se arrependam e conheçam o único Deus, para quem o pastor Han entregou a sua vida.
  • Ore pelo diácono que ainda está desaparecido e pelos muitos outros cristãos mantidos em cativeiro na Coreia do Norte.

 

Fonte: Portas Abertas

 

 

Pastor da 1ª Igreja Batista em Araras encaminhará pleito do EVM à CBB

São Paulo –  O EVM logrou importante vitória na busca de apoio para o pedido da instituição que tramita no Ministério das Relações Exteriores em Brasília. Daniel Barros, importante líder político da região, encaminhou o projeto da ONG ao pastor André Fabiano, da 1ª Igreja Batista em Araras, que participou de reunião onde estiveram presentes as representantes do EVM, Andréa Fernandes e Andréa Giordana, além do pastor coordenador de Missões, André Custódio.

Após ouvir sobre as condições periclitantes em que vivem cristãos e minorias no mundo muçulmano aprouve ao pastor André Fabiano ofertar apoio mediante o contato que estabelecerá com a Convenção Batista Brasileira no estado de São Paulo para deliberar sobre o tema objeto de requerimento no MRE.

Logo, configura-se importante passo em direção à ratificação por parte de renomadas organizações religiosas no que pertine ao requerimento de inclusão da denúncia e condenação da perseguição a cristãos e minorias por governos muçulmanos no discurso do Brasil na assembleia geral da ONU, em setembro.

Inobstante tal fato, o articulador Daniel Barros se prontificou a contatar lideranças evangélicas e católicas para somar nos esforços de apoio a tão importante causa humanitária. E, graças à sua iniciativa, a presidente da ONG, Dra. Andréa Fernandes, terá acesso à assessora do senador Magno Malta, Dra. Damares Alves.

 

Pastor preso por combater demolições de igrejas é liberto na China

Pastor Huang Yizi, de 40 anos, preso por ir contra uma campanha de demolições de igrejas. (Foto: Scmp/ Simon Song)
Pastor Huang Yizi, de 40 anos, preso por ir contra uma campanha de demolições de igrejas. (Foto: Scmp/ Simon Song)

Um pastor chinês que foi contra uma campanha de demolições de igrejas promovida pelas autoridades do país, foi libertado de uma detenção conhecida como “prisão negra”.

Huang Yizi foi oficialmente preso no dia 12 de setembro de 2015 por “colocar a segurança nacional em perigo”, segundo as autoridades. Ele foi acusado de “roubar, espionar, comprar e fornecer ilegalmente os segredos de Estado para as instituições e pessoas de fora do país”. Durante esse processo, ele não teve permissão de acessar um advogado ou falar com sua família.

No entanto, a organização humanitária China Aid anunciou na sexta-feira (5) que Huang havia sido libertado, pouco menos de cinco meses após sua prisão.

Yizi, de 40 anos, viu centenas de igrejas parcialmente ou completamente destruídas. Pelo menos 400 igrejas foram afetadas pela campanha, que durou cerca de um ano. As autoridades negaram que as igrejas cristãs estavam sendo alvo de destruição, alegando que, na verdade, estavam tomando medidas contra todas as “estruturas ilegais”.

O líder cristão foi condenado diante de um tribunal lotado, na ocasião. “Eu acho que todo o julgamento foi manipulado pelas autoridades”, disse Zhang Kai, seu advogado, ao jornal britânico The Telegraph, acrescentando que seu cliente iria recorrer.

O pastor estava entre um grupo de 20 cristãos que também foram detidos nas “prisões negras”. Este tipo de detenção não têm um estatuto legal, embora a formulação oficial afirme que os detidos estejam sendo mantidos sob “vigilância residencial em um local projetado”.

O China Aid observou que a tortura é comum, e os presos são impedidos de ter contato ​físico, escrito ou verbal com familiares ou representantes legais.

Até 1.700 igrejas em Zhejiang foram demolidas ou tiveram suas cruzes removidas campanha do governo chinês, com o suposto objetivo de remover as “estruturas ilegais”. No entanto, a ação é amplamente vista como um movimento para combater a crescente influência do cristianismo no país.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CHRISTIAN TODAY

http://guiame.com.br/gospel/missoes-acao-social/pastor-preso-por-combater-demolicoes-de-igrejas-e-liberto-na-china.html