Militantes islâmicos matam 36 cristãos na Nigéria e no Mali: alguns foram queimados vivos

CBN News – Militantes islâmicos armados mataram 27 civis no centro do Mali em três ataques a aldeias agrícolas predominantemente cristãs em menos de 24 horas, disseram autoridades locais na quinta-feira (04/05).

O Mali Central, como seus vizinhos Burkina Faso e Nigéria, foi devastado por militantes islâmicos conhecidos como Pastores Fulani. 

As autoridades locais disseram à Reuters que os militantes realizaram três ataques entre terça e quarta à noite.

Ficamos surpresos com o ataque à vila de Tillé. Sete foram mortos, todos Dogons, alguns deles queimados vivos“, disse Yacouba Kassogué, vice-prefeito de Doucombo, município em que Tillé está localizado.

Outros ataques nas áreas vizinhas de Bankass e Koro também mataram outros 20 moradores. A maioria das pessoas foi baleada ou queimada até a morte, disseram autoridades locais. 

O Mali está em turbulência desde 2012, quando extremistas ligados à Al Qaeda capturaram dois terços do norte do país. Unidades do exército francês os expulsaram de várias áreas, mas reagruparam e expandiram suas operações para municípios vizinhos, segundo a Reuters . 

Enquanto isso, a International Christian Concern (ICC) relata que os militantes Fulani atacaram novamente os nativos de Adara em Kajuru LGA, Kaduna State, Nigéria. O ataque à vila cristã ocorreu enquanto muitos ainda lamentavam a perda de entes queridos, propriedades e seus meios de subsistência após uma série de ataques coordenados a pelo menos cinco aldeias e 12 assentamentos no mês passado.

Os militantes lançaram este ataque mais recente em Tudu-Doka Avong ao longo da estrada Kaduna-Kachia, matando nove pessoas e ferindo várias outras.

Usman Stingo, um representante da comunidade, confirmou o incidente à ICC. 

“Aconteceu por volta das 5h45 da quarta-feira, 3 de junho de 2020. Os pistoleiros chegaram à vila e começaram a atirar esporadicamente. Eles entraram em algumas casas e queimaram coisas domésticas. A situação é muito, muito patética”, disse ele. 

Os recentes ataques às comunidades Adara que se espalharam pelas áreas do conselho local de Kajuru e Kachia, no sul de Kaduna, impactaram aproximadamente 537 famílias e aproximadamente 20.000 pessoas foram deslocadas.

O gerente regional da ICC para a África, Nathan Johnson, disse que o governo precisa agir. 

A área do governo local de Kajuru já foi atacada quase uma dúzia de vezes no mês passado. Apesar disso, o governo não tomou nenhuma medida clara ou decisiva para impedir a violência. Eles não capturaram nenhum dos autores, salvaram vidas ou ajudou qualquer um que tenha sofrido “, disse Johnson. 

Essa inação continuada está custando a muitas pessoas suas vidas, casas e entes queridos. Está na hora de o governo da Nigéria ser responsabilizado pelas muitas vidas que eles falharam em defender. Eles são completamente incompetentes e precisam ser removidos, ou são cúmplices e precisam ser lançados na prisão “, concluiu. 

A Nigéria está classificada em 12º e Mali em 29º na Lista Mundial de Portas Abertas para 2020 dos países onde os cristãos sofrem mais perseguições.

Informações e imagem by CBN News

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s