Arquivo da tag: #terrorismo

Israel proíbe homens com menos de 50 anos na Esplanada Das Mesquitas

Durante a tarde de quinta-feira (27/7), as forças de segurança israelenses enfrentaram manifestantes palestinos na Esplanada

Jerusalém, Undefined – A polícia israelense proibiu o acesso de homens com menos de 50 anos para as orações desta sexta-feira (28/7) na Esplanada das Mesquitas, em Jerusalém, após a escalada dos últimos dias. “Foi realizada uma avaliação de segurança e há indícios de que hoje haverá distúrbios e manifestações”, destacou a polícia em um comunicado.
“Apenas homens com mais de 50 anos e mulheres, de qualquer idade, serão autorizados”, e certas ruas em torno da Cidade Velha terão seu acesso limitado. “Todas as medidas de segurança necessárias foram adotadas para prevenir e responder a qualquer ato de violência”, assinalou a polícia.
Durante a tarde de quinta-feira (27/7), as forças de segurança israelenses enfrentaram manifestantes palestinos na Esplanada, na qual os fiéis muçulmanos entraram após quase duas semanas de boicote por conta das novas medidas de segurança impostas por Israel.
Segundo o Crescente Vermelho palestino, os incidentes deixaram 56 feridos na Esplanada, que os judeus chamam de Monte do Templo, e nas suas imediações. Na quinta-feira, os muçulmanos compareceram pela primeira vez em quase duas semanas à Esplanada, após  as autoridades israelenses retirarem as polêmicas medidas de segurança, decretadas depois de um ataque no qual morreram dois policias israelenses, em 14 de julho.
Israel justificou o reforço do dispositivo de segurança alegando que os agressores de 14 de julho esconderam suas armas na Esplanada, mas após as pressões da comunidade internacional, retirou na terça-feira os detectores de metal, substituídos por câmeras de segurança, que também foram desinstaladas posteriormente.

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/mundo/2017/07/28/interna_mundo,613191/israel-proibe-homens-com-menos-de-50-anos-na-esplanada-das-mesquitas.shtml

Anúncios

Aiatolá que prega a destruição de Israel visitará o Brasil

O iraquiano Mohsen Araki é uma estrela do islã xiita. Dono do título de aiatolá, ele faz parte do círculo mais próximo líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, de quem é amigo pessoal desde a juventude. Araki desembarcará no Brasil na próxima semana para pregar em mesquitas e instituições patrocinadas pelo governo do Irã no Brasil. No sábado dia 29, ele proferirá uma palestra no evento “Os muçulmanos e o enfrentamento ao terrorismo radical”, que será em São Paulo, no Novotel Center Norte. Uma ironia por Araki ser conhecido justamente por pregar a violência contra o que ele define como inimigos do islã.

Quando o ex-presidente Mahmoud Ahmadinejad pregou a destruição de Israel, ele estava apenas reproduzindo os discursos de Araki. Em várias oportunidades, o religioso pregou a destruição do Estado Israel. Durante um encontro com o secretário-geral do Hezbollah, Hassan Nasrallah, o aiatolá Araki definiu Israel como “um câncer que deveria ser extirpado do Oriente Médio”.

Em suas pregações, Araki acusa os Estados Unidos e os judeus de serem os responsáveis pelos problemas econômicos dos países islâmicos e das divisões existentes entre as várias correntes da religião islâmica. Em uma visita ao Líbano, ele sugeriu aos líderes do Hamas, o grupo terrorista que controla a Faixa de Gaza, uma união estratégica entre todos as organizações terroristas que atuam no Líbano e Palestina como forma de “banir Israel do mapa”, conforme publicado pela imprensa oficial iraniana.

Em sua página oficial no Facebook, o líder religioso não faz questão de esconder seus vínculos com o Hezbollah e suas posições extremistas. Resta saber se no Brasil ele reproduzirá esse mesmo discurso de ódio que ele propaga por onde passa.

