Arquivo da tag: #talibã

EUA e Arábia Saudita impõem sanções a fundo de caridade paquistanês por financiar terrorismo

Países acusam fundo de caridade de financiar terroristas.
Os grupos Al-Qaeda, Talibã e o Lashkar-e-Taiba seriam beneficiados.

O Departamento do Tesouro americano anunciou nesta terça-feira que imporá, juntamente com a Arábia Saudita, sanções a um fundo de caridade acusado de financiar grupos “terroristas”, inclusive a Al-Qaeda, Talibã e o Lashkar-e-Taiba.

As sanções visam a dificultar o financiamento e as operações da fundação Al-Furqan Welfare Trust, um grupo com sede em Peshawar, no Paquistão.

As sanções congelam todos os ativos da Al-Furqan que estão sob a jurisdição de qualquer um dos dois países e proíbe seus cidadãos de fazer negócios com o fundo.

Os Estados Unidos acusam a Al-Furqan de ser um importante canal de apoio financeiro e material a grupos terroristas que operam no Paquistão e no Afeganistão.

Publicado em 07.04.2015

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2015/04/eua-e-arabia-saudita-impoem-sancoes-fundo-do-paquistao.html

Afeganistão: Pelo menos 15 pessoas mortas em dois ataques terroristas

O pior ataque ocorreu em uma estrada de Ghazni, onde uma bomba explodiu durante a passagem de um veículo com numerosos civis.

Pelo menos 15 civis morreram hoje (10) no Afeganistão em dois ataques à bomba, entre eles um atentado suicida contra uma caravana da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), reivindicado pelos talibãs.

Os dois ataques ocorreram nas províncias de Nangarhar (Leste) e Ghazni (Sudeste), duas regiões infiltradas de talibãs, que combatem o governo afegão e os seus aliados da Aliança Atlântica desde 2001.

O pior ataque ocorreu em uma estrada de Ghazni, onde uma bomba explodiu durante a passagem de um veículo com numerosos civis.

“Pelo menos 12 foram mortos e o veículo incendiou-se”, declarou à agência France Presse (AFP) o governador adjunto da província, Mohammad Ali Ahmadi.

No Leste do Afeganistão, uma viatura atingiu uma caravana da Otan, perto do aeroporto da cidade de Jalalabad, matando pelo menos três civis e ferindo quatro, disse o porta-voz da polícia da provincia, Hazrat Hussain Mashriqiwal, à AFP.

O diretor do hospital público de Jalalabad, Najeebullah Kamawal, informou que pelo menos quatro pessoas morreram e 12 ficaram feridas.

O ataque foi reivindicado pelo porta-voz da insurgência talibã, Zabihullah Mujahid, que afirmou que vários soldados norte-americanos tinham morrido ou ficado feridos.

A força da Otan, que já teve mais de 140 mil soldados no Afeganistão, está sendo retirada progressivamente e o número de militares é atualmente cerca de 12 mil, a maior parte norte-americanos.

http://www.noticiasaominuto.com.br/internacional/92988/ao-menos-15-pessoas-mortas-em-dois-ataques-no-afeganist%C3%A3o#.VShRJvnF9ic

Ataque do Taliban em Tribunal mata chefe policial e mais 7 no Afeganistão

Militantes armados com lançadores de granadas e outras armas invadiram nesta quinta-feira um tribunal na cidade de Mazar-i-Sharif, norte do Afeganistão, e mataram oito pessoas, incluindo o chefe policial do distrito, disseram autoridades.

Insurgentes do Taliban reivindicaram a responsabilidade pelo ataque, no qual pelo menos 60 pessoas ficaram feridas. Os insurgentes aumentaram os ataques contra alvos do governo, após a retirada da maioria das tropas de combate estrangeiras no ano passado.

O ataque começou no meio da manhã, quando um grupo de combatentes invadiu o tribunal e entrou em confronto com as forças de segurança. A batalha continuou por duas horas e no fim da tarde ainda estava acontecendo.

O tribunal está localizado em uma parte central de Mazar-i-Sharif, capital da província de Balkh, perto do gabinete do governador e de outros prédios do governo.

O chefe de polícia do distrito foi morto junto com outros dois policiais, de acordo com um comunicado do gabinete do governador da província.

Pelo menos oito pessoas morreram e 60 ficaram feridas no ataque, que finalmente terminou no início da noite, disse o vice-ministro do Interior, Ayoub Salangi, em comunicado.

O Ministério do Interior disse que dezenas de pessoas, incluindo o promotor-chefe do tribunal, foram resgatadas pela polícia durante o conflito.

Um porta-voz do Taliban, Zabihullah Mujahid, reivindicou o ataque em sua conta oficial no Twitter.

(Por Bashir Ansari, com reportagem adicional de Hamid Shalizi em Cabul)

http://noticias.terra.com.br/mundo/oriente-medio/ataque-do-taliban-mata-chefe-policial-e-mais-7-no-afeganistao,836cf72a4bf9c410VgnCLD200000b1bf46d0RCRD.html

Talibã publica biografia do mulá Omar e diz que líder continua envolvido na jihad

Especialistas desconfiam que medida foi tomada para fazer frente ao Estado Islâmico

CABUL – O Talibã afegão publicou em seu site uma biografia em inglês de seu líder, o mulá Omar. O lançamento marcou o 19º aniversário de sua designação como chefe máximo do grupo extremista, e tentou afastar boatos de que ele teria morrido. Analistas acreditam que a medida pode ter sido tomada para fazer frente diante do crescimento do Estado Islâmico.

“Apesar de ser perseguido a todo momento pelo inimigo, não se observou nenhuma mudança ou perturbação em sua rotina de trabalho”, destaca a biografia, buscado pelos EUA por US$ 10 milhões de dólares por informações que levem a sua captura. “Ele segue e supervisiona as atividades contra os cruéis invasores estrangeiros”.

Entre as curiosidades apresentadas, estão gostos pessoais dele por temas como armas — a sua é um lança-foguetes RPG-7. Omar mantém presença discreta, o que levanta suspeitas sobre sua morte.

— A surpreendente publicação da curta biografia tem vários aspectos estratégicos. O mais importante deles é fazer frente ao Estado Islâmico. O anúncio busca também mostrar que o mulá Omar está vivo, que está bem e que mantém o controle enquanto líder supremo dos talibãs — explicou à AFP Ahmed Sayedi, especialista na questão talibã.

O Estado Islâmico tem crescido em operações no Afeganistão, e as forças de segurança temem que o grupo terrorista esteja cooptando pequenas organizações rebeldes para se firmar no país.

http://oglobo.globo.com/mundo/taliba-publica-biografia-do-mula-omar-diz-que-lider-continua-envolvido-na-jihad-15792877

Talibã publica biografia de líder supremo

Texto sobre a vida do mulá Omar revela detalhes sobre nascimento e criação; ele foi visto pela última vez em 2001.

 O Talibã afegão publicou uma biografia surpresa do mulá Mohammed Omar para marcar o 19º ano dele como líder surpremo, abordando fatos controversos sobre seu nascimento e criação.

A biografia, de 5 mil palavras e publicada no site principal do grupo, diz que o mulá, cujo paradeiro é desconhecido, “segue em contato” com assuntos do cotidiano do Afeganistão e do mundo.

Não está claro por que o Talibã escolheu esta data para publicar a biografia, mas alguns analistas dizem que deve ser uma tentativa de conter a influência crescente do grupo autodenominado Estado Islâmico no Afeganistão.

Segundo o texto, o líder nasceu em 1960 no vilarejo de Chah-i-Himmat, no distrito de Khakrez, na província de Kandahar, no sul do país.

A biografia se refere a ele como Mulá Mohammad Umar “Mujahid” e diz que é do clã Tomzi da tribo Hotak. Diz que seu pai era Moulavi Ghulam Nabi, uma “respeitada figura erudita e social” que morreu cinco anos após seu nascimento. A família se mudou para a província de Uruzgan.

Segundo o texto, mulá Omar abandonou seus estudos após as forças soviéticas invadirem o Afeganistão e se tornou um jihadista. Ele enumera seus feitos militares na luta contra os russos, entre 1983 e 1991, dizendo que foi ferido quatro vezes e perdeu seu olho direito.