O anfitrião de Araki no Brasil será o sheik iraquiano Taleb Khazraji, outra figurinha carimbada do Hezbollah na América Latina. Khazraji foi citado dos relatórios produzidos pelos investigadores do atentado contra a sede da Associação Mutual Israelita (AMIA), como sendo um dos interlocutores dos terroristas que explodiram a entidade em julho de 1994.

Arquivado em:Mundo

http://www.msn.com/pt-br/noticias/mundo/aiatol%C3%A1-que-prega-a-destrui%C3%A7%C3%A3o-de-israel-visitar%C3%A1-o-brasil/ar-BBEsqtR?ocid=ob-fb-ptbr-48

Urgente:Deputado Orlando Silva tenta “derrubar”alguns vetos de Temer na Lei de Migração

Por Andréa Fernandes

Brasília – O deputado Orlando Silva (PCdo B/SP) apresentou em 13/06/2017, o Projeto Lei nº 7876/2017 objetivando vetar alguns dispositivos da Lei de Migração (LEI Nº 13.445), sancionada em 24 de maio de 2017 e que aguarda a entrada em vigor, cujo prazo é de 180 dias.

O artigo 118, vetado por Temer, preceituava:

“Art. 118. Será concedida autorização de residência aos imigrantes que, tendo  ingressado no território nacional até 6 de julho de 2016, assim o requeiram no prazo de 1 (um) ano após a entrada em vigor desta Lei, independentemente de sua situação migratória prévia. (Grifo nosso)

Orlando Silva modificou o referido artigo vetado tornando-o num dispositivo que implica em GRAVE RISCO À SEGURANÇA NACIONAL, pois ao contrário da redação anterior, autoriza a residência de qualquer imigrante ou refugiado em território brasileiro sem estabelecer um prazo inicial – como 06 de julho de 2017, previsto na Lei de Migração antes do art. 118 ser vetado – bastando que seja requerido no prazo de 18 meses após a data da vigência da lei, independentemente da situação migratória anterior.

Eis o teor do art. 1°, do Projeto de Lei n° 7876/2017:

Art. 1º Será concedida autorização de residência aos imigrantes que, tendo ingressado no território nacional até a data de início de vigência desta Lei, assim o requeiram no prazo de 18 (dezoito) meses após essa data, independentemente de sua situação migratória prévia, na forma do regulamento.

O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República e a Casa Civil reconheceram a gravidade representada pelo artigo 118 e por isso, apresentaram justificativa do veto referenciado afirmando:

O artigo concede anistia indiscriminada a todos os imigrantes, independentemente de sua situação migratória ou de sua condição pessoal, esvaziando a discricionariedade do Estado para o acolhimento dos estrangeiros. Além disso, não há como se precisar a data efetiva de entrada de imigrantes no território nacional, permitindo que um imigrante que entre durante a vacatio legis possa requerer regularização com base no dispositivo.” (Grifo nosso)

Em sua justificativa para derrubar os vetos do presidente Temer no Art. 118 e respectivos parágrafos, Orlando Silva afirma que objetiva instituir o que “popularmente se denomina por ‘anistia’ aos imigrantes que buscam residência permanente em nosso país e que tenham  ingressado no território nacional até a data de início de vigência desta Lei.”

Sorrateiramente, o deputado ainda incluiu algumas modificações e acréscimos não previstos em dispositivos da Lei de Migração para ampliar o apoio à regularização da imigração em massa  para o Brasil. Exemplo de tal fato pode ser encontrado no parágrafo 3° do Art. 118, que estipulava:

§ 3 o   O imigrante com processo de regularização migratória em tramitação poderá optar por ser beneficiado por esta Lei.

Com a proposta de modificação de Orlando  Silva, o parágrafo vetado acima comentado passa a ter a seguinte redação:

§ 3º O imigrante com processo de regularização migratória em tramitação poderá optar por ser beneficiado por esta Lei, assim como o solicitante de refúgio que manifestadamente expressar sua opção pela solução migratória prevista no caput deste artigo.

A iniciativa do deputado – que não encontra qualquer respaldo popular – representa um perigo para a segurança nacional, pois, tenta revalidar dispositivos que o próprio governo reconheceu como temerários, sendo certo que tais dispositivos facilitarão o processo de imigração em massa de imigrantes sem que o país tenha a mínima infraestrutura para recebê-los e mesmo para combater o extremismo islâmico causador de milhares de atentados terroristas em todo mundo.