‘Personalidade carismática’
Numa seção sobre a sua “personalidade carismática”, a biografia diz que ele é tranquilo e não perde o temperamento ou a coragem. Diz que ele leva uma vida simples, é afável com um senso de humor “especial” e não se considera superior a seus colegas.

Diz ainda que ele não tem casa nem conta bancária no exterior.

Em uma seção intitulada “Suas atividades diárias nas atuais circunstâncias”, a biografia diz: “Nas atuais condições cruciais e regularmente sendo monitorado pelo inimigo, nenhuma grande mudança e ruptura foi observada nos trabalhos de rotina [do mulá Omar]” .

Diz que ele “segue e fiscaliza profundamente as atividades jihadistas contra os brutais invasores estrangeiros infiéis”, acrescentando: “Ele permanece em contato com os acontecimentos do cotidiano do seu país bem como o mundo exterior”

Alguns analistas acreditam que o mulá Omar possa estar operando na região da fronteira com o Paquistão.

O departamento de Estado americano oferece uma recompensa de US$ 10 milhões pelo líder, que não é visto desde a invasão liderada pelos EUA ao Afeganistão em 2001.

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2015/04/taleba-publica-biografia-de-lider-supremo.html

Obama desiste de cortar pela metade número de soldados americanos no Afeganistão este ano

Quantidade de efetivos militares em 2016 será decidido mais tarde.

WASHINGTON — O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou nesta terça-feira que vai atrasar o ritmo da retirada de tropas americanas do Afeganistão, afirmando que 9.800 soldados permanecerão no país no final do ano, em vez de cortá-lo pela metade, como estava planejado. O anúncio foi feito na Casa Branca, após uma reunião com o presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani.

Segundo o presidente, o número de militares americanos que permanecerão no Afeganistão em 2016 será decidido mais para o final deste ano.

A decisão foi tomada a pedido do presidente Ashraf Ghani porque as tropas afegãs estão enfrentando dificuldades em campo: além dos combates, elas agora também tentam conter as tentativas do Estado Islâmico de angariar recrutas em seu solo.

Segundo os planos originais, os Estados Unidos deveriam reduzir suas tropas de 9.800 soldados para 5.500 no final do ano.

— Decidi que iremos manter nosso atual contingente de 9.800 soldados até o fim deste ano — afirmou Obama em uma coletiva concedida juntamente com Ghani nesta terça-feira. — Essa flexibilidade reflete nossa parceria revigorada com o Afeganistão. Queremos ter certeza de que estamos fazendo tudo da maneira certa para ajudar as forças afegãs, para garantir que não tenhamos que voltar ao país.

Obama disse que a desaceleração da retirada dos soldados “será usada para acelerar reformas, garantindo que as forças de segurança do Afeganistão estejam melhor comandadas, equipadas, treinadas e focadas em sua missão fundamental”. O presidente americano também afirmou estar feliz por ver que “a partida de 120 mil soldados internacionais não criou uma brecha na segurança ou o colapso que era frequentemente previsto”

http://oglobo.globo.com/mundo/obama-desiste-de-cortar-pela-metade-numero-de-soldados-americanos-no-afeganistao-este-ano-15685457

Jihadistas procuram “limpar Paquistão” dos cristãos

No domingo, 15 de março, quando as igrejas cristãs em todo o mundo costumam celebrar a missa da manhã, duas igrejas no Paquistão foram atacados por homens-bomba islâmicos. Pelo menos 17 pessoas foram mortas e mais de 70 ficaram feridas.

As duas igrejas (localizadas em Youhanabad, bairro cristão de Lahore) foram a Igreja Católica de São João e Christ Church (protestante).

O Talibã assumiu a responsabilidade. Acredita-se que o grupo esperava muito maior número de mortes, como havia quase 2.000 pessoas em ambas as igrejas, no momento das explosões.

Apesar de todas as ameaças recebidas recentemente pelas igrejas, autoridades forneciam apenas a segurança mínima.

Segundo testemunhas, dois homens-bomba se aproximaram dos portões das duas igrejas e tentaram entrar nelas. Quando eles foram parados – inclusive por um cristão de 15 anos de idade, que lhes bloqueou com seu corpo – eles se auto-detonaram. Testemunhas viram “partes do corpo voando pelo ar.”

Assim que os jihadistas “matam e são mortos”, nas palavras do Alcorão 9: 111, o versículo mais citado para justificar ataques suicidas.

De acordo com a declaração de um funcionário da Comissão da Conferência Episcopal da Justiça e da Paz do Paquistão, apesar de todas as ameaças recebidas pelas igrejas, as autoridades só forneceram segurança “mínima”:

Agentes presentes no momento do ataque estavam ocupados assistindo o jogo de críquete na TV, em vez de levar a cabo o seu dever de proteger as igrejas. Como resultado dessa negligência, muitos cristãos perderam suas vidas.

A declaração exortou ainda:

o governo a adotar medidas fortes para proteger as igrejas e outras minorias religiosas no Paquistão [já que] a comunidade cristã do Paquistão foi alvo de extremistas no passado.

Cerca de 90 fiéis cristãos foram mortos em set de 2013, no atentado suicida de All Saints Church em Peshawar.

Menos de um ano antes, em 22 de setembro de 2013, em Peshawar, homens-bomba entraram no All Saints Church logo após a missa de domingo e fizeram-se explodir no meio de cerca de 550 fiéis, matando cerca de 90 fiéis.Muitos eram crianças da escola dominical, mulheres e membros do coral.Pelo menos 120 pessoas ficaram feridas.

Um paroquiano recordou como “restos humanos estavam espalhados por toda a igreja.” (Para ter uma ideia do rescaldo de ataques suicidas em igrejas, ver estas imagens gráficas .)

Em 2001, homens armados islâmicos invadiram a Igreja Protestante de S. Domingos, abrindo fogo contra os fiéis e matando pelo menos 16 fiéis, em sua maioria mulheres e crianças.

Ataques menos dramáticos sobre igrejas ocorrem com grande freqüência. Dias antes, ataques gêmeos do domingo passado, como o caso dos três homens armados que entraram na Igreja Católica Nossa Senhora Rainha dos Anjos no distrito de Kasur, Punjab, e levaram o pessoal da igreja, o pároco assistente e congregação como reféns. Antes de abandonar as instalações, os terroristas roubaram telefones celulares, câmeras e um computador.

Mais cedo, o Padre Leopold, o pároco doente, foi roubado por ladrões:

[Eles] fingiram ser membros normais que queriam matricular algumas crianças na escola paroquial. Em seguida, de repente tiraram as armas.

Natal é uma época especialmente perigosa para os cristãos reunidos em igrejas. No último 25 de Dezembro:

Contingentes pesados ​​de policiais foram mobilizados em torno das igrejas … foram autorizados aqueles da cidadania depois [da] revista corporal completa … enquanto os principais pontos de entrada para as igrejas haviam sido fechados, colocando blocos e arame farpado cimentado.

Durante outro Natal , o seguinte ataque veio em resposta a fatwas condenando as celebrações de Natal:

Quando adoradores cristãos estavam saindo de diferentes igrejas após a realização de orações de Natal, mais de cem extremistas muçulmanos equipados com rifles automáticos, pistolas e paus atacaram mulheres, crianças e homens cristãos.

Mesmo quando não estão na igreja e quando não acusadas de blasfêmia, as minorias cristãs estão sempre em perigo.

Também houveram ataques gerais contra os cristãos, especialmente no contexto da acusação de “blasfemar” contra o Islã. Em novembro passado, uma multidão – não do “Talibã”, e não de “terroristas” – que consistiam em pelo menos 1.200 muçulmanos torturaram e queimaram até a morte um casal cristão jovem (a esposa estava grávida) em um forno industrial no Paquistão. Alguém tinha acusado o casal cristão de profanar o Alcorão.