Propor leis que visam apenas suposto “auxílio humanitário” num período em que o Ocidente “fecha fronteiras” e “reforça a segurança nacional” para coibir o terrorismo islâmico  é um ato de traição à nação brasileira e atentado ao estado de direito.

 

 

Final do Ramadã na Indonésia: muçulmanos gritando “Allahu akbar” esfaqueia policial até a morte

“Os alegados militantes do ISIS matam policial na Indonésia” , AFP , 25 de junho de 2017 (graças a Lookmann):

Jakarta (AFP) – Dois supostos militantes do grupo Estado islâmico apunhalaram um policial até a morte no oeste da Indonésia, disseram autoridades no domingo, no último ataque dirigido a funcionários do país muçulmano mais populoso do mundo.

Os dois atacantes gritaram “Allahu Akbar”, ou Deus é maior, quando eles entraram em um posto de segurança na sede da polícia do Norte de Sumatra, na cidade de Medan, onde apunhalaram um policial, disseram autoridades.

Vários policiais lutaram contra os militantes, matando um e ferindo gravemente o outro.

“Suspeitamos que os criminosos tenham links com ISIS e Bahrun Naim, porque encontramos uma bandeira do ISIS, livros e CDs ligados a ISIS na casa de um atacante”, disse o porta-voz da polícia nacional, Setyo Wasisto, à AFP.

Bahrun Naim, um indonésio que está lutando com ISIS na Síria, foi acusado de dirigir uma série de tramas terroristas na maior parte do tempo em sua terra natal nos últimos anos.

Centenas de radicais da Indonésia reuniram-se no exterior para lutar com o ISIS, e o país viu um aumento nas parcelas e ataques ligados aos jihadistas no ano passado.

O ataque aconteceu algumas horas antes das orações do Eid, inclusive na sede da polícia de North Sumatra, como parte das celebrações de Eid al-Fitr que marcam o fim do santo mês de jejum do Ramadã ….

https://www.jihadwatch.org/2017/06/ramadan-finale-in-indonesia-muslims-screaming-allahu-akbar-stab-police-officer-to-death

Flint, Michigan: Muçulmano gritando “Allahu akbar” apunhala policial em “possível ato de terrorismo”

“NBC News: Policiais apontam como” possível ato de terrorismo “. O suspeito nascido no Canadá gritou” Allahu Akbar “, por John Steckroth e Ken Haddad, clique em Detroit , 21 de junho de 2017:

FLINT TOWNSHIP, Mich. – A polícia diz que um oficial do aeroporto foi esfaqueado no pescoço quarta-feira de manhã no aeroporto internacional Bishop em Flint.

O oficial foi levado ao hospital. A Polícia do Estado de Michigan disse que o oficial está em estado crítico.

A polícia identificou o oficial ferido como tenente Jeff Neville. O Aeroporto Internacional Bishop foi evacuado e fechado.

A polícia disse que um suspeito foi detido …

O FBI está liderando a investigação. A Câmara Municipal de Flint começou a operar sob uma segurança elevada com muita cautela após o incidente ….

https://www.jihadwatch.org/2017/06/flint-michigan-muslim-screaming-allahu-akbar-stabs-police-officer-in-possible-act-of-terrorism

O jihadista de Londres ao cortar garganta de mulher gritou: “Isto é para Allah pare de viver essa vida”

“Quando você encontrar os incrédulos, ataca os pescoços …” (Alcorão 47: 4)

“Isto é para Deus, pare de viver esta vida”: o que os terroristas de Londres gritaram quando eles cortaram a garganta da vítima australiana em cenas “como um filme de terror” em um restaurante cheio onde com fúria mataram oito “, de April Glover e Max Margan, Daily Mail Austrália , 11 de junho de 2017:

Uma mulher australiana e seu parceiro que sobreviveram ao ataque terrorista de Londres descreveram o momento em que três terroristas jihadistas invadiram o restaurante onde eles trabalhavam.