Mesmo não na igreja e quando não acusadas de blasfêmia, as minorias cristãs estão sempre em perigo. Em dezembro passado, Elisabeth Bibi, a 28 anos mãe cristã grávida de quatro meses, foi “espancada, desprezada e humilhada, privada de sua dignidade [e] obrigada a andar nua pela cidade “por dois irmãos muçulmanos – os empregadores da mulher grávida – na sequência de uma discussão. Na provação, ela perdeu o bebê. Ativistas de direitos humanos dizem que o ataque “foi motivado por causa da crença religiosa de Bibi [cristã] crenças religiosas . “

Falando no último domingo de Roma, o Papa Francisco disse :

É com dor, muita dor que me foi dito dos ataques terroristas contra duas igrejas cristãs em Lahore no Paquistão, que causaram numerosos mortos e feridos. Estas são as igrejas cristãs e são cristãos perseguidos, os nossos irmãos cristãos estão derramando seu sangue, simplesmente porque eles são cristãos. Eu imploro a Deus … que esta perseguição contra os cristãos – que o mundo procura esconder – chegue ao fim e que haja paz.

O Papa Francisco é muitas vezes criticado por sua abordagem apologética em relação ao Islã. Mesmo aqui, ele não nota que está perseguindo os cristãos, levando a afirmações confusas (“nossos irmãos cristãos estão derramando seu sangue” soa como cristãos estão matando os cristãos). Mas o papa foi franca a respeito do porquê os cristãos estão sendo mortos: “simplesmente porque eles são cristãos”.

Outros, como o governo dos Estados Unidos, não vão mesmo admitir. Quando o mundo ouviu e viu como 21 cristãos coptas tiveram suas cabeças serradas por jihadistas islâmicos na Líbia , a Casa Branca emitiu uma declaração condenando as decapitações -, mas referiu-se aos decapitado apenas como “cidadãos egípcios.” Nem os cristãos, ou mesmo os coptas, mesmo que essa seja a única razão pela qual eles foram abatidos de acordo com as declarações emitidas por seus algozes.

Essa ofuscação garante a perseguição muçulmana aos cristãos “que o mundo procura esconder” continuará indefinidamente.

Raymond Ibrahim é um Fellow Shillman no Horowitz Freedom Center David e Judith Friedman Rosen Writing Fellow no Middle East Forum. Ele é o autor do Crucified Again: Exposing Islam’s New War on Christians (2013) e The Al Qaeda Reader (2007).

http://www.meforum.org/5131/jihadis-pakistan-christians

ONU teme expansão do Estado Islâmico para o Afeganistão

Enviado das Nações Unidas afirma que recrutamento de pequenas milícias e aumento de atividades são preocupantes

NOVA YORK – O Conselho de Segurança da ONU fez um alerta nesta quinta-feira para a expansão do Estado Islâmico para o Afeganistão. As Nações Unidas temem que pequenos grupos radicais islâmicos possam se fundir e formar uma célula no país, que tem como principal ameaça os também sunitas do Talibã. Comandantes do grupo foram mortos por ataques aéreos americanos no país no último mês.

A presença de militantes do EI no Afeganistão foi confirmada pela missão de apoio da ONU ao país, a Unama. O enviado das Nações Unidas a Cabul, Nicholas Haysom disse que a ameaça é crescente.

— A presença do grupo é preocupante, mas a participação dele em território afegão não se deve tanto à função intrínseca na área, mas ao potencial dele de oferecer uma alternativa para outros grupos insurgentes isolados possam se manifestar — relatou, antes de acalmar os ânimos e dizer que os jihadistas “ainda não estabeleceram raízes profundas”.

Testemunhas afegãs viram no início do ano bandeiras do EI substituindo antigas bandeiras do Talibã em diversos pontos do país. Em janeiro, militantes do grupo afegão relataram que outros insurgentes estabeleceram contato com o autoproclamado califa da organização, Abu Bakr al-Baghdadi, e representantes das Defesas americana e afegã reconheceram que havia recrutamento do grupo no país. Até mesmo foram relatadas milícias ex-extremistas que querem combater os radicais jihadistas.

Revelou-se recentemente que o Estado Islâmico movimenta anualmente cerca de US$ 1 bilhão traficando heroína produzida em áreas do Talibã no Afeganistão.

Drones americanos mataram recentemente Hafiz Waheed, um comandante do grupo em solo afegão, assim como haviam feito com um tio seu que era comandante do Talibã e chegou a ficar preso em Guantánamo.