Candice Hedge, 31, de Brisbane, teve a garganta cortada durante a fúria por três homens que atropelaram muitas pessoas em London Bridge no último sábado à noite antes de atacar pessoas inocentes com facas.

Oito pessoas morreram quando foram atacadas a faca por jihadistas gritando slogans islâmicos quando entraram em restaurantes atacando aleatoriamente qualquer um em seu caminho, antes de serem mortos a tiros pela polícia.

“Eles estavam dizendo:” Isto é para nossa família, isso é para Allah. Pare de viver essa vida “, disse Luke ao programa Sunday Night da Channel Seven.

A Sra. Hedge estava trabalhando no restaurante de Elliot no Borough Market perto da ponte, junto com seu namorado Luke.

Recordando a provação em sua primeira entrevista na mídia, ela descreveu como ela olhou seu atacante no olho segundos antes de ser esfaqueada.

“Ele olhou para mim e eu olhei para ele, realmente aconteceu tão rápido”, disse Hedge.

No momento em que ela foi ferida, ela disse: “Foi um rápido ir e foi isso. Eu estava vomitando sangue.

O terrorista cortou a garganta da Sra. Hedge, deixando um corte profundo que quase rasgou suas cordas vocais e a principal artéria.

“Eu podia sentir a quantidade de sangue e estava quente na minha mão”, disse ela.

‘E eu podia ver o quanto era e, você sabe, você vê filmes de terror – era assim. Eu estava pensando por um momento que não conseguiria fazê-lo.

A área que os terroristas atingiram foi cercada e nenhuma ambulância foi autorizada a entrar com medo, os ataques ainda estavam em andamento.

A Sra. Hedge foi forçada a dirigir-se para a ajuda médica a pé enquanto segurava um pedaço de pano na garganta sangrando.

“Eu estava pensando,” eu não quero morrer. Eu quero passar por isso. “E eu também queria sair daqui. Eu queria entrar em segurança “, disse ela.

https://www.jihadwatch.org/2017/06/london-jihadi-screamed-this-is-for-allah-stop-living-this-life-as-he-slit-womans-throat

Nigéria: jihadistas assassinam 17 pessoas e ferem 34 em ataques de jihad contra muçulmanos no final do jejum no Ramadã

“O último ataque do Boko Haram, o mais sangrento em 2017 – Amnistia Internacional”, de Wale Odunsi, Daily Post , 9 de junho de 2017:

A Amnistia Internacional afirmou na sexta-feira que os ataques coordenados do Boko Haram que mataram pelo menos 17 pessoas e feriram mais 34 na noite de quarta-feira foram “viciosos, demonstram um desprezo para a vida humana e o mais sangrento até agora neste ano”.

Osai Ojigho, diretor da Amnesty International Nigéria, em uma declaração disponibilizada para o POSTAL DIÁRIO, disse que Boko Haram deve encerrar sua campanha de homicídios ilegais de civis.

“Estes ataques deploráveis ​​ocorreram em um momento em que os muçulmanos estavam quebrando o seu jejum durante o mês sagrado do Ramadã e demonstraram o completo desrespeito pela vida humana

“As autoridades nigerianas devem fazer mais para proteger os civis e levar os perpetradores de todos esses ataques à justiça, em vez de varrerem centenas de suspeitos e mantendo-os indefinidamente em condições horríveis e ameaçadoras para a vida”.

AI lembrou que os ataques começaram em torno das 18h30 quando os combatentes de Boko Haram abriram fogo aleatoriamente na comunidade de Jiddari Polo em Maiduguri, uma das maiores cidades da região norte.

A AI acrescentou que, mais tarde, às 9h, quatro bombardeiros suicidas detonaram dispositivos explosivos perto do Lake Chad Basin Research Institute na área de Goni Kachallari da cidade ….

https://www.jihadwatch.org/2017/06/nigeria-jihadis-murder-17-injure-34-in-jihad-attacks-on-muslims-ending-ramadan-fast

O califa do Estado Islâmico al-Baghdadi está morto (novamente)

“O líder do ISIS Abu Bakr al-Baghdadi morreu em Raqqa Air Strike”, de Constance Renton,Morocco World News , 11 de junho de 2017:

Rabat – Novas fontes importantes relataram que o terrorista mais procurado do mundo, Abu Bakr al-Baghdadi, foi morto em um ataque aéreo da coalizão em Raqqa no sábado.

Os relatórios estão sendo encarados com certo grau de ceticismo, no entanto, esta não é a primeira vez que o líder do terror foi denunciado morto.

A televisão síria publicou o relatório inicial. Ainda não foi confirmado por enquanto, já que o ISIS ainda não divulgou uma declaração. Tampouco houve resposta da força de coalizão liderada pelos EUA.

Raqqa 24, uma organização de ativistas Syrina, confirmou que ataques aéreos em Raqqa mataram pelo menos sete civis, mas não fizeram menção a Al-Baghdadi.

Nascido em Samarra, no Iraque, em 1971, Al-Baghdadi se juntou à insurgência em 2003, que surgiu após a invasão liderada pelos EUA no Iraque. Ele passou a se tornar o terrorista mais caçado do mundo, com uma recompensa de US $ 25 milhões de dólares.

De acordo com a inteligência da coalizão, ele estava escondido em Mosul, mas escapou quando a Coalizão lançou sua principal ofensiva na cidade. Pensa-se que ele fugiu para Raqqa …

https://www.jihadwatch.org/2017/06/islamic-state-caliph-al-baghdadi-is-dead-again

Ramadã em Londres: Três muçulmanas gritando “Allah vai te pegar” esfaqueiam mulher, mas policiais não tratam isso como incidente terrorista

“Escolas interditadas” depois que funcionária no caminho para o trabalho é puxada para o chão e cortada no braço por três gritos de garotas, “Allah vai pegar você”, por Rachael Burford,Mailonline , 7 de junho de 2017:

Uma funcionária de enfermagem foi arrastada para o chão e esfaqueada por três mulheres, enquanto cantavam ‘Allah vai te pegar’.

Karrien Stevens, que administra o berçário Little Diamonds em Hermon Hill, Londres disse que um membro da equipe, com idade entre os 30 anos, foi perfurado, chutado e cortado por três garotas enquanto trabalhavam esta manhã.

A vítima estava caminhando pela Wanstead High Street, no norte de Londres, quando ela foi abordada e esfaqueada, de acordo com seu chefe.

Ela foi atacada por trás e depois esfaqueada no braço enquanto suas agressoras cantavam ‘Alá’, porém a polícia não está tratando isso como um incidente terrorista.

As escolas próximas enviaram e-mails dizendo aos pais que estavam “interditadas” após o ataque às 9h30.

O chefe do berçário descreveu os atacantes como “meninas asiáticas” e disse que fugiram quando um homem veio para resgatar e levou-a ao trabalho.

Ela acrescentou: “Quando ela começou a trabalhar, não podíamos acreditar e chamamos a polícia imediatamente. É terrível, estou absolutamente horrorizada. Você não espera que algo assim aconteça na sua porta.

Um colega, que não quis se identificar, disse que a vítima tinha “três garotas asiáticas atrás dela cantando o Alcorão e” Allah “.

Ela acrescentou: “Eles a puxaram para o chão, golpearam-na e chutaram-na. Um deles tirou uma faca e cortou o braço do pulso até o cotovelo. A polícia apareceu, os [paramédicos] limparam suas feridas.

“Ela está bem, considerando. Obviamente, é um choque, ela está em choque. Ela estava com lágrimas e cortou o braço.

“Seu estômago estava doendo, ela tinha marcas sobre ela, seus cabelos foram puxados”.

A vítima, descrita como uma mulher branca, foi atacada pelas 3 garotas em “caminhada a menos de 10 minutos” do berçário, disse ela.

A Polícia Metropolitana confirmou que foi chamado às 9h36 e encontrou a vítima com uma “ferida”.

Eles dirigiram a vítima ao redor da área na tentativa de encontrar os perpetradores. Nenhuma prisão foi feita.