O EI tem territórios na Síria e no Iraque, e o Afeganistão é separado do país do ex-ditador Saddam Hussein pelo Irã. De maioria xiita, Teerã teme que uma expansão do grupo possa significar ataques ou até uma invasão em seu território.

Uma nova onda de violência marcou o Afeganistão em 2014, sendo este o ano mais violento desde 2009. Quase 3.700 civis foram mortos no país, denunciou a ONU. Atualmente, o governo americano mantém 10 mil soldados no país, e gradualmente reduzirá a quantidade até o fim da presença em 2016, ao final do segundo mandato de Barack Obama.

A organização jihadista atualmente tem contribuído para uma escalada no terror na Líbia com sua filial, além de ter aprovado uma cooperação com o Boko Haram na Nigéria.
Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/onu-teme-expansao-do-estado-islamico-para-afeganistao-15616417#ixzz3Uhwh2nDh
© 1996 – 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Paquistão lidera o ranking mundial de poliomielite porque o talibã proíbe a vacinação das crianças

Dois homens armados assassinaram hoje, no Paquistão, duas técnicas envolvidas numa campanha de vacinação contra a poliomielite e um polícial que as escoltava, informaram as autoridades locais.

Segundo o chefe de polícia, Muhammad Ijaz Khan, os atacantes abriram fogo contra as duas mulheres, que aplicavam vacinas contra a poliomielite em crianças de um campo de refugiados afegão, situado na aldeia montanhosa de Sheikhabad, a duas centenas de quilómetros a norte da capital, Islamabad.

Uma das técnicas e o policial que as escoltava tiveram morte imediata; a segunda mulher sucumbiu aos ferimentos mais tarde.

Outro responsável policial, não identificado pela agência francesa AFP, informou que 77 pessoas já foram mortas no quadro de campanhas contra a poliomielite no Paquistão, desde o final de 2012.

A reação dos talibãs e dos líderes religiosos ultraconservadores contra as campanhas de vacinação, que consideram uma conspiração do Ocidente para esterilizar os muçulmanos, têm privado centenas de milhares de crianças de serem imunizadas e, consequentemente, têm feito aumentar o número de casos no país.

O Paquistão tem a taxa mais alta de poliomielite, doença contagiosa provocada por um vírus que se fixa no centro nervoso, causando paralisia que pode ser mortal quando atinge os músculos respiratórios.

Em 2014, mais de 300 pessoas foram diagnosticadas com poliomielite no Paquistão, o que representa cerca de 85 por cento dos casos registados em todo o mundo.

http://www.noticiasaominuto.com/mundo/362180/ataque-a-campanha-de-vacinacao-resulta-em-tres-mortes

Paquistão: atentados terroristas do talibã contra duas igrejas deixam 14 cristãos mortos e 80 feridos

O número de vítimas de dois ataques à bomba junto a igrejas cristãs em Lahore, no Paquistão, subiu para os 14 mortos e quase 80 feridos.

As deflagrações aconteceram no espaço de minutos quando se celebravam as missas de domingo numa igreja católica e noutra protestante.

Pelo menos um dos ataques foi perpetrado por uma bombista suicida.

Em reação à chacina uma multidão em fúria linchou duas pessoas que eram tidas como suspeitas.

A fação talibã Jamaat-ul-Ahrar reivindicou os atentados.

Em Carachi, cristãos saíram as ruas e realizaram um protesto espontâneo contra os atentados.

“Condenamos fortemente o ato e exigimos ao governo que providencia medidas de proteção em todos os locais de culto de todas as religiões, incluindo nos locais de oração dos muçulmanos. No Paquistão, as minorias estão inseguras e nós queremos segurança”, reagiu o líder da comunidade local, padre Bernard Yousus Bhatti.

Lahore, capital económica e a maior cidade do Paquistão, é considerada pacífica, comparada com outros centros urbanos. Mas a violência tem aumentado, desde o falhanço das negociações de paz com os talibãs no ano passado.

http://pt.euronews.com/2015/03/15/paquistao-banho-de-sangue-junto-a-igrejas-cristas/