“The Met’s Counter Terrorism Command foi informado do incidente, mas não está investigando neste momento”, disse um porta-voz ….

https://www.jihadwatch.org/2017/06/ramadan-in-london-three-muslimas-screaming-allah-will-get-you-stab-woman-cops-not-treating-it-as-terrorist-incident

Terceiro assassino da jihad de Londres disse à polícia italiana: “Eu vou ser um terrorista”, não tive problemas para entrar no Reino Unido

“Após a parada do aeroporto, o Serviço de Inteligência Interna da Itália transmitiu detalhes ao oficial de ligação da agência de segurança estrangeira do Reino Unido – MI6 – na Itália, que também transmitiu a informação à agência de segurança doméstica do Reino Unido MI5 … Naquele momento, ele começou a voar regularmente entre Londres e Bolonha “.

Apesar de sua declaração e seus laços com o terror da jihad, ele evidentemente não teve problemas para entrar na Grã-Bretanha. A Grã-Bretanha apenas mantém inimigos do terror da Jihad.

“O terceiro terrorista de Londres disse à polícia italiana:” Eu vou ser um terrorista “, por Giulia Paravicini, Politico , 6 de junho de 2017:

O homem marroquino-italiano que foi identificado como o terceiro atacante de Londres disse às autoridades italianas “Eu vou ser um terrorista”, quando ele foi parado no aeroporto de Bolonha no ano passado, disse um oficial de segurança italiano à POLITICO.

Youssef Zaghba, 22, foi o terceiro homem morto pela polícia durante o ataque terrorista de sábado no centro de Londres. Ele havia sido notificado às autoridades britânicas e marroquinas pela inteligência italiana quando a polícia italiana o interceptou em 15 de março de 2016 no aeroporto de Bolonha com um bilhete de ida para Istambul, disseram dois funcionários sob condição de anonimato.

Ele foi parado porque parecia “agitado”, disse uma fonte. Quando questionado pela polícia no aeroporto sobre os motivos da viagem, ele respondeu: “Eu vou ser um terrorista”. Ele não estava carregando nenhuma bagagem.

A polícia telefonou para sua mãe que, segundo a fonte, disse que estava preocupada com o filho porque falava sobre a jihad. Ela disse às autoridades italianas que Zaghba estava trabalhando em um restaurante paquistanês em Londres. As autoridades italianas pegaram seu telefone e vários cartões sim, mas não o prenderam porque ele não cometeu um crime. Eles o denunciaram às autoridades de Bolonha, que iniciaram processos contra ele por delitos de terrorismo.

Em abril de 2016, o tribunal suspendeu a investigação cancelando o pedido sob o qual o telefone de Zaghba foi apreendido e negando permissão à polícia para manter uma cópia de seus contatos. A investigação não encontrou nenhuma evidência de que viajou para a Síria.

Após a parada do aeroporto, o Serviço de Inteligência Interna da Itália transmitiu detalhes ao oficial de ligação da agência de segurança estrangeira do Reino Unido – MI6 – na Itália, que também transmitiu a informação à agência de segurança doméstica do Reino Unido MI5.

O alerta para as autoridades britânicas era uma comunicação rotineira sobre um suspeito potencial, em vez de uma bandeira vermelha de emergência, de acordo com as fontes de segurança italianas. O nome também foi adicionado pela polícia em Bolonha ao Sistema de Informação Schengen – uma base de dados de segurança da UE.

O nome de Zaghba foi inicialmente relatado por Il Corriere Della Sera . Mais tarde, foi confirmado pela Polícia Metropolitana , embora eles dissessem que a identificação formal ainda não havia ocorrido. “Ele não era um policial ou assunto de interesse de MI5”, disse um comunicado da polícia ….

A família morava junta em Marrocos até 2015 quando os pais se divorciaram. O filho ficou com seu pai até janeiro de 2016. Depois de uma discussão, ele deixou de viver com sua mãe na Itália. Nesse ponto, ele começou a voar regularmente entre Londres e Bolonha …

https://www.jihadwatch.org/2017/06/third-london-jihad-murderer-told-italian-police-im-going-to-be-a-terrorist-had-no-trouble-entering-uk